Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Como voltei a ser a puta da adolescência continuação

Por: Cariocaa - Categoria: Traicao

Como voltei a ser a puta da adolescência continuação

Para quem não leu a primeira parte é importante ler para não perder a narrativa dos fatos de início peço perdão pelo tamanho do conto, hoje tenho 38 anos um corpo muito sarado por treinar pesado 1,68 M 60 KG um filho de 14 anos uma vida estabilizada após conhecer meu esposo nunca mais tive aventuras sexuais, nossa vida é boa financeiramente porem sexualmente falando muita fria, no início do casamento éramos muito ativos após o nascimento de nosso filho as coisas foram esfriando o sexo era bem comum e poucas vezes ao mês mas após 20 anos de relação esse detalhe já não me incomodava tanto, eu recebia várias cantadas na rua e no trabalho mas sempre me punha em meu papel de esposa e cortava qualquer abuso maior mas claro que como qualquer mulher gostosa dos elogios e sempre me acabava na siririca em casa, em junho de 2018 Flavio recebeu uma proposta nova de trabalho se animou muito pelo ambiente e pela equipe de trabalho em dias ele já tinha um parceiro de setor chamado Alberto que a amizade deles cresceu muito, com dois meses de trabalho eles já jogavam bola saiam para jogar baralho estreitavam uma boa amizade eu soube pelo Flavio que ele era ex-rico já havia viajado o mundo todo que a família havia falido mas ainda tinha bens e tinha uma boa vida era o famoso “bom vivant”, um dia Flavio organizou um churrasco em nossa casa com vários amigos da empresa entre eles vi que o tal Alberto era o Beto da adolescência na casa da patroa de minha mãe, ele estava mais forte com barba rala muito alto tipo 1,90 e sarado demais apesar de seus 40 anos era um homem atraente porem continuava metido a besta o seu porte físico chamava atenção eu finge não reconhecer mas confesso que ao vê-lo minha buceta encharcou e naquele dia me masturbei gostoso a noite, durante o churrasco percebia alguns olhares dele mas me mantive distante conversando com as namoradas e esposas não cedendo brecha, soube por uma delas a Sonia com quem peguei uma amizade forte que Alberto era o único solteirão que era um galinha que cantava todas descaradamente que já havia cantado ela e inclusive dado uns “amassos” meio que a força nela (segundo ela somente isso rsrs) mas como era muito amigo dos rapazes nenhum reparava que ele cantava geral inclusive ela comentou que havia boatos que ele tinha tido relações com Amanda e Ana duas esposas de amigos da empresa que estavam ali presentes, mas claro nada era comprovado rsrs, já no final do churrasco após terem visto o time do Alberto perder todos estavam sacaneando muito ele ficamos somente Sonia e eu de mulheres meu esposo o esposo de Sonia o Alberto e dois solteiros, Alberto e os solteiros sempre cochichavam algo e olhavam para a gente rindo num determinado momento que fui na cozinha Beto veio atrás disfarçando querendo puxar papo sondar sobre meu passado claro que estava me reconhecendo mas disfarcei e sai sem dar muita brecha, pra variar meu esposo ficou bêbado e como comentei a pouco me acabei na siririca a noite, vida que segue tudo normal muito trabalho tivemos dois eventos sociais após isso num deles num salão de eventos eu estava de vestido sentada numa mesa já no final do evento bem cansada reparei Beto e os dois amigos me olhando a uns 10 metros de distância, eles estavam sentados numa mesa a frente da minha eu estava de óculos escuros percebi que estava “pagando calcinha” mas como ninguém percebia e como eles não tinham como imaginar que eu havia percebido continuei como que distraída dando uma visão de minha lingerie que era rosa bebê e de proposito abria e fechava as pernas suavemente como que distraída mesmo, claro que foi outra noite na siririca, finalmente chegou o verão como amo praia estava pedindo a Flavio que conseguisse uma casa de praia para curtirmos após algum tempo ele conseguiu uma top, a casa tinha um quintal enorme com piscina e churrasqueira coberta com um cômodo, dentro na parte de baixo tinha uma sala grande cozinha dois banheiros um quarto grande no segundo andar 3 quartos, dividimos o aluguel entre 2 casais, Sonia e esposo Flavio e eu, ambos tínhamos meninos na mesma faixa etária, curtimos dezembro e janeiro todo a casa além da piscina era perto da praia coisa de 5 minutos andando um verdadeiro paraíso, meu filho e o filho da Sonia adoraram o local se davam muito bem, vira e mexe reparava o marido da Sonia me olhando meio torto por duas ocasiões em que desci para usar o banheiro a noite percebi ele me secando, ele descia com a desculpa de pegar agua para me ver de camisola ou roupas de dormir mas não dava muita bola, quando se aproximou o carnaval Flavio comentou que o esposo de Sonia estava convidando mais 3 amigos para o carnaval e questionou e eu me importaria eu concordei afinal carnaval era animação mesmo então combinamos que os quartos de cima ficariam com as crianças, conosco Sonia e esposo e os solteiros em baixo, não tinha suítes mas como tinham dois banheiro em baixo um na cozinha e outro entre a sala e o quarto além de um enorme na piscina daríamos um jeito, todos eram amigos de trabalho se conheciam o carnaval prometia ser animado e já começou na quarta-feira antes da festa quando chegaram Beto e outros dois “amigos” de meu esposo além de Sonia e esposo, muito churrasco cervejas para os rapazes Sonia e eu bebíamos Ices estávamos entre a praia e piscina, estava muito animado, quinta ficamos na piscina eu percebia que Beto não tirava os olhos de meu corpo mas me fazia de boba Sonia meio altinha certa hora comentou que o volume da calça dele estava enorme, rimos muito, eu sou fraca para bebidas mas como estava acompanhando Sonia nas ices que ela adora estava bem alegre e soltinha certo momento fui na cozinha pegar algo quando virei para voltar dei de cara com Beto quase cai ele me enlaçou em seus braços me apertando contra seu corpo pude sentir seu membro duríssimo apertando minha barriga ele falou (você não lembra mesmo de mim) o empurrei mandando ele me soltar disse para me respeitar que era uma mulher casada e casada com um amigo dele ele rindo disse (sabia que você lembrava) quando passei por ele o filho da puta me deu um tapa na bunda de estalar que me fez quicar e ficar super desconcertada, fiquei sem reação o filho da puta ficou rindo olhando minha bunda sai meio desnorteada porem completamente encharcada por sorte estávamos na piscina pois caso contrário iriam reparar na umidade que formou-se entre minhas pernas, ele passou a me secar descaradamente sempre que passava perto soltava uma piada naquela mesma tarde Sonia confessou que já havia trepado com ele, naquela noite estava muito animada para trepar muito mas o filho da puta do Flavio deu uma rapidinha de segundos e caiu de lado bêbado me deixando na siririca de novo, sexta começou animado demais porem Flavio bebia muito e dessa vez incentivado por Beto que descaradamente demostrava segundas intenções me mantive afastada como Sonia não sabia de nada tinha que disfarçar ao máximo, nesse dia ficamos o dia todo na praia nós alugamos uma barco para passear entre as ilhas e numa das paradas para mergulho nadei até um barco ancorado que estava a uns 100 metros do nosso barco subi nele e fiquei distraída vendo o horizonte e a ilhas sentindo a brisa quando do nada Beto aparece ao meu lado tentei me levantar mas ele já foi me agarrando tascando um beijo delicioso enquanto tentava inutilmente afastar ele do meu corpo uma de suas mãos me enlaçou e a outra avançou por dentro de meu biquíni denunciando que estava encharcada já foi enfiando um dedo fundo em minha buceta que me fez gemer alto, estávamos protegidos pelo barco o amasso durou alguns minutos eu implorei que me deixasse ir pois meu filho estava perto ele disse que deixaria com uma condição e me soltou, não tive coragem de perguntar qual nadei de volta ao barco onde meu esposo bebia sem nem notar minha ausência, pouco depois ele também chegou, num determinado momento em que estávamos pulando na agua ao lado do saveiro os dois amigos do Beto me “ajudaram” a subir e passaram as mãos na minha bunda quando estava no último degrau Beto me empurrou ao cair na água os dois safados passaram descaradamente as mãos em minha virilha enquanto me “ajudavam”, ao conseguir levantar a cabeça vi todos “inclusive o filho da puta de meu esposo” rindo da brincadeira deles de me empurrar, naquele dia fomos dormir tarde de novo meu esposo me deixou na mão de novo, sábado foi dia de churrasco de novo por volta das 14 horas já havia bebido duas ices com Sonia e Flavio me traz uma caipirinha de vodka que Beto havia feito para todos, o safado estava fazendo de proposito como não podia recusar estava bem altinha o safado se insinuava piscava já por volta das 21 os solteiros foram curtir a noite Sonia e esposo foram dormir outra vez Flavio dormiu bêbado as 22 horas fiquei mexendo no celular quando recebo uma msg de zap que não estava na agenda quando vou ver é uma foto de Beto nu de pau duro no banheiro da piscina tirada mais cedo com os dizeres (saudades?) mandei ele se pôr no lugar dele porem ele foi falando que tinha saudades da adolescência etc... falando das chupadas nele e no amigo que eu estava gostosa demais e tal fui cedendo e dando papo o filho da puta estava com os dois amigos solteiros ao lado lendo as conversas sem que eu soubesse após algum tempo de papo e conseguir tirar de mim a seguinte frase (realmente foi bom mas foi coisa de adolescente acabou) ele pediu uma foto dos meus seios depois de muita insistência mandei uma, outra, já me tocava na cama enquanto conversávamos mandei outra foto dos seios para ele desliguei o zap para dormir, o safado queria provar para os amigos o que tinha ocorrido na adolescência e eu achei que eles estavam na rua mas estavam todos na piscina ele viram quando acendi a luz para ir no banheiro fazer xixi estava de camisola e lingerie branca quando saio do banheiro dou de cara com Beto que me agarrou num beijo ardente demais que durou uns 5 minutos passando as mãos por todo meu corpo até me desvencilhei dizendo que meu filho estava acordado no quarto jogando com o amigo ele segurou meus cabelos puxando minha cabeça um pouco para traz falando em tom forte enquanto passava a mão em minha calcinha encharcada (AMANHÃ POE SEU BIQUINI BRANC0) me soltou e completamente desnorteada vi ele virar de costas e sair com a mesma marra de sempre, mal dormi de tanto que minha buceta piscava era um misto de sensações e pensamentos quando acordei já passava das 11 pelo barulho já estavam todos bem animados fiquei pensando na cama uns minutos acabei me masturbando gostoso sem entender porque desci para o banho com o biquíni branco e uma saída branca de renda cheia de furinhos, Beto estava dando muitas bebidas para Flavio as 16 ele já estava muito alto mesmo Beto começou a fazer drinks Sonia e eu bebíamos nos divertíamos muitos com os rapazes, mas confesso que estava muito tensa entre as pernas, quando era em torno de 21 horas os dois amigos foram “dar umas voltas” o esposo de Sonia foi junto diante do fato de Sonia querer dormir “estava completamente bêbada” comentaram que iriam num bloco e voltavam depois das 3 Sonia bêbada não reclamou meu esposo completamente bêbado foi levado pelos amigos para o quarto, subi com Sonia ficamos papeando um pouco ela bêbada demais apagou, tinham 3 msg de Beto no zap olhei o quartos das crianças os dois já dormiam ao chegar em meu quarto vi meu esposo completamente bêbado então fui ler a msg onde Beto mandava eu descer tomar um banho e vestir uma camisola transparente e lingerie vermelha, não conseguia pensar com a cabeça minha buceta encharcou só de ler o filho da puta do meu marido que mal havia me comido porcamente na quinta apagado aliado aos drinks respondi perguntando pelos rapazes ele disse, só voltam depois das 3 são 22 ainda dá para te comer muito, arrogante fdp mais mandei um ok, desci tomei um banho passei um creme me vesti como ele mandou com uma lingerie sensual vermelha e camisola transparente, ao sair ele estava nu na sala, me olhou da cabeça aos pés se aproximou lentamente colocando sua mão por detrás de meu pescoço me beijou ardentemente se afastando um pouco falou “espera aqui puta” eu ia pedir algo ele ainda segurando meus cabelos me deu um tapa falando “CALA A BOCA PUTA” me puxou pelos cabelos me fazendo ficar de joelhos no carpete da sala subiu trancou as portas dos três quartos, voltou descendo a escada lentamente fazendo questão de mostrar aquela rola enorme e dura ao se aproximar mandou que chupasse eu perguntei se era seguro mesmo ele me deu outra tapa falando “CHUPA PUTA” já foi enviando a rola em minha boca enquanto segurava minha cabeça, aquela postura acabava comigo ele sabia que eu não resistia ser tratada daquele jeito o safado enviava quase tudo me fazendo engasgar e babar na rola toda, após uns minutos de chupadas ele me pois de quartos chupou minha buceta e bundinha ele enviava os dedos deixando-os lambuzados com minha gala e após mandava que eu chupasse meus dedos, ele puxou minha calcinha de lado me penetrou devagarinho enfiando somente a cabeça me fazendo delirar enquanto me dava os dedos molhados com minha gala para chupar, após algumas estocadas me fez ajoelhar de novo para chupa-lo e enquanto estava chupando senti algo duro encostar em minha bochecha ao virar de lado vi um de seus amigos de pau duro tentei levantar e Beto me puxando pelo cabelo inclinou meu rosto falando ao mesmo tempo que me dava outro tapa no rosto “CHUPA PUTA” de joelhos me fez chupar enquanto falava para o amigo aproveitar que eu era a puta de carnaval dele, fiquei uns minutos chupando os dois já não respondia por mim eles enfiavam até a goela me sufocando e me fazendo babar nas suas rolas quando ele fala de novo “podem chegar é minha puta eu deixo” ao virar de lado estavam o outro amigo e o esposo da Sonia já de paus para fora, todos eram bem servidos mas nenhum igual ao do Beto que além de grosso era grande, eles me rodearam enquanto chupava um outro batia em meu rosto com sua rola dura ou apertava meus seios ou metiam dedos em minha buceta encharcada até que após esse rodizio me deitaram na mesa da sala de barriga para cima tirando somente minha calcinha começaram um a um a meter em minha buceta, enquanto um me penetrava eu chupava dois e era chupada nos seios pelo outro um a um foram revezando e me arrombando nesse rodizio enquanto me chamavam de puta vadia e etc... Eles metiam e brincavam entre eles ovacionando Beto por ter mesmo dito a verdade davam tapas em minha bunda rosto apertavam meus seios faziam de gato e sapato depois de ter dois orgasmos muito intensos todos gozaram na minha cara e boca me enchendo de porra enquanto um gozava outro metia fundo me obrigando a gemar e engolir parte da porra depois que todos acabaram ficaram me olhando gemer baixinho deitada na mesa, o esposo de Sonia disse que iria subir os três me mandaram tomar um banho e ir para o quarto com deles, sem forças para questionar obedeci após um banho revigorante entrei nua no quarto onde todos nus me esperavam enquanto bebiam, Beto começou a elogiar a puta dele me mandou dançar após algum tempo dançando para eles me colocaram de quatro na cama Beto começou a chupar minha bundinha enquanto dedava minha buceta eu chupava os outros dois, após um pequeno rodizio senti algo gelado na bunda vi que jogavam um creme Beto começou a enfiar os dedos primeiro um depois dois após um tempinho começou a penetrar lentamente, enquanto ele penetrava eu gemia abafado por ter uma rola na boca eu fazia anal a tempos mas a falta de sexo aliada a rola menor de meu esposo eram completamente diferentes estava difícil de entrar quando a cabeça entrou ele parou uns instantes até que do nada ele meteu tudo me fazendo ir a lua e ter outro orgasmo intenso que quase me desfaleceu, ele começou a bombar e bombar com força dando vários tapas na minha bunda enquanto os outros riam da minha tortura mandavam chupar suas rolas davam tapas na minha cara me xingando de puta de cachorra até que ele tirou a camisinha e gozou em minha cara me chamando de vadia gostosa, mal ele saiu foi substituído por outro que meteu forte sem dó por minutos intermináveis depois tirou a camisinha e enfiou fundo em minha garganta me fazendo engasgar com sua porra, o terceiro me deitou de barriga para cima e meteu em minha bundinha com a mesma violência e quando foi gozar me colocou de joelhos e gozou nos meus olhos enchendo minha cara de porra ficaram me olhando por uns instantes e depois mandaram limpar seus paus já meio bomba enquanto era humilhada por eles totalmente gozada, estava totalmente arrombada exausta sem forças para nada me deram um banho me levaram para cima já eram quase três da manhã quando entraram em meu quarto Flavio dormia ainda brincaram comigo que não era para dar para o Flavio porque durante o carnaval eu seria puta só deles, Beto mandou que no dia seguinte quando descesse para me arrumar que era para deixar o quarto aberto que eles iriam escolher o que eu iria usar, eu perguntei como por causa do Flavio eles falaram que dariam um jeito nisso, nosso carnaval acabou domingo e desse domingo ao outro quando fomos embora eles fizeram de tudo comigo, conto no ultimo o fim.
                                

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto
foto avatar usuario Cariocaa
Por: Cariocaa
Codigo do conto: 16959
Votos: 1
Categoria: Traicao
Publicado em: 14/06/2019

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login

Mais contos desse usuario

Como voltei a ser a puta da adolescência

Como voltei a ser a puta da adolescência


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2020 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados