Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Fodi a esposa do meu irmão, minha sobrinha e minha irmã, td armado por

Por: PolicialSafado - Categoria: Incesto
aumento peniano

Ola, vou contar a vcs o que ocorreu no mês passado, eu sou o mais novo de quatro irmãos, somos dois homens e duas mulheres, ela é irmã do meio, meu irmão mais velho é casado com Aline, 45 anos, uma morena baixa, cintura fina, seios fartos, bunda redondinha e deliciosa e lindas pernas, minha sobrinha tem 18 anos, Karina, também morena, seios e bunda deliciosos e umas pernas lindas demais, e sempre foi muito apegada a mim, minha irmã, Regiane, tem 42 anos, morena, cabelos compridos na altura da bunda, tem um corpo malhado, pois adora ir na academia, e bem torneado, que deixa qualquer homem tentado.
Minha esposa e minha cunhada Aline, não se davam muito bem, pois minha cunhada gosta muito de tomar conta da vida dos outros e fala as coisas sem saber e por isso, quase não se falam, mas com minha sobrinha sempre foi diferente e também com minha irmã, depois da minha separação e mesmo apos a volta com minha esposa, minha sobrinha havia se aproximado mais de mim, com mais intimidade, mas eu nunca a olhei de modo diferente e percebia que minha cunhada também me olhava diferente.
Na semana retrasada teve uma festa na casa da minha mãe, onde estava todo mundo e no fim da festa, percebi que havia uma roda de mulheres conversando, meus irmãos estava dormindo na sala pois haviam exagerado na bebida e eu estava deitado na rede no quintal, olhei e vi que um grupo formado por minha esposa, minha cunhada, minha sobrinha e minha irmã haviam se separado do grupo maior e estavam conversando baixo e gesticulando muito, em determinado momento, minha sobrinha se aproximou e pediu para deitar comigo na rede, como já era um costume, deixei, ela estava com um short curto e uma camisa larga e por baixo da camisa um top tomara que caia sem sutiã, estava linda demais.
Da rede, eu conseguia ver tudo e todos, tinha uma visão privilegiada, mas as outras pessoas não conseguiam me ver, só a minha cabeça, minha sobrinha começou a se esfregar em mim de um jeito bem sensual, encontrava aquela bunda deliciosa dela em mim e rebolava eu chamava a atenção dela e ela dizia estar se arrumando, ai começamos a conversar, eu sempre fui muito aberto para ela em todos os assuntos inclusive sexo, e foi neste assunto que ela começou.
Ela disse que a minha esposa Ellen, naquela roda de conversa separada, estava dizendo as nossas experiências sexuais apos a volta da separação e que tinha ficado impressionada com os detalhes que ela havia lhe falado; eu lhe perguntei que detalhes a Ellen havia falado e ela disse que o detalhe era meu fogo na cama, que eu dava conta de quatro mulheres ao mesmo tempo e que quando transavamos sozinhos ela ficava de pernas bambas, alem de descrever em detalhes o meu pau.
Eu brinquei com ela, dizendo: - Olha como vc fala menina, vou contar pro seu pai que esta falando palavrões; nos dois rimos, pois isso era normal entre nos, como disse conversava de boa com ela, só que ai que veio a minha surpresa, pois logo apos isso ela disse: - Sabe tio, eu sempre te vi com tesão e depois desta descrição fiquei com mais tesão ainda - e passou a mão por cima da minha bermuda no meu pau - queria sentir ele próximo de mim, por isso estou me esfregando em vc.
Meu pau já deu sinal de vida, ficando duro com esta declaração e com esta caricia, falei para ela tomar cuidado, pois havia muita gente ali, e ela disse que só queria sentir meu pau e continuou a passar a mão, ela pegou minha mão e colocou por baixo da camisa dela, sobre seu seio e me perguntou se não a achava gostosa, logicamente eu disse que sim, que ela era muito gostosa, mas que sempre tive respeito por ser minha sobrinha, e ela disse que eu deveria parar com este respeito todo e ve-la como mulher.
