Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Fodi a esposa do vizinho com o corno vendo

Por: PolicialSafado - Categoria: Cornos-Cuckold
aumento peniano

Ola galera, venho contar o que aconteceu na semana passada, como vez já sabem, por meus relatos, minha vida sexual é bem agitada e minhas putas (esposa, cunhada, irmã, sobrinha, sogra e amigas) gostam de foder gostoso e de falar muito durante a transa e eu sempre desconfiei que pelo menos um de meus vizinhos escutava, pois a sua casa é bem próxima ao muro, do mesmo lado que a minha é próxima ao mesmo muro.
Este vizinho é conhecido de muito tempo, a Lucas, que estudou comigo na infância, ele é casado com a Jéssica, uma morena de 30 anos, pernas longas e grossas, seios fartos e bunda normal, seus cabelos longos até a altura da bunda e um lindo rosto, como quase não saio no portal, tenho pouco contato com todos os vizinhos, só os vejo quando estou saindo ou chegando em casa.
Bom vamos ao fato, na semana passada, minha esposa tinha acabado de sair com meu filho, para ir em uma festa e eu fui tratar de limpar a frente de casa, recolher as folhas, quando sai o Lucas e começa a conversar comigo, puxando assunto sobre a arvore que deixa muitas folhas que poderia combinar com ele para juntos contratar alguém para podar e depois mudou para trabalho, pois ele sabe que eu sou policial e até que chegou nas minhas festas.
Ele disse que escutava as festas principalmente as que aconteciam depois, e me perguntou como eu consigo tanto fôlego para tanta mulheres, eu disse que não fazia nada demais, somente dava mais que somente o pau, que eu adorava chupar e masturbá-las e desta forma satisfazia a todas sem ficar somente dependente do pau.
Ele disse que muitas vezes ele e a esposa ficam aguardando o final das festas para transar escutando as coisas que aconteciam em casa e ele sempre ficava sem fôlego antes da metade das minhas fodas e a mulher dele ficava se masturbando ouvindo até o fim e por varias vezes em conversas e nas transas deles, ele e ela mencionava o meu nome, fantasiando que era eu que estava fodendo a Jéssica e desta forma ela e ele gozava muito, já comecei a imaginar até onde iria aquela conversa e ele me convida a entrar em sua casa para tomar uma cerveja e poder conversar melhor, sem preocupações com os demais vizinhos.
Fui fechar as portas da minha casa e mandei uma mensagem para minha esposa, dizendo o teor da conversa e que o Lucas, havia me convidado para tomar cerveja em sua casa e recebi a seguinte mensagem de volta, "Vai lá e fode com a vizinha, é isso que eles querem, fode com força a buceta e o cú, deixa ela bem arrombada", diante de tal mensagem da minha deliciosa esposa, fui, ele me aguardava no portão, fomos até a sala e logo a Jessica apareceu, estava de shorts jeans e uma camisa cavada, que deixava parte do sutiã a mostra, cumprimentei ela com um beijo no rosto e um aperto de mão, mas vi que ela desejava mais que isso, mas como ainda não tínhamos conversado nada, deixei no ar.
Ela foi até a cozinha e trouxe duas cervejas, e o Lucas continuou a conversa:
- Então Antonio, como estava te dizendo, eu e a Jessica, já fantasiamos com vc transando com ela e sempre ficamos conversando para ter esta coragem de tentar algo.
- E vez querem que esta fantasia se realize? - Disse eu.
- Sim, estava esperando vc ficar sozinho em casa para poder puxar esta conversa.
- Olha só, vez tem de estar com muita vontade e seu casamento não pode estar passando por nenhuma crise, pois não quero ser o responsável pela separação de vez, caso vez realmente quiserem, não tem problema nenhum.
- Olha Antonio, deixa eu conversar direito com a Jessica, me da só um instante.
E foram em direção a cozinha, eu continuei a tomar a cerveja e percebi que eles estavam conversando e podenrando bastante, a Jessica estava meio relutante, mas o Lucas estava doido para ver sua esposa transar comigo, eles voltaram e a Jessica viu que minha cerveja estava vazia e foi pegar outra, nisso o Lucas disse que estava louco para ver ela sendo fodida por mim e que ela estava com muito tesão mas estava com medo e me pediu para ajudar ela a relaxar.
Quando ela voltou, ela se sentou ao lado do Lucas e fui tratando de ver como seria o que ele haviam imaginado e o Lucas disse que apenas seria um vouver, que queria apenas ver sua linda esposa ser fodida por mim, nisso perguntei a Jessica se era isso que ela queria e ela disse que sim, então a chamei para se sentar ao meu lado e fui conversando e me aproximando dela.
Perguntei se poderia acariciar seu rosto e ela permitiu, e eu comecei a passar as mãos com suavidade por seu rosto, e me aproximei mais um pouco, fui passando as mão pelos cabelos dela e aproximei meu rosto do dela e disse em seu ouvido que ela era muito cheirosa, e fui dar um beijo em seu rosto e ela logo virou o rosto me fornecendo a boca.
Nossa como ela me beijou, sedenta, com volúpia, sua língua se enroscava na minha e suas mãos começara a passar por meu corpo, foi quando eu desci minhas mãos e pedi permissão e fui retirando sua camisa, deixando-a somente de sutiã, ela já estava toda entregue a mim, retirei seu sutiã e chupei seus seios, ela gemia deliciosamente, baixinho como que se estivesse se contendo, e fui chupando e acariciando seus seios e com a intensidade de minhas chupadas ela ia aumentando o volume dos gemidos.
Levei minha mão até sua virilha, ela estava encharcada de tesão, que escorria por entre suas pernas deixando não só a calcinha molhada, mas também o shorts, delicadamente me coloquei de joelhos entre suas pernas e pedi permissão para retira seu shorts, diante de sua permissão, retirei seu shorts e juntamente a calcinha, ela tinha a buceta com pelinhos bem aparados, formando um pequeno caminho para o paraíso e percebi uma tatuagem de borboleta, já disse que a borboleta estas rodeando a deliciosa flor querendo sugar todo o néctar que dela saia e cai de boca naquela delicia.
Comecei a chupar a buceta da Jessica e ela se contorcia de tanto tesão, ela gozou forte em minha boca e que delicia, sentir o gosto daquela linda mulher, comecei a introduzir um dedo na buceta enquanto ainda chupava a mesma e ela gemia e se contorcia de tanto tesão, fiquei um bom tempo chupando aquela delicia e percebi que o Lucas não estava fazendo um serviço direito, pois ela gozou muito em minha boca e nunca havia ouvido um só gemido vindo da casa deles e naquele momento ela gritava de prazer.
Comecei a pincelar o dedo no cú da Jessica, passava deliciadamente na porta e massageava, e percebi que ela começou a ceder e relaxar, fazendo com que aquele delicioso cú engolisse meu dedo, chupava a buceta e movimentava o dedo no cú dela e ela gemia, se contorcia e gozava muito.
Depois de fazê-la gozar varias vezes no sexo oral, praticado por mim, me levantei e ela se aproximou mais da beirada do sofá, baixei meu shorts e como estava sem cueca, a pau saiu e bateu em seu rosto, ela olhou para ele com admiração, pegou nele e olhou para o Lucas, dizendo:
- Nossa realmente é tudo aquilo que eu pensava, ele vai me arrombar, minha buceta vai ficar muito larga depois de receber esta maravilha.
- Nossa vai ser uma delicia, colocar meu pau pequeno na sua buceta toda arrombada pelo Antonio - disse o Lucas.
Nisso eu olhei para ele e ele já estava se masturbando, com aquele pinto pequeno, a Jessica olhou para ele e para o meu e perguntou se ele ia deixar realmente ela se divertir com aquela maravilha de pau que era muito maior que o dele e diante da resposta positiva do marido, ela caiu de boca em meu pau, não conseguia colocar ele na boca, ficava beijando a cabeça e lambendo por toda a extensão dele, tentava varias vezes colocar ele na boca, mas devido a sua grossura, não conseguia.
Ela me punhetava e lambia deliciosamente, foi quando a levantei e lhe dei um outro beijo, ela me abraçou e se lançou em meus braços, colocando suas belas pernas em minha cintura, roçando meu pau em sua buceta.
Eu a levantei um pouco mais e com uma das mão, coloquei meu pau, na buceta dela que devido a estar com muito tesão estava mais que lubrificada, fazendo com que meu pau entrasse fácil, mas não inteiro, e comecei a movimentá-lo dentro daquela linda mulher, me virei para o Lucas para ele ver bem a buceta da esposa engolir meu pau e ele logo gozou com aquela cena, o pau foi entrando cada vez mais e ela gritava de prazer, como nunca havia gritado.
A levei até onde o Lucas estava sentado e a coloquei a seu lado, ele ajudou a abrir mais as pernas da esposa e começou a beijá-la, nisso forcei mais meu pau, até que as bolas estavam batendo na bunda dela, ela olhava e dizia:
- Nossa amor, vc agüentou todo o pau do Antonio na buceta, olha só como ela esta ficando arrombada.
Nisso eu tirava todo o pau da buceta dela e enfiava todo de uma só vez, quando tirava a buceta dela ficava arrombada e o Lucas estava delirando ver a buceta da esposa deste jeito, ela estava gozando varias vezes desta forma e logo me pediu para poder me cavalgar, me deitei no chão e ela veio por cima, soltando todo o corpo sobre meu pau, fazendo que ele entrasse todo sem do na buceta dela.
Nossa desta forma ela rebolava muito e me dava muito tesão, ela se inclinou e começou a me beijar, minhas mãos se dirigiram a sua bunda, dando alguns tapas, ela se assustou no inicio, mas logo gostou e pedia mais, e eu dava mais tapas naquela deliciosa bunda, em determinado momento, comecei a massagear o cú dela, e logo enfiei o dedo naquela delicia apertada, ela rebolou mais ainda e me disse que estava louca para dar o cú para mim.
Coloquei ela de quatro e pedi um gel, logo o Lucas estava com um pote ao meu lado, comecei a passar o gel naquele cú delicioso da Jessica, quando percebi que o Lucas estava pegando um pouco de gel e foi com a mão em direção ao meu pau, eu deixei e ele começou a passar o gel por todo o meu pau.
Coloquei a cabeça do meu pau na porta do cú da Jessica, o Lucas estava próximo e ajudou a arreganhar a bunda dela, deixando o cú mais vulnerável para meu pau, que com um pouco de dificuldade foi rompendo as barreira, e penetrando, foi devagar, um pouco de cada vez e parando para ela se acostumar com o pau dentro daquele cú apertado.
Ela começou a força o corpo contra o meu, e começou a chorar, e gemer de dor, eu parava e dizia que se ela quisesse nos parávamos e tentávamos outro dia e a resposta dela sempre foi, não quero ter este pau todo na minha bunda, o meu corninho não queria que a esposa fosse fodida por vc, agora quero tudo, e forço mais seu corpo contra o meu.
Fomos desta forma até que minhas bolas estavam batendo em sua buceta, e apos um curto período parados, ela começou a se movimentar e pedir para arrombar o cú dela, que até aquele momento era virgem, que pela vontade do corno, a primeira vez deveria ser minha e depois ele iria foder o cú dela todo arrombado por mim.
Nossa estava demais esta situação, anunciei que iria gozar e ela pediu para encher seu cú de porra o que foi feito por mim, gozei tanto que começou a escorrer pelas pernas dela apos eu retirar meu pau de dentro daquele delicioso cú, que ficou bem arrombado.
Nisso o Lucas caiu de boca, lambendo o cú dela e limpando a porra que escorria de sua esposa, ela percebeu que o meu pau ainda estava duro e dando um tapa na cara do Lucas, disse:
- Olha só corno, olha como um macho tem de ficar depois de foder uma puta, olha o tanto que ele gozou no meu rabo e mesmo assim ainda permanece duro, e o seu não faz nem um terço do estrago que esta delicia fez e demora para endurecer novamente.
Nisso a Jessica se aproximou novamente do meu pau e começou a chupar ele, limpar a porra que escorria, me sentei ao lado do Lucas com a Jessica ainda mamando gostoso, ele ficou olhando para esta cena e novamente foi com sua mão em direção ao meu pau e começou a punhetar novamente, agora acompanhando o movimento da esposa que estava lambendo meu pau.
- Nossa Antonio - disse o Lucas - seu pau é realmente muito grande e grosso, vc não liga de eu pegar nele assim neh?
- Não pode pegar, fique a vontade Lucas, comigo não tem preconceito.
- Eu sei, mas só tenho vontade de pegar mesmo, de sentir para ver se é real mesmo.
- É real sim, meu corninho - disse a Jessica - olha como ele deixou minha buceta arrombada.
- Sim eu vi e adorei sentir sua buceta e seu cú arrombados por esta maravilha, vai amor, aproveita que ainda esta duro e fode mais um pouco, aproveita.
Nisso a Jessica veio subindo sobre o meu corpo e querendo sentar de costas para mim, o Lucas se ajoelhou a nossa frente e ainda com meu pau na mão, foi direcionando para o cú da esposa, que foi cedendo e soltando o corpo, ela só parou quando sentiu a mão do Lucas, mas na mesma hora ele tirou a mão e a ajudou a colocar todo o pau no cú.
Ela gritava como uma louca, estava completamente fora de si, dizia olhando para o Lucas:
- Olha só, vc não queria ver sua esposa dando para outro, pois ai esta, estou dando para este gostoso do Antonio e quero dar outras vezes, mesmo sem vc estar junto, eu vou ser mais uma das putas dele, quando ele quiser e vc não vai reclamar, meu corninho, e ainda vai ter de limpar a porra dele que ficar em mim.
Nossa ela rebolava gostoso, subia e descia rapidamente, o Lucas aproveitou que seu pinto estava duro novamente e vendo a esposa de pernas aberta direcionou seu pau para a buceta dela e enfiou de um vez.
- Nossa como sua buceta esta arrombada, olha só mesmo com este pau na bunda, eu coloquei meu pau na buceta e ela esta bem larga.
- Vai meu corninho, fode minha buceta junto com este macho delicioso, não era o que vc queria, foder minha buceta arrombada depois deste macho.
Os dois rapidamente gozaram, eu me levantei e pedi para ela me chupar e comecei a me masturbar, até que não agüentei mais e gozei por todo seu corpo, mais direcionando para o rosto, ela sugou um pouco do que havia ido a boca, mas estava com porra pelo rosto e seios, me afastei um pouco e vi o Lucas se aproximar e começar a beijá-la, e depois ir lambendo a porra que estava em seu rosto.
Apos isso, ela se levantou, foi até a cozinha e trouxe mais duas cervejas, eu aceitei, mas logo me vesti e segui para minha casa, com a desculpa que minha esposa e meu filho estavam voltando, mas deixei claro que quando eles quisesse era só me chamar.
A Jessica me deu um beijo e disse que com toda certeza iria me chamar pois adorou ser fodida por mim e que queria ser mais uma das minhas putas, mas que ainda tinha vergonha de transar junto de outras pessoas, mas que seria minha sempre que eu quisesse e que um dia iria participar de uma festa.
Acabei minha cerveja e fui para casa, assim que minha esposa retornou já veio perguntando o que aconteceu e querendo os detalhes da transa, eu disse nos mínimos detalhes e ela disse que estava louca de tesão para pegar a Jessica junto comigo e que na próxima festa iria convidá-los.
Espero que tenham gostado de mais este relato, logo contarei mais.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados