Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Saída apos a grupo de orações foi primeira noite toda fodendo

Por: PolicialSafado - Categoria: Heterosexual
Testo Power

Ola, este conto se passa logo depois do Foda na festa do grupo de oração da igreja - 2, apos aquela festa na casa da Luciana eu continuei conversando com sua irmã, Marisa, mas intimamente, mas ainda não tive oportunidade de ficar mais tempo com ela, sem ser em um banheiro, continuava a freqüentar o grupo de orações e agora com a participação da Marisa, que sempre se sentava ao meu lado.
Nisso entrou no grupo um outro rapaz, de nome Mateus, ele tinha 16 anos na época e era bem nascido, ou seja, tinha mais dinheiro que a maioria de nos e, era mais liberado por seus pais, iniciei uma amizade boa com ele, freqüentando a casa dele e ele a minha, nos tornamos melhores amigos.
Como ele era mais liberado pelos pais, veio com a ideia de começarmos a sair apos o grupo de oração, começamos a agitar o pessoal e formamos uma turma que todo sabado apos o grupo de oração, saiamos e iamos em alguns barzinhos na minha cidade, sempre com alguem responsavel, pois a maioria era de menores como eu e, não davamos nenhum trabalho, pois todos eramos responsaveis, tinhamos a cabeça no lugar, normalmente combinavamos e iamos de onibus, mas na volta sempre voltavamos a pé e conversando, deixavamos as meninas primeiro e depois cada um seguia para sua casa.
Neste dia em questão, fomos eu, o Mateus, a Marisa, as irmãs Luciana e Vanessa (do conto Fudendo duas irmãs apos o ensaio da banda da igreja, que foi bem pra frente deste), mais dois ou três homens, a Luciana irmã da Marisa e seu noivo, fomos a um barzinho bem frequentado, onde começamos a pedir porções e bebidas (para os menores refrigerante), a Marisa estava ao meu lado, ela havia ido de saia, e uma camisa vermelha e apos o grupo de oração, havia aberto três botões dela, deixando um belo decote, ela por ser mais nova, tinha mais seios que a irmã, alem da deliciosa bunda arrebitada, e fazia questão de estar sempre roçando seu corpo no meu.
Como ela já tinha 18 anos, havia pedido um coquetel com alcool me oferecia toda hora, e eu tomava, estava gostoso, não era a primeira vez que eu bebia algo com alcool, e não tomei muito para dar trabalho, ficamos ali por umas três horas, conversando bastante e dando risadas, lembrando de varias coisas que aconteciam nos nossos encontros do grupo, seja em festas ou reuniões em outros locais alem da igreja, e apos pagarmos a conta, decidimos dar mais uma volta pela cidade, pois como era sabado e havia varias festas ocorrendo, queriamos ver o movimento, mas a Luciana e o noivo decidiram ir embora e ao chamar a Marisa para ir junto, ela disse que não, que iria ficar conosco e eu disse que a acompanharia até sua casa, que ela seria entregue em segurança, a Luciana me deu um olhar já entendendo a minha intenção e no que eu olhei para a Marisa, ela estava também olhando para a irmã com um olhar muito mais safado que o meu.
Demos umas voltas e decidimos parar de frente ao teatro, onde a juventude se reunia aos fim de semanas, ficamos sentados na escadaria do teatro e conversando, até que a Marisa pediu para ir com ela comprar um refrigerante em um hamburgueiro ali proximo, no que logo me levantei e segui com ela, mas antes de chegar, paramos em um canto escuro do teatro, onde o pessoal do grupo não conseguiria ver e nos beijamos, nossa que beijo ardente, eu não aguentando comecei a apalpar sua bunda, mas fui contido por ela, pois so estavamos escondidos do nosso grupo, as outras pessoas conseguiam nos ver, mas ficamos ali nos beijando deliciosamente, demos um tempo e fomos comprar o refrigerante e na volta ainda paramos e nos beijamos de novo.
Ao voltar, as outras meninas falaram: Nossa que refrigerante demorado; e a Marisa rebateu, é que neste aqui perto não tinha esta marca que eu gosto e tivemos de ir naquele outro mais longe; e todos deram risdas; o Mateus me deu um sinal para limpar a boca, pois estava manchada de batom, cheguei perto e ele disse: Vc é safado, tenho observado que ela não sai de perto de vc, já rolou algo entre vcs?; respondi, que somente alguns beijos e nada mais e ele: Mas cara, olha como ela esta, tenho certeza de que se vc quiser já tinha traçado ela facinho; eu desconversei dizendo que ainda não tive oportunidade e nem um local adequado e ele me disse que estava tentando convencer a Marta a ir com ele para sua casa e se desse certo e eu queresse, eu poderia levar a Marisa lá, pois os pais dele haviam viajado e ele teria a casa toda para ele.
Eu gostei da ideia e tratei logo de contar para a Marisa e ela topou na hora e ainda ajudou ao Mateus a conquistar a Marta, ficamos mais um tempo ali e logo descidimos ir embora, fomos levando as outras meninas e ao chegar na casa da Marta e da Vanessa, a Marta disse que iria continuar com a gente e depois nos voltariamos com ela, a irmã disse, que desculpa esfarrapada, mas vai lá e aproveita, como estava mais alguns homens conosco, quando ficamos os doias casais e os caras, tratamos de mandar os caras embora e partimos para a casa do Mateus.
No caminho já estavamos realmente como casais, cada um abraçado com sua companheira e parando em alguns momentos para beujar elas, chegamos na casa, as meninas ficaram impressionadas, entramos e ele virou para mim e disse, vc sabe o caminho do meu quarto, vai lá que eu vou no do meus pais, tratei de pegar o corredo para o quarto dele e a Marisa já havia desabotoado quase que a camisa toda, entramos e eu tirei a minha camisa e me atirei naqueles deliciosos seios, chupava gostoso, tirei a saia dela e levei a mão até sua buceta que estava encharcada, olhei bem no fundo de seus olhos e disse que agora teriamos tempo e que eu iria fazer o que eu adoro e a jogando sobre a cama, retirei sua calcinha e a chupei deliciosamente, nossa que delicia, ela gemia e se contocia de tesão, eu chupava sua buceta, passava a lingua pelo grelho e enfiava bem lá dentro, enfiava o dedo dentro dela enquanto chupáva e ela delirava, em determinado momento, me atrevi a massagear seu cú, ela não reclamou e eu forcei o dedo que começou a entrar, ai eu chupei com mais intensidade sua buceta e senti que ela estava gozando, quando senti que realmente gozou eu forcei mais o dedo no seu cú, que ele entro completamente e ainda chupando iniciei o movimento com o dedo naquela bunda deliciosa.
Ela não se aguentando mais e já tendo gosado duas vezes em minah boca, me opuxou pelos cabelos, retirando minha cabeça do meio de suas pernas, me fez ficar de pé e tirando minha calça, começou a chupar meu pau, chupava e lambia, dizia: Nossa que delicia, como tinha vontade de cair de boca, desde aquela festa que não deu para aproveitar muito, como queria sentir ele na minha boca. E voltando a chupar enfiava até a metade na boca, ela tentou enfiar mais e não consegui, mas vou dizer, estava delicioso.
Eu a levantei e a levei até a cama novamente, a coloquei deitada e fui por cima, lhe dando um beijo, o pau já foi direto em direção a buceta dela e sem precisar de ajuda para direciona-lo e ja estando bem lubrificodo, ele entrou facil, ela gemia e me beijava com mais intensidade, nossa ela estava com tanto tesão que começou a arranhar minhas costas, olha foi a primeira vez que isso aconteceu e eu adorei, cada vez que ela me arranhava eu forçava mais meu pau em sua buceta, ela pediu para inverter e eu me deitar na cama e ela veio e me cavalgou, rebolava muito gostoso e agora arranhava meu peito, eu a puxei para perto, pois nesta posição eu adoro chupar os seios e comecei a fazer isso e desta forma a fiz gozar mais uma vez.
Ela pediu um tempo e ficou me chupando para manter meu pau duro, e ai ficou de quatro e eu comecei a olhar aquela deliciosa bunda, disse que na outra vez, devido a pressa, não pude ver direito, mas que estava me deliciando com aquela visão, ela pegou meu pau e direcionou para sua buceta, eu bombei forte e comecei a tar uns tapas naquela deliciosa bunda, deixando-a vermelha, ela estava adorando isso, pois gemia e rebolava com mais intensidade, alem de pedir mais.
Comecei a massagear seu cú novamente com o dedo, e aos pouco enfiando ele, nossa ela rebolava e em determinado momento, olhou para mim e disse: Seu safado, vc esta querendo meu cú, vai querer me arrombar como fez com a minha irmã? Eu olhei para ela surpreso, e tentando desconversar, dizendo que nunca fiz nada com a irmã dela, mas ela disse que a irmã depois da festa havia conversado com ela e contado tudo e por isso havia ficado com mais tesão querendo foder comigo novamente.
Eu neguei e não disse nada a respeito, mas confirmei que realmente queria foder aquele cú delicioso que ela tinha e diante da permissão dela, retirei o pau da buceta dele e o coloquei no cú, fui forçando e o pau entrando, foi bem devagar, ela não era virgem do cú, mas devido a grossura do meu pau, estava encontrando resistencia, mas não demorou muito e ela rebolava com meu pau todo em sua bunda, não estava mais aguentando e disse que iria gozar, ela pediu para gozar no seu cú, pois já havia gozado duas vezes com meu pau lá e diante disse intensificou o movimento me fazendo gozar muito.
Ela gemeu dizendo que estava sendo imundade de porra pelo cú, nos deitamos um do lado do outro e ao tirar o pau da bunda dela, vi que um pouco de minha porra estava escorrendo de seu delicioso cú, eu a abracei por traz e mordendo sua orelha, perguntei se tinha sido o que ela estava esperando e ela disse que foi muito melhor do que havia imaginado e que a irmã havia me ensinado bem, inclusive a chupar uma buceta, eu neguei novamente, mas ela me deu um tapa e disse que era para parar de mentir e deu risada.
Ficamos ali até escutarmos movimento na casa, quando nos vestimos e fomos em direção a sala e vimos a Marta e o Mateus sentados no sofa assistindo a um filme, eles olharam para nos e disseram, nossa deve ter sido muito bom, pois vcs demoraram, eu respondi, acho que vc que não soube aproveitar o tempo direito; e percebi um olhar entre a Marta e a Marisa, tomamos um refrigerante e as meninas ligaram para suas casa e disseram que iriam dormir uma na casa da outra e eu liguei para a minha e disse que ira dormir na do Mateus, e vou te dizer, meti mais duas vezes naquela noite e foi a primeira vez que dormi ao lado de uma mulher, e como foi bom acordar daquele jeito, ambos pelados, eu me levantei e a fiquei observando, que visão deliciosa.
De manha tomamos um café reforçado e mais tarde proximo ao almoço, os pais do Mateus chegaram e ele pediu para a mãe nos levar embora e no despedimos.
Gente, como foi bom, eu fiquei com a Marisa e namorei durante um ano, até ela se mudar devido a faculdade e so nos vimos muito tempo depois, mas não fizemos nada, pois ela já estava casada e naquele momento gravida, mas ainda somos bons amigos.
Espero que estejam gostando do meus relatos, pois eu estou adorando falar para vcs estas experiencias, logo estarei publicando mais.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados