Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

No cutorar

Por: Plebeu - Categoria: Heterosexual

Boa tarde pessoal,quero esclarecer que todos os contos que eu venho postando aqui, são fictícios,eu tenho uma imaginação muito fértil,já conheci muitos lugares pelo Brasil e principalmente o povo tmb, muitas pessoas já me contaram suas aventuras sexuais,puladas de cerca principalmente,os últimos dois contos que publiquei, não foram realizados na prática por mim,eu crio simulações na minha mente e compartilho com vocês,para juntos viajarmos pelos contos e exitarmos tmb, acredito que a intenção de um conto erótico é para esse fim,claro boa escrita,boa ortografia e uma boa história,dá pra criar ótimos contos que nos levem a criar boas oportunidades,blz,nunca foi minha intenção constranger ninguém,meus contos são frutos da minha mente,mas provavelmente já tenha acontecido com alguém na vida real.

Pois bem,esse próximo conto vou relatar a história do Marcos,da Tânia e da Rita.Acontece que Marcos era um cara boa pinta, flamenguista mais vivendo no Estado de São Paulo a galera do serviço sempre zuava com a cara dele,ele é de cor branca, barriguinha saliente, porém educado e prestativo, não tenha ninguém que o bom moço não ajude,ele veio do interior do Rio de Janeiro pra trabalhar e morar na capital de São Paulo por convite de um amigo,e trabalhar numa loja de informática no centro,o dito amigo chamado Robson morava numa república (Dessas que moram só rapazes),claro o Marcos conseguiu um quarto só pra se,com cama de casal e tudo,o Robson já ficou grilado com a dona Tânia a proprietária,pois Robson mora num quarto com o Eduardo e os dois dormem numa beliche,só que tem um porém o quarto que o Marcos ia dormir ficava numa edícula mais o banheiro ficava fora da casa,pegado a seu quarto junto a um outro vazio, menor e precisando de pintura,claro as portas de ambos estavam bem judiadas,com flestas e rachadas,dona Tânia todo mês sempre prometia troca-las mais era sempre a boa e velha enrolação rsrs,a dona Tânia era uma mulata com dois filhos adolescentes e seu esposo era caminhoneiro, ambos eram crentes,o Marcos ha um tempo atrás até que visitou a igreja que a Tânia congrega,daí ele ter ganhado a simpatia dela,ela na época tinha seus 40 anos,pernuda e bunduda,seios do tamanho de peras, cabelo caracolado e olhos de sonsa, Marcos na intimidade de seu quarto,já batera várias punhetas pra Tânia,certa vez ele pegou uma saia dela fez um furo atrás,colocou a saia nas costas de uma cadeira de madeira e mandou a pica pra dentro, imaginando,comendo o rabo da senhora rsrs,seu amigo Robson parecia aqueles caras que ainda não se decidiu,se saia do armário ou não,Robson tinha 30 anos, Marcos 32, Marcos até já casará uma vez, mais o casamento só durou uns dois anos,ambos não tinham filhos, Marcos não se considerava charmoso mais se contentava por ter uma pica grossa a daquelas que duras colam no corpo com a cabeça da pica apontando pro umbigo,vira e mexe ele gosta de passar o ferro de roupas no seu quarto com a porta aberta,sem camisa e só de cueca box branca( imaginem a cena ) a pica bem saliente ( ele tem um post bem grande atrás da porta do seu quarto,com a foto ampliada da Andressa Urach no auge de suas putarias,ele de costas, passando a língua entre os dentes e seu rabao fenomenal engolindo um fio dental vermelho,qual homem resisteria a isso rsrs,e parece que a dona Tânia tem uma queda pelo Marcos, quando o moço está em casa, principalmente nas suas folgas,ela vai muito no quintal,varre o chão,lava o banheiro, Marcos até acredita que ela deve estar espionando pelas brechas da porta,por isso naquele dia ele tomou a decisão ( claro com o coração quase saindo pela goela rsrsrs) ele decidiu vê qual era a da dona Tânia ficar passando pelo seu quarto,será que ela queria algo a mais,do que estar falando de bíblia rsrs,e num deu outra,a casa tinha 6 quartos, dona Tânia morava numa outra casa,encostada pelo Quintal onde os rapazes moravam, tinha um corredor que dava acesso e um portão de grades velhas, que quando abrindo-o o bicho rangia rsrs,era a deixa pro Marcos tomar a coragem de estar com a porta do seu quarto aberta e de pica dura esperando a Tânia passar e vê,ele até acreditava que tudo poderia dar em merda, mais o tesão era enorme,ele estava decidido e de repente com o ranger do abrir do portão e com a pica de tão dura,quase saindo pra fora da cueca, Tânia aparece na porta do seu quarto com uma saia branca super colada na altura dos joelhos, uma camiseta preta com alguns dizeres bíblicos,a calcinha que a safada usava era com intenção clara de ser desejada,enfiada na bunda e de cor verde limão ( em segundos Marcos se lembrou da saia da Tânia,a mesma logo ali perto da porta,na cadeira ),a pica do moço não salta para fora,e ficou balançando pra cima e para baixo, é nítido que a Tânia percebeu, mais com um profissionalismo de dar inveja a muitas putas por aí,a descarada fingiu que Marcos estava vestido e com uma voz impecável ( sem gaguejar )veio lhe oferecer umas siriguelas ( pois o marido tinha chegado ontem a noite do nordeste e tinha trazido muitas frutas da região, inclusive a dita seriguela), Marcos é quem não tinha palavras para expressar tamanha generosidade,o dia estava bem quente,ele suava bicas,seu peito cabeludo ( não como Tony Ramos) estava brilhando de suor,daí a deixa pra estar só de cueca,ele meio gaguejando e tentando balbuciar alguma palavra,estica seu braço pra pegar a sacola,com as frutas, mais se foi intencional ou não por parte da Tânia,ela deixa cair as seriguelas aos pés de Marcos,este mais branco que a neve não esboça reação de apanhar a sacola ( claro a cabeça da pica estava brilhando,rígida feito ferro,o cheiro que inalava da rola no ambiente,era um convite,se dona Tânia quisesse mama-lo).Ela prontamente se abaixa,e ao levantar, propositalmente bate a ponta da sua cabeça na cabeça da pica dura do Marcos,por estar tão dura,ela sobe, mais ao descer não balanga como que quando se desprendeu da cueca,ela estava a poucos 30 centímetros do seu corpo,sorria ( devia estar orgulhosa dentro de se,por despertar tamanho tesão em homens ainda,na altura de seus 40 anos se achava bem madura pra alguém querer come-la e que não fosse seu marido) e perguntou a Marcos se ele ia sair hj a noite com o Robson,pra cinema talvez ou andar por aí,seu esposo mau chegou de viagem e já tinha que retornar ao Nordeste novamente,e provavelmente ia demorar mais dessa vez pra regressar a casa,no mínimo uns 40 dias ia passar por lá,seus filhos iam pra casa da irmã dela que mora no litoral,ela por fim tinha resolvido ficar em casa mesmo, mais até que procurava alguém pra conversar um pouco,nisso ela olha pra baixo,bem com os olhos focados na sua pica dura,leva sua mão ao seu saco peludo e aperta com força e puxa Marcos pelo tronco da pica dura e lhe confirma...
- Tânia,vc vai sair Marquinhos,eu vou ficar sozinha em casa.
-Marcos,na nnn não e é é acho que não,dona T...
Ela coloca o dedo na sua boca, pedindo silêncio,introdus o dedo indicador na boca do Marcos,se vira vai até a porta do quarto,olha para trás,pra ele,levanta a saia branca até os seios e lhe mostra aquela bunda carnuda e gulosa por pica...
- Tânia,sim era o que eu já esperava ( batendo com sua mão na carnuda nádega direita ).
Pra piorar a situação ela estava tirando a calcinha pra dá pra ele,nisso vindo lá dos fundos do corredor o marido da Tânia chama por ela,a mesma sai correndo em direção ao marido, Marcos instintivamente tem a reação de fechar a porta do quarto e nem dando tempo de raciocinar tudo o que tinha acontecido,ouve a voz do marido de Tânia ao pé da porta, perguntando a ela se Marcos se encontrava em no quarto, temendo que Marcos não tenha nem dado tempo de levantar ou cubrir a pica dura,pede pro marido brava, deixar o moço em Paz,e querendo saber o que ele queria com Marcos,ele explica na maior mansidão que Marcos tinha lhe dado um dinheiro pra trazer do Nordeste rapadura (pois Marcos adorava rapadura, quando criança conheceu o Nordeste tmb e se apaixonara pelo sabor docinho da guloseima),a Tânia pediu pra ele parar de bater na porta do coitado,devia estar exausto,lhe informando que deixasse em cima da mesa da cozinha, que amanhã entregaria pra ele ( ela super esperta,ali já passava das 17 horas e pra não dar conversa pra manga pro marido, entregaria no outro dia ) mais suas reais intenções claro,era ainda hj dá pra Marcos algo mais saboroso que a tal rapadura,foram pra sua casa,e mau Marcos se levanta do chão com a pica meio bomba tem o nome chamado pelo Robson do lado de fora,lhe convidando junto a dois amigos irem pra Bertioga ( esqueci de dizer,era época do carnaval).
Seria tão imprudente Marcos viajar pra Bertioga junto aos amigos e deixar na mão,dona Tânia que a pouco nunca lhe tinha passado na cabeça que ela era aquilo que foi ali no seu quarto,nem morto Marcos ia sair do seu quarto rsrsrs enquanto não comesse a dona Tânia,fruto de suas inúmeras punlhetas,e a cena de ter visto o rabo dela engolindo a calcinha verde,ele olha para a cadeira onde tmb estava a saia dela e deseja ao amigo boa diversão,dá muitas desculpas esfarrapadas a Robson,Nuno dessas até falou que ia pro cutorar com a dona Tânia e seu marido, Robson sai rindo alto,num sei se entendeu o trocadilho ou se estava acreditando que Robson tinha ficado lelé da cuca rsrs.
Com a barra limpa Marcos corre pro banheiro,toma banho,se arruma,vai na lojinha perto de sua casa,compra cervejas, várias camisinhas e até lubrificante, pensando em comer o cu da dona Tânia,no seu quarto esqueci de mencionar que tem um frigobar e uma mesinha com duas cadeiras,além de uma TV LCD e um aparelho de dvd,já são 20 horas e Marcos só de cueca e bem cheiroso,espera batidas na porta pelo lado de fora...toc toc TOC...

Continua.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto

foto avatar usuario Plebeu
Por: Plebeu
Codigo do conto: 15602
Votos: 0
Categoria: Heterosexual
Publicado em: 11/01/2019

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2019 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados