Exibida e liberada


BY: Beth
Meu nome é Elizabeth, moro emSantos, tenho um casal de filhos, 1,65 de altura e 58 kilos de pêso. Sou loira de cabelos bem curtos, e corpo perfeito, apesar de não ser mais uma garota. A história que passo a relatar é verídica e ocorreu há alguns meses. Depois de tantos anos de casada com Paulo caí naquela rotina tão conhecida das mulheres donas de casa. O sexo com meu marido não me causava mais nenhuma sensação, tudo era monótono e repetitivo. Sempre fui discreta em meu comportamento e minha forma de vestir até que um dia ocorreu um fato que transformou completamente minha vida. No cabeleireiro que frequento surgiu uma “sacoleira’ vendendo roupas e depois de experimentar algumas dêlas fui convencida por uma amiga a experimentar um mini vestido branco, semi transparente que além de realçar minhas coxas queimadas de sol e expor uma boa parte de meus seios, deixava ver claramente a calcinha e o soutien prêtos que estava usando naquele momento. Nisso o porteiro do prédio onde moro me chamou na porta do salão para me dar um recado de meu filho e ao ir até a porta do prédio constatei olhares gulosos dos homens que estavam na porta. Foi uma sensação maravilhosa, nunca antes sentida... senti-me viva, cobiçada , e ao ver os olhares excitados dos vizinhos, não tive dúvidas, não só comprei aquele vestido, como outras peças ainda mais ousadas. A partir daí tornei-me uma exibicionista assumida paassando a desfilar pelas ruas com micro saias, blusas bem decotadas e transparentes. Estava vivendo momentos de gloria. Um dia ao ir de carro á escola levar meu filho fui chamada pelo porteiro da escola pois seu professor queria falar comigo. Desci do carro e fui ao seu encontro. Como não esperava ter que descer do carro , e devido ao calor que fazia, estava vestida com uma micro saia salmon, tão curta que quando me agachava aparecia a calcinha. Em cima usava um top tipo cortininha verde limão que eu havia ajustado de uma forma tal qu só cobria os bicos dos seios. Sandalias de salto alto completavam o conjunto. Percebi o impacto que havia causado ao Carlos ( o professor, um moreno alto e charmoso). No dia seguinte alegando entrega de documentos na Secretária fui ao seu encontro vestindo um micro vestido azul transparente sem absolutamente nada por baixo. Carlos estava completamente transtornado e gaguejando muito convidou-me para almoçar no dia seguinte alegando discutir a avaliação de meu filho. No restaurante dei um show de exibicionismo: um micro vestido vermelho, totalmente transparente, com uma calcinha minuscula preta, em cima ... nada. Foi um alvoroço no local. Quando saímos Carlos , branco de tesão, sussurou ao meu ouvido que não aguentava mais e que queria transar comigo. Delicadamente disse que era casada , amava meu marido e que o desejo dêle só seria póssivel de realizar caso Paulo concordasse. Meu marido já havia notado meu novo comportamento e ao contar-lhe o acontecido abraçou-me , beijou-me e declarou que era sua maior fantasia me ver sendo possuída por outro homem , desde que êle pudesse assistir. A partir daí, e sempre com o conhecimnto e aprovação de meu marido, iniciei minha carreira de PUTA exibicionista, tendo transado , entre muitos outros, com o chefe de meu marido, o seu melhor amigo, varios vizinhos, meu mecanico, meu dentista, o ginecologista, o meu cunhado e tantos outros. Me sinto feliz e realizada sexualmente , inclusive por constatar que meu marido Paulodescobriu maravilhado a putinha com quem se casou.






Comentarios
Beth, fiquei muito excitado lendo o seu relato! Sou voyeur e como o Paulo, seu marido adoro ver minha esposa com outro. Nos nossos relatos contamos nossas aventuras. Parabéns! Nota 10. Bjs César e Jaque Comentado por:jaquelinecesar em 13/09/2014 02:31
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

 


Próximo Conto

Doce de Leite