Boquete em frente ao computador


BY: rodrigo-bh-mg
Essa é mais uma estória real que vou descrever pra vocês agora. Meu nome é Rodrigo, moro em Belo Horizonte e tenho 22 anos. Bem, o fato de eu não ser afeminado sempre me proporcionou bons momentos. O mais recente aconteceu domingo passado. Eu, como faço habitualmente quase todos os dias, peguei minha bicicleta e fui para a quadra de futebol jogar. Chegando lá não haviam muitas pessoas e não dava pra formar dois times e então fiquei sentado conversando conversando com um sr. que estava com seu sobrinho de 2 anos. Ao lado deles estava outro carinha, que eu não conhecia mas, que pela aparência física fiquei logo interessado. Ele também se chama Rodrigo - depois eu fiquei sabendo, tem 16 anos, era pouco mais alto que eu (tenho 1,71) e era moreno, bem bonito e sarado. Eu não conhecia ele mas, claro que esse era um problema que eu resolveria rapidamente. Rapidamente comecei a puxar conversa com ele dizendo que naquele dia não ia dar pra jogar pois a quadra estava vazia e conversa vai e conversa vem perguntei se ele trabalhava e ele disse que não, que estava difícil pra arrumar emprego e eu então perguntei se ele sabia usar computador e ele também disse que não. Disse pra ele que ele tinha que saber isso pra poder conseguir emprego, com conselho. Comecei a comentar com ele sobre computadores, o que era a internet e de coisas que eu tinha gravado no computador. Comentei com ele sobre uns vídeos que eu tenho sobre aquele site do assustador e a cada vídeo que eu descrevia mais ele ficava abismado com o que ouvia. Foi então que eu resolvi por em prática a parte mais importante do meu plano:convidar e convencê-lo a ir na minha casa. Depois que estava um pouco mais íntimo com ele em relação a papos contei a ele que havia uma menina, que tinha 15 anos, que morava no condomínio onde eu moro, que já tinha dado praticamente pro conjunto inteiro, que a menina não era tão bonita e também não era tão galinha assim. Disse ainda que ela era meio brincalhona e disse que ela havia me dito que os carinha que ela dá tem que enquadrar em uma pequena exigência, tem que ter o pau com a medida entre 12 e 17 cm, que não podia ser nem muito pequeno porque senão ela não sentiria e nem tão grande pois doeria muito e para saber o tamanho do pau dele à pretexto de saber ser ele se enquadrava nesse requisito dela perguntei a ele se ele se enquadrava nessa exigência dela e ele rapidamente disse de forma tímida: claro que sim, isso é mole pra gente... (claro que era tudo mentira, era apenas pra excitá-lo um pouco e saber do seu pau). Perguntei se ele não queria ir à minha casa ver os vídeos, argumentando que nós não iríamos fazer nada mesmo já que não haviam pessoas pra jogar bola disse que se a menina estivesse lá, se ela já tivesse voltado de viagem eu chamaria ela pra ele comer, doce esperança... Ele não hesitou, topou, disse: Já que eu não vou fazer nada mesmo, vamos lá. Chegando na minha casa nós já sentamos direto em frente ao computador e eu fui logo mostrando os vídeos pra eles e como são realmente horríveis ele ficou até com o estômago meio embrulhado. Quando acabaram os vídeos eu disse a ele, brincando, que queria mostrar uns outros vídeos pra ele, só que como ele tinha 16 anos, era de menor, eu não poderia mostra pra ele, pois eu poderia ser preso e ele disse pra mostrar logo e parar de zoação... Comecei a mostrar pra ele e em um determinado momento fingi que ia pegar alguma coisa na gaveta da escrivaninha do computador. Ele estava a minha direita e a gaveta também e eu abri com a mão direita e comecei a procurar com a esquerda. Disse a ele que era o telefone dela que eu estava procurando e ao mesmo tempo que mexia com a mão esquerda na gaveta, a minha direita estava apoiada sobre a coxa e sua bermuda e eu comecei a pressionar seu pau que já estava duro por causa dos vídeos. Depois de muito apertar eu dei uma apertada com o indicador no seu pau e disse: É, pelo jeito, o negócio aqui é grande mesmo. Num movimento súbito eu disse: Espera aí que eu vou pegar um negócio aqui e tirei da gaveta uma fita métrica. Sua bermuda estava presa por um clipes pois como não tinha elástico ela estava caindo e ele logo me perguntou depois que eu tirei o clipe e desabotoei a bermuda: O que você está fazendo? Eu disse: Espera aí que eu vou medir seu pau pra ver se você se enquadra nos requisitos da menina que eu te falei e antes que ele dissesse alguma coisa eu descolei o feche da bermuda que era daqueles de grudar, enfiei a mão dentro da cueca dele e coloquei sua rola pra fora e o pau dele cheirava muito, cheirava rola mesmo. Puxei a pele do pau dele pra cabeça aparecer toda e ele disse: Ele ainda não está duro não! Eu disse: Ele está desse tamanho aqui, grande desse jeito e ainda não está todo duro? E realmente não estava, eu estava fingindo de bobo. Quando ele disse isso eu disse: Espera aí que eu vou fazer ele endurecer... Ele espantado disse: O que você vai fazer? E pra não falar eu fui abaixando minha cabeça em direção ao seu pau e quando ele percebeu que eu ia chupar sua rola ele disse de maneira assustada: Não faz isso não, não faz isso não... Quando ele disse o segundo não faz isso não eu já tinha colocado a boca na cabeça do pau dele apesar dele com mãos ter tentado tirar minha boca. Quando ele viu que não tinha mais jeito, tirou a mão e eu então engoli aquela rola magnífica até o talo e ele chegou a dar um suspiro de tesão. Chupei uns cinco minutos e ele apavorado por não estar acreditando no que estava fazendo dizia a todo momento: tá bom, tá bom... Dizia isso pra que eu parasse. Eu então tirei minha boca, apertei se pau e disse: agora está duro, espera aí que eu vou medir. Peguei a fita e medi, deu 16 cm. Era uma rola perfeita, grande e meio grossa. Depois que medi ele já estava guardando o pau na cueca e eu disse: espera aí que você vai gozar e fui logo pegando seu pau de novo e pagando mais boquete... Ele então perguntou se tinha alguém na minha casa e pra não deixar ele mais inseguro ainda disse que não e ele então relaxou um pouco... Chupei mais uns 6 minutos e ele então esporrou na minha boca. Era muita porra e muito gostosa... Ele queria guardar seu pau e eu disse pra ele esperar um pouco que eu ia limpar seu pau e chupei mais um pouco. Aí então ele apressadamente guardou o pau e levantou pra ir embora com a maior cara de arrependido do mundo. Cumprimentei ele e ele foi embora. Ele só não me comeu porque eu não pedi e eu não pedi porque não tinha camisinha na hora.. que merda! Mas valeu, porque foi uma chupada sensacional, era uma rola com gosto de rola mesmo. Bom, essa foi mais uma estória real minha, a mais recente inclusive, não tem nem um a semana que aconteceu e se você quiser me mandar algum e-mail não perca tempo. Respondo a todos os e-mails, sem exceção. Terei o maior prazer em recebe-lo, gosto de fazer amizades, trocar idéias e experiências. Até mais, Rodrigo Malta


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Primeiro poema de amor - iniciação lésbica