Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

A esposa não pode negar o cuzinho

Por: ElTarado - Categoria: Heterosexual

Entre namoro e casamento, estou com minha esposa a mais de 5 anos. Ela é clara, tem 1,60 de altura, cabelos longos e castanhos quase na cintura. Seios médios e empinados, e uma bunda grande, que me deixa louco. Não está em perfeita forma, mas está gostosa para seus 31 anos. Nunca tivemos problema com sexo, embora eu a tenha feito quebrar alguns tabus, como deixar gozar na boca dela, embora ela ainda não engula. Mas o grande problema tem sido o meu desejo pelo rabinho dela, que ela não queria me dar. Claro que ela já deu, mas sempre de má vontade, a pesar de eu usar todas as dicas encontradas em sites contos etc. Na hora de por o menino para dentro ela fica reclamando, e resiste por mais um ano até eu a convencer a dar de novo. Mas eu estava cansado disso e resolvi que ia comer aquele rabinho com gosto e sem reclamações. Numa sexta-feira, eu preparei tudo. Peguei um sonífero que eu tinha em casa, amassei e coloquei na bebida dela um pouco antes dela se deitar. Fomos dormir e esperei fazer efeito. Eu não queria que ela ficasse totalmente inconsciente, mas sim sonolenta o bastante para não resistir e relaxar. Comecei tirando a o shortinho dela e tire a blusinho do shortdoll por baixo mesmo. Ela se mexeu mas não acordou. Tirei sua calcinha e vi que tudo estava dando certo. Beijei a boca dela, e desci para os seios. Chupei com gosto, colocando uma mão no grelinho dela. Passei a chupar a bucetinha dela para deixá-la exitada, ao mesmo tempo que eu introduzia um dedo no rabinho dela com uma pomada que comprei em um sex shop. Ela gemeu um pouco, mas parecia que não conseguia acordar. Balbuciou algo que não entendi. Vi que ela não gozaria. Coloquei ela de ladinho, coloquei uma camisinha e passei a forçar o botãozinho dela. Ela pareceu acordar, mas estava atordoada e não conseguia entender o que acontecia. Quando a cabeça entrou ela deu um gemidinho mais alto, mas não reclamou. Consegui colocar quase todo o meu pinto naquele reguinho apertado e lambuzado, e comecei um vai e vem devagar, massageando a pombinha dela. Ela gemia baixinho. O tesão foi tão grande que em 15 minutos eu estava gozando gostoso. Tirei meu pinto e vi o cuzinho dela vermelho, embora sem sinais de sangramento. Limpei com um papel e não resisti te comi a bucetinha dela na mesma posição, gozando muito dentro dela. De manha ela estava confusa e eu agradeci ela ter dado o rabinho para mim. Pode ter certeza que repetirei a dose até ela acostumar.   

Comentarios

Muito bom este conto, eu também já tentei fuder o cuzão de minhas esposa que nunca topou me dar aquele olho de porco. Se ela topasse uma bebidinha, eu tentava fuder e alargar aquelas pregas do cuzinho rodeado de pelos, meio parecido com um cu de macho. Alias, eu tenho o maior tesão num cu cabeludo. Não perdi a esperança de arrombar o cuzão de minha mulher.

Por:dicod05 em 12/04/2016 07:37

Gosto de ler e reler os contos do confrade EITarado, me parecer reais e são todos tesudos e bem narrados.

Por:dicod05 em 22/04/2016 08:40

passa o nome do sonifero para gente ora

Por:robka em 29/11/2016 01:41
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2020 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados