Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

O PADRE QUE GOSTAVA DE LEVANTAR A BATINA

Por: Giltozzi - Categoria: Bisexuais
aumento peniano

Esta história passou-se há mais de 40 anos, quando os padres ainda usavam batina, o que depois foi abolido e o uso dessa vestimenta se restringiu às missas e cerimônias. Especulava-se muito a respeito do Padre Mário e cada um dizia alguma coisa sobre ele. Eu, ainda adolescente, ouvira que ele gostava de jovens, o que me despertava enorme curiosidade. O que será que o padre Mário fazia afinal que gerava tanta falação naquela pequena cidade do interior.
Padre Mário, nos seus 40 e poucos anos era careca, usava óculos e pouco sorria, daí pensar que tudo que diziam sobre ele não passasse de intrigas maldosas, de fofocas de gente do interior que não tem o que fazer. Mas havia um fundo de verdade na boca do povo. Descobri isso quando a casa em que o padre morava, anexa à igreja, precisou de uma pequena reforma no telhado e o padre contratou meu patrão, seu Libório para o serviço que levaria três dias para ser executado.
Estávamos trabalhando no telhado e padre Mário percebeu que eu olhava para ele com insistência. Minha curiosidade era observá-lo para tirar a dúvida se ele era veado ou tarado, mas nada indicava uma coisa ou outra. Seu Libório teve que ir acompanhar outra obra e fiquei sozinho na casa com padre Mário que me chamou, disse para eu descer do telhado e tomar uma água fresca pois o calor lá em cima estava terrível.
Desci e padre Mário me pareceu ter sofrido uma grande mudança de comportamento pois agora se tornara gentil e até enxugou minha testa com seu lenço. Depois disse para eu descansar um pouco e voltar ao trabalho mais tarde. Ele então sentou perto de mim e me disse que percebeu que eu o olhava desde que chegara, mesmo lá de cima do telhado. Colocando a mão em meu ombro ele perguntou se eu queria alguma coisa. Eu estava só de calção e camisa e quando ele falou isso, com o braço em volta do meu pescoço, meu pau começou a crescer e eu não sabia o que fazer pois não dava para esconder.
Padre Mário colocou a mão sobre meu calção, segurou meu pau e disse: “Rapaz, o que é isso, você está pensando em alguma namorada?” Em seguida enfiou a mão por dentro do meu calção e retirou meu pau para fora, passando a acariciá-lo e chupa-lo com gosto. Como eu estava sentado, só via a careca do padre Mário brilhando enquanto ele me chupava. Sei lá porque razão dei um beijo na careca dele.
Padre Mário se levantou e me levou para seu quarto onde me disse: “Olhe, quero que você satisfaça seus desejos comigo. Sei que você quer isso. Percebi desde que você chegou aqui hoje. Mas tem que ser do jeito que eu gosto, viu?” Louco de tesão abaixei minhas calças com meu pau bastante duro e padre Mário se posicionou de quatro, levantando a batina e deixando aparecer uma bunda bonita, rosada, sem pelos, se oferecendo toda para mim. O contrate entre a batina escura e aquela bunda tão clara aumentou minha excitação. Padre Mário passou vaselina no meu pau e pediu para eu meter tudo nele.
Nem precisava pedir pois eu já não aguentava de tesão de ver aquela bunda tão bonita. Com as mãos padre Mário abriu suas nádegas e fui enterrando meu pau que não é muito grande, naquele cuzinho gostoso. Entrou tudo e padre Mário mexia gostoso, coisa de quem sabe o que está fazendo, de quem já deu muito o cu e gosta de dar.
Percebi que ele se masturbava enquanto eu o enrabava, até que, de tanto meu pau entrar e sair naquele cu, eu acabei gozando. Não sabia o que dizer ao padre que se antecipou e falou: “Não conte a ninguém o que aconteceu porque vão achar que eu comi você também. Sei que falam isso de mim e não quero que você seja vítima de fofocas.”
Respondi para ele ficar tranquilo, mas que eu queria comer ele mais vezes. Padre Mário então falou: “Quando você quiser pode vir, mas eu sempre dou meu cu assim de batina. É como eu gosto de sentir um pau dentro de mim. Você gostou desse jeito?” ele me perguntou: Disse que gostei tanto que iria comê-lo outra vez ainda naquele dia. Seu Libório voltou e foi logo embora e eu sem perda de tempo levantei a batina do padre Mário e meti a rola no seu cu novamente. E foi assim por três dias. Três dia comendo o cu do padre Mário com a batina levantada.

Comentarios

Show... 10!!! Pena o padre não querer retribuir e comer o novinho curioso...

Por:hsegredo em 03/05/2021 04:45
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
foto avatar usuario Giltozzi
Por: Giltozzi
Codigo do conto: 17346
Votos: 1
Categoria: Bisexuais
Publicado em: 04/11/2019

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login



tesao de vaca
Mais contos desse usuario

TIO VALDEMAR COMENDO MINHA ESPOSA

QUASE CORNO: UM CONTO MÓRBIDO

UMA SEMANA COM O PINTOR ME COMENDO

GOL DE PLACA NA MINHA SOGRA

O VIZINHO VIOLONISTA COMEU MINHA MULHER

O COROA TARADO COMEU MINHA MULHER

EXAME DA OAB E MEU PRIMO DEU AULA LÁ EM CASA

COMENDO A DIARISTA DA PRAIA

AMOR SÓ DE MÃE E COMO É BOM!

MEU CUNHADO COMENDO O CU DA MINHA MULHER

MINHA PRIMA BEBEU SEM MODERAÇÃO E EU ENTREI EM AÇÃO

REPRESENTANTES COMERCIAIS REALIZAM ‘LUA-DE-MEL’

O CORRETOR ‘PEGOU’ DONA CLÁUDIA

COMO O TENENTE VIROU CORNO

UM TEMPORAL NO GUARUJÁ ME FEZ VIRAR CORNO!

EU, AMANTE DE MINHA AVÓ DE 68 ANOS

O ELETRICISTA SE LIGOU NA MINHA MULHER

OS TIOS COROAS SÃO OS MAIS PERIGOSOS

COMO ME TORNEI BISSEXUAL

MINHA TIA LETÍCIA PAGANDO O QUE ME DEVE

AS APARÊNCIAS ENGANAM E COMI A PROFESSORA DE HISTÓRIA

DOIS CUNHADOS E UMA DUPLA PENETRAÇÃO NA CUNHADA

A SEXÓLOGA ENSINOU E MINHA MULHER ME COMEU

CHEGOU A MINHA VEZ DE COMER O CU DA MINHA CUNHADA

EUNICE, MINHA VIZINHA, ATÉ QUE NÃO É DE SE JOGAR FORA

EU E RAQUEL CONSOLANDO NOSSO AMIGO RAFAEL

O PADRASTO COMEU A ENTEADA E A MADRASTA DEU PARA O ENTEADO

O VIZINHO VOYEUR E MINHA ESPOSA SONIA

MEU SOBRINHO VAI JOGAR NA ESPANHA E APRENDEU ESPANHOL COM MINHA MULHER

MEU CUNHADO COMEU MEU CU NA CHÁCARA

MEU CUNHADO ME VESTE COM ROUPAS DE SUA ESPOSA E ME COME ASSIM

MEU COLEGA DE TRABALHO CONQUISTOU E COMEU MINHA MULHER

O MOÇO DA OPERADORA VEIO FAZER A INSTALAÇÃO E MEU MARIDO VIROU CORNO

MARCOS, MEU IRMÃO, COMEU MINHA MULHER

COMO MINHA MULHER APRENDEU A DAR O RABO

JAIRO, CASADO, 48 ANOS, DEU O CU PRA MIM

O CRUEL DILEMA DE UM CORNO

EU E MINHA IRMÃ, UM AMOR DELICIOSAMENTE PROIBIDO

EU E MINHA IRMÃ, AGORA ME DANDO TAMBÉM SEU RABINHO

30 ANOS DEPOIS OS PRIMOS VOLTAM A SE COMER

MEU AMIGO ARROMBOU O CU DE MINHA MULHER

APRENDI A TOCAR VIOLÃO SENTADO EM UMA ROLA

MINHA ESPOSA SAINDO TODO DIA... MEU CUNHADO COMENDO ELA

VALTER PLANTANDO A PALMEIRA NA NOSSA CHÁCARA E NA MINHA MULHER

O COLEGUINHA QUE ME DAVA O CU TODOS OS DIAS

CLÁUDIO, O RAPAZ DA BUNDA MAIS LINDA QUE EU JÁ VI

MINHA JOVEM SOBRINHA DA BUNDINHA CARNUDA

CARLINHOS, TÉCNICO EM ALARME E EM OUTRAS COISAS

O ENCONTRO A SEIS QUE VIROU SWING

TROCA DE CASAIS IMPERFEITA

O NAMORADO DE MINHA MÃE ME COMEU

PASSEI A SER O NAMORADO DE MINHA MÃE

EU E MEU PRIMO NA BANHEIRA DE CASA

A SURUBA A SEIS QUE VIROU SWING

O FOTÓGRAFO QUE COME MINHA MULHER

DONA ODETE, A MADURA CASADA QUE ME INICIOU

NESTA FAMÍLIA NINGUÉM PERDOA NINGUÉM

CASAIS DE CUNHADOS MORANDO JUNTOS É UM PERIGO!

DEMOROU MAS ACONTECEU: UM AMANTE PARA MINHA MULHER

OS CUNHADOS QUE SE TORNARAM AMANTES

A PRIMEIRA VEZ DE MINHA MULHER COM OUTRO HOMEM

ESTOU COMENDO MINHA FILHA DE 22 ANOS

O FILHO DE SEU TONHO COMENDO O ADVOGADO

A PRIMEIRA VEZ QUE SE DÁ O CU JAMAIS SE ESQUECE

MEU GRANDE AMIGO COMEU MINHA MULHER

CORNO NO ‘MÉNAGE A TROIS’

VINTE ANOS COMENDO MINHA MÃE

NOITE DE SWING E EU COMI MINHA IRMÃ

EU, MARCOS, ME APAIXONEI POR CARLINHOS, MEU CUNHADO


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados