Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Ultima saída - 1T E1 - Uma nova cidade, um novo recomeço

Por: DaviMpz - Categoria: Gays

Oi galera, estou vindo publicar meu primeiro conto, espero que gostem, no primeiro ep não vai ter aquelas partes cheias de sexo nen nada, no decorrer dela as coisas vão ficar interessantes.
---------------------
{ Julgamento } - Dia 07 de Fevereiro de 2020

Juiz : Bem, você está sendo bastante problemático garoto, já é a terceira ocorrência só nesse mês, pelo jeito a sua mãe não está conseguindo te educar, poderia até solicitar uma prisão a você por dirigir bêbado ainda mais sendo de menor, mas eu não vou fazer isso. Decidi que daqui em diante você irá morar com o seu pai até completar os 18 anos e caso você não conseguir se dar bem la, sinto muito em lhe dizer mas vai ter que passar um tempo atrás das grades, estou sendo bem claro? Não estou? Anda me responde! ( O juiz estava bem bravo )

Eu : Sim, está.

Juiz : Ótimo, você está liberado.

Bem, deixa eu me apresentar, me chamo Vick, acabei de completar 17 anos, prático boxe e tenho 1,80cm, por praticar boxe tenho o corpo bem malhado, tenho o cabelo liso e olhos castanhos. Ultimamente eu tenho aprontado muita coisa e hoje foi a "última gota" como dizem, muitos problemas em que entrei fizeram com que o juiz decreta-se que eu iria ter que morar com o meu pai, isso iria ser o inferno, eu não gosto nem um pouco do meu pai por tudo que ele já fez com minha mãe, ainda iria ter que sair do país pois ele mora na inglaterra, não iria ser um problema pois eu sei comunicar na língua deles, mas só de pensar que iria morar com meu pai...Isso já fazia minha vida se tornar mais pior do que já é.

Após sair da sala do juiz, paro pra conversar com minha mãe, minha mãe se chamava Fabiana.

Fabiana : É filho, eu te avisei, te avisei várias vezes pra ficar longe daqueles moleques mas pelo jeito você não me ouviu, espero que agora você pense melhor nas coisas que for fazer, espero que isso sirva de lição meu filho. (Ela passa a mão em meus cabelos)

Eu : Era melhor eles ter me mandado pra prisão.

Fabiana : Eu sei que você não gosta do seu pai, mas quem sabe vocês dois podem se dar bem.

Eu : Se dar bem? Conta outra.

Fabiana : Olha, você não tem outra escolha, amanhã você vai pegar o avião, vem por que temos que organizar suas coisas.

Eu : Que saco! ( Estava bem desanimado )

Chegando em casa eu comecei a organizar as minhas coisas, iria sentir saudades, aqui no Brasil não é tão bom assim mas querendo ou não aqui é meu lugar, já estou até pensando no quão ruim vai ser essa minha vida na Inglaterra, iria ter que terminar os estudos la e o relacionamento com as pessoas não sei se iria dar certo. Mas enfim, quem mandou ser otário.

[ Flashback ] - Uma semana atrás.

Estava saindo da festa.

Tiago : Ae Vick, você vai ter que dirigir, eu estou bastante tonto, essa vodka não me fez bem. (Ele acaba vomitando)

O Tiago era um ficante meu, eu e ele aprontavamos muita coisa juntos.

Eu : Tudo bem, adoro dirigir.

Entramos no carro e comecei a dirigir, estava indo tudo tão bem, até que eu acabo fazendo uma curva mal feita e acabo batendo em um senhor que aparentava ter 50 anos, ele estava em cima de uma bicicleta. O resultado disso, ele acabou quebrando o braço, e como a gente estava bêbado acabamos não prestando socorro a vítima, acelerei ainda mais o carro e passei em frente a uma blitz da Polícia, como a gente não parou eles vieram atrás, e mais uma vez acabei batendo o carro em uma placa após perder o controle, acabamos parando em cima da calçada, os policias vieram com tudo com suas armas apontadas.

Policial : Sai do veículo!!! Sai do veículo com as mãos pra cima, sai caralho!!! (Ele gritava)

Eu e Tiago saímos do veículo e ainda apanhamos bastante, pra vocês terem ideia o meu braço se deslocou de tanta força que o policial fez pra me colocar as algemas.

Policial : Tá pensando que é quem pra correr hein? Tá achando que é quem seu moleque? Eu sou da polícia federal, aqui não rola fuga não seu filho da puta!!!

Acabei tomando um tapa na cara.

{ Delegacia }

Estava algemado junto com Tiago, olhava pra ele dava até pena, estava fedendo bebidas e mal conseguia ficar com a cabeça levantada.

Logo minha mãe chega.

Fabiana : Denovo filho, denovo você me aparecendo com essas. ( Ela fala com bastante tristeza )

Policial : Seu filho aprontou muita coisa hoje em, recebemos informações que ele estava dirigindo bêbado e acabou batendo em um senhor de 50 anos que estava em cima de uma bicicleta, ele não prestou socorro e ainda furou uma blitz da Polícia Federal. Bem aventureiro pelo jeito. ( Ele fala com ironia)

Fabiana : Já não sei mais oque eu faço.

[ Flashback ] - Fim

É, terminei de arrumar as minhas coisas e fiquei pensando em várias coisas que poderia ter feito pra evitar isso, mas agora não tem como voltar atrás.

Recebi uma ligação, era de Tiago.

Tiago : E aí? Oque deu?

Eu : Vou ter que ir morar com o meu pai, infelizmente.

Tiago : Eita.

Eu : É Tiago, nossas aventuras acabaram, e sinto muito pelo seu carro, me desculpa.

Tiago : Esquece isso, nem vou dar conta de recuperar ele mesmo, está no pátio e pra conseguir pegar de volta vai custar quase 4000.

Eu : Por minha causa.

Tiago : Pode até ter sido, mas se fosse eu que tivesse dirigindo iria ser pior rsrsrs.

Eu : Rsrsrs

Tiago : Vou sentir sua falta, ainda mais das nossas noites rs

Eu : Também vou sentir.

Tiago : Até mais então, quando for ir você fala esta bem? Quero ir lá te ver.

Eu : Tudo bem.

Bom, Tiago deu sorte que os pais dele eram ricos, então certamente eles pagaram uma fiança ou propina sei lá, ele era de maior e não teria como ficar livre depois do que eu e ele fez.

{ Dia Seguinte }

Estava arrumado e com as malas pra ir, liguei pra Tiago e falei que ja estava indo, minha mãe me levou ate o aeroporto.

No meio do caminho.

Fabiana : Olha filho, você não é mais criança, por tanto eu quero que você respeite o seu pai e siga as regras que ele passar, estou sendo bem clara né filho? Qualquer reclamação que ele fazer eu vou pedir sua volta pra cá, entendeu?

Eu : Tá mãe, entendi...

Fabiana : Ótimo, se não aprendeu a me respeitar, com seu pai vai ser diferente.

Chegamos no aeroporto e apresentei a ordem judicial pra mim viajar, logo Tiago aparece de moto e vem ao meu encontro, minha mãe ao ver ele acaba fechando a cara.

Tiago : É, última vez que vou te ver. ( Ele me abraça)

Eu : É. ( Estava desanimado )

Tiago : Você deveria estar feliz rsrs, saindo desse país de merda.

Eu : Eu preferia continuar morando aqui, vou deixar tantos amigos, que merda.

Tiago : Vai ser melhor pra você, acredite!

Eu : Tomara que seja.

Tiago : Bem, seu voo já vai sair, até mais. ( Ele me dá outro abraço e um selinho)

Eu : Até um outro dia, se rolar.

Tiago : Até. ( Ele abre um sorriso )

Entrei no avião e no meio da viagem comecei a lembrar de tudo, foi muita coisa que eu aprontei, mas de algumas coisas eu não me arrependo.

{ Inglaterra } - Dia 8 de Fevereiro de 2020 6:00 PM

Quando desci do avião fiquei impressionado, olhava ao redor e dava pra ver vários prédios, pessoas com estilos diferentes, andei até a saída do aeroporto e peguei o táxi, como sabia a língua deles me comuniquei com ele e mostrei o endereço da casa do meu pai.

Chegando lá, notei algo diferente, no bairro em que ele morava as casas nem muro tinha rsrs, deve ser porque as pessoas não se preocupam com roubos igual no Brasil. Vi que a casa do meu pai era bastante bonita, e tinha 3 carros na frente dela

Cheguei perto da porta e bati.

(Toc toc toc)

Esperei um tempinho e ele abriu a porta. O nome do meu pai era Thomas.

Thomas : Chegou filho... ( Ele fala desanimado )

Eu : É, cheguei.

Thomas : Entre.

Coloquei minha mochila em cima do sofá e me sentei.

Ele pega um suco e me oferece. Logo após senta ao meu lado.

Thomas : Escute aqui garoto, não sei como que funcionava as coisas na casa de sua mãe, pelo jeito as coisas não funcionavam tão bem até por que você está aqui agora, mas quero deixar bem claro que aqui na minha casa vai passar a ter regras, a regra número um, nada de chegar tarde , as 8:00 da noite você já deve estar aqui, nada de som alto, nada de amigos aqui caso você faça algum, e nada de dormir tarde também... Me compreende?

Eu : Tá pior que a prisão.

Thomas : É, aqui vai ser pior que a prisão, e não quero que você chega perto de um carro também, e nada de festas também, você vai pra escola e voltar, simples assim, e quando completar os 18 você volta pro Brasil.

Eu : Poderia ser amanhã.

Thomas : É, poderia.

Eu : E meu quarto?

Thomas : Vem, vou te mostrar. ( Ele levanta do sofá )

Na hora que cheguei no meu quarto, bem, não tinha do que reclamar, tinha tv, vídeo game, uma estante de livros, até equipamentos pra musculação.

Thomas : Bem, vou te deixar sozinho ae.

Peguei alguns livros e comecei a ler pra passar o tempo, logo já peguei no sono e acabei dormindo.

{ Dia Seguinte }

Era segunda-feira, levantei e era 07:00 AM, a aula começava as 8:00 AM, vesti o uniforme que era bem bonito, tinha até o tênis próprio que era meio zuado.

Após ficar pronto fui com o meu pai até a escola, chegando lá ele me deixa e entro na escola.

Dava pra ver vários grupinhos de pessoas conversando entre si, meninos brincando de lutinha um com os outros, nerds jogando xadrez, era tudo tão estranho, de repente chega um menino do meu lado, ele era bem bonito, tinha a pele branca e um cabelo loiro com um topete que dava estilo, tinha os olhos azuis.

Ele : É novo aqui né? Todo novato chega aqui e não sabe pra onde deve ir, eu também era assim.

Eu : É, sou novo aqui mesmo.

Ele : Como se chama? ( Ele fala com um sorriso no rosto )

Eu : Vick, meu nome é Vick.

Ele : Anthony. ( Ele estende seu braço pra me cumprimentar )

Eu : Prazer ( Cumprimentei ele )

Anthony : Mas então? Você parece não ser daqui, tem um sotaque bem diferente, é de onde?

Eu : Sou brasileiro rsrs.

Anthony : Rsrs, vale a pena ser seu amigo então.

Eu : Por que diz isso? rsrs não me conhece.

Anthony : Os brasileiros parecem ser gente boa, sempre estão felizes e se divertindo.

Eu : Rsrsrs ( Ele não conhece a gente direito, pensei )

Anthony : Eu sou norueguês, mas vim pra cá com meus 7 anos.

Eu : Hmmm

Anthony : Mas então, você tá em que sala?

Eu : Não sei qual, nesse papel tá escrito mas não sei onde chegar.

Anthony : Deixa eu ver. ( Ele pega a folha da minha mão )

Anthony : Esta na mesma que eu, bom que a gente vai terminar os estudos juntos, quase não tenho amigos aqui, podemos ser? Oque acha?

Eu : Por mim tudo bem rsrs.

Entramos e andamos pelos corredores.

Anthony : Esse é o seu armário.

Eu : Meu armário?

Anthony : Sim rsrs

Eu : No Brasil a gente não tem isso, é, parece que aqui as coisas são melhores rsrs

Coloquei minhas coisas no armário e fui com o Anthony pra sala, chegando lá era tudo tão bonito, cada aluno tinha um notebook em sua mesa, era tudo tão avançado comparado ao Brasil, me sentei em um lugar no fundo da sala aonde estava vago e a aula começa, percebi que o Anthony me olhava o tempo todo, e quando ele me olhava ele abria um sorriso.

No meio da aula um menino com umas tranças chega perto de mim e senta do meu lado.

Ele : A vida na Inglaterra não é nada fácil.

Na hora eu fiquei surpreso, ele falou em português

Eu : Oque? Você é brasileiro?

Ele : Sim, e quando vi você pensei a mesma coisa, brasileiro a gente nota de longe rsrs.

Eu : Rsrs

Ele : Meu nome é Yan

Eu : Vick

Ele : Mas eai, porque veio pra cá?

Eu : Confusão, minha mãe e meu pai são separados, minha mãe mora em São Paulo e meu pai aqui, e como eu era uma pessoa que sempre se metia em alguma confusão eles resolveram fazer eu morar com meu pai.

Yan : Entendi, comigo foi diferente.

Eu : É? Como foi a sua?

Yan : No caso minha mãe que mora aqui, eu morava em Espírito Santo com meu pai, mas depois que ele morreu minha mãe me chamou pra vim morar com ela, disse que meu futuro iria ser melhor aqui.

Eu : Entendi.

O sino toca e era hora do recreio, o recreio era bem da hora, tinha vários lugar pra ir, quadras de futebol, basquete, tênis e tudo mais, lugar de dança, ali parecia ser um paraiso rsrsrs, não iria querer me formar tão cedo.

Peguei algo pra comer na cantina e o Anthony chega perto de mim.

Anthony : Pelo jeito parece ser fácil de você fazer amigos.

Eu : Rsrs, na verdade eu não fiz, eles que fizeram comigo.

Anthony : Vem, quero te mostrar algo.

Fui com o Anthony e ele me levou a um parque que tinha lá, ele se aproximou de três pessoas e me apresentou a elas.

Anthony : Pessoal, esse é o Vick.

Menina : Emily ( Ela me cumprimentou com aperto de mão.

Menino : Henry ( Também me cumprimentou )

2° Menina : Kelly ( Fez um sinal com as mãos )

Eu e Anthony sentamos perto deles e ficamos conversando com eles, o recreio era 1 hora de prazo. Conversamos sobre séries, filmes, esportes e tudo mais.

Anthony : Ei, oque acham de depois da aula a gente sair pra aquele parque principal da cidade, vai ter show hoje lá da Imagine Dragons.

Kelly : Ótima ideia, eu adoro eles.

Henry : Hoje não vai ter como eu ir, tenho que levar minha irmã pra peça de teatro.

Emily : Eu vou.

Anthony : E você Vick? Oque acha de vim com a gente?

Eu : É... Bem não tem como eu ir.

Anthony : Por que não?

Eu : Bem, eu estou aqui por causa de mal comportamento rsrs, e meu pai colocou regras na casa, quando a aula acaba o único tempo que sobra é de voltar pra casa.

Emily : Mal comportamento? Huummm Rsrs.

Anthony : Fica pra outro dia então. ( Ele fala meio triste )

O recreio acaba e voltamos pra aula.

Após passar a aula eu arrumo as minhas coisas pra mim ir pra casa, coloquei tudo na mochila e estava saindo da escola e vi dois meninos com luvas de boxe, cheguei perto deles.

Eu : Praticam boxe?

Menino : Sim, por que a pergunta?

Eu : Também pratico.

2° Menino : É? Que tal uma demonstração?

Eu : Mas aqui?

Menino : Na academia, fica a 20 minutos daqui.

Eu : Então bora.

Eu não poderia ir pra lá, mas era o boxe, eu gostava muito, apesar de chegar em casa no horário em que meu pai não vai gostar, vai valer a pena.

Chegamos na academia e coloquei minhas coisas próximas do ringue. Entrei nele e vesti as luvas.

Lutador : Quem é esse novato ae?

Menino : Disse que lutava boxe.

Lutador : Aé, vamos ver do que ele é capaz, tem coragem de me enfrentar garoto?

Eu : Já enfrentei caras maiores.

Lutador : Que bom saber.

[ Plin Plin ] - Soa o gongo

Começamos um estudando o outro, dei um direto e ele fez a esquiva e mandou um cruzado, só que eu abaixei e já dei um gancho na barriga dele.

Lutador : Aaa.. Boa moleque, tu é bom.

Ele veio pra cima e mandou uma sequência de 3 jabs, mas consegui defender e mandei um cruzado nas costelas dele.

Ele acabou ficando nervoso.

Mais outra vez ele veio pra cima e começamos a trocar socos sem parar, de repente ele consegue acertar um em meu rosto e eu acabo caindo, ele veio pra cima e ficou me dando vários golpes, os meninos que estavam fora do ringue entram dentro dele rapidamente e tira ele de cima de mim

Menino : Essas não são as regras cara, essas não são as regras.

Lutador : Affs, ( Ele fica bravo e sai pra fora do ringue )

Menino : Lutou bem. ( Ele me ajuda a levantar )

Eu : Valeu, como se chama?

Menino : Shaw.

Eu : Olha Shaw, quero vim aqui mais vezes, tenho que ir embora porque eu não tenho liberdade igual a vocês

Shaw : Ok, depois a gente se vê.

Eu : Combinado.

Saí do ringue e peguei minhas coisas e fui embora pra casa.

Quando eu cheguei em casa a porta da casa estava aberta, olhei para o meu relógio e era 8:40 PM, entrei sem tentar fazer barulho algum, mas quando percebo, meu pai estava na poltrona sentado e tomando uma cerveja.

Thomas : Isso é hora de chegar em casa garoto? Qual foi o combinado?

Eu : É... ( Não sabia oque falar )

Thomas : Perai, isso no seu rosto é um machucado?

Eu : Eu acabei caindo.

Thomas : Você não me engana Vick, acabou caindo foi nos punhos de alguém, vou ligar pra sua mãe agora. ( Ele pega o telefone )

Eu : Vai liga!!!

Thomas : Qual foi moleque? ( Ele levanta e vai em minha direção e fica cara a cara comigo )

Thomas : Esta na hora de voce pensar nas coisas que você faz garoto, se você não der certo aqui você vai preso seu imbecil, ta me escutando? E eu nen iria me importar muito, por tanto essa é a primeira e a ultima...Chega atrasado aqui amanhã pra você ver se não te coloco em um avião pra ir pro Brasil denovo, chega...

Nessa hora ele sai de perto de mim e eu me sento no sofá e fico pensando o quão chato está sendo morar com meu pai.

Peguei o celular e liguei pra minha mãe através do Whatsapp.

Fabiana : Oi filho, como que está sendo morar ae com seu pai?

Eu : Acho que na prisão iria estar melhor.

Fabiana : Vocês dois ainda vão se dar bem, confia em mim.

Eu : Espero que sim, porque se passar uma semana e continuar nessa mesma draga, eu mesmo volto pra ae pra ser preso.

Fabiana : Nem fale isso meu filho, pensa o quanto iria ser ruim um garoto de 17 anos ja ter uma ficha na cadeia...Se esforce pra ficar ae, não quero vissitar filho meu na prisão não, não quero mesmo.

Eu : Tá mãe, vou fazer o possível aqui.

Fabiana : Assim espero.

Continuação, proxima semana.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto

foto avatar usuario DaviMpz
Por: DaviMpz
Codigo do conto: 18055
Votos: 0
Categoria: Gays
Publicado em: 24/03/2020

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2020 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados