Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

A PRIMEIRA ORGIA 3ª PARTE

Por: Munhoz - Categoria: Swing

(Leia os dois contos anteriores)
O Luís e a Lívia estavam muito bem de vida e a chácara deles era bonita, sem luxo, mas muito bem cuidada. Fui com a Paola e a Lívia para a cozinha comermos alguma coisa, porque já era quase meio dia. Não demorou nada e os outros três chegaram. Renata, minha mulher, me deu um selinho sorriu e nos acomodamos comendo uns sanduiches já arrumados com antecedência e um café que logo estava pronto.
No começo quase não falávamos, mas nos olhávamos curiosos sobre o que se passava na cabeça de cada um. Percebi marcas de chupada no pescoço de minha mulher...
Depois o papo foi sendo iniciado e apesar da casa ser da Lívia, quem conduzia as coisas era a Paola. Ela começou:
- Reparem, nós estamos odos nus conversando numa boa e com muita naturalidade. É assim que os naturistas vivem. Quando é hora de erotismo é uma coisa, mas fora destes momentos é tudo muito natural. Mas nós não viemos aqui para curtirmos o nudismo e eu posso fazer algumas perguntas?
Pode, respondemos todos.
- Vou começar por mim. Eu adorei a noite que tive com a Lívia e o Rafael. O que me deu um tesão imenso e me fez explodir num gozo pouco comum foi quando o Rafael comeu minha bunda e a Lívia me lambia a buceta. Nossa..., foi demais. Acho que o Rafael estranhou um pouco duas mulheres estarem se beijando e lambendo. Mas eu deixei claro para ele que eu gosto é de homem, mas nestes momentos intensos o erotismo e o sexo não delimitam barreiras do tipo isto é coisa de lésbicas ou de gays. É só prazer que se dá e que se recebe. E para você Rafael?
- Eu não sei nem o que dizer, mas posso destacar que estar metendo no cuzinho da Lívia e a Paola lambendo meu seco e meu pau quando saia fora, será uma coisa inesquecível. E minha esposinha que vejo ter marcas de mordida no pescoço?
- Eu agradeço sempre ao meu marido pela cabeça que tem e pela forma como me estimula a conhecer tantas coisas maravilhosas que a maioria dos casais jamais experimentam. Agradeço também aos nossos amigos Paola e Marcelo que tem nos ajudado bastante a realizar estas fantasias sem riscos. E finalmente posso dizer que em termos de prazer puramente sexual eu não teria palavras para explicar o que é sentir dois paus duros entrando e saindo de dentro de você simultaneamente. Quando chegamos ao orgasmo que foi simultâneo, e onde recebi estas mordidas no pescoço (deu uma risadinha), ficamos como um corpo só, grudados e eu sentia a porra deles me encher por dentro.
- Eu, continuou Lívia, sempre fiz sexo anal com o Luís e com o Marcelo, não todas as vezes. É preciso ter um clima para isto, mas já superei aquela fase de sentir dor no começo, pois aprendi a relaxar e a “aproveitar” o momento. Mas o Pau do Rafael é um pouco mais grosso e longo que o do meu marido e a habilidade dele em me fuder me permitiu momentos que nunca vou esquecer. E o meu maridinho?
- Nossa, a Renata é muito tesuda. Eu adoro comer uma bunda, como a da minha Lívia, mas nada como uma bunda diferente e gostosa. A Renata gemia e vocês devem ter ouvido os gritos dela... Gozei muito.
- Eu, concluiu o Marcelo, já transei com a Renata e sempre é uma mulher que me excita muito. Será uma noite inesquecível não só para ela com esta nova experiência, mas para mim também. Rafael, as “marquinhas no pescoço” são minhas....
Paola voltou a falar
-Agora que todos nós contamos como foi a nossa noite eu já vejo que os homens estão ficando prontos para a despedida, mas eu queria fazer uma proposta feminista. Posso?
- Claro, respondemos todos.
- Eu proponho que cada uma de nós três, escolha um parceiro e diga o que deseja fazer com ele. Pode ser uma fantasia ou o que quiser. Os outros vão ficar assistindo na plateia. Vamos dar a prioridade para a nossa Renata que é a mais novata.
Renata pensou e disse que queria transar de novo com o Luís, mas que seria ela que o foderia. Queria que o Rafael ficasse vendo por trás ela fuder o Luís.
Paola disse que queria que o Rafael comesse o cú dela de novo, mas com ela em pé se segurando no marido dela que deveria ficar em pé na frente dela e vendo o tesão ir se apossando do seu corpo.
Finalmente Lívia disse que queria que o Marcelo comesse ela de quatro e que o Luís ficasse por baixo lambendo a buceta dela, mas queria também que o Marcelo gozasse dentro dela e que depois ela iria deixar escorrer tudo na boca dele.
Luís e Renata foram para o centro da sala com um grosso tapete e eu fiquei sentado numa cadeira. Eles passaram a se beijar. Renata já tinha o pau de Luís na mão e mandou ele se deitar falando de um jeito que todos ouvissem. Ele ficou deitado com os pés na minha direção. Renata segurou o pau dele e passou a lamber e chupar. Ela começava das bolas e ia subindo até a ponta. Passava a língua e depois enfiava na boca. Por traz eu via sua bunda aberta, sua buceta já molhada e seu cú avermelhado de tanto ter dado a bunda na noite anterior.
Depois ela ficou de joelhos abertos sobre o rosto dele e falou:
- Me chupa gostoso. Me deixa encharcada. Eu quero te foder gostoso.
Ficaram assim uns minutos e ela olhava fixa para mim enquanto ele a lambia. Conhecendo-a eu sabia que ela já estava muito excitada. De repente ela veio por cima dele ficando de costas para mim e com a mão encaixou o pau dele na buceta dela.
- Agora eu vou te foder. Eu quero que meu marido veja o tesão que eu estou e que a tua mulher veja como você deseja me foder.
Ela desceu vagarosamente e começou os movimentos de vai e vem com o quadril. Diferentemente dos homens o movimento para trás é que faz o pau entrar tudo e para frente ele sai. Renata estava descontrolada e alternava movimento mais lentos com mais acelerados. Em determinado momento parecia que ela estava tendo um curto circuito. Seu quadril oscilava muito rápido e até com um pouco de violência. Vi suas cravarem no peito de Luís e o gozo foi fortíssimo dos dois acompanhados de gritos.
Depois de recuperar um pouco o fôlego ela veio até mim, me deu um beijo na boca e disse ao ouvido:
- Eu te amo como nunca te amei.
Paola não esperou muito, pois a excitação estava demais. Levantou do sofá e me puxou e o seu marido.
Meu pau estava até doendo por causa da cena da minha mulher dando para o Luís. Fomos para o centro da sala e ela me abraçou e me beijou demoradamente. Nossas línguas invadiam nossas bocas. Ela foi descendo e logo chegou no meu pau onde passou a me fazer carícias com a língua, com os lábios e enfiando na boca. Depois ela colocou o marido dela na sua frente e deu também um longo e erótico beijo nele. Depois falou:
- Rafael, pode comer minha buceta, eu já estou encharcada e cheia de tesão.
Depois virou-se para o marido, segurou nos seus braços e disse para que todos ouvissem.
- Querido, fique olhando só para meu rosto e veja como o tesão vai crescendo. Quando eu começar a gozar, quero que você me abrace e sinta comigo o meu gozo. Rafael, eu quero que você agora encha minha buceta de porra.
Passei a comê-la e depois de alguns minutos de gemidos e palavras de tesão nós nos sincronizamos para um belo orgasmo. Paola e Marcelo estavam tão agarrados que parecia um corpo único. Eu não me agarrei a eles para respeitar o momento imaginado pela Paola, mas enchi sua buceta de porra. Quando meu pau saiu de dentro dela ela falou para o marido:
- Veja o quanto de porra eu recebi do teu amigo. Obrigado meu querido maridinho.
Finalmente a Lívia, o Marcelo e o Luís foram para o centro da sala. Como nos casais anteriores, eles começaram com beijos e lambdas, mas a excitação de tudo que tinham visto os obrigava a passar direto ao desejo da Lívia, porque eles não aguentavam mais de tesão.
Luís deitou-se e a Lívia ficou de quatro sobre ele. Ela não o chupava, porque ele já tinha gozado. Marcelo se acomodou atrás dela e foi enfiando o pau na buceta dela. Luís lambia seu grelinho e ela gemia. Eu imaginava o que ela estava sentido porque na noite anterior eu é que estava sendo o presenteado. Às vezes, como em toda foda, o pau sai e Luís também dava uma lambidinha nele e com as suas mãos colocava de novo na buceta de sua mulher.
Em determinado momento os gemidos e besteiras que a Lívia falava aumentaram e os movimentos d Marcelo indicavam o gozo. Explodiram. Marcelo dentro dela e ela recebendo a pica e a sua porra. Marcelo retirou o pau e Lívia se levantou um pouco e deixou escorrer a porra que estava dentro dela para a boca do marido. Depois virou-se e deu-lhe um longo e demorado beijo de língua.
Nossa, estávamos exaustos, mas extasiados. Tomamos banho, nos vestimos e cada um voltou para sua casa e família.

Comentarios

Nossa que delicia este seu relato, eu já tive esta experiencia de foder a esposa do jeito que vc fodeu a Paola, com ela olhando para o marido, que delicia, adoraria fazer parte deste circulo de amizades.

Por:PolicialSafado em 06/11/2016 12:08
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
foto avatar usuario Munhoz
Por: Munhoz
Codigo do conto: 12962
Votos: 1
Categoria: Swing
Publicado em: 06/11/2016

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login

Mais contos desse usuario

HISTÓRIA DO RAFAEL

TROCA DE CASAIS

UMA NOVA AVENTURA DA RENATA

O INÍCIO DE UMA VIDA LIBERAL

A PRIMEIRA ORGIA 1ª PARTE

A PRIMEIRA ORGIA 2ª PARTE

QUARTO FALSO 1 caso

QUARTO FALSO 2 caso

SURPRESA!!!!

QUARTO FALSO 3 caso

QUARTO FALSO 4 caso

QUARTO FALSO 5


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2020 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados