Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Também comi uma novinha fogosa, minha funcionária

Por: Marcos1001 - Categoria: Fantasias

olá pessoal, tenho 42 anos e passei por muitas experiências, inclusive com minha esposa que me traiu algumas vezes com um garoto e outros. Fiz alguns contos aqui verdadeiros, reais, falando sobre isso. Sou branco, 1,70, olhos azuis, bonito, já com a barba ficando grisalha, o que dá mais charme.

Minha esposa se apaixonou por um garoto de 19 anos e eu descobri, mas deixei rolar. Ela saiu com ele, transou gostoso e repetiu a dose. Pra mim tudo bem, acho que transar com uma mesma pessoa por 20 anso perde a graça e precisa renovar, ter aventuras. Mas hoje vou contar da minha, que também comecei há algum tempo com uma funcionária nova.

Pois é, tenho um escritório de marketing e era em casa, mas os clientes começaram a aparecer e me mudei para um ponto comercial, um prédio, no centro. Lá tive a necessidade de contratar uma pessoa, e mulher de preferência. Várias candidatas apareceram, mas 2 me chamaram a atenção. Uma loira de 22 anos, muito gostosa, e uma morena, de 19 anos, com corpo perfeito, não muito bonita, mas deliciosa. Na segunda entrevista que fiz para definir, fiz algumas perguntas e a morena me surpreendeu dizendo que aquilo era tudo o que elea sempre quis trabalhar, que tinha namorado, mas estaria sempre disponível, amava academia e ia todos os dias. Contratei ela.

Ela entrava às 9 e saía às 15hs, era meio período. No primeiro mês, ela muito dedicada, atenciosa, mas muito gostosa, com roupas muito justas, decotadas, realçando aquele belo corpo. Só nós dois no escritório e conversa vai, conversa vem, ela me fala do namorado, que ele trabalha muito, é muito dedicado e o papo depois de uns dias chega no sexo. Ela diz que adora fazer e se pudesse, faria todos os dias, mas só sobrava o final de semana. Ainda sim, como o namorado trabalhava muito e estudava, às vezes ficava final de semana sem transar. Também falou que adora academia, mas tinha parado pelo horário, que se ela entrasse umas 10 hs daria para ir, que depois dos exercícios sentia muito tesão.

Logicamente fiz um acordo e sugeri que ela entrasse às 10 e saísse às 16hs, sem problema. Ela amou e começou já no outro dia. Chegava para trabalhar toda animada e eu imaginando o tesão dela. Um dia chegou com um vestido bem colado, curto e decotadão. Eu não me contive e elogiei, falei que ela estava demais e se tinha vindo da academia. Ela agradeceu e disse que sim. Fiquei imaginando o fogo, mas não falei nada. Mas ela falou, e disse que o namorado tinha buscado ela na academia e levado até o escritório, e que deram uns bons amassos no estacionamento, dentro do carro. Ficou vermelha, meio sem graça, mas disse para ela continuar. Ela disse que foi só, infelizmente.

Eu logo falei pra ela que se fosse comigo, com um mulherão daquele, eu tinha perdido a cabeça e levado para algum lugar. Ela se espantou e me olhou, perguntando: "é mesmo?" Eu disse sim e ela riu. Aquele dia foi de muito tesão e ela percebeu que eu a olhava indiscretamente. Até me perguntou se eu me incomodava se ela viesse vestida daquele jeito, e eu logicamente elogiei e disse que não. Ela veio até minha mesa umas duas vezes para perguntar algo e quando abaixou, vi aquele decote com aqueles peitinhos duros, bem durinhos e olhei, ela percebeu e não disse nada, apenas sorriu.

No outro dia chegou para trabalhar com um vestidinho bem solto, de alça, sem sutiã e outro belo decote. O papo do namoro voltou e ela disse que minha esposa também era muito bonita, gostosa e se a gente transava muito. Eu disse que também gostaria de fazer mais vezes, mas só sobrava o sábado e domingo, e que aí sim, fazíamos muito e bem feito. Ela me perguntou como seria bem feito, e eu comecei a falar que era sem pressa, duradouro, que fazia minha esposa gozar muito, e soltei o verbo. Falei de sexo oral, como fazia minha esposa gozar e tudo mais. Ela atenta, olhava e demonstrava sempre mais interesse.

Por fim disse que parecia muito bom, e saiu. Fiquei olhando ela durante o trabalho o dia todo, sem que ela notasse. Linda, gostosa, cheirosa. Vi quando ela foi colocar uma pasta em cima do armário e se esticou, ficou na ponta do pé até aparecer sua bundinha, e ela se esticava e não alcançava. Fiquei olhando e ela se virou e me pediu ajuda. Senti que era o momento. Fui lá pegar a pasta e ela disse que não alcançava. Fui por trás e peguei a pasta e encostei nela, ela ficou entre o meu corpo e o armário. Peguei a pasta da mão dela e coloquei sobre o armário, e nesse momento encotei na bunda dela, de pau duro e ela sentiu. apenas colocou as mãos no armário e deu um gemidinho baixinho. Apertei ela no armário por trás e disse que ela era muito gostosa, cheirei e beijei seu pescoço e ela gemeu, se arrepiou, peguei na cintura dela, ela deu uma empinada naquele rabo lindo, beijei a orelha dela e ela pediu para parar. Parei e saí, como se não quisesse nada. Ela se espantou e me viu ir para minha mesa, e me disse que não era atraente o suficiente como minha mulher, por isso que eu não tinha atacado ela antes.

Disse que não era nada disso, que trabalhávamos juntos, e que ela tinha namorado sério. Ela apenas desabotoou o vestido e deixou cair, vi aquele corpo perfeito, só de calcinha na minha frente. Ela me olhou e disse que precisava transar comigo, que parecia muito bom, ela tinha que provar. Fui até ela e a beijei com força, apertei sua bunda, ela abriu minha camisa e tirou, se abixou e abriu minha calça, e como uma criança morrendo de fome começou a mamar, chupou gostoso, e punhetava. Sentei na cadeira e ela tirou aquela calcinha e a xana raspadinha, molhada, veio no meu colo, eu chupei aqueles peitinhos muito durinhos, firmes, morenos, com marca de sol, e ela esfregando o grelo na minha rola, dura, sentia a bucetinha dela molhada e eu mamando, feito louco. Ela puxou minha cabeça, me olhou e disse para eu comê-la, feito uma cadela no cio. Pegou meu pau, colocou pra cima e sentou, deu uma sentada que parecia estar gozando. Cavalgava gostoso e eu mamando aqueles peitinhos e em pouco tempo de trepada disse que ia gozar. Gozou e senti o gozo descendo pelo meu saco. Segurei ela pelas pernas e fiquei em pé com ela no colo e metia com força, socando fundo, gostoso, aquela xana molhadinha, apetadinha, fiz ela gozar.

Coloquei ela na mesa deitada, com as pernas pra cima e socava gostoso, chupava e apertava seus peitos e disse que ia chupar o grelinho dela. Desci e comecei a passar a ponta da língua, ela gemia gostoso, enfiei meu dedo na bucetinha dela, lisinha, raspadinha, e o outro dedo no cuzinho, e fiz ela gozar na minha boca. Como de cotume, como faço com minha esposa, quando ela gozou na minha boca, enfiei meu pau rápido e soquei rápido, com força e ela gozou rapidamente, logo depois. Depois me deitei no chão e ela veio por cima, metia gostos, eu apertava aqueles peitos, até que fui gozar, mas estava sem camisinha e ela pediu pra gozar, saiu de cima da minha rola e abocanhou, chupou gostoso e me gozar naquela boca. Ela mamava como se estivesse saindo doce, mamava e engolia, não vazou nada. Depois me olhou e falou que foi delicioso.

Nos beijamos muito ainda no chão e depois em pé, o tesão não acabava. Mas colocamos nossa roupa e tentamos trabalhar. Um pouco antes dela ir embora, veio até minha mesa e disse que imaginava que ia ser bom, mas foi além, e queria me ver fazer um papai mamãe com ela e se podia ser agora. Tenho um colconhete no quartinho e fui pegar e forrei o chão. quando voltei ela estava peladinha e se deitou. Eu apenas beijei e encostei a cabeça da minha rola entradinha da buceta e senti molhada. Comecei a enfiar. Meti muito, com força, muito fundo e ela gozava demais.

Até que ela me pediu para comê-la de quatro. Pequei naquela cinturinha e vi aquele rabo lindo e meti gostoso, via ela gozar e aquele cuzinho piscando a cada gozada. Depois me joguei sobre, segurei seus peitos duros e ela rebolando gostoso pediu para que eu gozasse. Tirei meu pau e ela bateu uma punheta gostosa e gozei nela.

Fiquei exausto, ela colocou a roupa e disse que tinha amado e que queria mais, e que no outro dia estaria de volta. Ela se foi e até hoje estamos nesse ritmo: de segunda a sexta com ela, e nos finais de semana com minha esposa, não é todo dia, mas umas 2 ou 3 eu dou com ela, porque não dá para resistir e ela quer.

Tirei uma foto dela no escritório e peguei uma no face dela na praia, olha que tesão. Depois conto de outras vezes que estão acontecendo.

Comentarios

AMIGÃO TU DEU FOI MUITA SORTE RSRSRS DELICIA ELA

Por:realisocasal em 10/06/2019 04:28
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2019 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados