FUDENDO CABRITAS


BY: Denar
Sou o Ailton tenho 50 anos fui criado no sitio em tempo escasso d mulheres , tempo em que ser virgem para a mulher era honra , diferente dos tempos de hj que honra é fuder cedo , pois bem eu ainda um garoto tinha que bater umas 3 a 4 punhetas por dia , mas isso era foda pra mim então como tínhamos amigos e sabe moleque apronta e se bobear um come o cu do outro , foi ai que conversando um deles falou que comia a eguinha do pai dele , eu ficava em um coberto onde as cabritas gostavam de ficar ali eu armava a rede e certo dia eu estava ali deitado na rede derepente o bode começa a trepar em uma cabrita , pois ela estava no cio ele tentou duas vezes e não conseguiu comer ela então me deu um tesão eu separei ela dele e olhei a bucetinha inchada foi ai que com o pau trincando coloquei na porta da buceta dela que estava saindo até liquido e penetrei , sentia a buceta piscar no meu cacete eu grudado nela fudendo e o bode do outro lado doidinho , senti ela gozando no meu pau eu tarado enchi a buceta dela de porra , depois soltei o bode que veio louco e trepou nela ai sim o safado comeu ela gostoso , mas depois disso quando percebia que tinha uma cabrita no cio eu comia , mais gostoso era comer as cabritinhas novinhas , a bucetinha apertadinha , chegava doer o cacete , mas depois de um tempo , meu primo me levou em um bordel ai encontrei a Adélia , esposa de um conhecido nosso , no primeiro dia ela mentiu que era parente da dona eu nem comi ninguém , mas meu primo falou que nada a Adélia faz programa lá , então fui em um sábado e falei que eu queria ficar com ela ela topou e então transei com ela , depois disso fiquei comendo ela sem pagar nada por 5 anos , mas as vezes eu ainda comia uma cabrita.


Foto 1 do conto: FUDENDO CABRITAS



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
13506 - A MULHER DO PM
13529 - CASAL NA VARA
 


Próximo Conto

CHEIRO AS CALCINHAS DA MINHA FILHA