Comecei a apalpar aquele seio delicioso dela e ela se esfregando e apalpando meu pau, nossa que delicia, em determinado momento ela colocou a mão por dentro da minha bermuda e disse: - nossa tio, realmente é grande e grosso, deve ser uma delicia. - Que mão delicada vc tem - eu disse - gostoso sentir a sua mão no meu pau, mas vamos parar pois tem muita gente aqui e vai dar problemas.
Tratei de me levantar e ir ao banheiro para baixar o fogo que a Karina acendeu, mas logo me recompus e ao voltar ao quintal, vi que ela havia retornado ao grupo de mulheres em que estava minha esposa e que as quatro me olharam, a minha esposa estava com uma cara de safada que vou te dizer, mas nem me aproximei, voltei para a rede, só que desta vez peguei uma menor, para evitar a tentação.
Fomos embora mais tarde e não toquei no assunto com minha esposa, bom ai na semana passada, recebo umas msg bem safadas da minha esposa, como esta acontecendo depois da volta da separação, ela falando que esta excitada, mandando fotos e dizendo que quer que a coma assim que chegar em casa apos o serviço, nossa foi o dia todo me provocando e dizendo que iria ter surpresa para mim, eu já imaginei que teria mais outra pessoa junto, pois sempre que ela diz isso, ou esta minha cunhada (Anna, irmã da minha esposa), ou o casal Marcelo e Sonia (do relato Realizei a fantasia da esposa e do marido 1 e 2) ou outras mulheres, fiquei o dia todo excitado e pensando em quem poderia ser.
Sai do serviço as 19h e peguei rumo para minha casa, ansioso para ver a surpresa que me aguardava, mas ao chegar no quarteirão de casa tive uma frustração, pois vi o carro do meu irmão de frente a minha casa, achei que tinha acontecido algo e como minha esposa não se dava com minha cunhada, não achei que fazia parte da surpresa, já fui entrando mais calmo, não esperando muita coisa, mas ai sim, tive a surpresa, pois ao entrar na sala, me deparo com minha irmã Regiane, só de calcinha, minha esposa pelada, minha sobrinha só de calcinha também e a minha cunhada Aline de quatro, com um plug anal de coleira, chupando a buceta da minha esposa.
Minha esposa me olha e diz: - Olha só esta nossa nova escrava, vamos ensinar a ela se comportar, olha como esta chupando a minha buceta, depois vai ser a vez da Regiane e da Karina, esta puta vai aprender que não deve se meter na vida dos outros.
A Aline não parava de chupar a buceta da Ellen, e minha irmã e minha sobrinha me olharam com um desejo que vou te dizer, meu pau ficou duro na hora, olhei bem para minha irmã e disse: - Nossa Re, nunca pensei que vc fosse assim safada.
- E de família - disse ela - olha só vc, e olha a Karina, puxou para o tio esta sem vergonha, mas quero ver uma coisa em vc, pois me lembro que vc tem um pau grande, desde pequeno, muito maior que os dos nossos irmão e do meu marido.
- Tem sim, tia - disse a Karina - na festa eu peguei nele e não consegui fechar a mão de tão grosso que é, fora que é muito grande também, quero muito cair de boca nele.
- Vcs duas esperem, disse a Ellen - vai ter pau para todas, mas antes esta puta vai nos deixar prontas para ele e, olha amor, já coloquei um brinquedo nela para depois vc arrombar este cú dela, para ela saber que não deve falar o que não sabe, vai agora sua puta, chupa a Regiane, deixa ela bem molhada para o irmão a foder gostoso.
- Sim, senhora - disse a Aline - farei o que a senhora mandar.
- Isso mesmo, puta, hj vc é a escrava, vc deve obedecer a todos, principalmente a mim e meu marido - disse a Ellen.
Nossa não estava agüentando aquela visão, fui em direção a Aline e comecei a mexer no plug em seu cú, era pequeno, mas percebi que estava bem apertado La dentro, fui dar uma lambida naquela bunda deliciosa, mas fui impedido pela Karina.
- Não tio, a escrava tem de sofrer, não deve receber lambidas, só lamber e chupar, como a Tia Ellen mandou.
Vou te falar, ela deu um tapa na bunda da mãe dela que deixou as marcas da mão dela, a Aline só concordava e continuava chupando a buceta da Regiane, olhei para a Ellen e ela dava risada, dizendo isso mesmo minha linda, esta escrava deve sofrer para aprender e a partir de hj, quando estiverem sozinhas vc manda nela, e se ela não obedecer vc nos conta que providenciaremos o devido castigo para a puta.
Apos a Aline mudar e ir chupar a buceta da Karina, veio a Ellen e a Regiane juntas para cima de mim, a Regiane veio me beijando, dizendo que sempre teve tesão por mim e sempre queria mais que os selinhos que eu dava nela e eu dizia que eram beijos de irmão e que hj seria de homem, e ela quase me engolia, de tanto vontade que me atacou, a Ellen foi direto tirando minha calça e cueca, ao tirar meu pau para fora a Regiane olhou e disse, nossa é maior que eu me lembrava, deve ser delicioso.
E se abaixando foi abocanhando meu pau ela e a Ellen se revezavam em me chupar e vou te dizer, como minha irmã sabe chupar um pau, estava me deliciando com aquela visão e ainda ficava vendo a Aline chupando a buceta da Karina, nossa estava quase gozando, a Karina pediu para me chupar também e a Ellen foi tomar o lugar da Karina, fazendo agora a Aline se deitar e ela se sentando na cara dela, ai ficou a Karina e a Regiane me chupando, não resisti muito tempo e anunciei que iria gozar e acabei espirrando pelo rosto da minha irmã e sobrinha, que tratou de ir lambendo toda a minha porra na cara da tia e engolindo, dizendo que era deliciosa, que iria sempre que pudesse tomar o leite do titio e minha irmã, disse a mesma coisa, que era mais saboroso que o do seu marido e que se a Ellen permitisse, iria querer tomar meu leite quente quando possível.
Nisso meu pau não chegou a amolecer e colocando minha sobrinha deitada, dei uma deliciosa chupada naquela buceta lisinha, que delicia de bucetinha tem minha sobrinha, rosinha, apertadinha, ela me disse que não era mais virgem, mas que estava adorando ser chupada por mim, que o namoradinho não gostava de sexo oral, e eu disse azar o dele, que não sabe o que esta perdendo.
Minha irmã continuou me chupando e me pedindo para deitar se sentou na minha pica, nossa que delicia foder a buceta da minha irmã, tinha        somente um trilho pequeno de pelinhos, também era apertada e ela dizia que estava adorando sentir um pau de verdade, pois o do marido, mais parecia um brinquedo perto do meu, e ia descendo devagar, engolindo meu pau com sua buceta deliciosa, e minha sobrinha aproveitando a minha posição veio sentando no meu rosto, esfregando a buceta na minha boca.
- Olha lá, puta - disse a Ellen - olha como meu marido fode a irmã e sua filhinha safada; e deu um tapa na rosto da Aline; - Vai sua puta, continua a me chupar, sei que vc esta gostando, piranha; e deu outro tapa no rosto da Aline que só respondia sim senhora e chupava com mais vontade a buceta da Ellen, e pelo jeito estava fazendo um bom serviço, pois a Ellen gemia e se contorcia de prazer.
Depois de fazer minha irmã gozar muito com minha pica enterrada na buceta, chamei a Aline, a puxando pela coleira, a fiz deitar de barriga para cima e mandei a Karina sentar sobre seu rosto, para ela chupar aquela deliciosa buceta da própria filha, nisso a Ellen e a Regiane, começaram um meia nove delicioso, e aproveite a posição, com a Karina de quatro e enfiei com carinha na sua buceta, estava bem apertada, meu pau foi entrando vagarosamente, mas foi entrando e ela rebolava cada vez mais, nossa como ela rebolava gostoso.
- Vai tio, mete fundo na minha bucetinha, mata a vontade de sua sobrinha safada de ter esta pica grande toda na buceta, me arromba, tio gostoso.
E rebolava, teve uma hora que a Aline parou e ficou só observando e passando a língua no meu saco, a Karina deu um tapa na buceta dela e mandou chupar a buceta dela, e não era para parar de chupar, mas vou te dizer, teve uma hora que de propósito eu tirei o pau da buceta da Karina e coloquei na boca da Aline, ela chupa gostoso também, que delicia, mas logo voltei para a buceta da minha deliciosa sobrinha, que gozou muito na boca da mãe.
Depois veio minha esposa Ellen, me disse para deitar que ela iria me cavalgar e puxando a Aline pela coleira, disse que ela deveria lamber e enfiar a língua no seu cú, enquanto a buceta ia estar preenchida com meu pau, nossa minha esposa é safada, não parava, subia e descia com maestria no meu pau, a Aline até tentava, mas estava tomando cada bundada na cara que ficou com o rosto todo vermelho.
Uma hora a Ellen tirou meu pau de sua buceta e mandou a Aline chupar ele, ela veio toda contente, começou a lamber a cabeça e sugar com jeito, mas a Ellen a pegando pelos cabelos, forçou sua cabeça, fazendo ela engolir até a metade do meu pau e engasgar, por varias vezes ela fez isso, ai a Ellen disse, depois quando ele gozar vai ser na sua boca e vc terá de engolir todo o leite do meu marido sua puta.
A Ellen chamou as outra e colocando a Aline deitada de barriga para cima, mandou a Regiane e a Karina segurar suas pernas bem abertas e ela ficou próximo ao rosto da Aline, nossa eu vendo aquela delicia toda aberta já mirei meu pau na buceta dela e fui me aproximando, iria enfiar bem devagar, mas a Ellen, disse que era para enfiar sem dó, que queria ver a Aline toda arreganhada, e a Karina, vira e diz, - Vai tio, minha mãe agüenta, ela é uma puta mesmo, fode a buceta da mamãe e me mostra que realmente eu sou uma filha da puta!
Nossa não resisti e soquei fundo, a expressão da Aline, era uma mistura de dor e tesão, mais tesão que dor, e percebi que estava adorando aquilo, ai sim, comecei a bombar forte, sem dó, só fazia o pau sair depois de sentir a minhas bolas batendo naquela bunda gostosa, ela gemia e a Ellen dava uns tapas em seu rosto e dizia - Ta gostando neh puta, estava com vontade de dar pro seu cunhado pintudo, e esta adorando ser nossa escrava, vc é uma puta de primeira mesmo, vamos ver se vai gostar quando esta pica entrar toda no seu cú.
Apos dizer isso, a Ellen olhou bem fundo em meus olhos e disse: - Vai amor, vamos arrebentar com o cú desta puta. E olhando para as outras, logo apos eu tirar meu pau da buceta dela, ainda na mesma posição, elas só levantaram mais as pernas da Aline deixando agora o cú totalmente amostra para mim, eu peguei e tirei o plug anal que ainda estava em seu cú, dei uma lubrificada com o ky que estava por perto e soquei fundo meu pau, nossa estava difícil de entrar, percebi que não era virgem, mas era a primeira vez que recebia um pau como o meu, a Ellen mudou de posição e veio por traz de mim e forçou meu corpo contra o da Aline, fazendo que meu pau entrasse cada vez mais.
Ela gemia e pedia para não parar, dizendo:
- Por favor meu senhor, me arromba, eu agüento, fode forte a minha bunda, por favor meu senhor, enfie todo este pau delicioso em meu cú!
Nossa eu não agüentei, e com ajuda da Ellen, forcei e fiz o pau entrar de uma só vez todo naquela deliciosa bunda, ela gemeu e percebi que estava agora com mais dor que tesão, mas ela pedia para não parar e eu continuei a bombar forte, até que a expressão de dor virou tesão e ela gozou muito com meu pau no cú.
Minha Irma vendo aquilo, vira e diz:
- Nossa Ellen, será que eu agüento esta pica no meu cú, sou virgem ainda, nunca deu a bunda para ninguém.
- Pode ficar tranqüila Regiane - Disse a Ellen - Seu irmão vai ser cuidadoso com vc, mas antes ele vai foder a minha bunda, ai depois ele fode vc.
- A tia, se vc der o cú eu também quero dar - Disse a Karina - se a puta da minha mãe agüentou e vc agüentar eu vou agüentar também, pois quero sentir a pica do titio em todos os meus buracos.
Nossa que delicia ouvir isso, minha esposa ficou de quatro, arrebitando aquela bunda deliciosa dela e abriu bem, como já estava acostumada, meu pau entrou gostoso e ela rebolava e gemia, fiz ela gozar muito, ai virei para minha irmã e disse: - E ai Re, como vai ser, vai seguir em frente ou vai desistir?
- Eu desistir, vc sabe que nossa família não desiste, vou seguir, quero muito sentir seu pau no meu cú, mas vai com cuidado que é a primeira vez.
- Sim Re, pode ter certeza que será com muito carinho, de irmão pra irmã.
- Seu safado, quer foder minha bunda né maninho:
- Sim Re, faz tempo, ainda mais depois de vc ficar malhada do jeito que esta e já havia dito até para a Ellen que vc esta com uma bunda deliciosa e que se o Arthur não foder ela é porque é muito burro.
- Ai mano, ele nunca tentou, é muito careta neste assunto.
- Então deixa maninha, vou foder vc gostoso e sempre que quiser é só me ligar.
Diante disso a coloquei deitada de lado, comecei a chupar sua buceta e descer até o cú, e depois com o dedo ia passando ky e lubrificando, o dedo entrava com dificuldade, mas foi sendo vencida estas dificuldades e logo estava com dois dedos no cú dela, que não agüentou e gozou forte, e pediu para enfiar logo meu pau no seu cú.
Coloquei na porta do cú, e comecei a forçar, a Karina veio próximo e começou a lamber a buceta da tia e olhar meu pau entrar, come esta ajuda, meu pau foi entrando, vagarosamente, entrava um pouco e parava, forçava mais um pouco e parava, para ela acostumar com meu pau no seu cú, quando vi já tinha entrado td e ele rebolava, pedindo para foder forte, o que foi atendido, e novamente ela gozou forte.
Olhei bem para minha sobrinha que se aproximou e me deu um beijo e me disse - Nossa tio, desde aquela brincadeira na rede eu estou com vontade de ter seu pau na minha bunda, sou virgem também, mas eu gosto quando força, então pode enfiar com vontade na minha bunda.
Apos isso ela ficou de quatro e arreganhou a bunda, nossa que visão maravilhosa, aquele cú, delicado, se abrindo para receber meu pau, todas pararam para ver e se aproximaram, passei ky naquele delicioso buraco e coloquei meu pau na porta do cú, e sentir a Karina forçar seu corpo contra o meu, comecei a força também, e o pau entrou mais rápido que na minha irmã, mas a Karina pedia mais e eu forçava, até que estava todo na bunda da minha sobrinha, ela rebolava e gemia e em determinado momento, tirou meu pau do seu cú e me fez deitar, e veio por cima, sentando e soltando todo o peso do corpo, isso fez que o meu pau entrasse todo de vez no cú da minha sobrinha, que cú delicioso, apertado, ela reboalava e gozava muito.
Já não estava mais resistindo e anunciei que iria gozar, a Aline já tomou posição e começou a me chupar, não resisti e gozei dentro de sua boca, ela engasgou mas engoliu tudo, sem deixar nem uma gota cair, a Ellen se aproximou e disse que ela era uma boa escrava e que teria outras vezes, minha irmã e minha sobrinha pediram para não esquecer delas, e todos deitamos na minha cama, onde ficamos um tempo descansando, a Aline continuava de coleira e vez ou outra a Ellen fazia ela ir chupar uma buceta ou até mesmo meu pau, tomamos um banho, onde eu transei mais uma vez com minha sobrinha, sem a participação das outras, e gozei dentro daquele cú delicioso dela, depois saímos e fomos tomar umas cervejas, ao voltarmos para minha casa eu e minha esposa fodemos muito mais pensando em td o que havia acontecido.
Minha irmã, sobrinha e cunhada vivem me ligando e para a Ellen, pedindo para repetir, mas ainda não surgiu outra oportunidade, mas quando acontecer irei relatar aqui, obrigado mais uma vez, espero que estejam gostando.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados