O dia em que o Bruno foi ferido


BY: rodrigo-bh-mg
Antes de ler esse conto leia o conto: Que com rola fere, com rola será ferido. Esse conto é continuação dele. Bem agora chegou meu dia. Estávamos passeando pela cidade e depois de uma noite de muita diversão eu convidei o Bruno pra ir dormir lá no hotel que eu estava, já que não havia ônibus durante a noite pra voltar pra casa e também porque quem pagava o hotel era a empresa onde eu trabalhava e eram duas camas no meu quarto. Ele aceitou meu convite e fomos. Chegando lá já fomos direto pra camas transar e ele mais uma vez me mandou muitas pistoladas. Depois de muito dar pedir pra ele para um pouco antes que ele gozasse e o virei e comecei a chupar sua bunda, chupava seu reguinho e depois por muito tempo seu cuzinho. Como ele não oferecia resistência eu me deitei em cima dele e posicionei a cabeça da minha rola no seu cuzinho e comecei a forçar. Já existia uma lubrificação natural pois eu já tinha chupado muito aquele anelzinho. Ele se contorcia de dor mas eu travava o seu corpo para que ele não fugisse e fui metendo, enfiando bem devargazinho até a metade e comecei a bombar. Ele implorava pra que eu tirasse mas, eu não podia perder aquela oportunidade e continuei. Dava pra ver a fisionomia de dor na cara dele e quando vi que ele já não oferecia mais tanta resistência enfiei novamente mas, também devagar a outra metade do pau. Ele chegou a dar uns pulinhos pra trás mas, em vão. Comecei a bombar e disse pra ele: agora você vai ver como é que se mete, chegou minha vez. Fiquei metendo por cinco minutos e ele não parava de me pedir pra tirar, que já estava bom pra mim e eu continuei metendo até que não agüentando mais de tesão enchi seu cuzinho de porra. Ele por ser homem ficou com raiva por eu ter esporrado nele mas, eu o acalmei, dizendo que não tinha nada a ver. Depois disso fomos dormir e no quando acordamos transamos novamente, dessa vez ele não me deixou comer ele, dizendo que nunca mais ia fazer aquilo, fomos tomar café e ele foi pra casa dele pois, já era 10:00 da manha de domingo e já tinha ônibus. Se você quiser me mandar algum email não perca tempo. Respondo a todos os emails, sem exceção. Terei o maior prazer em recebe-lo, gosto de fazer amizades, trocar idéias e experiencias. Até mais, Rodrigo Malta


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Quem com ferro fere... tanto bate até que fura