Sera que fui corno?


BY: contosclassicos
olá meu nome é Carlos(NOME FICTÍCIO) tenho 37 anos 1,77 86 kg cabelos pretos, sou casado com Kátia(TAMBEM FICTÍCIO),morena clara 1,57, 59kg, olhos e cabelos castanhos,o que venho a relatar não é bem um conto, nem uma fantasia, apenas algo que não sei se realmente se passou,sou casado há 15 anos,somos um casal como qualquer outro,temos problemas,brigas,mas tambem temos uma vida intima muito legal,de uns tempos para cá durante as transas com minha esposa,comecei a fantasiar minha esposa com outro,falava para ela imaginar que era outro que estava com ela, pedia para ela me chamar com outro nome,com tudo isso a transa ficava muito mais prazerosa para mim e para ela tambem claro;ela sempre fazia as minhas vontades e me chamava mesmo por varios nomes, uma bela noite enquanto faziamos amor ela me chamou não por um nome, mas por um apelido(BINHO),não estranhei pois ela ja tinhame chamado de varios nomes,porem ela começou a repetir sempre esse apelido para mim, comecei a estranhar mas não falei nada para não quebrar o clima existente entre a gente,passaram-se alguns meses e uma bela noite, depois de transarmos disse a ela que nossas brincadeiras poderiam bem serem realidades, ela não entendeu, então expliquei que ela bem podia sair com outro,ela me perguntou se eu estava falando sério,eu disse que sim, aí ela falou: e se eu tefalasse que ja aconteceu, me espantei,o tesão acendeu de novo,fui por cima dela e pedique me contasse em detalhes, ela me falou que tinha conhecido um cara que eles tinham ido ao motel, que o cara tinha chupado os peitos dela, ela tinha chupado o cacete dele e que eles tinham transado gostoso por duas vezes, aquilo me deu um tesão danado,ela começou a me contar em detalhes, perguntei quem era o cara e ela me disse que se chamava Fábio, morava no ABC, e tinha o apelido de....BINHO.quando ouvi aquele apelido, disse a ela se era verdade, ela disse que sim,e desde então nas nossas transas, quando peço a ela para me chamar de corno, ela diz: vem meu corninho, vem come essa xaninha que ja foi de outro, come essa xaninha que o BINHO tambem comeu;um dia fuçando no msn dela descobri o e-mail do BINHO(PANDIAS....), não me contive escrevi um e-mail para ele do meu e-mail, perguntando a ele se era verdade que ele tinha comido minha esposa, disse-lhe tambem que minha esposa já tinha me contado, que eu não tinha me divorciado dela nem nada,apenas queria ouvir a história de sua boca,esperei a resposta do e-mail, ela não veio,mandei outro tranquilizando-o quanto a qualquer atitudes tomadas por mim em relação a minha esposa,inclusive disse detalhes que minha esposa tinha me contado(O NOME DO MOTEL),ele novamente não se pronunciou; com isso começou a pintar em mim uma duvida, SERÁ QUE REALMENTE FUI CORNO???, ou sera que minha esposa apenas inventou essa história para me satisfazer???? ainda estou com essa dúvida,se por acaso vc BINHO, ler esse relato, me mande um e-mail, me conte a sua versão do caso, e saiba que se realmente houve uma transa entre vc e minha esposa, essa transa só fez bem a ela e ao meu casamento, e vc tambem leitor se quiser, me mande um e-mail dando a sua opinião, se fui corno ou não, ok... um abraço a todos( escreva no assunto do e-mail,LI SEU CONTO, assim darei prioridade nas respostas ok).
                                
                                




Comentarios
Meu caro Carlos, fico contente em saber que igual a nós dois existe milhares de homens com os mesmo gostos e fantasias. Discretamente, eu também gosto de falar de outro homem para minha esposa quando estamos trepando, ela finge não gostar, mas, sinto que é só bancando o cu doce, ate porque eu sinto a xana dela mais melada e mais ativa. Comentado por:dicod05 em 17/02/2016 03:09
Carlos e Kátia, quero comer vocês dois. Vocês escolhem se juntos ou não. Beijos, Thomas Comentado por:Thomas em 28/07/2016 10:17
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
13192 - A carona
6809 - Ele desejou
 


Próximo Conto

Aluna Dedicada