Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

o negão

Por: karente - Categoria: Cornos-Cuckold

    " Somos uma casal liberal, de mente aberta e adeptos do sexo amplo e irrestrito, apenas com restrições a homo, excessos e aberrações. Curtimos situações excitantes, exibicionismo e voyeurismo. Minha mulher, Marina, tem 32 anos, ruiva natural com sardas nos lugares certos, seios empinados e médios com mamilos grandes e protuberantes, olhos verdes brilhantes e cheios de tesão, coxas torneadas e cobertas por pêlos sedosos e loiros, uma xoxota peluda e ruiva , com grandes lábios e um clítoris avantajado (uns 2 cms.), enfim, um mulheraço de dar tesão em qualquer homem que se preste. Já experimentamos várias alternativas em nossa relação, já fomos a cinema pornô, onde sentamos perto de homens que se masturbavam, e Marina terminou o serviço para os caras, já transamos no carro, no estacionamento de um shopping, sabendo que estávamos sendo observados por um cara, e tantas coisas mais. Por algumas vezes curtimos sexo a três, convidando outro homem a partilhar nossa cama, mas desta vez quero relatar algo que foi simplesmente delicioso. Marina sempre teve o sonho de transar comum homem negro, mas que fosse algo especial, grande, forte e com um pau gigantesco. Até então tudo havia ficado no sonho, até que há 1 mês me lembrei de um colega de São Paulo que às vezes vinha ao Rio a trabalho. Ele é engenheiro em nossa empresa de petróleo e às vezes fica 2 meses em uma das plataformas da empresa trabalhando. Ele me ligou de Campos, onde estava há 2 meses no mar, e disse que estaria vindo ao Rio à tarde e seguiria para Sampa na manhã seguinte. Tive a grande idéia. O cara devia estar com um tesão enorme, 2 meses sem mulher... e era um negro de 1,90m, musculoso, 30 anos, e pelo que havia ouvido dizer, um pé de mesa. O convidei para jantar em casa. Avisei Marina e disse que chegaríamos lá pelas 16:00 hrs. e a ele disse para ir do aeroporto direto para lá. Marina não o conhecia, apenas dos meus relatos sobre nossa amizade que já dura 10 anos. Pouco antes do horário previsto liguei para ela dizendo que chegaria mais tarde, não antes das 19:00 hrs. pois estava em um cliente e que não havia conseguido avisar Bruno a tempo. Pedi que lhe desse atenção e que depois de minha chegada jantaríamos fora em algum lugar, e que ele poderia dormir no quarto de hóspedes. O que aconteceu depois é relato da Marina. Bruno chegou pouco depois das 16:00 horas e Marina ficou espantada ao ver o homão à sua frente. Como sempre, ela estava vestida com um de seus vestidos insinuantes, esvoaçantes, deixando suas formas deliciosas mais do que á mostra. Bruno parece que ficou sem fala, mas logo se recompôs. Marina então, sabendo que tinha bastante tempo disponível passou a jogar todo charme e encanto para cima de Bruno, que não resistiu por muito tempo ao saber do meu atraso. Depois de um drink, Marina descuidadamente deixou derramar um pouco da bebida na calça de Bruno, e imediatamente se pôs a enxugar o local. Mais perto do local de desejo era impossível, e o resultado foi imediato. Um volume enorme começou a se formar e ela então com um sorriso maroto abriu a braguilha dele e libertou o pau meio duro. Seus olhos se arregalaram, era descomunal, grosso e cabeçudo, e da cor de chocolate amargo. E como crescia... Quando ela passou a língua em toda a extensão, ela pode ter idéia do tamanho da coisa depois de totalmente duro. Pelo menos 22 cm. de carne dura e grossa. Marina tem muita experiência em chupar paus grandes e ainda assim teve certa dificuldade em enfiar aquele mastro na boca. Chupou, lambeu, enfiou as bolas na boca, deixou a cara doido, dizendo que estava 2 meses sem mulher e iria gozar logo. Era tudo o que ela queria neste momento. Bruno começou a gozar, jorrar imensas quantidades de porra em sua boca, era impossível engolir tudo, parte escorria dos 2 lados dos lábios, ela disse que deve ter sido quase um copo cheio. A cada gozada e homem estremecia e falava coisas safadas. " chupa sua vagabunda, lambe tudo, engole toda esta porra sua putinha deliciosa. Isto é só o começo, vou comer sua buceta, vou meter toda minha pica em você, deixá-la toda arregaçada..." Marina ficou fora de si, sentiu a xoxota toda melada e aberta, louca para receber aquele pau todinho. Arrancou o vestido e a calcinha, enquanto Bruno se despia. O pau do cara não parecia querer amolecer, estava duro qual uma pedra. Ela deitou de costas no tapete e Bruno, vendo sua buceta toda aberta e melada enfiou tudo de uma vez arrancando gritos de puro tesão da minha mulher. Começou um entra e sai frenético e depois de uns 10 minutos outro rio de esperma foi espalhado sobre seus pentelhos, sua barriga e seios. Ela havia gozado tanto que ficou como que sem sentidos por alguns minutos. Tomaram banho e enrolados em toalhas ficaram conversando um pouco. O tesão voltou e ela então disse a Bruno que desejava demais levar aquela coisa toda no cuzinho, mas que tinha medo, era grande demais. Bruno passou a lamber se cu de forma carinhosa, sem pressa e com os dedos foi lentamente alargando a entrada e preparando a penetração. Marina foi perdendo o medo, substituido por uma excitação incumum. Ele então passou gel no pau todo e colocou bastante em seu anus. Foi colocando bem devagar, no início Marina pensou que não entraria, mas procurou relaxar e logo em seguida, a cabeçona estava toda dentro. Aí foi só festa, ele enterrou até encostar os pêlos em sua bunda e ela teve o primeiro orgasmo desta nova seção. Ele então tirava até só deixar a cabeça dentro, e depois enfiava tudo novamente. Os dois estavam com tanto tesão que depois de minutos explodiram em gozos. Marina dizendo: "Me fode com essa vara, mete no meu cú, me arromba toda, sou sua putinha, me enche de pôrra". Foi o que ele fez, depois de tirar o pau, jorrou tudo em sua bunda e costas. Deve ter sido maravilhoso. Cheguei às 19:30 hrs. e os encontrei no sofá conversando. Fomos jantar e notei o clima de cumplicidade, mas ninguém tocou no assunto. Ao voltarmos, fomos para nosso quarto e Marina me relatou tudo, e acabamos trepando maravilhosamente naquela noite. Marina adormeceu como um anjo. Isto é que é curtir a vida. Quem tiver e quiser repassar relatos, fantasias ou experiência, escreva.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto

foto avatar usuario karente
Por: karente
Codigo do conto: 138
Votos: 0
Categoria: Cornos-Cuckold
Publicado em: 12/08/2002

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login

Mais contos desse usuario

karente

confiança de mais não presta!

A história da minha vida


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2019 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados