A surpresa!


BY: saralee
Acordei tarde naquele dia chuvoso. Minha xana ainda estava em brasa e meus pensamentos viajavam naqueles momentos de prazer que ultimamente eu tinha experimentado. Me banhei e me lembrei daquela vendedora que tinha me dado o pintão de silicone. Tomei café e resolvi procura-la e devolver o cacetão, mesmo sentido saudades. Coloquei um conjunto bem confortável e fui ao Shopping naquela loja de lingerie e lá estava ela que me sorriu. Linda e cheirosa ela se aproximou me convidando a entrar. Eu falei que não sabia seu nome e ela me disse: Suzy. Fingi que estava comprando e ela me atendendo. Ela me disse que eu a tinha abandonada naquele estado e que queria me encontrar com mais calma, mas hoje não seria possível, pois tinha combinado com seu namorado uma balada. Eu lhe disse que queria devolver o pintão. Escolhi um peça e fui à cabine. Ela me seguiu. Abri minha bolsa, saquei o bichão e lhe entreguei. Ela me disse que não tinha como guardar agora e que pegaria comigo outra vez, mas me agarrou e me deu um beijo. Fiquei tonta e ela abocanhou meu seio afastando minha blusa. Minhas pernas tremeram e quando percebi ela apalpava minhas coxas, afastando minha calcinha. Abri as pernas e ela introduziu seus dedos me fazendo gozar com facilidade, enquanto sugava meus seios. Isso tudo durou no maximo três minutos. Ela chupou seus dedos e me beijou com força, me chamando de gostosa. Me recompus, sai da cabine e fui ao caixa pagar a peça escolhida. Saímos para a frente da loja, torçamos telefone e quando íamos nos despedir chegou seu namorado, um negrão enorme, acompanhado de um loira muito bonita e alta. Parecia uma top model, tipo Ana Hickman. Eles se apresentaram e acabamos indo tomar um café na Praça de Alimentação ao lado. Suzy e seu namorado logo se despediram e fiquei com a Clarice. Ela me disse que era apenas colega de trabalho de Rui, namorado da Suzy.e que tinha pego uma carona até o Shopping para fazer compras e depois ir para casa. Conversamos um pouco e uma simpatia nos uniu. Tomamos uns chopps e decidi dar uma carona para Clarice que desistiu de fazer compras. Ao chegar na sua casa ela me convidou para entrar e tomar a ultima. Entramos e logo estávamos tomando uma cerveja e conversando sobre homens. Eu fiquei excitada e ela notou. Sempre que fico excitada meus seios me denunciam. Acho que foi a bebida, pois me aproximei e a beijei. Para minha surpresa ela correspondeu. Abri sua blusa e comecei a sugar seus seios volumosos de silicone. A loira era turbinada, pensei. Ela ficou estática e achei que fosse timidez ou falta de experiência. Segui em frente e ao puxar sua calcinha apareceu na minha frente um pinto. Surpresa! Ela era ele. Um travesti! Decidi na hora que iria até o final e abocanhei o pinto que teimava em permanecer mole. Clarice sorriu me dizendo que precisava de um incentivo. Entendi! Comecei a lamber seu cuzinho e enfiar meus dedos. O pinto cresceu e ficou duro. Ele era lindo, cabeçudo e cor de rosa. Mamei feito um bêbê. Resolvi apimentar e peguei meu consolo. A Clarice sorriu e abriu as pernas na posição frango assado. Melei o bichão com creme e enfiei na Clarice. Seu pinto parecia uma rocha. Enquanto metia nela chupava seu pinto que escorria esperma. Ela não gozava ficava apenas escorrendo. Atolei os 30 cm do colosso nela mas ela queira mais. Tirei o bichão, melei meus dedos e enfiei todos nela que se arreganhava mais se tremendo. Tirei a mão lambuzada, fechando o punho e fiquei empurrando nela e se empurrava contra meu punho. De repente entrou minha mão todinha. Ela me disse: Me fode puta. Soquei com força naquele cu arrombado e de repente ela gozou. Não perdi tempo e abocanhei seu pinto gozando na minha boca. Ela gozou muito e engoli tudinho enquanto seu anel apertava meu punho. Tirei minha mão e Clarice ficou se contorcendo e se masturbando. Fui ao banheiro me lavar, voltei à sala me arrumando e me despedi com um beijo gostoso. Foi bom e diferente mas fiquei na vontade...


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
6792 - O ACIDENTE
7696 - MACHO DA CASA
7761 - segundo tempo
8107 - A SURPRESA
 


Próximo Conto

MINHA ESPOSA, A PRIMA DELA, O MARIDO E EU (1)