Fantasia de transar com dois homens


BY: solemar
Olá, meu nome é Solange e, como essa história começou por aqui, decidir voltar e postar minha história também.
Eu sempre gostei muito de fazer sexo, mas minhas aventuras nunca passaram de algumas posições e locais mais exóticos.
Um dia, conversando com uma amiga sobre sexo(o que as mulheres mais falam quando estão sozinhas rsrs) ela me disse que tinha a fantasia de transar com dois homens. A princípio estranhei a idéia e disse que isso eu jamais faria e que, mesmo que eu quisesse, meu marido jamais aceitaria um outro homem na nossa relação. Pois bem, passaram-se alguns dias e uma certa noite eu estava sozinha em casa, pois meu marido joga bola com os amigos toda noite de quinta feira, e então comecei a navegar na internet. Quando passava por um site feminino desses qualquer, li uma matéria sobre fantasias sexuais onde algumas leitoras respondiam sobre qual foi a maior fantasia que já haviam realizado. Li algumas e uma me chamou a atenção. Era de uma mulher casada que dizia que havia transado com o marido e um desconhecido. Não tinha detalhes do conto, mas fiquei curiosa pelo assunto e por isso decidi pesquisar. Entrei no Google e busquei “contos eróticos – transa com dois homens”.... Apareceram diversos sites com vários contos. Lí três que confesso, foram mal escritos e por isso não me chamaram a atenção, mas quanto entrei em mais um, encontrei um ótimo. Era de um marido contava como tinha sido sua experiência inicial no ménage com sua esposa. A riqueza de detalhes era impressionante e eu fiquei extremamente excitada. Enquanto lia, comecei a me masturbar lentamente me imaginando no lugar dela...eu enlouqueci....sentia muito tesão e a todo momento segurava o orgasmo para continuar sentindo aquilo tudopor mais alguns instantes. Perdi a noção do tempo com aquele clima e acabei sendo surpreendida pelo carro do meu marido que entrava na garagem de casa. Fiquei triste por não ter gozado no final, fechei o notebook e aumentei o volume da TV até que ele entrasse. Agi como se nada tivesse acontecido.
Ele chegou, entrou no quarto e me beijou. Começou a tirar a roupa ali mesmo e foi conversando comigo até o banheiro, ele deixou a porta aberta e confesso que assim que comecei a olhar para ele, todo molhado, alisando seu próprio corpo, parei de ouvir o que dizia e minha mente começou a viajar na história que acabava de ler. O meu tesão foi aumentando e eu não via a hora dele sair do banho para convencê-lo a transar comigo imediatamente.
Foi ai que tomei a iniciativa de rapidamente tirar a camisa de dormir que vestia e substituir por um babydoll que sei que ele adora e que sabe que quando visto é porque estou querendo! Rsrsrs... Vesti e deitei com o bumbum para cima na cama e esperei. Pronto! Caiu na rede! Ao sair e me ver daquele jeito, ele terminou de se secar e nem vestiu a roupa, foi subindo pela cama me acariciando e passando sua boca em mim até chegar na minha nuca....eu comecei a rebolar e me esfregar no pau dele, que estava bem duro.... ele sussurrou no meu ouvido: O que aconteceu? De onde vem esse tesão todo? Aquilo me deixou ainda mais louca! Comecei a lembrar do conto, da fantasia de ter dois homens, fiquei muito mais excitada, mas não tive coragem de dizer pra ele. Me virei e começamos nos beijar. Ele desceu e começou a chupar meus seios, suas mãos me acariciavam e ele foi descendo até minha buceta. Ele começou a alisar levemente por cima da calcinha, ela estava muito molhada...sem parar de me chupar, ele foi deixando os dedos entrarem pela lateral da calcinha e eu comecei a gemer muito mais alto - eu estava alucinada - na minha mente, imaginava que ele estava me chupando e que havia outro mexendo na minha buceta. Ele não é bobo, percebeu que eu estava diferente e então me pareceu que ele ficou ainda mais safado do já é. Começou a falar besteiras e a explorar ainda mais meu corpo... Ele foi descendo com a boca e ficou ameaçando chupar a minha buceta, mas sempre que encostava a língua nela ele recuava e isso aumentava minha agonia. Ele começou a colocar o dedo dentro de mim e alternar com a língua...estava muito gostoso, ele começou a entrar e sair com o dedo e quando me dei conta, ele já havia colocado 4 dedos dentro de mim e mexia rapidamente... Sem tirar a mão de dentro ele veio para o meu lado e me deu seu pau para eu chupar - eu estava como uma puta no cio- chupava ele e ele socava a mão cada vez mais forte em mim... Ele me perguntou se eu estava gostando... fiz um “uhum” com o pau dele inteiro na boca e olhando nos olhos dele, e como se ele soubesse o que se passava na minha cabeça, falou: Parece que tem dois! Um te comendo e outro para você chupar! Naquele momento eu senti tesão, desejo, vontade de gritar... Comecei e gemer ainda mais alto e disse que gozaria... Ele começou a me chamar de puta e mandar eu gozar... Eu chupava e gemia e ele com a mão em mim... até que eu gozei... gozei tanto que parecia que não pararia mais....eu nunca havia sentido aquilo...ele foi ficando em silêncio e diminuindo as estocadas com a mão e aos poucos deixando ela sair. Quando ele tirou a mão, ela estava completamente encharcada. Ele me olhava com uma cara de safado que nunca havia feito e em silêncio, deitou ao meu lado esperando eu recuperar o fôlego e assim que recuperei começamos novamente para que ele pudesse me penetrar e gozar! Terminamos e fomos dormir. No dia seguinte, tudo foi normal e, como sempre, cheguei em casa primeiro que ele. Às sextas feiras nós não fazemos jantar e sempre saímos ou pedimos algo para comer em casa, então comecei a ajeitar algumas coisas até que ele chegasse.
Por volta das 21h30 ele chegou. Me beijou como sempre e colocou sua bolsa e duas sacolas no sofá. Disse que se eu quisesse poderia pedir comida japonesa para comermos em casa e assim eu fiz.
Depois de tomarmos um banho rápido, ele me pediu para vestir o mesmo babydoll que estava ontem e me olhou com cara de tarado! Rsrs Eu não questionei e vesti! Ele ficou de cueca e roupão após o banho. Quando a comida chegou, jantamos e fomos para a sala. Ficamos conversando sobre o dia até que ele foi até a cozinha e pegou uma das sacolas que havia trazido. Era um saquê! Ele fez uma caipirinha de morango e trouxe duas taças. Começamos a beber um pouco.... Depois de uns dez minutos do primeiro gole ele virou do nada e me perguntou: E ontem? Você ainda não me disse de onde veio todo aquele tesão! Eu me surpreendi com a pergunta súbita, mas respondi que não veio de lugar nenhum, que apenas estava excitada. Ele aceitou a resposta mesmo que visivelmente não tenha acreditado em mim! Continuamos tomando a caipirinha e ele foi se chegando mais. Nossos beijos começaram a ficar mais intensos... Ainda estávamos no sofá então ele desligou a TV e colocou uma música suave para tocar As carícias foram aumentando e ele tirou o roupão. Ele estava de cueca boxer preta, dava pra ver como seu pau estava duro. Ele não tem um pau imenso, mas é acima da média e muito, mas muito gostoso. Começamos a nos curtir até que ele levantou e parou de pé na minha frente, eu estava sentada de frente para ele, fui beijando sua barriga e acariciando suas pernas... fui tirando lentamente sua cueca...seu pau veio direto no meu rosto. Comecei a chupar bem devagar. Ele foi pegando no meu cabelo e puxando com força e depois de alguns instantes ele me empurrou para trás, tirou minha roupa e começou a me chupar. Estava delicioso e ele repetiu a iniciativa de ontem e voltou a colocar os dedos em mim. Eu estava adorando aquilo...
Mas ele parou de repente e pediu que eu esperasse, ele foi até o quarto e voltou com um colchão de solteiro, colocou no chão da sala e pediu que eu deitasse nele. Deitei e ele voltou até a cozinha. Ouvi barulho de plásticos e ele disse de lá: Feche os olhos!
Quando fechei os olhos, ouvi os passos dele se aproximando.Eu não tinha idéia do que estava acontecendo, mas estava com muito tesão. Ele deitou no meio das minhas pernas e começou a me chupar. Chupava delicadamente e uma de suas mãos me acariciavam os seios. Quando eu já estava pra lá de excitada ele mandou que eu novamente fechasse os olhos e ao voltar a me chupar senti algo diferente na minha buceta, era duro. Aos poucos aquilo foi entrando em mim e ai pude perceber que era um consolo desses que imitam um pênis de verdade Estava delicioso e comecei a gemer e rebolar. Ele perguntou se estava gostoso e eu respondi que sim. Aos poucos ele foi mudando de posição e vindo para cima. Ele começou a chupar meus seios e puxou minha mão até onde o consolo estava. Quando toquei nele ele me disse: Faz você!
Estávamos loucos de tesão. Comecei a masturbar com aquilo enquanto ele me chupava e passava as mãos por todo meu corpo. Eu estava prestes a gozar quando ele pediu que eu o chupasse. Virei de lado para chupá-lo e ele voltou a controlar o consolo. Ele ia alternando a velocidade e a força. Eu não agüentava mais e falei que iria gozar, mas ele pediu que eu esperasse.
Então ele levantou, foi até a cozinha e voltou com uma cadeira. Ele colocou o consolo na cadeira e mandou que eu sentasse. Eu já não pensava em mais nada e só obedecia. Ele estava muito sacana e visivelmente excitado com tudo aquilo, assim como eu!
Quando sentei, comecei a rebolar e a sentir muito tesão com tudo aquilo. Ele me olhava com cara de prazer e foi chegando em minha frente se oferecendo para eu chupar.Comecei a chupar com muita vontade. Ele começou a gemer e a rebolar como se estivesse fodendo minha boca. Eu comecei a masturbá-lo e a chupar ao mesmo tempo. Ele estava louco e eu também. Foi quando para minha surpresa ele me disse: Você não estava com vontade de sentir dois? Agora sente! Um te comendo e outro pra você chupar! Vai se acostumando que quem sabe um dia não fazemos com alguém de verdade!
Aquilo me fez ter múltiplos orgasmos. Comecei a gemer e gozar como louca e ele começou a perguntar se era isso que eu queria e eu já sem pensar em mais nada dizia que sim. Que queria muito! Ele começou a gozar em mim. Continuei masturbando e ele jorrava porra sobre mim. Fiquei completamente lambuzada, por dentro e por fora. Eu gozei junto com ele. Estava mole. Minhas pernas tremiam e ele me ajudou a sair da cadeira e a voltar ao colchão no chão. Deitei e ele ficou jogado no sofá. Depois de alguns minutos de êxtase total, nos olhamos e fomos tomar banho juntos. Nos beijávamos muito e só voltamos a falar no assunto quando deitamos na nossa cama.
A conversa na cama foi direta apesar de rolar um clima de vergonha...
Ele me perguntou se eu estava com a fantasia de ter mais alguém na cama. Eu pensei uma fração de segundos antes de responder e disse: Não! Não exatamente! Rsrs . Ele sorriu e disse que eu não precisava mentir e que poderia falar abertamente. Ai eu contei de toda conversa com minha amiga, da reportagem que li e do conto que encontrei sobre o tema e disse que de alguma forma aquilo havia me excitado bastante, mas que não pensava nisso como algo possível ou realizável. Ele aceitou a reposta, mas disse que ficou curioso para ler o tal conto. Falei que outro dia eu procuraria para ele, mas que já estava tarde e precisávamos dormir.
No dia seguinte eu estava na dúvida sobre o que pensar. Se era certo eu continuar a conversa sobre esse assunto, se era um teste dele em relação a mim, entre outras dúvidas.
Mas para acabar de vez com parte dos meus receios, por volta das 14h eu recebi uma mensagem no celular. Era dele e dizia: Amor, separa aquela história para nós lermos juntos! Estou curioso e confesso que animado! Eu fiquei animada com a iniciativa dele e sinceramente já não sabia mais onde tudo isso ia parar.
Separei a história e esperei ele chegar. Ele entrou, me beijou e foi tomar banho. Quando saiu, eu estava na sala e o notebook estava estrategicamente à frente da TV. Ele veio, sentou-se ao meu lado e ao ver o Not, levantou e pegou me dizendo: Já separou nossa historinha? Eu sorri e disse: Você cismou com esse assunto, mas separei sim. Liga o notebook.
Coloquei na página e sai para deixar ele ler sozinho. Depois de uns minutos eu voltei
Ele me olhou como se fosse me devorar... Estava com a mão sobre o seu pau e ao me ver apertou forte e disse: Olha isso como ficou! Eu acho que quero experimentar isso! Topa?
Eu não consegui responder, dei um sorriso e soltei um “ah tá”... Ele insistiu e disse que estava falando sério. Eu disse que não tinha cabimento aquilo, que fantasiar é uma coisa, mas colocar outra pessoa na nossa relação era bem diferente.
Ficamos mais uns minutos conversando sobre o assunto e ele disse para eu pensar sério a respeito e pensar inclusive em quem eu gostaria de convidar ou se preferia um desconhecido. Eu sorri e nada mais respondi.
Os dias foram se passando e vez ou outra ele me indagava a respeito dos meus pensamentos em relação ao que ele passou a chamar de “aquilo” rsrs Eu dizia que estava pensando e que uma hora eu chegaria a uma conclusão.
Nosso sexo ficou ainda melhor depois que essa história entrou na nossa relação. Transávamos com muita vontade e parecia que ele ia me devorar e eu com meus pensamentos estava cada vez mais convencida de que queria muito viver essa experiência.
Depois de quase um ano do início de tudo, num belo domingo, ele virou para mim e disse: Amor, eu quero muito fazer aquilo. Decide agora, você quer? Eu falo sério?
Vi que não poderia mais me esquivar da resposta então disse: Que tinha muito medo do depois, mas que confessava que estava muito excitada e com muita vontade de experimentar. Me senti muito aliviada por falar abertamente e percebi que ele estava muito consciente do que queria. Ele me acalmou e disse que era uma fantasia e que não tinha nada demais tentar. Se não fosse bom, esqueceríamos o caso e ficaria apenas a experiência. Concordei e a partir daí passamos a pensar juntos em quem poderia nos ajudar a realizar tudo isso.
Foi muito engraçado e nós riamos muito com alguns nomes citados por ambos. Alguns a gente achava até que seria legal, mas logo descartávamos por critérios como: Sigilo, confiabilidade e chance de aceitar o convite por parte dele.
Começamos a pensar também eu um desconhecido, mas como seria muito difícil conciliar o momento certo, pessoa certa, local certo, cogitamos procurar um garoto de programa. Entramos em vários sites e separamos alguns “candidatos” para futura avaliação. Rsrs Era estranho, mas muito excitante ficar olhando aquelas fotos de homens nus, paus de todos os tamanhos e formas ao lado do meu marido. O tempo passou e nada de chegarmos à uma decisão. Até que numa daquelas quintas de futebol ele me ligou muito ansioso e começou a falar apressadamente: Amor, escuta bem e presta atenção, eu cheguei cedo na quadra e só estava eu e o Felipe (Amigo dele da época de escola, mas que vez ou outra aparecia para jogar com eles). Ficamos conversando algumas coisas e de repente a conversa caiu em sexo. Ele me contou que havia ido com outro amigo em uma festa de aniversário que foi dentro de uma casa de swing. Fui conversando com ele e ele disse que apesar de não ter rolado nada ele havia gostado muito do clima e que estava com vontade de voltar lá um dia. Eu incentivei ele e disse que deveria ser bacana mesmo. E que ele estava me ligando porque a conversa havia sido interrompida pelos amigos que estavam chegando. Em seguida ele me disse: Amor, pensei em convidar o Felipe para aquilo! O que você acha? Na hora eu senti um tremor. Apesar de estarmos conversando há tanto tempo sobre isso, nunca havia chegado tão perto de alguém real. Tomei coragem e disse que ele era legal e parecia discreto, mas que era bom tomar cuidado e sondar bem antes de falar com ele.
Ao chegar em casa ele estava alucinado. Tomou banho e veio pra cima de mim. Pegamos o consolo e no meio da transa começamos a falar no Felipe. Ele pedia para eu fechar os olhos e imaginar que era para ele que eu estava dando, pedia para eu chupá-lo e demonstrar o que faria com o pau do Felipe. Não vou alongar muito essa parte, mas posso dizer que gozei muito e que foi delicioso fantasiar abertamente com outra pessoa com meu marido junto.
O Felipe é novo, deve ter uns 27 anos, branco, queimado de sol, cabelo sempre bem cortado a máquina. É o tipo gostosinho. Rsrs
Passadas mais quatro semanas sem que meu marido conseguisse um momento propício para a abordagem ele me disse que havia feito um plano e que iria ver se daria certo.
Ele ligou para o Felipe e disse que estava perto do seu trabalho e perguntou se ele iria ao jogo, ele respondeu que sim e nisso, meu marido ofereceu carona que ele aceitou tranquilamente. Enquanto ele esperava o Felipe descer, ele me mandou uma mensagem dizendo que era para eu ligar no celular dele em 30 minutos e que prestasse atenção no que ele diria. Eu até então, não sabia onde e nem o que ele estava fazendo então esperei os 30 minutos e liguei. Ele atendeu de forma diferente e disse: E ai, meu rei, beleza? O quê? Ah... que pena...não esquenta... eu já estava indo pra quadra e passei pra pegar o Felipão que está aqui comigo no carro. Relaxa, semana que vem tem mais. E Desligou o telefone! Entendi o recado. Ele estava com Felipe e falaria com ele. Meu coração disparou e fiquei tensa imaginando o que faríamos caso ele recusasse. Como ficaria depois? E se ele aceitasse? Como seria?
Meu marido me contou que assim que desligou o telefone, disse que o jogo havia sido cancelado porque não teria gente suficiente na quadra. O Felipe lamentou e disse que poderia ficar na estação de metrô mais próxima e que iria pra casa. Meu marido então disse: Que nada, vamos lá em casa? Faz tempo que você não aparece por lá. Eu ligo pra Sol e peço pra ela preparar uns comes e bebes para nós e depois eu te deixeo em casa. Ao receber o sim como resposta, ele me ligou. Amor, o jogo foi cancelado e eu estou com o Felipe aqui comigo. Você pode preparar umas coisinhas para nós comermos e bater papo? Já estamos chegando... Eu não sabia o que falar... Falei que ele estava louco e que não faria nada e que era para ele desistir daquilo tudo. Ele disse do outro lado que era para eu relaxar e que não precisava caprichar... Era só umas coisinhas para forrar o estômago e bater papo. Entendi que eles viriam de qualquer forma então corri para adiantar o que ele pediu. Separei uns patês, bolachas, salgadinhos e sempre temos cerveja, batidas e outras bebidas quentes em casa, então assim que adiantei as coisas, corri para tomar um banho e trocar de roupa. Assim que saí do banho, escutei eles entrarem em casa. Meu marido gritou por mim e respondi que estava no quarto. Ele pediu que Felipe sentasse e veio ao meu encontro. Ele estava com uma baita cara de safado e disse que era para eu relaxar que hoje nós apenas sondaríamos e tentaríamos quebrar o gelo. Isso me deixou mais calma e então aceitei entrar no jogo. Ele pediu eu colocasse um short sexy sem ser vulgar e uma blusinha mais solta, eu ri e disse que ele estava muito folgado e que eu que decidiria o que vestir. Ele sorriu e desceu para a sala. Eu me preparei, passei um creme perfumado no corpo e desci ao encontro deles. Eu sentia muito frio na barriga, mas estava gostoso o clima todo. Quando eu apontei na escada eles viraram para mim e foram acompanhando minha descida. Fui até o Felipe e o abracei para cumprimentá-lo. Senti um certo desejo por ele, já não sei se por ele ou por todos os planos envolvidos. Sentamos e começamos a conversar, comer e beber. Meu marido colocou um CD para tocar e assim foi passando o tempo.
Quando estávamos bem soltos e num momento de pausa na conversa, meu marido aproveitou a deixa e perguntou: Felipe, e aquela história da casa de swing? Você conseguiu voltar lá como queria? Percebi que o Felipe ficou sem graça de entrar no assunto na minha presença então disse para ele não ligar para mim, que podia falar. Então ele disse que tinha sido muito legal, mas que ainda não havia tido a chance de voltar lá. Tomei coragem e perguntei se ele teria coragem de participar, ele respondeu que não sabia se teria coragem, mas vontade e curiosidade ele tinha sim. Nesse momento meu marido se vira pra mim e diz: E você amor, teria coragem? Perdi a cor nessa hora. O Felipe pegou o copo de cerveja da mesa começou a beber, como se quisesse se esconder atrás do copo. Eu entendi onde ele queria chegar então tentei responder de uma forma que deixasse no ar e disse: Nunca pensei a respeito, mas acho que se tivesse no clima, quem sabe? E você? Devolvi a pergunta. Meu marido disse que teria coragem e que se quiséssemos poderíamos marcar de um dia irmos juntos. O Felipe riu e disse que teria vergonha de ir comigo. Respondi que isso era besteira e sentindo o clima esquentar, meu marido me puxou para ele e disse: Então o que acha de tirarmos essa vergonha hoje, assim não teremos problema. E me beijou! Durante o beijo ele foi me puxando para cima dele e logo em seguida eu já estava sentada no colo dele. Como meu short era de um tecido molinho, ele deu uma subida, deixando aparecer a poupa da minha bunda. Continuei beijando meu marido, que eu já podia sentir, estava de pau duro. Com uma rápida olhada de canto, pude ver que o Felipe estava me olhando e num momento, ajeitou a calça como se arrumasse espaço para ele crescer.
Meu marido interrompeu o beijo e sem me tirar de cima, olhou pro Felipe e disse: Felipão: Você não é moleque, confio em você! Relaxa e se tiver afim deixa rolar! Fique tensa nos segundo de silêncio que se fez até que o Felipe disse: Vocês têm certeza? Confesso que com vontade eu estou. Nesse momento, meu marido me tirou de cima e me levou até ele. Ele estava sentado então meu marido me virou de costas para o Felipe e voltou a me beijar Aos poucos ele foi me empurrando para trás para que eu sentasse no colo dele eassim que sentei, o Felipe afastou meu cabelo e começou a beijar meu pescoço. Meu marido começou a se despir e ficou só de cueca na minha frente. Nesse momento, as mão do Felipe acariciavam meus seios e eu já não controlava mais tanto tesão. Meu marido segurou minha mão e levou até seu pau que estava duro como nunca tinha visto. Comecei a punhetar, mas logo senti muita vontade de chupar. Me inclinei para frente e quando pus a boca, senti que o Felipe aproveitou para tirar a camisa. Vendo aquilo, meu marido me tirou de cima dele e me fez ajoelhar no chão para continuar chupando. Aproveitando a deixa, o Felipe levantou e começou a tirar o restante da sua roupa ficando só de cueca. Ao ver que ele tinha tirado tudo, meu marido chamou ele para perto e ao vê-lo ali parado ao lado, continuei chupando meu marido e com a outra mão, abaixei a cueca do Felipe. O pau dele estava muito duro, era menor que o do meu marido, mas era gostoso. Fui punhetando o Felipe até que meu marido tirou o dele e disse vai lá! Não pensei duas vezes e comecei a chupar o Felipe com muita vontade. Ele segurava meu cabelo e meu marido se posicionou ou atrás de mim e começou a beijas minhas costas. Eu estava totalmente excitada. Eu queria muito senti-los dentro de mim. Meu marido saiu e me deixou ali com ele na boca. Quando voltou, trazia o colchão de solteiro que usamos nas nossas imaginações. Ele jogou o colchão no chão e pediu que eu deitasse nele. Quando me levantei para ir até ele, ele parou em minha frente e disse: Mas sem isso! E foi tirando minha blusa. Confesso que nessa hora senti um pouco de vergonha, mas que logo passou.
Deitei e imediatamente ele tirou meu short. Ele veio para o meu lado e começou a chupar meus seios. Eu fechei os olhos e deixei acontecer. O Felipe ficou em pé ao lado de nós se masturbando deliciosamente. A gente não falava mais nada, apenas os gemidos eram ouvidos. Meu marido começou a descer até a minha buceta. Ele foi tirando minha calcinha e assim que tirou totalmente, ele falou pro Felipe ficar a vontade que eu era toda deles. Rsrs
Ao ouvir isso, o Felipe veio direto e começou a chupar meu seios. Eu sentia o tamanho da vontade dele pela forma com que ele me chupava, era intenso, com força. Ele foi subindo pelo meu pescoço e começou a passar a língua na minha orelha. Ele foi fazendo o caminho de volta mas ai me surpreendeu com um beijo na boca! Eu adorei a surpresa e o beijo estava delicioso, mas não sabia qual seria a reação do meu marido àquela cena. Assim que terminou, pude ver que ele não havia se abalado e continuava me chupando deliciosamente. A partir daí, não tivemos mais receios. A cada movimento, uma sensação nova e alucinante. Depois de muito tempo chupando e sendo chupada pelos dois, meu marido pediu que o Felipe sentasse no sofá. Ele foi imediatamente então ele disse para eu cavalgar com vontade. Quando senti o pau do Felipe entrando em mim, era como se fosse a minha primeira transa. Senti cada pedacinho dele me penetrando e sentia cada pulsada que seu pau dava. Quando entrou todo, comecei a rebolar intensamente. Ele acariciava e chupava meus seios e meu marido ficou por alguns instantes, apenas observando tudo. Era claro que ele estava com muito tesão de ver sua mulher cavalgando em outro na sua frente. No meio da minha cavalgada, o Felipe me pegou pelos cabelos e me beijou. Dessa vez eu não pensei em nada e retribui da melhor forma que já fiz. Seu beijo era quente, molhado. Sua boca era carnuda e eu sentia muito desejo no seu beijo. Parei e sai de cima dele. Fique de quatro no sofá e chamei meu marido para me pegar por trás. Agora era a vez do Felipe olhar. Que delicia. Eu sentia meu marido me comendo com força e ao mesmo tempo olhava pro Felipe ali do meu lado, sem roupa, com o pau duro e se masturbando olhando pra mim. Fomos alternando posições e hora eu chupava um enquanto outro me comia, depois invertia e assim fizemos diversas posições até que meu marido sugeriu uma dupla penetração. Eu não gostei muito da idéia já que tinha feito poucas vezes e nunca gostei muito de sexo anal. Preferi sentar no meu marido e deixar o Anal para o Felipe, que tinha o pau pouca coisa menor. Comecei a cavalgar no meu marido para esperar o Felipe. Quando ele apontou o pau, senti uma dorzinha e estava difícil arrumar a posição para ficar com os dois dentro de mim, assim, depois de algumas tentativas, desistimos da idéia e meu marido disse: Deixa prá lá, isso fica pra próxima! Nós três rimos da frase e continuamos a ralação. Ficamos mais cerca de uma hora transando até que meu marido disse que não agüentava mais e que iria gozar. Pedi que o Felipe gozasse junto com a gente. Eu estava deitada de frango assado e meu marido me comendo. O Felipe veio do meu lado e pediu que eu o chupasse. Comecei a chupar, mas falei que não era para ele gozar na minha boca. Ele acenou concordando com a cabeça. Meu marido disse que gozaria a hora que ele quisesse, então ele tirou o pau da minha boca a começou a se masturbar intensamente. Depois de um minuto ele disse que iria gozar. Meu marido aumentou o ritmo e começou a me chamar de puta e dizer para eu aproveitar bem. Logo em seguida o Felipe começou a gozar em mim. Ele ia direcionando tudo para os meus seios e meu marido começou a gozar também. Sentia os jatos saindo de dentro dele e vindo pra mim. Quando os dois terminaram, levantaram do colchão e sentaram no sofá, exaustos. Eu continuei por uns dez minutos ali, deitada, nua, completamente realizada sexualmente. Depois, o Felipe perguntou se poderia tomar um banho, sorrimos e dissemos que sim. Meu marido o conduziu até o chuveiro enquanto eu fui buscar uma toalha. Conversamos um pouco e nos revezamos no banho. Foi delicioso ver aquele dois homens se banhando na minha frente e depois tomar banho com eles me olhando, sem pudores.
Depois nos vestimos, conversamos um pouco e meu marido foi levar o Felipe até o Metrô. Na saída, Felipe se despediu de mim com um beijo no rosto, o que me deixou mais tranqüila quanto ao fato dele entender que cada coisa no seu lugar.
Meu marido voltou e nós passamos a noite relembrando os melhores momentos e acabamos transando novamente, mas claro que com bem menos intensidade. Nunca mais fizemos isso, mas as vezes conversamos a respeito de repetir a dose e a dúvida fica sempre em se devemos trocar de pessoa ou continuar com o Felipe.





Comentarios
Maravilhoso, parabéns pela esposa deliciosa, cúmplice e safadinha. Fiquei imaginando minha esposa no lugar da sua. Comentado por:CasalJBeAny em 21/08/2015 08:57
Linda e delicadamente excitante a dona deste conto. Somos fã nº1 Comentado por:casadosbh31 em 14/09/2015 07:14
Parabéns pelo conto, com certeza foi o conto mais excitante que já lemos!! Comentado por:Junior27 em 16/09/2016 08:50
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

 


Próximo Conto

Meu pai está me querendo