Trois Carioca


BY: casalconto
Rio... era uma sexta feira, quando Sarah resolveu de uma vez por todas comprar um celular, pois não agüentava mais viver sem telefone, ilhada e nesse dia em especial, ela acordou e disse pra si mesma: "tudo o que eu quero é conhecer um gato carioca, alucinante, preciso fazer novas amizades, conhecer gente linda e interessante, eu mereço e o Rio pede isso”.

        Estava caminhando pela Prudente de Morais em Ipanema e viu uma lojinha da telefônica celular, já estava com a grana e toda a documentação necessária em cima, sem delongas decidiu:

        Sarah _ É ali mesmo que eu vou!

        Entrou, bendita lojinha!

        Sarah_ Por favor, eu gostaria de comprar um celular.

        Vendedora_ Temos vários modelos e blá blá blá....

          Escolheu o modelo, fez o cadastro e já estava pagando para ir embora, quando entraram na loja, dois gatos lindos, cheirosos, bronzeados, malhados e alto astral, um deles, o que parecia ser o mais velho, sentou -se

ao lado de Sarah e já foi puxando assunto:

        Marcelo_ Nossa que tatuagem linda que você tem no braço, aonde você fez?

        Sarah_ Fiz em São Paulo, há um ano mais ou menos.

        Marcelo_ Eu sempre quis fazer uma, mas até hoje ainda não achei o desenho que eu quero. Agora a sua é linda, uma fada no braço de outra fada, linda igual a dona, mandou bem!

        Sarah ficara um pouco sem graça, a maneira como aquele deus a abordara, como a olhava no fundo dos olhos, como que despindo-a era fatal, que delícia!

        Marcelo_ Você acabou de comprar um celular?

        Sarah_ Acabei de comprar.

        Marcelo_ Vamos testar pra ver se está funcionando? Qual o seu número?

        Sarah_ 96995644

        Ele discou, o celular dela tocou pela primeira vez... dizem que a primeira vez a gente nunca esquece...é verdade.

        Marcelo_ Oi?

        Sarah_ Oi!

        E sorriram um para o outro.

        Marcelo_ Aí, sou o primeiro a ter o seu número.

        Sarah_ É verdade.

        Marcelo_ Posso te ligar mais tarde, pra gente conversar um pouco?

        Sarah_ Pode, claro!

        Marcelo_ Então, deixa o celular ligado. Meu nome é Marcelo, e o seu?

        Sarah_ Sarah.

        Ele pegou um cartão da loja e escreveu o número do seu telefone e celular e deu a Sarah. Trocaram dois beijinhos e eles se foram.

        Sarah ficara abobada, encantada e perturbada com o moreno.

        Sarah_ Que fofo, que lindo e aqueles olhos verdes? Que profundidade!

        Ela tinha um namorado de dois anos, mas que há quatro meses havia se mudado para New York, estava totalmente carente, ele iria chegar na próxima semana para vê-la. Ela era apaixonada por ele, mas depois desta tarde, sentia que alguma coisa havia mudado.

        Já eram quase oito horas da noite, horário que sempre falava com o far away boyfriend, resolveu ligar para dar o telefone do seu novo celular.

        Estavam conversando, quando começou a apitar o bina do aparelho: caller id: Marcelo. Ela quase caiu pra trás, ainda fingiu que havia caído a ligação mas não conseguiu atender a tempo. Merda! Tudo o que queria era falar com Marcelo, sair com ele, beijar ele, dar pra ele. E agora o que fazer? Resolveu esperar que ele ligasse novamente.

        No sábado umas dez horas da manhã, o celular toca, era ele.

        Sarah_ Alô!

        Marcelo_ Sarah?

        Sarah_Quem é?

        Marcelo_ Sou eu, se lembra, da loja de celular ontem? O Marcelo.

        Sarah_ Oi, tudo bem?

        Marcelo_ Tudo, te liguei ontem mas como ninguém atendeu, fiquei com medo de te incomodar, resolvi ligar hoje.

        Ele perguntou, o que ela iria fazer, ela disse que nada, ele então implorou para que ela fosse almoçar com ele, ela aceitou, lógico! Ele combinou de passar lá as três horas da tarde.

        Como podia, nem se conheciam direito, mas Marcelo havia mexido muito com ela.

        As quinze horas, ele chegou, interfonou, ela desceu...

        Marcelo_ Nossa, como tá linda de trancinhas!!!

        Sarah_ Obrigada, tudo bem?

        Marcelo_ Tudo, e você princesa?

        Entraram no Honda preto, ele estava demais, tinha uma carinha de menino mas um corpo de deus, que menino hein! Menino que sabe tudo!!!

        Marcelo_ E esses óculos, parece uma popstar! Ela é minha popstar, mulher de brilho forte... cantava para ela. O jeito dele falar e olhar já a deixava excitada, a tarde prometia, ele sabia como envolver uma mulher, não negava a raça... carioca da gema.

        Pegaram a Lagoa, rumo a Santa Tereza, iam conhecer um restaurante chamado Aprazível, que diziam ter uma vista maravilhosa e ser um lugar muito romântico.

        Marcelo_ Você fuma?

        Sarah_ Cigarro? Detesto mas...

        Marcelo_ Baseado?

        Sarah_ Adoro!

        Ele tirou um superbem apertado e delicioso, fumaram e ficaram chapados, que bom! A trilha da tarde era Steave Wonder, tudo perfeito.

        Riram e conversaram muito, era como se já se conhecessem de longas datas.

        O restaurante era demais, que visual! Sentaram-se na varanda, um de frente para o outro.

        Marcelo_ Que boca linda que você tem, como é carnuda!

        Sarah_ Obrigada, a sua também é linda.

        Marcelo_ É linda ela!

        Fizeram os pedidos, ele, um penne com manjericão, e ela, um pato com laranja, especialidade da casa. Sarah adora caça!

        Se levantou, puxou a cadeira e sentou-se colado em Sarah, encostando suas pernas grandes e musculosas nas dela.

        Marcelo_ Posso sentar aqui? Quero olhar essa boca linda falando bem de pertinho, quero olhar seus olhos, você tem um olhar lindo, é toda maravilhosa!

        Sarah_ E você esta me deixando sem graça.

        Marcelo_ Tô é? O que eu posso fazer, se você me deixa louco!

        Falava tudo isso, quase encostando sua boca na dela, já reviravam os olhos, quando Marcelo lhe roubou um beijo...

        Marcelo_ Que beijo gostoso! Puxou mais a cadeira dela e a beijou com vontade, se beijaram, beijaram e a tarde virou noite, ele pedia a língua dela e a chupava, se deliciavam eroticamente.

        Saíram para dar uma volta pelos jardins do lugar, estavam ardendo de tesão, ela abriu os botões da camisa dele, deixando aquele peito malhado de fora, veio com sua língua quente e molhada e lambeu os mamilos dele...

        Marcelo_ Você sabia, que o meu peito, tem ligação direta com o meu pau? Que é como se você estivesse me chupando, eu fico louco!

        Falava tudo isso nos ouvidos de Sarah, que já estava quase gozando, só de ouví-lo.

        Marcelo_ Tesuda, chupa gostoso né? Vamos sair daqui, comer a sobremesa em um lugar tranqüilo, só nós dois.

        Ela pensou: a sobremesa deve ser eu.

        Sarah_ A gente pode ir lá pra casa, minha mãe está viajando.

        Lá foram eles, compraram uma torta de chocolate com nozes no Petit Fours no Baixo Leblon e foram para a casa de Sarah.

        Mal entraram e começaram a se agarrar, abriram a torta, Marcelo passou os dedos no recheio de chocolate e passou pelo rosto e lábios dela, depois a lambeu, se engoliam, se lambiam.

        Como Sarah se conhecia bem e sabia que não resistiria a ele, decidira não se depilar naquele dia, pois desse jeito não daria e nem sequer tiraria a calcinha para ele na primeira vez.

        Dito e feito deixou o homem louco, mas não deu!

        No outro dia de manhã, foi para a academia como de costume, na volta, o porteiro do seu prédio lhe trouxe uma orquídea linda, com um cartão que dizia: adorei o almoço, a torta, a boca carnuda...beijos Marcelo.

UAU!!! Ela ligou na hora para ele.

        Sarah_ Marcelo?

        Marcelo_ Fala boca carnuda!

        Sarah_ Amei a orquídea!!!

        Marcelo_ Amou? Que bom, eu só consigo pensar em você o dia inteiro, quero te ver hoje! Meu irmão vai para Bali e hoje vai ter um jantar de despedida, vamos com a gente?

        Sarah_ Claro, é até bom que eu conheço logo o seu irmão, você fala tanto nele.

        Marcelo_ Passo aí as dez tá bom?

        Sarah_ Te espero, um beijo.

        Marcelo_ Outro, na boca.

        Dez horas eles chegaram, lindos e no ar já havia uma atmosfera erótica rolando, uma certa malícia.

        Marcelo_ Lembra do meu irmão? Alexandre, Sarah.

        Alexandre_ Tudo bem?

        Sarah_ Tudo e você?

        Marcelo_ Vamos te levar para um lugar super especial antes, para abrirmos um champagne tá bom?

        Sarah_ Vocês é que mandam.

        Alexandre_ Esse lugar tem uma vista maravilhosa, essa lua cheia merece um brinde.

        Marcelo_ A lua cheia e você Sarah.

        Pegaram a avenida Atlântica e entraram na garagem de um prédio, que com certeza era o deles. Ela e aqueles dois homens, já recheavam a sua mente.

        Sarah_ Vocês moram aqui?

        Marcelo_ Moramos, vamos subir?

        Alexandre_ Vamos.

        O apartamento era grande e super bem decorado, Alexandre ligou o som e Marcelo foi até a cozinha buscar as taças e o champagne, o ap ficava no décimo segundo andar e Copacabana parecia tão calma lá de cima, tão envolvente e hipnotizante, que Sarah não conseguia sair da janela e deixar de admirar aquele visual.

        Marcelo estourou o champagne, brindaram a vida, saúde e o amor, ele a abraçou pelas costas, segurando forte, encostando seu pau já duro no bumbum dela, que já desconfiava das segundas, terceiras e quartas intenções daqueles irresistíveis e queria mais era pagar pra ver!

        Marcelo a beijava deliciosamente...

        Alexandre_ Vamos lá pra cima ou não?

        Marcelo_ É pra já meu irmão.

        Subiram os três pelas escadas sombrias do prédio, a cobertura estava totalmente abandonada mas eles tinham razão, era deslumbrante ver a lua dali.

        Encostaram no parapeito, Marcelo a abraçando e Alexandre ao lado se encostando nela.

        Marcelo_ Vou descer e buscar mais um champagne, alguém quer alguma coisa lá de baixo?

        Sarah_ Não, valeu.

        Marcelo_ Cuida da loira aí!

        Alexandre_ Com amor!

        Sarah_ Vou ficar bem cuidada heim!

        Alexandre_ Você nem imagina o quanto!

        A olhou fundo nos olhos... pronto, Sarah não resistia aos olhos nos olhos...

        Alexandre_Sabia que fui eu que te vi primeiro na loja e te achei linda?

        Sarah_ É mesmo?

        Alexandre_ Bem que meu irmão disse que sua boca é carnuda, agora só falta conferir se é gostosa como ele diz... posso provar do seu mel princesa?

        E a beijou, segurando seu cabelo forte pra trás, ela estava tão excitada, ficar com dois juntos, era realizar uma fantasia de criança.

        Se entregou, queria descobrir do que era capaz de fazer sexualmente, até que ponto o tesão a levaria.

        Havia se depilado inteira, a vagina estava sem pelos ela adorava, parecia uma criança, ardia em fogo, estava pronta, queria dar... dar... dar...

        Ele estava duro, cheio de tesão, levou as mãos de Sarah até seu pênis, que desceu sua boca desejada e o chupou gostoso, indo e vindo, gemendo, quando de repente, sentiu duas mãos fortes a segurarem por trás, era Marcelo, que já estava ali há algum tempo observando e se deliciando com a cena, tiraram a roupa dela e a deixaram só de sandálias de salto alto, ela se sentia poderosa, nua, com dois deuses, que a lambiam inteira, seu corpo dourado e torneado estava todo arrepiado, Marcelo acariciava-lhe o mamilo enquanto Alexandre lambia sua vagina e alternava com os dedos, enfiando forte e direto no seu ponto G, Marcelo a encostou no parapeito e a penetrou por trás, seu clitóris estava tão duro, ela estava tão molhada, nunca antes ficara tão excitada, chupava um enquanto o outro enfiava e assim gozaram juntos! Gostoso!

        Foi tão delicioso, tão inexplicável, ela alí nua em pelo de salto alto entregue aqueles gentlemans do amor. Se encontraram várias vezes depois... ficaram muito íntimos, brindavam o sexo por todos os lugares.

        Seu primeiro MENAGE AU TROIS

        Um MENAGE AU TROIS CARIOQUÉ RRIMO!!!!

        E VIVA O CELULAR!!!!!!!!






Comentarios
QUER FAZER UM MÉNAGE A TROIS EM BÚZIOS, COM TOTAL CONFORTO,EMAIL carlos.lorranbol Comentado por:carloslorran em 24/04/2015 06:14
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Frentista Tarado