Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

FAMILIA DE ESTIMAÇÃO

Por: pervertidoSP - Categoria: Incesto
aumento peniano

Esse relato é real e acontece comigo a algum tempo. Tenho 45 anos, casado e eu e minha mulher somos do meio liberal a muitos anos, isso me proporcionou ter todo tipo de experiência, porém algumas delas ficaram restritas a mim, pois ultrapassam os desejos e coragem da minha mulher. Eu conheci um casal a alguns anos, na verdade o marido, ele tinha o desejo de ter um macho dentro da casa dele que cuidasse das questões sexuais da esposa e com o passar do tempo das filhas, deixando ele livre para fazer o maior desejo dele que era se transformar em uma mulher, ficar impotente e ter um macho para todos. Paulo e Silvia tinham 40 anos, 1 filha de 21, outra de 18 e uma de 10 anos. Moravam em uma casa com 3 quartos, um para o casal, um para as filhas mais velhas e 1 para a mais nova. Conversamos bastante e ele e a esposa já eram do meio liberal também, porém ela gostava de gangbang e ele gostava de ver e quando ela pedia, ele chupava outros caras e dava junto com ela. Nessa fase de conversas ele me mandou fotos das filhas mais velhas, uma dela bissexual assumida a outro ele achava que tb curtia, mas não tinha certeza, queria que eu ficasse amigo delas e descobrisse todos os desejos delas. Nos primeiros encontros eu ia na casa dele, quando as meninas estavam e muitas vezes íamos para o quarto, ele se sentava em uma poltrona que tinha em um canto enquanto eu fodia a mulher dele, uma loira de seios fartos, coxas grossas e uma buceta que babava, aquela que esticam quando você mete a língua e tira, uma delicia. Aos poucos as filhas que já sabiam que eles curtiam swing, foram se acostumando comigo na casa, eu ia 3 a 4x por semana lá com a intenção de ficar próximo delas e isso foi acontecendo, Aos poucos fomos fantasiando com a Silvia algumas situações e devagar ela foi gostando e muitas vezes enquanto transávamos ela imaginava a filha conosco, as vezes Paulo me chupa junto com ela e falávamos que era a filha mais velha, Suellen, que estava ali. Aos poucos fui pegando liberdade com ela, brincava de irmos tomar banho e as coisas foram ficando cada vez mais soltas, até que transei com ela, mas não na presença dos pais, mas com eles sabendo que isso ia acontecer, inclusive Suellen falou para eles saírem de casa que ela queria ficar sozinha comigo. Depois desse dia comecei a fazer o mesmo trabalho psicológico nela, imaginando o pai e a mãe ali olhando, participando, no começo ela ficava meio receosa, mas via que ela ja tinha esse desejo. Um dia cheguei para minha visita normal, as duas mais novas não estavam, tinham ido dormir na casa da avó, já premeditado da nossa parte, colocamos um filme, Paulo sentou-se em uma poltrona e eu em outra com Silvia sentada do meu lado com a cabeça no meu ombro e a Suellen deitada com a cabeça no meu colo. Comecei a acariciar Suellen, ela tinha algumas tatuagens pelo corpo, branquinha, seios médios, corpo magrinho e bunda redondinha, devagar fui levando minha mão para os seios dela, ela me olhava e cutucava, mas eu continuava, ela estava com uma blusinha, sem soutien, Silvia fez um comentário de como ela estava bonita e crescida, Comecei a alisar os peitos dela, apertava os biquinhos, e meu pau começou a ficar duro, ela pedia para eu parar, meio rindo.
_Esta com vergonha da mamãe? medo do papai? rs
_Estou neh.
_Não precisa, olha como eles adoram ver você, não é verdade Sil?
Ela balançou a cabeça positivamente e colocou a mão no meu pau.
_Olha filha esse safado, olha como você esta deixando ele.
Suellen, se curvou ainda deitada com o rosto quase no meu pau e olho oque a mãe mostrava.
Paulo olhou para as duas e disse:
_Sil, ela não viu direito, mostra pra ela melhor.
Então se ajoelhou na minha frente e começou a tirar meu pau para fora, Suellen levantou um pouco a cabeça para a bermuda e a cueca passarem e meu pau saltou na cara dela.
_Olha filha que lindo.
Abriu a boca e engoliu a cabeça, sugando, chupando e olhando pra filha, ela se virou e ficou rosto com rosto com a mãe, Silvia tirou da boca e colocou nos lábios da filha, que abriu a boca e começou a chupar também, finalmente de pois de meses, estavam as duas ali, mamando meu pau, uma ficava na cabeça e a outra descia pelo corpo até as bolas, até que as duas ficaram na cabecinha juntas, se beijavam e chupavam, meu pau pulsava de tesão, Paulo de lado, só olhava e dava alguns comandos para as duas, ficaram ali chupando por alguns minutos, então puxei a Suellen e deitei ela no sofá de pernas abertas, meti a língua bem fundo, lambi e babei um pouco.
_Sil, vem ver que delicia o sabor da sua filha.
Tirei o rosto e deixei ela vir lamber, ela me olhava e lambia, passava a língua e tirava, encontrei meu rosto no dela e lambi junto, beijamos, chupamos e nos lambuzamos naquela bucetinha lisinha, depiladinha.
_Quer experimentar a mamãe safada?
_Quero...
Silvia, sentou no colo de Paulo e abriu as pernas, se recostando no peito dele, Suellen abriu a buceta da mãe e meteu a língua la no fundo, e chupava cada pedaço dela, lambia o grelo, descia até o cuzinho e metia a língua, gemia de prazer em fazer a quilo e a mãe gemia de prazer em receber. Paulo beijava o pescoço da mulher que se contorcia, fiquei em pé e coloquei meu pau na boca dela, Paulo segurava meu pau enquanto a esposa mamava, babava e enfiava bem fundo na garganta, engolia meu pau inteiro e tirava todo babado.
_Mete na minha filha cachorro, seu puto, quero ver esse pau fodendo ela.
Deitei no chão e Suellen sentou encima de mim, puxei ela abraçando e fazendo com que ela ficasse de 4. Silvia veio por tras, e começou beijar e mordiscar a bunda da filha, e eu metendo naquela buceta, melada, escorria pelo meu pau, Silvia, lambia minhas bolas, meu pau e subia até o cuzinho da filha que gemia. Paulo só olhava e apertava o próprio pau.. estava em êxtase vendo a cena que havíamos conversado a muuuito tempo atrás. Suellen sentou -se e começou a cavalgar meu pau, a mãe chupava e apertava os peitos dela, mordia os biquinhos.. Suelen começou a se movimentar mais rápido, subia descia, rebolava.
_AI porra mãe, pau gostoso do caralho.
_VAi filha, fode gostoso, goza pra mamãe ver..goza
_AI mãe.. ai.. ahhhhhhhh
Ela se contorceu, gemeu, gritou e gozou com meu pau inteiro na buceta, me segurei ao máximo para não gozar ainda e ela desmontou encima de mim, ofegante. Silvia ficava passando as mãos nas minhas bolas e na bunda dela.
_Deixa a mamãe agora filha.
Suellen se levantou e Silvia sentou, mas dessa vez de costas para mim, colocou as mãos na minha perna e começou a cavalgar, eu dava tapas na bunda dela e ela pedia mais forte, Suelen veio me beijar e deu um tapão na bunda da mãe...
_HUmmmmm.. assim mesmo filha. Aiii.. delicia.. assim vou gozar também.
Ela se sentou mais, e rebolava, gemia mais e mais...
_Vou gozar amor
Já não aguentando mais, falei que ia gozar junto com ela, Suellen colocou a boca nas minha bolas, e lambia enquanto a mãe cavalgava mais.. meu pau começou a inchar.
_Isso safado, goza, enchi minha mãe de porra safado.
_Goza comigo fdp, cachorro..
Silvia se contorceu, e gozou junto comigo, senti meu pau jorrar dentro dela e a medida que ela continuava se mexendo, a porra começou a escorrer e a safada da filha, passava a língua. Quando olhamos Paulo estava com uma rodela na calça, tinha gozado de ver nos três.
Em breve mais da minha segunda família.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
foto avatar usuario pervertidoSP
Por: pervertidoSP
Codigo do conto: 19734
Votos: 0
Categoria: Incesto
Publicado em: 10/09/2021

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login



Aumento Peniano
Mais contos desse usuario

Netinha e o vovô com alzheimer


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2021 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados