A viagem fantástica


BY: nmvicente
Olá, este é o meu primeiro conto. Espero que gostem.
Sou loura, 1,58 m, 53 kg muito bem distribuidos. Sempre chamei a atenção dos homens de um modo geral, desde a adolescência, e acho que isso me deixou um pouco exibicionista.
Eu estava em viagem pelo Paraná e me hospedei em um hotelzinho na cidade de Cambará. Na primeira noite que lá dormi, senti um tesão muito grande, porque já estava sem transar há uma semana. Pela manhã desci para a sala de café da manhã e ao entrar parei por um instante para observar o ambiente e me deparei com um moreno maravilhoso, que me olhava de maneira direta e indiscreta. Ele estava sentado, com outros dois homens e já estavam tomando café. Fui até o bufet e me servi de frutas e um suco. Percebi que os três me olhavam, mas o moreno era o que mais me encarava. Senti uma enorme atração por ele, e comecei a olhar também, enquanto rodeava a mesa, fazendo de conta que estava indecisa, mas eu queria mesmo era desfilar na frente dele. Eu estava com um vestidinho rodado, de saia longa e alcinhas, sem sutiem. O tecido fininho deixava ver bem os bicos dos seios, que nessas alturas estavam tesos e esticadinhos. Me dirigi a uma mesa na frente da dele, sentei e cruzei as pernas vagarosamente, deixando a saia escorregar pela coxa. Comecei a comer bem devagar, brincando com as frutas e olhando pra ele. Peguei um morango e coloquei a pontinha na boca. Lambi e dei uma chupadinha de leve,depois engoli. Ele sorriu e piscou pra mim. Ficamos fazendo aquela brincadeira sensual de comer e encarar o tempo todo. Minha xoxota pegava fogo e eu pensava como seria trepar com aquele macho maravilhoso. Descruzei as pernas, dei um jeitinho de puxar a calcinha de lado e mostrei a minha bucetinha pra ele, que não se fez de rogado. Levou a mão por baixo da mesa e tirou o pau de dentro das calças, balançando ele pra mim. Os amigos dele percebiam tudo e faziam comentários em voz baixa, sorrindo. Terminei o café e fui para o elevador. Quando a porta abriu eu senti que ele entrou junto, já me encoxando por trás, com o cacete enterrado no meu reguinho. Delícia demais. Perdi o juízo e agarrei ele ali mesmo no elevador. Nos beijamos, língua com língua e eu suguei a saliva dele, que era adocicada, gostosa demais. Paramos no meu andar e saímos do elevador praticamente engatados. Abri a porta do quarto e ele me empurrou para a parede, me prendendo os braços pra cima e encostou o corpo todo no meu. Podia sentir a vibração daquele cacete no meio das minhas pernas. Nos beijamos longamente e ele foi colocando amão por baixo do meu vestido e tirando minha calcinha. Me pegou no colo e colocou sentada em um móvel que estava na altura da cintura dele. Puxou uma cadeira, sentou e pegou minhas pernas colocando no espaldar, ficando assim com a cabeça na altura da minha buceta. Abriu bem minhas pernas e começou a fazer um maravilhoso jogo de sedução. Lambia ela todinha, depois ia correndo a língua pra frente até chegar no grelinho e chupava e dava umas mordidinhas deliciosas. Eu já não aguentava mais e gemia feito uma cadelinha no cio. Gozei na boca dele e foi muito tesão. Percebi que isso deixou ele mais tesudo ainda. Aí ele me puxou para a cama, me pôs sentada e ficou em pé na minha frente, dando na minha boca. Eu chupei, lambi e massageei com vontade. então ele me disse que estava apaixonado pela minha bundinha, que ficou louco quando eu desfilava e rebolava na frente dele. Fazia muito tempo que eu não fazia anal e tinha medo de doer. Peguei um potinho de creme, passei na palma da mão e lambuzei bem o cacete dele. Passei também um pouco no meu cuzinho e me coloquei de quatro na beira da cama. Ele veio se chegando, colocou a pontinha e esperou pela minha reação. Fiquei louca de tesão e resolvi ajudar abrindo a bunda com as duas mãos e empurrando na direção dele. Foi entrando bem devagar, com uma certa dificuldade, mas ele conseguiu enterrar todo aquele pau no meu cuzinho, que estava completamente tarado, pedindo mais e mais. Levei a mão pelo meio das pernas e apalpei as bolas dele, que estavam encostadas na minha bunda.Foi uma sensação doida de estar com o cu completamente preenchido. Comecei a masturbar a minha buceta, rebolando no pau dele. Ele me puxava pela cintura e beijava meus ombros, meu pescoço, e falava palavras de carinho e tesão no meu ouvido. Quando ia gozar ele falou assim: Toma minha porra nesse cú maravilhoso, mulher. Quero sentir ele me apertando todo até a última gota. Eu gemia e me contorcia toda. Senti que o meu cuzinho sugava ele, fazendo-o sentir como se estivesse sendo chupado. Gozamos juntos e eu senti que a porra ia até o meio das costas. Gozei duplamente, pelo cú e pela buceta ao mesmo tempo. Simplesmente fiquei viciada nesse moreno, com quem segui viagem e tivemos transas memoráveis





Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Trai meu marido com um cliente