Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Garota decidida

Por: Pcunha - Categoria: Heterosexual
aumento peniano

O caso que relato ocorreu alguns anos atrás, devido ao meu comércio tive contato com cara super legal, ele fazia entregas e fizemos uma certa amizade. As vezes ele ajudava um ou outro amigo chamando a pessoa pra fazer um bico, uma das mais recorrentes era a Bárbara, um garota loira, pele branquinha, 1,60 de altura, magra com seios grandes, não era a mais bonita porém bastante brincalhona e muito fácil de conversar.
Esse amigo só aparecei de 15 em 15 dias e a Bárbara não aparecia fazia um bom tempo, uma noite ao entrar em uma rede social percebi uma solicitação de amizade, para minha surpresa era dela, Bárbara. Aceitei e segui olhando as postagem aleatórias, alguns minutos depois recebei uma mensagem privada dela, respondi normalmente e ela não fez rodeio, disse que tomou a iniciativa de me adicionar, me achava muito bonito e tinha percebido um clima em nossas conversas. Eu particularmente confesso que não tinha notado tal clima, provavelmente ela confundiu pela forma tranquila e descontraída que gosto de conversar, porém não desmenti nada, até por que o rumo da conversa estava muito interessante...
Ela disse saber que eu era comprometido mas que realmente estava com muita vontade, morava em uma cidade vizinha e tinha arrumado um emprego de cuidadora de idoso, trabalhava um dia sim o outro não, ficando assim um tempo livre que ela se dispunha a vir até minha cidade me encontrar.
Demorei um tempinho para absorver toda as informações, afinal ela tinha tudo em mente e foi muito direta. Mas continuamos o papo ai sim fui me colocar sobre tudo aquilo, atiçar, brincar um pouco e tentar deixar minha amiga ainda mais instigada. Descobri que ela tinha um namorado mas a relação estava muito apagada e o sexo era cada vez mais raro, descobri também que de alguma forma que não sabia acabei acendendo um fogo nela que estava saindo pelas tampas.
Depois de uns dias conversando e nos atiçando ela disse que estaria de folga no dia seguinte, queria vir me ver, eu aceitei mas propus um meio termo, uma cidade no meio entre a minha e a dela. No dia seguinte as 8hs eu já estava na rodoviária da cidade combinada pegando ela, ela entrou, me cumprimentou com um beijo gostoso no rosto, senti um perfume muito gostoso, ela estava com as unhas feita, maquiagem bem fraquinha como eu gosto, uma sandália baixinha e vestidinho florido na altura dos joelhos.
Segui rumo ao motel, no caminho eu disse que queria conferir uma coisa, ela somente riu, eu coloquei a mão no joelho dela e fui abaixando em direção as coxas, forcei e ela abriu um pouco as pernas, logo senti que ali já estava mais quente, desci um pouco mais e forcei mais um pouquinho, então ela abriu direitinho as pernas, passei a mão e sentir uma bucetinha bem quente, totalmente lisa e sem calcinha que era o que queria conferir pois mandei que viesse sem pra mim. A bucetinha estava quente e fechadinha, eu passei um dedo de baixo pra cima e senti ele entrar um pouco, nisso meu dedo escorregou e melou a ponta pois a bucetinha estava bem tesuda, parei, voltei o vestido no lugar, olhei pra ela com cara de safado, lambi meu dedo e segui.
Chegando no motel, peguei um quarto e estacionei, ela ficou na porta do quarto esperando eu fechar a garagem, as chaves estavam comigo, cheguei por trás peguei na cintura forcei meu corpo conta o dela e beijei o pescoço, perguntei se era aquilo que ela queria, não respondeu com palavras só balançou a cabeça suspirando, dei a chave pra ela, enquanto ela tentava acertar o buraco da fechadura eu subia minhas mãos por baixo dos vestidinho, falando bobagens e beijando seu pescoço, Quando ela finalmente acertou a fechadura já estava sem roupa, apenas de sandálias, deixei que entrasse e a coloquei contra a parede, dessa vez de frente pra mim, beijando sua boca e as mãos passeando sem freio pelo o seu corpo. Guiei sua mão até o volume da minha rola por cima da calça, ela agarrou e não largou mais, amassada e apertava meu pau, tirei a camisa, nos pegamos mais um bom tempo e ela não largava meu pau, eu lambia, chupava e mordia seus mamilos, ela adorava, então a joguei na cama, tenho 1,80 e ela 1,60, com certeza é uma diferença linda de se ver na cama, ela toda pequena delicada e eu grande e meio ogro, tirei a sandália dela e abri suas pernas, o cheiro daquela bucetinha era delicioso, forcei com as mãos as pernas delas pra que ficassem bem arreganhadas e comecei a lamber bem guloso a virilha, de um lado e do outro, sempre pulando a bucetinha, fazendo ela gemer e se contorcer, vez ou outra ela tentava fechar as pernas instintivamente mas eu travava com as mãos mantendo ela toda abertinha pra mim, só depois de atiçar muito lambi, passei a língua toda de baixo pra cima, senti minha língua ser inundada pelo mel que escorria dela, fiz novamente e ela pirou, ai sim peguei firme chupei ela como falava que iria fazer quando conversávamos, Foram muitos minutos, nem sei precisar o tempo, mas lambia e chupava com muita vontade, lambia do cuzinho até o clítoris eu literalmente a comi com minha boca, inclusive dando algumas mordidas nas partes mais gordinhas daquela buceta que estava saltada e avermelhada como se anunciasse um cio. Ela segurou o quanto pode mas gozou, gozou segurando meus cabelos e forçando minha cara contra o meio das pernas.
Ela ficou mole deitada na cama, eu estava com muito calor, liguei o ar, tirei a calça e deitei só de cueca do seu lado.
Meu pau muito duro debaixo da cueca chegava a latejar, ela ficou olhando e eu disse, vai, tira ele pra fora, namora meu pau. Ela foi, segurou o elástico da cueca e puxou até a pica saltar na cara dela, então ela realmente namorou meu pau, cheirava, lambia, beijava e depois de repetir isso muitas vezes é que engoliu. Deixei que mamasse sem pressa, coisa que ela disse em nossas conversas ter muita vontade de fazer, foi uma senhora chupeta que aquela loirinha fez.
Tirei da boca dela e levante, mandei ficar de quatro, ela obedeceu prontamente, bundinha pequena e branca, sem marca nenhuma, um cuzinho rosado e uma buceta vermelha e inchada de tesão, coloquei a camisinha, pincelei três vezes e encaixei, fui empurrando, entrou a cabeça e travou, senti uma resistência, tenho o pau normal mas ele é um pouco grosso, forcei um pouco mais travou outra vez, ela gemia gostoso, esperei que acostumasse, dei um tapa na bunda bem estalado de cada lado então senti ela relaxar, a rola foi toda até o talo, ficou só as bolas pra fora. Comecei a movimentar aumentando o ritmo, quando dei por mim estava em um bate estaca absurdo, a gente não via nem ouvia nada, só o ritmo da foda, de cada socada firme, forte e funda naquela deliciosa garota. Soltei da cintura e peguei pelos cabelos, continuei a socar, sentir e ouvi quando ela gozou, aquilo me deixou louco e eu gozei logo em seguida, foi uma gozada muiton intensa.
Deitamos lado a lado, ela mexendo no meu pau meia bomba com a camisinha cheia de porra, ela tirou deu um nó, depois lambeu e chupou meu pau deixando ele limpinho.
Ainda trepamos muito nesse dias, ficamos até as 17hs no motel, não era fácil a gente bater os horários mas quando batia sera sempre fogo puro.
Ela casou com o noivo, engravidou e paramos de nos falar depois de um tempo para ela se dedicar a maternidade, mas com certeza a gente se divertiu muito.

Comentarios

Excelente conto amigo. GRC***

Por:GRC em 05/12/2019 01:17
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
foto avatar usuario Pcunha
Por: Pcunha
Codigo do conto: 17504
Votos: 1
Categoria: Heterosexual
Publicado em: 05/12/2019

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login



tesao de vaca
Mais contos desse usuario

De volta ao mercado de trabalho

Moça da cantina


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados