Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Fodendo dentro da camara fria do mercado

Por: PolicialSafado - Categoria: Outras
Testo Power

Voltei, e venho a relatar outro fato real que aconteceu comigo durante o meu antigo serviço, este ocorreu apos o meu primeiro conto aqui no site, o Fui enganado, mas me dei bem!
Desta vez não foi com nenhuma das mulheres que anteriormente havia fodido no mercado, mas sim com a gerente, a Paula, uma loira de corpo escultural, malhada, seios deliciosos e duros, barriga chapada da malhação, coxas grossas e bunda deliciosa, estilo Panicat.
Um dia apos fechar o serviço, estava gardando as carnes que sobraram no balcão na cama fria e fazendo a limpeza do açougue, momento em que ela chega e diz que precisa conversar comigo sobre algo que eu havia feito, como ela é muito reservada e não ha vejo concersando com as outras menina, já me assustei pois estava sendo feitos cortes de funcionários no mercado e logo fiquei pensando o que será que eu fiz de errado, fiquei muito nervoso e cheguei a perguntar para as meninas se elas haviam falado algo para a Paula e diante da negação delas, fiquei mais nervoso ainda.
Bom terminei a minha limpeza e vi que a Paula estava no escritorio terminando os fechamentos dos caixas, dei sinal para ela e ela me pediu para esperar, vi que todos sairam, ficando somente eu, a Paula e o Sergio da tesouraria, que estava fechando os caixa com a Paula, fique ali esperando, quando o Sergio saiu do escritorio e seguiu para a porta de saida com a Paula loga atraz, ela pediu para aguardar mais um momento pois iria fechar a porta para evitar roubos.
Fiquei ansioso pela espera, já pensando que iria ser despedido, e quando a Paula voltou, ela me pediu para mostrar o estoque na camara fria, não entendi nada, pois isso ela poderia fazer sozinha, e já veio na minha cabeça que alguém poderia ter dito que eu estava roubando mercadoria, algo que nunca fiz, e lá fui eu, quando chegamos na porta da camar fria, ao abrir a porta e pegar o relátorio do estoque, ao me virar para a Paulo, vi que ela havia aberto a camiza do uniforme até a metade, deixando parte dos deliciosos seios e do sutian a mostra e um sorriso safado em seu rosto.
Nisso ela se aproxima e diz que eu estava levando uma mercadoria dentro de minhas calças que ela queria e muito, chegando mais perto e apalpando meu pau por cima da minha calça, como estava nervoso devido a asinedade de não saber do que se tratava, meu pau demorou um pouco a subir, mas assim que ela se aproximou mais e me deu um delicioso beijo, abrindo meu ziper e tirando meu pau para fora, que com aquela delicada mão começou uma punheta deliciosa, ele endureceu no mesmo instante e ela disse com admiração, que não era a toa que as meninas estavam todas ouriçadas por minha coisa, que ela nunca havia visto um pau grande e grosso como o meu e que fazia tempo que queira provar, pois ela já havia visto algumas vezes as meninas passar por mim e se deixarem encoxar e mesmo apalpar meu pau, e ela começou a notar o volume dele o que a deixou com vontade.
E se abaixando, ali mesmo na porta da camara fria, foi logo aproximando o rosto, iniciando uma deliciosa lambida na minha cabeça, hora ela começou a cater com meu pau em seu rosto,dizendo que adora uma surra de pica, mas que a do marido dela é pequena e não dava para fazer o que ela estava fazendo com o meu.
Ela tentou engolir meu pau, mas não conseguiu, foi até a metade e parou, mas mesmo assim estava delicioso, e voltava a baret com meu pau na cara, dizendo varias coisas.
Ficou ali me punhetando, chupando e inclusive fazendo uma deliciosa espanhola com aqueles deliciosos seios, eu disse que não estava aguentando e que iria gozar, momento em que ela enfiou meu pau em sua deliciosa boca e punhetando me fez gozar, espirrou tanta porra na boca dela que ela chegou a engasgar, escorreu um pouco pela lateral de sua boca, mas com a maestria de sua lingua logoa havia limpo o que havia escorrido.
Ela subiu e me beijando e continuando a me punhetar disse que eu iria foder com ela ali na camara fria, em meio as carnes, e voltado a chupar fez meu pau endurecer novamente e como estava frio, os bicos de seus seios estava duros e rijos, momento em que eu pedi para mamar gostoso, e fiz isso como um bebe esfomeado, sugava um e apertava o outro, e deois invertia para ambos serem chupados iguais, e empurrando ela contra uma prateleira, fiz ela ficar de costas para mim e tirei sua calça e calcinha, pois a camisa e o sutiã já tinha sido tirado faz tempo, e com ela nesta posição comecei a chupar a buceta dela deliciosamente, mesmo na temperatura fria, a buceta dela estava deliciosamente quente e saborosa, suguei ela e enfiava o dedo na buceta dela, que a fiz gozar rápido, mas eu disse que ainda não havia acabado, pois queria e muito lamber aquela bunda deliciosa que ela tem, e ela arrebitando a bunda e abrindo bem com as mãos, me deliciou com a visão daquele cú delicioso, não me fiz de rogado e fui logo enfiando a lingua nele, ela pegou minha cabeça e forçava contra sua bunda, quase com se quisersse que eu entrasse de cabeça nela.
Nesta posição eu levantei apos ela gosar novamente e já comecei a esfregar o meu pau na sua buceta, passei minha mão por seu corpo acariciando suas costas e chegando ao pescoço, que peguei de jeito e a puxei para tras, fazendo meu pau entrar todo dentro daquela buceta deliciosa, ela rebolava como louca e jogou seu coelo todo para tras e percebendo sua vontade, segurei ele com a mão direita e puxando ele no ritimo da peneração, vi ela delirar de tesão, comecei ao mesmo tempo dar umas palmadas leves naquela bunda, ela gostou mais disse que não era para deixar marcas.
Senti ela gozar muito nesta posição e percebendo que ela estava bem relaxada apos gozar tanto, comecei a passar a cabeça do meu pau no seu cú, ela deu uma empinada na bunda e pediu para ir devagar pois so o marido dela havia feito anal e que o pinto dele é muito menor que o meu, mas com carinho e jeito, fui rompendo as barreiras daquele delicioso cú, ela se contorcia de dor e prazer, disse que estava parecendo a primeira vez que havia dado o cú pro marido, mas que eu estava fazendo com muito mais carinho que ele e a deixando com muito mais vontade de ser fodida por mim, e rebolando fez com que o meu pau entrasse todinho em sua bunda, vi que neste momento ele fez uma expressão de dor e eu parei, pois não queria machuca-la, mas logo ela começou a rebolar de novo e fazer o movimento do sexo, ela gritava alto, dizendo fode com sua patroa, fode forte agora o cú da sua patroa, vai meu açougueiro, enfia esta sua picanha toda dentro do meu cú.
Não resistindo de tanto tesão, gozei dentro daquela bunda deliciosa e ficamos um momento ali parados com meu pau amolecendo dentro daquela bunda e nem ligando para o frio, saimos da camara fria e sentamos no chão um do lado do outro, onde recuperamos o folego e conversamos um pouco, e ela revelou que queria que a partir dete momento me queria como seu amante e que queria que eu deixa-se seu cú arrombado com minha pica grande e grossa, para que o marido dela sentisse a diferença, e a partir deste momento, virei amante desta linda mulher que era minha patroa.
Depois eu volto para contar mais experiencias no mercado e durante meu serviço como policial.
Espero que estejam gostando. até breve.

Comentarios

Po,sortudo em? Montou um arem,rrrrr,se for de Sampa, entre em contato,vamus dividir essas beldades ai,rrr 😊

Por:jonyquest em 01/05/2016 06:47
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados