Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

O CRUEL DILEMA DE UM CORNO

Por: Giltozzi - Categoria: Cornos-Cuckold
aumento peniano

      -- Olhe, Tadeu, ou o Gilson ou ninguém. Nenhum outro homem me interessa, só o Gilson.
      -- Mas Letícia, você tinha que cismar justamente com o Gilson que é meu amigo de infância e meu melhor amigo? Pense em outra pessoa, mas o Gilson não, por favor.
      -- Tadeu, já lhe falei e vou repetir. O único homem com quem eu gostaria de transar é o Gilson. Com ele e mais ninguém e não vamos mais discutir esse assunto. Se não puder ser com ele, então pare de me pedir para sair com outro homem.
Sou o Tadeu, 46 anos, casado com Letícia há 16, ela que completou 40 anos recentemente. Eu e Letícia temos um filho adolescente. Há mais ou menos uns três anos venho conversando com minha esposa sobre a possibilidade de nos tornarmos mais liberais no casamento, como forma de apimentá-lo e tirar mais proveito do sexo. Desde então venho falando para minha mulher que ela poderia ter caso com outro homem se ela quisesse e eu com outra mulher. Letícia meio relutante aceitou o acordo mas apenas eu tirei proveito pois mantive relações com duas outras mulheres nesses anos, enquanto Letícia nunca confessou ter tesão por alguém. Nem mesmo eu insistindo e pedindo a ela que olhasse mais para os homens que ela achasse simpáticos e que a atraíssem. Nos últimos meses eu venho sendo mais direto porque cresceu demais em mim o desejo de saber que Letícia dá para outro homem. Aquele desejo de ser corno que muitos maridos têm.
Gilson é meu amigo de infância, da minha idade e casado com Patrícia. Eu e Letícia fomos padrinhos de casamento deles, inclusive. Não há mês que não nos visitamos e nessas ocasiões comemos pizza e batemos longos papos, os quatro juntos ou as duas mulheres e nós dois homens. Patrícia é bonitinha mas nunca despertou atração mais forte em mim e penso que mesmo que ficássemos sozinho não acredito que rolasse alguma coisa. Já com respeito a minha mulher e Gilson, muitas vezes cheguei a fantasiar ele com ela, mas nunca tive coragem de dizer isso para Letícia. E sei que Gilson já teve alguns casos, inclusive uma amante de verdade, relação que durou mais de um ano e que ele me confidenciou pois confia em mim. Nunca falei desse caso do Gilson nem mesmo para Letícia.
Numa das vezes em que sugeri a Letícia para arrumar um homem para comê-la ela me fez perder a respiração ao dizer que só sentia vontade de dar para o Gilson. Embora eu já houvesse fantasiado os dois juntos, veio aquela coisa indefinível entre vergonha do amigo e medo das consequências devido à nossa amizade. Mas junto veio também o tesão natural que só o corno sabe como é. Refeito da surpresa disse a ela que com o Gilson não, que era meu melhor amigo e todo aquele blá-blá-blá de quem não admite nem pensar mas que no fundo até gostou da ideia. Acho que fui convincente e fiz Letícia acreditar que não queria que ela fodesse com o meu amigo. Até que houve aquela noite em que estávamos na cama e eu perguntei se ela não estava tendo tesão por outro homem, como eu sempre perguntava e ocorreu o diálogo que abre este conto.
Foi quando eu quis saber se eles estavam flertando ou algo assim e Letícia me respondeu que já não era nem flerte mais e sim uma cumplicidade que poderia explodir a qualquer momento. Letícia contou que a primeira vez que Gilson tomou a iniciativa foi quando ela e Patrícia estavam sentadas no sofá olhando um álbum de fotografias e Gilson sentou-se no braço do sofá, esticou seu braço direito nas costas do sofá e passou a acariciar o ombro de Letícia que ficou quieta consentindo as carícias. Desse dia em diante seus pés se tocam por sobre a mesa e Gilson não perde uma única oportunidade de abraçar minha mulher quando estão distantes de nós. Numa das vezes encoxou-a no terraço e foi a primeira vez que Letícia sentiu o pau de Gilson encostar nela. Sucederam-se as ligações e conversas mais longas com trocas de juras de amor e desejo de saírem juntos. Daí Letícia ter feito o ultimato. Gilson a seduziu e ela queria mesmo meter com meu amigo.
Claro que nessa noite, excitado com o que Letícia me contara eu a fodi com muito tesão. E claro que ela não deixou de perceber isso e depois que gozamos minha mulher maliciosamente perguntou: “E então, Tadeuzinho querido, vou poder transar com o Gilson?” Naquele momento, excitado que eu estava, concordei, mas no dia seguinte voltei à realidade e com ela a dúvida. Passei o dia todo pensando nisso durante o trabalho e não conseguia chegar a uma decisão. Queria sim por um lado, mas por outro nem saberia como olhar para o Gilson que agora, depois de quase 40 anos de amizade iria me fazer de corno comendo minha mulher. A dúvida se desfez quando cheguei em casa nesse dia.
Letícia estava vestida com um shortinho amarelo folgado que a deixa supergostosa com aquelas pernas bem torneadas. E mais a blusa justa marcando seus seios arredondados, além do cabelo que havia cortado e mudado o penteado, os brincos pequenos que a deixavam mais bonita ainda. Cheguei e Letícia me beijou, beijo longo, sensual, após o que me perguntou: “Vou poder, amor?” Não tive como negar e respondi emocionado: “Pode, meu tesão”. Não demorou meia hora e Gilson liga, Letícia atende e ficam conversando bastante tempo com ela rindo muito feliz contando a ele que finalmente iriam sair. Quando escutei essa palavra cutuquei Letícia e fiz ‘não’ com a cabeça, apontando para o chão com o dedo como quem diz: ‘tem que ser aqui’. Ela entendeu, sorriu e disse para Gilson que depois voltariam a se falar quanto ao local do encontro deles.
Era mês de férias escolares e nosso filho estava na casa dos avós no interior. Pedi a Letícia que chamasse Gilson ao nosso apartamento na noite seguinte pois eu teria reunião de diretoria na empresa e essas reuniões jamais terminavam antes das onze da noite. Novamente eu e Letícia fodemos ardentemente, eu enlouquecido pela ideia de Gilson comer minha mulher e ela certamente doidinha de tesão pelo quase amante. Pedi a ela que ficasse bem bonita e gostosa para o Gilson e que depois me contasse como foi a primeira trepada deles. Eis a narrativa de minha esposa na noite em que Gilson a comeu pela primeira vez:
      -- Gilson entrou normalmente porque o porteiro da noite acredita que ele seja seu irmão. Subiu e eu estava esperando por ele com a porta entreaberta. Abraçou-me com força, beijou-me prolongadamente e senti seu pau ficando duro encostado na minha buceta. Eu estava com este vestidinho curto e largo e sem calcinha. Gilson levantou meu vestido e vendo que estava ‘tudo livre’ encostou seu pau duríssimo na minha buceta. Segurei-o com força apertando-o contra mim e desse jeito, grudados, fomos para o quarto, eu andando de costas e o trazendo comigo. No quarto pedi a ele para se despir enquanto tirei o vestido, os brincos e me deitei na cama esperando-o. Gilson chupou minha buceta e logo colocou o pau nela e foi enterrando todo ele em mim que gemi de prazer.
      -- Como eu queria muito foder com o Gilson, gozei duas vezes em seguida e ele se conteve, até que no meu terceiro gozo nós gozamos juntos. Eu sei que Gilson é vasectomizado e não tive preocupação nenhuma em ele gozar dentro de mim porque assim é muito mais prazeroso. Quando começou a escorrer a porra dele peguei uma toalhinha e fui ao banheiro dando as costas para ele que assoviu ‘fiu-fiu’ para o meu traseiro. Quando voltei ficamos conversando um pouco, falando de você, Tadeu e de Patrícia, sempre com Gilson acariciando meus seios e minha buceta. Meia hora depois Gilson me beijou, me virou de costas delicadamente e imaginei que ele fosse querer comer meu bum-bum. Mas não, ele me posicionou meio de lado e com seu pau outra vez duro penetrou minha buceta. Bombou devagarinho e depois acelerou segurando meus peitos com uma das mãos até que gozamos pela segunda vez.
      -- Gilson então continuou sobre mim e senti seu peso, seu hálito, seu respirar e assim ficamos por uns dez minutos. Então, Tadeu, você não vai acreditar... O pau de Gilson, mesmo depois de duas trepadas tornou a ficar duro dentro da minha buceta. Quando percebi comecei a rebolar para deixá-lo mais excitado e o volume do pau dele foi aumentando até ficar duro o suficiente para começar a entrar e sair novamente. Pensei comigo: ‘Ele não vai conseguir gozar pois faz dez minutos que gozou e nem tirou o pau de dentro da minha buceta’. Mas Gilson passou a acelerar cada vez mais os movimentos e eu a rebolar cada vez mais com minha bunda encostada nele e as bolas de seu saco batendo em mim. Isso demorou uns três ou quatro minutos e o Gilson começou a me apertar e gemer de tesão, até que gozou pela terceira vez e eu gozei junto de tanta satisfação de ter dado prazer a ele.
      -- Já eram quase dez da noite e Gilson falou que era melhor ir embora porque Patrícia às vezes chega mais cedo da escola onde leciona. Perguntei brincando se ele iria comer a Patrícia depois e Gilson respondeu que durante um mês ele só quer comer a mim. Perguntei a ele se poderia contar para você dessa nossa primeira trepada e Gilson respondeu que se eu não resolvesse matá-lo estava tudo bem. Disse a ele que você, Tadeu, jamais mataria seu melhor amigo, agora amante de sua mulher e tinha certeza que iria até gostar de saber e desse modo tudo seria mais fácil para nós.
Cheguei em casa, ouvi de pau duro o que Letícia me contou, levei-a para a cama que ainda estava desarrumada e chupei sua buceta sentindo ainda o gosto da porra do meu amigo Gilson. Depois fodi Letícia com o maior tesão, tesão de corno realizado. No dia seguinte liguei para o Gilson e falei: “Seu filho da puta! Comeu minha mulher não é safado? Ela me contou e gostou demais de dar para você. Eu também gostei, viu, safado! E a nossa amizade continua, só que agora ela é ainda maior que nunca”. Gilson respondeu: “Tadeu, meu querido. Agora só falta você meter com a Patrícia...” respondi: “Quem sabe... Quem sabe...”

Comentarios

Péssimo!!!

Por:Joleg em 19/10/2020 04:42
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
foto avatar usuario Giltozzi
Por: Giltozzi
Codigo do conto: 17549
Votos: 3
Categoria: Cornos-Cuckold
Publicado em: 12/12/2019

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login



Aumento Peniano
Mais contos desse usuario

TIO VALDEMAR COMENDO MINHA ESPOSA

QUASE CORNO: UM CONTO MÓRBIDO

UMA SEMANA COM O PINTOR ME COMENDO

GOL DE PLACA NA MINHA SOGRA

O VIZINHO VIOLONISTA COMEU MINHA MULHER

O COROA TARADO COMEU MINHA MULHER

EXAME DA OAB E MEU PRIMO DEU AULA LÁ EM CASA

COMENDO A DIARISTA DA PRAIA

AMOR SÓ DE MÃE E COMO É BOM!

MEU CUNHADO COMENDO O CU DA MINHA MULHER

MINHA PRIMA BEBEU SEM MODERAÇÃO E EU ENTREI EM AÇÃO

O PADRE QUE GOSTAVA DE LEVANTAR A BATINA

REPRESENTANTES COMERCIAIS REALIZAM ‘LUA-DE-MEL’

O CORRETOR ‘PEGOU’ DONA CLÁUDIA

COMO O TENENTE VIROU CORNO

UM TEMPORAL NO GUARUJÁ ME FEZ VIRAR CORNO!

EU, AMANTE DE MINHA AVÓ DE 68 ANOS

O ELETRICISTA SE LIGOU NA MINHA MULHER

OS TIOS COROAS SÃO OS MAIS PERIGOSOS

COMO ME TORNEI BISSEXUAL

MINHA TIA LETÍCIA PAGANDO O QUE ME DEVE

AS APARÊNCIAS ENGANAM E COMI A PROFESSORA DE HISTÓRIA

DOIS CUNHADOS E UMA DUPLA PENETRAÇÃO NA CUNHADA

A SEXÓLOGA ENSINOU E MINHA MULHER ME COMEU

CHEGOU A MINHA VEZ DE COMER O CU DA MINHA CUNHADA

EUNICE, MINHA VIZINHA, ATÉ QUE NÃO É DE SE JOGAR FORA

EU E RAQUEL CONSOLANDO NOSSO AMIGO RAFAEL

O PADRASTO COMEU A ENTEADA E A MADRASTA DEU PARA O ENTEADO

O VIZINHO VOYEUR E MINHA ESPOSA SONIA

MEU SOBRINHO VAI JOGAR NA ESPANHA E APRENDEU ESPANHOL COM MINHA MULHER

MEU CUNHADO COMEU MEU CU NA CHÁCARA

MEU CUNHADO ME VESTE COM ROUPAS DE SUA ESPOSA E ME COME ASSIM

MEU COLEGA DE TRABALHO CONQUISTOU E COMEU MINHA MULHER

O MOÇO DA OPERADORA VEIO FAZER A INSTALAÇÃO E MEU MARIDO VIROU CORNO

MARCOS, MEU IRMÃO, COMEU MINHA MULHER

COMO MINHA MULHER APRENDEU A DAR O RABO

JAIRO, CASADO, 48 ANOS, DEU O CU PRA MIM

EU E MINHA IRMÃ, UM AMOR DELICIOSAMENTE PROIBIDO

EU E MINHA IRMÃ, AGORA ME DANDO TAMBÉM SEU RABINHO

30 ANOS DEPOIS OS PRIMOS VOLTAM A SE COMER

MEU AMIGO ARROMBOU O CU DE MINHA MULHER

APRENDI A TOCAR VIOLÃO SENTADO EM UMA ROLA

MINHA ESPOSA SAINDO TODO DIA... MEU CUNHADO COMENDO ELA

VALTER PLANTANDO A PALMEIRA NA NOSSA CHÁCARA E NA MINHA MULHER

O COLEGUINHA QUE ME DAVA O CU TODOS OS DIAS

CLÁUDIO, O RAPAZ DA BUNDA MAIS LINDA QUE EU JÁ VI

MINHA JOVEM SOBRINHA DA BUNDINHA CARNUDA

CARLINHOS, TÉCNICO EM ALARME E EM OUTRAS COISAS

O ENCONTRO A SEIS QUE VIROU SWING

TROCA DE CASAIS IMPERFEITA

O NAMORADO DE MINHA MÃE ME COMEU

PASSEI A SER O NAMORADO DE MINHA MÃE

EU E MEU PRIMO NA BANHEIRA DE CASA

A SURUBA A SEIS QUE VIROU SWING

O FOTÓGRAFO QUE COME MINHA MULHER

DONA ODETE, A MADURA CASADA QUE ME INICIOU

NESTA FAMÍLIA NINGUÉM PERDOA NINGUÉM

CASAIS DE CUNHADOS MORANDO JUNTOS É UM PERIGO!

DEMOROU MAS ACONTECEU: UM AMANTE PARA MINHA MULHER

OS CUNHADOS QUE SE TORNARAM AMANTES

A PRIMEIRA VEZ DE MINHA MULHER COM OUTRO HOMEM

ESTOU COMENDO MINHA FILHA DE 22 ANOS

O FILHO DE SEU TONHO COMENDO O ADVOGADO

A PRIMEIRA VEZ QUE SE DÁ O CU JAMAIS SE ESQUECE

MEU GRANDE AMIGO COMEU MINHA MULHER

CORNO NO ‘MÉNAGE A TROIS’

VINTE ANOS COMENDO MINHA MÃE

NOITE DE SWING E EU COMI MINHA IRMÃ

EU, MARCOS, ME APAIXONEI POR CARLINHOS, MEU CUNHADO


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados