Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Dei e nem sei nome

Por: meinhasoquete - Categoria: Travesti

Primeiro prefiro me descrever: Sou cdzinha passiva, 45 anos branca, seios pequenos, 1.69 de altura, 103 cm de bumbum, coxas grossas. Moro em São Paulo, mas nasci em Minas Gerais, quase Bahia. Trabalho como cabeleireira em um salão.
Tenho como marca registrada o uso de meinhas soquetes (uso com tamanco, sandália e claro tênis diariamente).
Peguei um resfriado forte devido a variação do tempo e o clima seco aqui em são Paulo. Na sexta feira fiquei em casa acamada só no chazinho e nos antigripais. Mesmo assim uma coisa não sai de minha cabeça nunca: sexo.
Havia ganhado há tempos atrás de um amigo meu dois dvds de putaria mas sem tempo esqueci de assisti-los, Como estava debaixo das cobertas resolvi assistir. Vídeos ótimos com muita putaria, exibicionismo e caseiros, tudo que amo.
Após assistir os dois estava com mais vontade ainda de dar.
Já melhor, por volta de umas 3 da tarde, tomei um banho e como sempre fiz enema para ficar limpinha.
Sai do banho e tomei um café com leite e pão e manteiga.
Liguei meu note e após olhar meus e-mails resolvi entrar em uma sala de bate papo onde imediatamente após entrar o nick “vigia de fabrica” me deu um oi.
Começamos a conversar ele perguntou se tinha face, passei para ele e lá ele gostou mais ainda.
Papo vai excitação vem ele disse que trabalha com outro cara eles curtem e pediu para ir de noite na fabrica onde ele trabalha que fica próximo ao aeroporto de Cumbica aqui em São Paulo.
Disse que estava meio resfriada, mas ai ele mandou uma foto dele e de seu amigo nus no serviço e o pau dos dois valia a pena ir.
Pediu para eu ir “fácil” e que só poderia ficar lá das 10 da noite até 1h porque tinha ronda e não queria perder o emprego, eu disse pra não se preocupar porque sempre ando com roupa facinha e ficaria no horário que disse.
Dei mais uma cochilada, agora mais excitada ainda e acordei umas 7 da noite. Comi umas frutas e assim me arrumei: Tamanquinho tipo mule rosinha, meinha soquete branquinha, fio dental vermelho, micro sainha branca que é um escândalo, camiseta com mão comprida branca e coloquei um sobretudo branco que tenho .
Sai de casa por volta de 8 ,pois aqui em são Paulo o transito é dose ainda de sexta já viu né.
Por volta de 9h30 estava quase chegando, parei numa praça e liguei no telefone fixo que ele deu. Atenderam escutei voz grossa e me identifiquei, ele disse pra daqui 15 minutos vir, pois ultimo funcionário estava saindo. Assim fiz, cheguei de frente ao enorme portão e liguei de novo, o portão se abriu, parei o carro ao lado da guarita. Veio ele: aparentava uns 50 anos, magro, alto e o amigo, aparentando um pouco mais, negro e mais alto que ele.
Eles gostaram do que viram, principalmente depois de eu tirar sobretudo. Perguntei se seria na guarita, eles riram e disseram juntos: não. Ai curiosa perguntei: Onde então. E responderam: na sala do dono, rindo muito.
Adentramos na enorme fabrica, o cheiro de plástico e borracha pairava no ar, um calor que nossa parecia o inferno por causa das enormes maquinas.
No fundo dela havia uma escada e claro que me fizeram subir primeiro para tirar fotos...
Subindo no fim do corredor havia salas e entrei: sala grande com sofá, mesa de reunião mesa grande e cadeiras giratórias. Era ali, e havia um motivo para isso também: fora o local dali eles viam tudo.
Os dois tiraram as calças ficando só com colete e coturno, um tesão...
Sentaram no sofá e mandar eu chupar o pau de um enquanto o outro enfia língua no meu cuzinho enchendo de tapas. Chupei primeiro o negrão e depois virei pro branco.
Após isso fizeram o que chamara de roleta russa: Me colocaram na cadeira giratória e giraram, em quem parou levei pau enquanto chupava o outro. Foi primeiro o branco e depois o negro, ambos gozando muito mesmo.
Após gozarem, o branco falou..fudeu: viu no monitor o carro de ronda e estava cedo ainda tipo umas 11.30 da noite. Desceram e pediram pra eu ficar quieta lá, com luzes apagadas.
Após uns 15 minutos escutei vozes no corredor e deu para perceber que era dos dois e mais uma voz. Me escondi debaixo de uma mesa. Eles entraram na sala e só escutei cara dizer: Bom vou embora.
Mais uns 15 minutos voltaram e disseram: Nossa foi por pouco.. o cara que veio é chato e muito rigoroso perguntou do carro e dissemos que era de um funcionário que havia deixado ali.
Voltamos e fudemos até umas 3h , ai fui embora.
Incrível dei pra dois e nem sei o nome...

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto

foto avatar usuario meinhasoquete
Por: meinhasoquete
Codigo do conto: 14225
Votos: 1
Categoria: Travesti
Publicado em: 10/08/2018

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login

Mais contos desse usuario

Onibus do prazer

Carnaval quente

Sabado quente

Na garagem

Chuva e caos em sampa

Na vidraçaria

Primeira Vez( A pedidos)

Caminhão velho,metida boa

A surpresa

Noite no litoral

Motoboy doidão

Na guarita

No interior de bike

Em Paraty

Saída inesperada

Meu Gari delicioso

2 na festa funk


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2018 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados