Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Eu ainda faço ela esquecer aquele fdp de garoto

Por: Marcos1001 - Categoria: Exibicionismo

e aí pessoal, quem já leu meu contos anteriores, vai entender o título desse aqui. Bom, tenho 45 anos e minha esposa 41. O bom dela é que é muito bonita, cheirosa e gostosa, e tem uma xana que faz gozar só de por pra dentro, uma delícia. E quando vc faz do jeito que ela gosta, goza igual louca. A melhor foda é quando ela bebe ou está com tesão.

Mas o defeito é que ela adora um garoto, 20 aninhos, tem fôlego, mete pra kct e ela me conta, porque eu descobri a safadeza dela, mas ela continuou, e eu deixei, desde que eu soubesse.

Passamos por momentos difíceis, mas o moleque não deu conta do recado. Nisso eu coloquei minhas ferramentas para trabalhar. Eu estava com muito tesão e fazia muito tempo que a gente não transava, quase 1 mês. Todo dia eu via ela saindo para trabalhar e sempre muito gostosa.

Até que um dia não aguentei mais de tesão. Ela foi trabalhar de vestido, com um belo decote. Levei ela no trabalho e fui olhando aqueles peitos lindos, durinhos e eu chupando os biquinhos, e ela cavalgando em mim. Fiquei conversando com ela pelo whatsapp, que ela estava muito gostosa e que me deixou de pau duro.

À noite fui buscá-la no trabalho e já era quase 11 hs. Dei um beijo gostoso nela quando entrou no carro e acariciei aqueles peitos lindos, sem sutiã, naquele vestidinho de verão. Imaginei como os caras que trabalham com ela ficaram loucos. A calcinha era de renda, deliciosa.

Ela entrou no carro e saímos. Mudei o caminho e ela estranhou. Falei que ia a lugar que ela ia gostar. Entramos em motel e ela se assustou, mas logo gostou, confessando que precisa mesmo, estava com muita vontade de ir. Estacionamos na garagem. Desci e não fechei a garagem, abri a porta do lado dela, peguei-a pela mão. Ela desceu e eu fechei a porta e comecei a beijá-la. Foi ardente e gostoso, logo meu pau endureceu muito. Passei a mão e levantei o vestido dela enquanto beijava. Peguei a calcinha e fui tirando. Ela ali, em pé, espantada, olhando para fora da garagem com medo que passasse algum carro, eu eu tirei, joguei no párabrisa do carro, abri minha calça e coloquei meu pau pra fora. Ela espantanda, falou se eu estava louco, e eu disse que sim, louco de tesão por aquela mulher gostosa, louco pra sentir meu pau ali dentro, e passei a mão e já estava molhada, aquela xana grande, peladinha.

Segurei ela pelas pernas e a erguia, encostada no carro, e posicionei minha rola na entradinha daquela buceta espetacular, senti o molhadinho, quente e ela me esperando a penetração. Coloquei devagar, mas sem parar, de uma vez, tudo, até entrar tudo. Ela colocou as mãos para trás por cima do carro e senti a penetração, gemeu baixinho, e quando minha rola chegou no fim, eu parei e esperei a reação dela.

Ela apenas baixou o olhar e pediu: mete, por favor. Eu comecei a meter com força, o carro balançava, então ela me agarrou pelo pescoço e disse que ia gozar, e gozou. Senti aquela buceta pulsando e de tão forte, quase expulsando meu pau para fora. Então passouum carro, e nós ali, no escuro da garagem, agarrados. Levei-a para a frente do carro e a deitei no capô, bem na beiradinha. Abri suas pernas e chupei aquele grelo maravilhoso e em 5 lambidas ela gozou de novo e me segurou pelos cabelos e pediu para parar, gemendo forte, com o peito pulando, parecia ter convulsões.

Desci ela do capô e coloquei ela de costa e apoiada no capô, então abri suas pernas e penetrei por trás, naquela buceta encharcada, com aquele mel delicioso escorrendo. Segurei no seu quadril e comecei a meter com força e rápido, como ela gosta. Mais uma vez ela gozou e desse vez com gemidos mais altos e até gritinhos.

Como se não ligasse pra ela, coloquei meu pau para dentro da calça e aotoei. Fui na garagem e fechei. Quando virei ela não estava mais ali. Entrei no quarto e lá estava ela na cama, de quatro, acariciando o grelo e gemendo, e pedindo: vem me fuder caralho, hoje vou dar muito. Tirei a roupa e peguei ela de quatro quanto mais metia, mais ela gemia e gozava, gozadas uma atrás da outra, sem parar.

Até que ela me pediu para deitar na cama. Sabia que ela queria me dominar, cavalgar, tomar conta da situação. Deitei e ela veio, pegou o meu pau com todo cuidado e começou a bater bem devagar. Do jeito que ela sabe fazer, soltou a rola e pegou com a boca. Chupada que ela faz como ninguém. Engolindo tudo, chupando, lambendo e eu sentindo só aquela boca e língua quentes. Quando eu estava quase gozando, ela parou me olhou e veio por cima.

Com uma engolida maravilhosa de buceta, apontou meu pau na portinha da xana e desceu e engoliu ele inteiro. Se apoio na cabeceira da cama e aqueles peitos ficaram ali, na minha cara, grandes, gostosos, balançando, lindos. Comecei a chupá-los bem gostoso, do jeito que ela gosta, segurei ela pela cintura e ela socando meu pau pra dentro, pulando, cavalgando como louca, me pedindo pra mamar, e mais e mais, e de repente deu um grito e gozou, muito forte, e não parava, e me olhava nos olhos e gozando, me agarrou, me abraçou e gemia.

Ficou um tempinho em cima de mim, desfalecida. De repente levando e falou: quero mais. Aí deixei ela de quatro sobre, peguei pela cintura e comecei a socar, e ela quietinha, só gemendo. Eu mamando naqueles peitos gostosos, fiquei louco de vontade de gozar e ela pediu que gozássemos juntos e gozamos. mas o gozo dela foi tão forte que eu gozei e não conseguia suportar a buceta dela vibrando com meu pau dentro, e gemi forte também, gritamos e ela gozava e engolia meu pau, com força.

Eu desmaiei e ela disse que não tinha acabado ainda. Fomos para a banheira e lá ela fez tudo endurecer de novo. Chupa muito essa mulher, quando quer. Aproveitei e perguntei se ela mamava assim o garoto dela, e ela disse que sim, mas ele nunca a fez gozar como eu, eu segurava, sabia a hora certa, transávamos por 40, 50 minutos com várias gozadas dela. Não me importava em não gozar, eraum tesão ver que ela conseguia gozar sem parar, e isso um moleque não sabe fazer.

Transamos mais um pouco na banheira e depois relaxamos. Ficamos apenas 2 horas, mas foi o suficiente. O certo é que eu posso não ter o fôlego para trepar 3 ou 4 vezes seguidas, mas 1 ou 2 que eu dô valem muito mais.

Um grande abraço a todos e depois conto quando fizermos mais loucuras por aí.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2019 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados