Chuva e caos em sampa


BY: meinhasoquete
Gente,olha eu aqui de novo. Quem ainda não me conhece,vou falar de mim um pouquinho: 37 aninhos,branquinha,seios pequenos,bumbum 100cm, coxas grossas,Travesti passivinha,vadia e que tem marca registrada o uso de meinhas soquetes.
Curto muito dar, sou cabeleireira e “putinha no cio” a noite.
São Paulo,noite de caos,choveu muito,o transito ficou horrível, sai do serviço eram mais de 22hs,estava vestida assim: tamanquinho,meinha soquete branca,fio dental rosinha,calça tipo fuseau branca(segundo minha amiga, tão justa que dava pra ver as preguinhas ) camiseta de manga comprida amarelinha.
Tentava ir pra casa por vários caminhos, mas não conseguia atravessar a marginal, foi ai que estacionei no pátio de um mercado. Parei o carro, abri o vidro,pois estava quente,foi ai que estacionou ao meu lado uma moto.O cara cresceu os olhos nas minhas coxas e começou a puxar papo.Tinha 42 anos,chamarei-o de Paulo e disse que adorava travestis,cds,etc.
O papo foi esquentando e depois de um tempo entrou no carro e paramos mais escondidos.Ele pois seu cacetão negro pra fora, comecei a chupa-lo,ele enfia um dedo no meu cuzinho,dois dedos, ai apesar de falar que não havia tomado banho ele começou a chupar meu lolozinho(como ele falava).Eu adoro isso fico doidinha,ele me chupava com gosto,com vontade,eu gemia., foi ai que rapidamente pos uma camisinha e me penetrou ele grunia, sentia aquele membro negro,forte pulsando dentro de mim,fui relaxando e rebolando e ele gozou gostoso.
Após tirar seu cacete de meu cuzinho,ele veio com uma idéia:Se eu topava dar ali mesmo pra um faxineiro amigo dele(ele confidenciou que gostava de de vez enquando dar e esse cara era “poderoso”),topei pois o cheiro de sexo me excitava muito e o carro tava empreguinado, ele se arrumou e saiu dizendo pra eu ficar ali do jeitinho que tava(meinha ,camiseta e fio dental).
Passou um tempinho e ele e e um senhor negro(mais de 50,forte e gordo).Paulo me falou esse é o Carlão(nome que dei) ele adora fuder.Carlão me olhou,pediu pra sair fora do carro,passsou seu enorme dedo no meu reguinho e disse: “o branquela gostosa”.Paulo deixou-nos e carlão colocou seu enorme(enorme mesmo) cacete pra fora.Disse pra ele que fosse com carinho,pois senão ficaria sem sentar uma semana.Ele riu,virou-me e com sua língua me fodia,tentei por seu cacete na boca mas já na minha garganta faltava mais de meio cacete ainda.Coloquei a camisinha nele,me virei,com medo, ele começou a por entrava,entrava eu tentava relaxar mas doía.Olhei pra minha bunda e faltava ainda o equivalente a quatro dedos.Pedi pra ele parar,tomei fôlego e de uma vez fui ao encontro de sua rola,saindo ate lagrimas de meus olhos,ai pedi pra ele me comer com carinho.O cara suava,ele enfiava sua língua na minha orelha,gente eu estava em transe,ele gozou eu dei um grito pois ele enfiou de uma vez ate o fim.
Tirou seu membro,me deu um beijo e disse:trabalho todo dia aqui a noite e me deu seu celular.
Eu me arrumei,meu cuzinho ficou mais aberto ainda,a calça entrava tudo dentro.Cheguei em casa ,tomei um banho e fui dormir,arrombadinha mais feliz.


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
3973 - Sabado quente
4307 - Na garagem
5990 - A surpresa
8281 - Na guarita
 


Próximo Conto

Broche no WC Público