DRA VALERIA A VETERINÁRIA CADELA - PARTE I


BY: dravaleria
Me chamo Valéria, tenho 20 anos, 1.65 m, 52 Kg, morena, olhos verdes, meu corpo é sensacional, tenho pernas grossas e um bumbum largo e gostoso, seios médios e durinhos, faço faculdade de veterinária, sou muito estudiosa, gosto muito de animais, pretendo seguir carreira e fazer doutorado em veterinária.
Consegui um estágio em uma clinica veterinária, no qual me ajudara muito em meus estudos, iria começar em uma semana, precisaria estudar muito, não tinha nenhuma experiência com animais, somente teorica, fui para internet pesquisar sobre tudo, existem vários sites sobre   o assunto, mas em um desses sites li sobre zoofilia, amos excessivo por animais, fotos e videos de mulheres sendo enrabadas por cachorros, cavalos, como pode essas mulheres terem gosto por animais, deixei pra lá, nem dei bola.
Bem chegou o dia do inicio de meu estágio, estava ansiosa, me produzi todinha, coloquei uma tanguinha branca que ficava bem enfiadinha no meu rego deixando meu enorme bumbum de fora, coloquei uma calça corsario bem coladinha e tambem um blusinha branca, não uso sutiã, pois não preciso, tenho peitinhos bem durinhos, dava pra ver os biquinhos escuros salientados na blusinha.
Quando cheguei na clinica me apresentei a dona, ela logo se impressionou com minha aparência ,disse que todos os animais iriam gostar de mim, sempre amei os bichinhos. Ela me explicou todo o serviço, disse que eu ficaria todas as tardes sozinha na clinica, pois ela precisava de tempo para seus outros compromissos.
Então fiquei sozinha na clinica, era um lugar pequeno, tinha duas salas, a recepção e a sala de tratamento.Fiquei aguandando o primeiro cliente.
Assim chegou um senhora com um cão enorme, era um pastor alemão, ela me explicou que o cão era manso e que estava quieto demais a dias, assim ela deixou o cão e saiu, só voltaria a tardinha para buscá-lo, como estava sozinha na clinica, fechei a porta da frente e levei o cão para a sala dos fundos, era um cão docil mesmo,mas era muito grande, com um pouco de dificuldade pus ele sobre a maca, comecei a examinalo, para mim o cão não tinha nada de errado, não sabia o que o cão tinha, olhei, olhei para ver se encontrava algo de errado, quando olhei por baixo dele, descrobi porque estava mal, tinha um pau pequenino, uns 6 cm, coitadinho, quando passei a mão no pau dele, começou acontecer algo incrivel, saiu um ponta vermelha e não parava mais, devia ter uns 15 cm de comprimento por 3 cm de largura, eu não sabia que os cães tinham o cacete enrustido, e que cacete, segurava na base do cacete e esse latejava na minha mão, lembrei logo das fotos de zoofilia, senti muito tesão, subiu um calorão no meu corpo, minha xaninha começou a vazar, pronto queria ser fodida por esse cachorrão, me tornar uma veterinária cadela, senti o cheiro do cacetão e resolvi experimentá-lo, coloquei-o na minha boca, era quente, latejava na minha lingua e não parava de soltar liquido, babava de tesão, o cão comecou a gostar, balançava o rabo e estava de lingua de fora, notei que tinha um bola que não tinha saido para fora, descasquei tudo, nossa era uma bolota, um nó no fim do cacete, devia ter uns 6 cm de largura, logo sabia que essa bola, o nó como chamam, era o que engatava o cão com sua fêmea, estava doida de tesão queria aquele pau dentro de mim, tive coragem, tirei meu corsário, puxei ao máximo minha tanguinha branca, e comecei a desfilar meu bundão para atiçar o cachorro, notei que ele estava gostando, cheguei perto da maca, subi de modo que ficava de quatro embaixo do cão, não tinha tirado a tanguinha, o cão sentiu o cheiro do meu tesão, e começou a me coxear, sentia o cacetão vermelho enorme e pelando de fogo, esfolando meu bundão, deixou minha tanga toda molhada, queria realmente ser fodida pelo cão, tirei logo minha tanguinha, deixei minha xana exposta a tudo, estava inchada e encharcada, senti a ponta do pauzão encostar nos labios externos, esfolou me clits e entrou na vala,desfaleci de tesão, o pau era bem diferente de um homen, era mais duro, puro musculo e pelava de calor, um tesão animal, em duas ou três estocadas entrou tudo, na ultima me contorci de tesão e ai começou aquela dança frenetica, e era rapida demais sentia o cacete esfolando as paredes da xana, e o nó tentava entrar mas não entrava, esbarrava nos labios vaginais, minha xana ia cada vez mais se alargando, aceitando tal cacetão, cada vez mais o nó tentava enta, eu não podia deixar acontecer pois ficaria grudada com o dog, se pensei nisso, logo esqueci, pois foi nessa altura que senti uma dor, parecia que ia me rasgar... era o nó entrando .... senti um sensação de preenchimento enorme, o seu cacete estava todo dentro de mim, aquele nó fazia com que o cacete entrasse mais ainda, senti meu utero esborrachando contra o cacetão, ele continuava bombeando dentro de mim.
Senti o cão gozar dentro de mim.... foi maravilhoso ...aqueles jatos de porra que nunca mais parava, bem quentes serem projetados em direção ao fundo de meu utero.Até que parou os movimento... sentia um enorme volume de porra por dentro...o cão tentou sair de cima, desceu a maca... senti uma dor horrivel...notei que estava engatada na xota..aquele nó impedia o cacetão de sair, arrastou-me até o chão, fiquei imovel, igual a uma cadelinha,sendo dominada pelo macho, ficamos rabo a rabo, sentia seu rabo abanar sobre minha bunda enorme e seu nó latejava a minha xana, era um sensação de furor,furor animal. Passou-se uns 25 minutos o cão deu um puxão e com um barulho esquisito tirou o caralho de dentro de mim, juntamente com um montão de porra atrás, nunca pensei que fosse tanta, cerca de 5 vezes a de um homem.
O cão comecou a lamber o cacetão vermelho, gostei muito daquilo, ele veio a mim e tambem lambeu minha xana encharcada, senti sua lingua aspera passar no meu reguinho...lembrei tambem que vi fotos de mulheres tomarem rola no cú e estava decidica a experimentar também, logo o cão subiu novamente em minhas costas e começou novamente com aquela dança frenetica, com a ajuda de minha mão direcionei o pau em encontro ao meu rego, que ja estava bem molhadinho, quando entrou....doeu...doeu...horrores,resolvo logo parar com aquilo, mas ja era tarde. o cão com as patas dianteiras apertou minha cintura e como tenho uma bunda larga, agarrou-me senti o caralho entrar tudo, parando somente no nó, aquele cachorro maltratou meu rabo e numa estocada forte entrou o nó...berrei de dor...dor mesmo...não sabia o que fazer, chorrava de dor, e o cão continuava fodendo meu rabo, que a essas horas estava largo,o jeito foi colaborar, tentei relaxar e deu, resultado, era um tesão incrivel, em minutos o cão gozou denovo, jatos e jatos de porra quente, como estava com o cú lacrado, a porra foi de encontro ao meu estomago, nossa chegou a inchar minha barriguinha, fechei os olhos e gozei loucamente, nunca tinha tido gozo igual aquele, notei que tambem estava engatado no rabo, dessa vez o pau saiu mais rapidamente e logo atras aquela cascata de porra que sujou todo o chão da clinica, o cão lambem meu rabo sugando toda sua façanha, resolvi parar com aquilo, limpei o chão, lavei o cão e a mim, para não deixar pistas.
A tardinha veio a senhora dona do cão, disse que o cão estava bom, que só precisava de um pouco de "amor".





Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Transei com uma senhora paralitica