Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Putinha Do Tio «Tiffy

Por: Pimentinhas - Categoria: Incesto

Oi, meu nome é Tiffy, tenho 18 aninhos, eu sou magra, tenho 1,65 de altura, peitos pequenos, cintura fina e uma bundinha media. Minha bucetinha e rosinha e não tem nenhum pelinho era e gordinha na frente e tem uma raxinha dividindo ela, meus peitos são bem durinhos e os  bicos rosinhas, sou morena dos olhos azuis e minha pele e bem branca, quase como neve.

Eu moro com o irmão adotivo da minha mae, ela vive viajando e meu pai mora com a namorada na Bélgica, o nome desse tio é Magnus, tem 33 anos, e loiro dos olhos cor de mel, e bem forte e músculos bem definidos.

Eu sou o brinquedo favorito dele, ele adora esfolar minha bucetinha, bater na minha cara e gosta de deixar outras pessoas me comerem, mas só outras mulheres, ele diz que o único caralho que entra na minha bucetinha e o dele.

Hoje eu vou contar como isso começou, eu testava pegando sol na piscina, no moramos na Grécia e meu tio adora pescar e nesse dia ele tinha ido fazer isso com os amigos, depois de algumas horas tomando sol, decidi que ia entrar e foi o que eu fiz.

Pequei roupa pra tomar um banho e larguei em cima do sofá, fiz mais algumas coisas  e fui pro banho, lavei meu cabelo  e coloquei meu sabonete na esponja e passei pelo meu corpo, primeiro os ombros, depois  os meu peitos, eu apertei e ensaboei bem, a espuma branquinha escorria pela minha barriga  e ia até minha bucetinha, passei a esponja na minha barriga e no capô da buceta, larguei a esponja e levei os dedos a minha rachinha, desci mais a mão e brinquei com os lábios menores, e com os grandes, acariciei meu botãozinho, fazia movimentos circulares contínuos, eu gemia sem medo, afinal eu era a única em casa.

Me sentei no chão e abri as pernas, sem parar de me masturbar, eu sentia minha bucetinha pulsar e bem molhada, levei um dedo no meu buraquinho e a fundei, eu coloquei mais um dedo e comecei a socar forte, com a outra mão eu masturbava meu botãozinho. Gemi mais alto quando senti minhas pernas tremerem e meu meu gozo escorria, satisfeita tirei os dedos trazendo meu liquido pra fora, lambi os dedos e senti meu gosto.

Levantei ainda com as pernas bambas e buceta inchada, me sequei com a toalha e sai do banheiro pra pegar minha roup. E ele estava lá, parado. Meu tio estava com o pau duro, dava pra ver de longe, na bermuda branca, ele me olhou de cima a baixo,  eu estava nua e ele tinha um olhar cheio de desejo.

Ele se aproximou de mim e eu me afastei, Magnus tinha um olhar de predador, e eu sabia que a presa era eu.

— Eu te oouvi Tiffany e eu gostei muito. — ele apertou o pau pro cima da bermuda. — Você me deixou com muita vontade de fuder.

Ele eliminou o espaço entre nós e agarrou meu braço.

— Poruqe você VAI aliviar o titio princesa.

A mao dele foi para o meio das minhas pernas e involuntáriamente as abri, os dedos longos foram brincando com a minha bucetinha, ele fazia movimentos para cima e para baixo, bem lentamente, me torturando e arrancando gemidos.

— Eu não posso tio.

— Não foi uma pergunta foi uma afirmação. Eu vou fuder você até cansar.

Ele tirou a mão da minha bucetinha e pegou firme meu braço, puxou até o quarto dele e  me jogou com força na cama, tirou a bermuda e a cueca, colocando aquele cacete gigante pra fora, devia ter uns 25 cm e bastante grosso.

Ele abriu minhas pernas e me puxou pra cima dos coxas dele, posicionou o pênis no buraquinho e socou pra dentro, eu gemia de dor e lágrimas escorregam pelos meus olhos.

— Titio está machucando. — manhei pra ele.

— Você devia ter obedecido o tio, mas agora você vai ser uma boa menina, não vai?

— Vou sim tio, mas vai de vagar.

— Mexe na bucetinha pro tio ver.

Eu levei a mão pra minha vagina e comecei a masturbar meu clitóris, o cacete do tio começou a se ajustar na minha bucetinha e a entrar mais fácil, ele socava com força.

Ele me tirou de cima das próprias coxas e pegou meus tornozelos, juntou e ergueu minhas pernas pra cima, ele bateu o pênis na minha bucetinha antes de se afundar nela, parecia que assim o cacete dele ia mais fundo, ele socava mais forte que antes. Eu gemia manhosa e sentia o gosto Salgado das lágrimas, mas adorava a sensação de estar sendo fudida com força.

— Tá gostoso putinha do tio?

— Tá sim,  titio eu quero mamar seu pau, o senhor deixa? — disse manhosa

— Tudo pra minha princesinha, Mas o tio quer que você goze pra ele ver.

Ele continuou socando, o dedão dele fazia círculos no meu botãozinho e me fazia gemer mais, eu senti minhas paredes apertarem mais ele e gozei, ele tirou o pau de dentro de mim e eu ms senti fazia e bem larga. Ele jogou minhas perna com brutalidade na cama e pegou meus cabelos, levantado, ele ficou de pé e me fez ajoelhar.

— Chupa pro tio. — ele batia o pau na minha cara e esfregava meu gozo e o pré gozo dele na minha face.

Peguei o cacete da mão dele, comecei a punhetar, descia e subia , com as mãos encosta daquele cacete gigante, coloquei a boca na cabeça e comecei a chupar a glande, eu colocava e tirava da boca, fui tentar colocar o pau dele na todo na boca, mas só conseguia até a metade, ele seguros meus cabelos com força e empurrou o pau pra mais fundo na minha garganta, eu engasga e chorava, minha boca era fudida igual minha bucetinha, que estava inchada e doendo.

Ele parou de me fuder e tirou o pau da minha boca. 

— Fica de quatro. — Ele bateu forte na minha cara. — Da próxima vez, quero meu pau inteiro nessa boquinha linda.

Eu fiquei de quatro ali no chão mesmo, virei pra ele e fiquei bem exposta. Magnus pegou algo e bateu com força na minha bunda, eu gritei, ele bateu mais uma vez e com mais força.

Eu gemia, quando o pau dele afundou dentro de mim, ele não tinha dó, batia na minha bunda com força e me fudia com mais força ainda, gemia de dor, mas uma dor gostosa, ele sempre aumentava o ritimo  e nunca saia completamente de dentro se mim, eu gozei  no mau dele.

— A putinha do tio ama ser arrombada com força.

— Tio tá doendo. — falei fazendo manha.

Ele levou aquilo como incentivo e me bateu mais, minutos depois ele diminuiu as socadas, se tornaram lentas eu senti o gozo quente dele inundar minha bucetinha, ele não tirou o pau de dentro me mim em quanto o gozo dele ainda jorrava.

Ele deu uma última socada e saiu de dentro de mim, o gozo dele escorria pela minha coxa, minha bucetinha pulsava dolorida e cada vez que o gozo dele saia pra fora ele empurrava de volta pra dentro.

— Minha putinha tem que guardar meu gozo, não pode desperdiçar.

Ele ainda me segurava de quatro.

— Tio eu estou com a bucetinha ardia e doendo.

— Vadiazinha apertada, deve estar doendo mesmo.

Ele me pegou no colo e foi comigo pro meu quarto, me largou na cama e cobriu com a coberta.

— Eu vou te dar um descanso, mas quando você estiver melhor e menos dolorida nos brincamos mais. — ele beijou minha testa e se levantou.

— Titio, posso trazer uma amiga pra brincar com a gente? — perguntei inocente.

— Pode sim, mas agora a princesa tem que dormir...

Vocês gostaram da Tiffy? Querem mais  contos dela? Se sim, saibam que eu estou cheia de planos pra ela.

Espero que gozem muito, sozinhos ou acompanhados. Sozinhos pensem em mim e acompanhados, fodam sem dó.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
Avatar do perfil Pimentinhas
Por: Pimentinhas
Codigo do conto: 17910
Votos: 1
Categoria: Incesto
Publicado em: 12/02/2020

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login

Mais contos desse usuario

Fui a putinha do meu primo e de mais dois amigos dele (verídico)

Os pais de uma amiga P.1 (verídico)


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2020 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados