QUARTO FALSO 4 caso


BY: Munhoz
Certa noite eu e a Renata conversávamos e ela me falou se lembrava de um casal cuja mulher, a Ju, era muito amiga dela e se encontravam sempre. A Ju tinha sido professora dela na faculdade e foi aí que começou esta amizade. A Renata me contou que uma época elas eram tão amigas que chegaram até a terem um “casinho” e ela já era casada, mas a Renata ainda não era.
Continuando a conversa ela me falou que as duas tinham tido uma conversa em que a amiga estava muito tensa e quando perguntada pela Renata o porquê ela disse que com o passar dos anos de casamento e depois que ela entrou na menopausa seu interesse por sexo diminuiu muito. A Renata disse que isto era normal, mas ela completou dizendo que seu marido continuava um tarado. Depois de uma pausa em que a Renata ficou olhando em silêncio, ela continuou dizendo que descobriu há um bom tempo que ele a traia com frequência e um dia discutiram e ela ameaçou se separar. Ele argumentou que a amava, mas não conseguia ficar sem fazer sexo e que só a punheta não resolvia. Virava e mexia ele queria fazer sexo com ela e às vezes dava certo e outras vezes acabava em discussões.
Um dia, ela disse que não sabe porque teve esta ideia louca, ela disse ao marido que estaria disposta até a “engolir calada” que ele estava transando com outras mulheres, mas com duas condições. A primeira é que ela queria sempre saber antes com quem seria. A segunda é que ela poderia concordar ou não. Estranhamente ele aceitou e começaram a acontecer estes encontros. Outra surpresa que eu tive também é que eu comecei a me excitar não só porque ele estava se encontrando com outras mulheres, mas porque eu pedia que ele me contasse e isto me excitava mais ainda. Acabamos até fazendo sexo com mais frequência.
Foi aí Rafael que eu me surpreendi, porque a Lú me disse naquele dia quando nos conhecemos naquele jantar em que ela estava com ele e eu com você, ele disse a ela quando chegou em casa que me achou muito bonita e atraente....
Querido, eu olhava para ela fixo, mas como tínhamos tido muita intimidade no passado, ela me fez uma proposta que me deixou surpresa. Ela me perguntou se eu transaria com o marido dela. Foi detalhista e disse que poderia transar sem preservativo porque ele estava ótimo. Na hora eu fiquei pensando sobre o que dizer e falei que pensaria um pouco e telefonaria para ela depois.
Os dois dias seguintes isto vinha à minha mente e, para te confessar, eu achei o marido dela também muito atraente. Telefonei a ela e disse que toparia, mas que tínhamos que organizar bem a coisa. Eu inventei que você era muito ciumento e que só faria isto uma vez e que deveria ser aqui em casa para ninguém nos ver juntos aí fora.
Eles conversaram e um dia ele me ligou no escritório, conversamos um pouco e depois tomamos um café no shopping e combinamos que ele virá aqui em casa na próxima quinta-feira naquele nosso horário das 19:00 horas, quando chego do trabalho e para você poder ficar no nosso quartinho secreto...
- Você concorda? Se não concordar eu cancelo tudo.
- Querida, você sabe que se alguma coisa se torna um desejo teu eu concordo e te ajudo a realiza-lo.
Na quinta-feira o marido da Lú chegou em casa e a Renata o recebeu sempre com aquelas roupas provocativas, sem sutiã, sem calcinha e com um destes vestidos que mesmo não sendo colados eles moldam o corpo. O marido da Lú era um homem de quase 60 anos, cabelos grisalhos, alto, com um corpo inda muito bem cuidado e olhos verdes.
Ficaram conversando um pouco na sala onde ela serviu um drink, colocou uma música lenta e de vez em quando cruzava as pernas deixando ver suas partes íntimas. Depois perguntou se ele queria dançar e logo que colou o corpo ao dele já sentiu uma pressãozinha do pau dele na sua virilha.
- A Lú me disse que você me achou bonita e atraente. Você está se sentindo atraído por mim?
- Eu te achei bonita e atraente naquele jantar, hoje eu estou te achando linda e um tesão de mulher. E você, o que está achando de mim?
- Você é um belo homem, maduro, mas agora você me deixou com vontade de sentir dentro de mim isto que estou sentindo esfregando no meu ventre...
Ela o pegou pela mão, desligou a música e o levou para o quarto. Um estava diante do outro segurando reciprocamente as mãos e foram se aproximando até que um beijo selou o início daquela noite que seria inesquecível para os dois (e para mim também). Ele a despiu e depois ela fez o mesmo com ele. É interessante a diferença entre você tirar sua roupa antes de uma foda da situação em que uma outra pessoa tira sua roupa. No primeiro caso é “se livrar” da roupa, no segundo a pessoa vai descobrindo com as mãos e com os olhos o que está ali à tua disposição e que vai te dar muito prazer.
Realmente o marido da Lú era um senhor com um corpo muito bem conservado e com um pau de fazer inveja a muitos moleques. Voltaram a se abraçar e beijar. O pau dele estava entre as pernas da Renata que eu via ela apertar com suas coxas. Depois, sempre em pé, ele beijou os seios dela que já tinham os biquinhos super duros. Ele foi por traz dela e encaixando seu pau agora por baixo da sua bunda a abraçou apertado beijando sua nuca e suas orelhas. Conhecendo a Renata eu sabia que ela adorava preliminares tranquilas e eróticas. Eu sabia que ela estava liberando lentamente a puta que existia dentro dela e, pelo que via, aquele cara também devia ser um fodedor experiente.
Minha mulher falou ao marido da Lú olhando para o espelho...:
- Vou apagar as luzes e deixar que a luz da lua cheia ilumine o quarto. Já que você vai trair sua mulher e eu ao meu marido, vamos nos curtir na penumbra.
Foram para cima da cama e passaram a se abraçar e se curtir. Eu sentia que era um clima não só de sexo, mas os dois estavam curtindo muito mais do que isto e as palavras me faltam para descrever o que via. Isto foi ficando evidente pelo modo como a Renata lambia o pau dele, lentamente desde o saco até a cabeça. Ele tinha pequenos tremores e ela continuava lambendo aquele pau. Depois ela me disse que enquanto lambia ficava imaginando ele entrando nela e se perguntava quanta porra ele daria para ela.
Eles inverteram e agora era ele que beijava todo o seu corpo até que abriu bem suas pernas e passou a lamber sua buceta já encharcada. Os lábios estavam bem abertos e a língua dele passava de baixo para cima. Ela também começou a ter tremores. Mais um pouco e ele aproveitou que ela estava de pernas aberta e passou a fodê-la.
Ele acelerava e diminuía quase parando e eles se beijavam. Voltavam e meter e começaram a se provocar começando pelo marido da Lú:
- Porra, você é muito gostosa, teu marido é um sortudo. Ele te fode sempre?
- Fode, mas agora eu quero que você me foda e me arrombe a buceta. Puta merda que gostoso é o teu pau.
O marido da Lù tirou o pau de dentro da minha mulher e a colocou de barriga para baixo. Abriu as pernas dela e foi enfiando o pau na buceta dela por traz. Eu já estava quase gozando vendo aquilo, porque eu também adoro foder uma mulher na buceta deitado por cima das costas dela. É uma sensação deliciosa. Eu me sentia ali fodendo a Renata.
Ele socava forte e se provocavam, mas a Renata olhou para o espelho... ela sabia que eu deveria estar quase gozando e falou:
- Eu adoro ser fodida assim, vai me come gostoso. Eu não estou aguentando e acho que vou gozar. Uhmmmmm.... Tô gozando seu puto. Vai, me fode....
- Eu também vou gozar.... Não aguento segurar mais..... Puta merda.... Toma.....
Gozaram juntos e ele ficou assim por cima dela um bom tempo, depois ficaram de lado, um de frente para o outro e com o tempo começaram a conversar.
- Renata, você é uma das mulheres que mais me excitou. Quem te conhece fora daqui não imagina que você é bem puta na cama.
- Acho que todos nós temos essas duas pessoas. Uma que é julgada pela sociedade e deve agir conforme a s regras gerais e a outra é aquela que brota com o tesão, e se a pessoa não bloqueia pelas convenções, ela conhece o paraíso aqui na terra.
- Sei que você e a Lu conversaram muito e eu fico chateado com a situação dela, que nunca foi muito “metedora”, mas até pouco tempo nos bastava. Agora eu não aguento e se não dou uma “escapadinha” eu vou ficando muito tenso. Ainda bem que chegamos em um acordo e agora está tudo bem administrado. Mas e o teu marido?
- Ele é um metedor do caralho, mas é ciumento e por isto esta será uma ocasião única para nós dois e eu estou aproveitando o máximo com você. Eu estou adorando o teu pau e quero mais. Mas quero te fazer uma pergunta que a Lú não me falou. Ela dá a bunda para você?
- Já tentei, mas ela disse que tenho um pau muito grande e que ela não aguenta.
- Eu gosto de dar o cú para uma pica grossa, mas tem que foder mesmo, sem dó. Você quer tirar o atraso...
- Meu deus, hoje eu morro de tesão e de gozar. Eu vou te arrombar, mas depois não deixa o teu marido ciumento ver porque ela vai desconfiar.
Novamente começaram as carícias e as chupadas. Desta vez foi a minha mulher quem comandava a foda. Ela para ele e disse:
- Vem, lambe meu cú e depois deixa eu te foder um pouco. Ele a lambeu e depois foi ela que o colocou de costas na cama. Com uma das mãos ela direcionou o pau dele para seu cú e foi sentando deixando ele enterrar totalmente.
Ele fez como ela pediu e logo o pau dele estava totalmente dentro dela. A partir daí (eu conhecia bem) ela passou ao comando da foda e acelerava, diminuía, como ele tinha feito quando estava por cima dela e comandando a primeira foda.
Mas o cara não queria deixar por menos e quando ela levantava um pouco a bunda era ele que metia. O primeiro gozo ajudava a segurar o segundo.
Eu não acreditava no tempo que estavam metendo sem gozar. Eles viraram e agora ela estava por baixo e ele a fodendo como na primeira vez, mas agora fodia o cú dela.
Renata gemia e ele provocava:
- Você não queria dar o cú? Foi você quem pediu para eu te arrombar. Está gostando sua putinha.
Em um determinado momento eu vi a Renata olhar para o espelho como se me dissesse:
- Ele está me fodendo querido e eu estou quase gozando. Vou gozar pensando em você.
Depois o sacana do marido da Lú a recolocou de quatro e voltou a foder o cú dela. Os movimentos aceleraram e os dois explodiram num gozo enorme. Gemendo e ofegando ele tirou o pau do cú dela todo esfolado e escorreu um mar de porra.
Caíram na cama esporrada e ficaram um pouco em silêncio, depois minha mulher falou com o marido da Lú:
- Acho que você deve ir, porque daqui a uma hora chega meu marido e não quero nem pensar de nos encontrar aqui, e eu tenho que limpar isto tudo.
Ele saiu rápido e até sem tomar banho, afinal a sua mulher sabia onde ele estava e provavelmente iriam conversar.
Depois que ele saiu eu saí do quartinho e fui tomar banho com a Renata, porque não aguentei esperar para fodê-la, eu tinha gozado lá dentro com a cena que vi.
Nunca mais aconteceu outros encontros entre a Renata e o marido da Lú, porque ele até tentou, mas ela cortou e tudo morreu ali.
Aguarde o 5º e último caso......


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
13894 - QUARTO FALSO 5
13891 - SURPRESA!!!!
12951 - TROCA DE CASAIS
 


Próximo Conto

QUARTO FALSO 5