Logo casa dos contos
Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Realizado a fantasia

Por: MisterCorno25 - Categoria: Cornos-Cuckold

Sou casado há 20 anos com uma linda e deliciosa mulher chamada Paula, hoje com 39 anos, morena, 1,65 de altura,  cabelos longos, seios pequenos, porém com uma bunda daquelas de deixar qualquer homem maluco de tesão; há um tempo temos a fantasia de termos em nossa cama um outro homem, porém devido aos nossos cargos políticos em nossa cidade,  isso nunca passou de uma fantasia e também não queríamos um amante pago, queríamos um homem gentil e educado e eu e minha esposa fizemos um trato, quando Paula conhecesse esse homem e sendo tudo como queríamos aí "talvez" realizariamos nossa fantasia. Como não viajávamos fazia um bom tempo aproveitamos o carnaval para nos hospedarmos em um resort, bem longe da nossa cidade, chegamos no sábado de manhã e o resort estava bem cheio; fazia muito calor e resolvemos ir para a piscina, Paula colocou o seu biquíni azul, que biquíni é esse, me deixava louco ver aquela mulher vestida apenas com aquilo.- Você vai deixar os homens malucos hoje. Disse eu no seu ouvido, enquanto acariciava aquela bunda maravilhosa. Eu já estou de pau duro.- Hoje eu estou com muito tesão. Respondeu ela. Quem sabe não encontro o "cara" hoje.Essas palavras só aumentaram minha excitação, será que iria acontecer? Fomos para a piscina, que por sinal estava lotada, realmente vários homens passaram a "secar" minha esposa,  e como ela estava gostosa aquela manhã, ficamos ali conversando por um tempo até que resovi ir ao bar pegar uma caipirinha pra gente, como estava cheio demorei uns 15 minutos, quando volto me surpreendo ao ver de longe minha esposa em uma conversa animada com um homem, percebi logo que Paula estava gostando do papo, pois ria e principalmente passava constantemente as mãos nos cabelos, uma característica dela quando algo a deixava feliz, me aproximei bem devagar dos dois, enquanto analisava o novo "amigo" da minha esposa, deveria ter uns 35 anos, era alto com certeza, forte, bem moreno e com a cabeça completamente raspada, quando Paula me viu abriu um sorriso e disse:- Finalmente amor. O homem se virou para me ver chegando. Estava falando para o Carlos que você estava demorando.- Estava muito cheio. Dei o copo para ela e me sentei ao seu lado enquanto estendia a mão para o homem. Prazer sou o Maurício, você se chama Carlos é isso? - Isso. Respondeu ele com uma voz bem grave. Espero que não ache ruim de eu ter puxado conversa com sua esposa, é que é muito chato ficar sozinho em um lugar assim. - Ele é de São Paulo amor, é policial civil e está hospedado sozinho aqui. Falou Paula, percebi logo que algo estava diferente nela, Paula se interessara por aquele homem. Falei pra ele que você não era ciumento e não se importaria de conversamos. - Claro que não. Respondi.Me sentei ao lado dela e começamos a conversar, Carlos me contou que havia se separado à pouco tempo e que aproveitou o carnaval para descansar e tentar colocar as idéias em ordem, ele realmente tinha um papo interessante, ficamos lá conversando e bebendo até por volta das 15 horas, quando nosso "amigo" resolveu ir pro seu chalé, ficamos mais um pouco ali e depois fomos para o nosso também, dormimos um pouco e só acordei sentindo a boca macia, quente e úmida da minha esposa engolindo meu pau, enquanto me chupava Paula me olhava com aquele olhar de safada que me deixava louco, ela me chupava gostoso quase me fazendo gozar, foi aí que ela parou de chupar e foi beijando minha barriga, meu peito, até chegar a minha boca.- Amor. Sussurrou ela ao meu ouvido enquanto me masturbava. Tô doidinha pra dar pro Carlos. Nesse momento senti meu corpo se arrepiar todo. Você deixar amor?- Deixo, claro que deixo. Respondi já todo dominado pelo tesão. Mas eu não quero estar junto.- Quer que ele te faça corno amor? Sussurrava ela. Quer que ele meta gostoso na bucetinha da sua esposa? Paula foi acelerando a masturbação. Posso dar tudo pra ele amor? - Pode. Gemi. Agora senta no meu pau que eu quero gozar.- Não. Disse ela. Você só volta a comer minha buceta depois que o Carlos comer, como um bom corninho só vai comer depois que ele me arrobar, tá bom?- Taaaaaa! Gemi não aguentando mais e gozando na mão dela.- Isso corninho, goza gostoso pra mim.Quando acabei de gozar, Paula me beijou e foi tomar banho, não disse uma palavra sobre o assunto, fiquei sem saber se ela estava falando sério ou fantasiando, quando ela voltou para o quarto, só enrolada na toalha, me olhou fixamente e disse:- Estava falando sério, quero dar pra ele mesmo, e vai ser essa noite. Fiquei sem saber o que dizer. Cobinamos que se um dia isso acontecesse iríamos curtir juntos, você quer, não quer?- Sim. Respondi meio trêmulo.  Mas como?- Combinamos de jantarmos juntos hoje à noite, depois do jantar você diz que está com dor de cabeça e vem pro nosso chalé, o resto é comigo e com ele, você só vai me esperar voltar.Fiz que sim com a cabeça; enquanto Paula se preparava para o jantar fui tomar banho, sentimentos estranhos e conflitantes estavam dentro de mim, ciúmes, excitação, medo, como seria realmente ser corno, afinal uma coisa é fantasiar a outra é realmente viver essa fantasia, quando voltei ao quarto Paula estava linda e cheirosa, foi aí que percebi que não tinha mais o que eu fazer, ou eu aceitava e curtia a nossa fantasia ou seria corno do mesmo jeito, sem trocarmos uma palavra mais sobre o assunto me troquei e fomos para o restaurante encontrar o "amiguinho" da minha esposa; jantamos e conforme o combinado logo falei que estava com muita dor de cabeça, e que iria tomar um remédio e iria me deitar, disse pra Paula ficar mais um pouco e pedi para Carlos a levar até o chalé depois, fui para o nosso chalé e lá fiquei esperando pelo retorno da minha esposa, passaram 1, 2, 3, 4 horas até que ouvi a porta se abrir e Paula entrar, estava com um rosto de cansada, mas parecia feliz, se deitou do meu lado e me beijou.- Amor. Sussurrou ela ao meu ouvido. Nunca gozei tanto na minha vida, ele mete demais e não goza nunca, estou toda aberta. Meu pau endureceu na hora, ela então ergueu o vestido, estava sem calcinha,  veio por cima de mim e disse enquanto colocava meu pau na sua buceta. Agora é a vez do meu corninho comer minha buceta arrobada pelo Carlos. Enquanto ela rebolava com o meu pau dentro dela ia dizendo.- Amor ele me comeu de todos os jeitos, meteu gostoso na minha xota e me fez gozar até ficar com as pernas moles, chupei o pau dele também até ele gozar na minha boca. Nesse instante ela me beijou. Outro macho gozou na boca da sua mulher amor, me chamou de puta, de safada, vadia e ainda ficou com a minha calcinha e me mandou ir buscar hoje a noite, posso amor ir lá hoje também? - Claro. Respondi louco de tesão. - Isso meu corninho manso, hoje vou dar até o meu cuzinho pra ele, quero que ele meta muito em mim novamente.Não aguentei mais e gozei como um louco na buceta de Paula.- Isso amor goza gostoso, goza, goza na sua putinha goza.Nos abraçamos e adormecemos.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto

foto avatar usuario MisterCorno25
Por: MisterCorno25
Codigo do conto: 13318
Votos: 0
Categoria: Cornos-Cuckold
Publicado em: 29/11/2017

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2019 - CasaDosContos.com - Todos os direitos reservados