UM FINAL DE SEMANA INESQUECÍVEL


BY: kellyfe
Oi Amores, estou de volta com mais uma historia que aconteceu comigo ha algum tempo atrás. Mais antes de começar contar quero me desculpar pelo tamanho do conto, mais eu não curto contos divididos em capítulos a não ser aqueles que acontecem com algum espaço entre eles. Mas esse aconteceu tudo em um único final de semana, por isso coloquei tudo aqui. Espero que me entendam ok.

No inicio de 2013 eu trabalhava em um curso de Administração e informática, e umas das nossas professoras ficou doente com dengue e precisou se afastar por 15 dias e não havia ninguém pra substituí-la, e por causa do movimento de alunos que não estava muito bom, os diretores resolveram a não contratar ninguém para o lugar dela e pediram pra que eu assumisse as aulas por aqueles dias, embora eu nunca ter dado aulas, eu sou formada em administração de empresas e era justo a matéria da professora que ficara doente. Então depois de pensar e passar um nervo danado acabei por aceitar a tarefa. No primeiro dia de aula a minha supervisora me acompanhou para me apresentar aos alunos, pois mesmo eu trabalhando já ha algum tempo lá eu quase não tinha contato com eles. Passados as apresentações ela foi embora e eu comecei conversar com os alunos pra conhecê-los melhor. Na sala havia mais mulheres do que homens, que por sinal elas todas eram lindas, todas na faixa de 25 a 30 anos, já que o curso era profissionalizante. Mas uma delas me chamou mais a atenção, não pela beleza e sim porque durante o tempo que fiquei conversando ela não tirava os olhos de mim, parecia que até iria me comer com seus olhos, e assim foi durante toda a semana. Um dia no intervalo das aulas eu estava no barzinho que tinha na escola tomando um refrigerante e conversando com os professores, e passou aquela mulher, que naquele dia estava mais bonita do que nos dias anteriores e toda cheia de estilo, então perguntei para uma das professoras quem era aquela guria, ela me disse que seu nome era Thais e que era aluna nova na escola, pois naquela semana havia começado alguns novos alunos, fiquei um pouco encabulada, pois ela me olhava demais, que mexia comigo, o pior era que eu também a olhava e ela me pegou olhando. E passei o final de semana, sem tirar aquela garota da cabeça e sentido umas coisas estranhas dentro de mim. Começou a outra semana e as coisas continuavam do mesmo jeito e só pioravam, mas eu mantinha minha discrição, até que na sexta feira que seria o meu ultimo dia de aula, os alunos me chamaram pra ir com eles num barzinho, pois eles queriam fazer uma festa de despedida pra mim. Eu dei risada e falei que não precisava de festa pois eu mesmo se dar aula pra eles eu iria continuar na escola. Mas eles insistiram tanto que não tive com recusar. Então aceitei e fui pra casa tomar um banho e me trocar. Sai do banho e me vesti com uma roupa básica do dia a dia. Cheguei no bar mas ainda não tinha chegado nenhum dos alunos, me sentei, pedi uma bebida e fiquei ouvindo a música que tocava que por sinal era linda e me peguei pensando naquela garota, quando eu sinto um toque suave no meu ombro que me arrepiou toda quando vi que era a
Thais que estava toda linda ali sorrindo e perguntando se ela podia sentar comigo, fiquei um pouco em silencio olhando pra ela meio que fascinada, sem saber o que fazer, ela notou o meu nervosismo e me perguntou se eu estava bem, eu olhei firme nos olhos dela e respondi que tirando o meu nervo o resto estava tudo bem e sorrindo de leve, sem querer pensar no que eu sentia naquele momento. Então ela sentou e começamos conversar e em uma dado momento começou me falar que sentia alguma por alguém coisa que ela não sabia dizer o que era e aquilo a estava consumindo, e por ser covarde pra assumir e falar dos seus sentimentos ela ficava só na vontade, então eu disse que eu não seria uma boa conselheira mas seria bom ela abrir o jogo e falar tudo para a pessoa, ela me disse que não conseguia fazer aquilo pois tudo era novo e intenso pra ela e que ela nem dormia direito e nem fazia nada como antes. Então passamos algum tempo conversando sobre outras coisas, até que o pessoal chegaram e mudamos de assunto. Mas eu não deixava de pensar naquela garota e na nossa conversa. As conversas e as nossas brincadeiras fizeram passar as horas tão rápido que quando percebemos já era mais de meia noite e o pessoal foi se despedindo pra ir embora e só restamos nós duas no bar. Conversamos mais um pouco e saímos pra irmos embora e eu perguntei se ela estava com alguma condução e ela disse que iria pegar um taxi, pois ela morava um pouco longe e naquele horário já não havia mais ônibus. Então eu disse que a levaria então ela entrou no carro e antes de eu sair pra irmos embora ela me olhou e perguntou se ela poderia fazer uma coisa que a muito tempo sentia vontade e não fez por covardia, eu até me assustei com aquelas palavras mas disse que sim. Então ela se aproximou e me beijou bem molhado, eu já sentia tesão só por vê-la na escola, fiquei ainda mais naquele momento e o beijo foi ficando mais intenso e profundo, e com minhas mãos percorri todo seu corpo e ela fazia o mesmo comigo, eu até já havia esquecido que ainda estava num estacionamento movimentado, então brequei os nossos ânimos e disse pra ela ir devagar pois aquele lugar não era próprio pra fazermos aquilo. Ela me pediu desculpas, eu disse que ela não precisaria se desculpar, e perguntei com quem ela morava, ela respondeu que morava com seu irmão e sua cunhada e que fazia pouco tempo que eles haviam se mudado pra minha cidade. Eu com um sorriso disse que seria pretensão da minha parte e a convidassem pra ela ir pra minha casa e ela deu aquele sorriso safado e disse que aceitaria com prazer conhecer minha casa e talvez minha cama. Ai fui eu que dei um sorriso safado e liguei o carro e logo chegamos em casa. Falei pra ela sentar que eu iria pegar uma bebida pra nós, fui à geladeira e peguei uma garrafa de vinho e sentei ao seu lado no sofá pra conversarmos um pouco. Então me levantei e disse que iria tomar um banho e fomos para o meu quarto, tomei meu banho e ela disse se poria também tomar, eu disse que sim e que a aguardaria na cama ansiosa. Então me deitei só de calcinha, com a toalha me cobrindo e acabei cochilando fui despertada ao sentir uma mão puxando a toalha do meu corpo, então abri os olhos e me deliciei ai vê-la com um sorriso nos lábios, só de toalha eu me sentei, e ela sentou meu colo, arranquei sua toalha e me deliciei ao ver os seus lindos seios, e sem resistir eu os acariciei e dei um beijo demorado na sua boca, fui descendo pelo pescoço ate chegar com minha neles e abocanhei um, enquanto acariciava e apertava o outro e com a outra mão fui descendo pelas suas costas e barriga até chegar na sua buceta lisinha, ela gemia e sussurrava palavras desconexas que me fazia sentir mais tesão ainda, votei para sua boca enquanto brincava com meus dedos no seu grelinho novamente, então ela me empurrou fazendo com que eu deitasse e colocou sua perna entre as minhas começando se esfregar em mim enquanto me beija e sugava meus seios, eu estava ficando enlouquecida com aquilo e passava minha mão por suas costas sem parar com a outra no seu grelo. Então paramos de beijar e fui descendo beijando seu pescoço, barriga e seios. Até chegar na sua virilha, e quando encostei minha língua nos lábios carnudos e rosados da sua buceta ela soltou gemido alto e sorriu dizendo pra que eu não paresse e continuasse a minha exploração, e com seus olhos fechados forçava sua buceta na minha boca que parecia que ela queria que eu a entrasse toda dentro dela e virasse do avesso. A sensação minha língua explorando aquela caverna, me fazia enlouquecer, aumentei o meu ritmo e também coloquei dois dedinhos junto na sua gruta, então depois de alguns minutos ela gozou e eu sentindo seu melzinho escorrer em minha boca suguei tudo, deixando sua buceta sem nenhum resquício do teu gozo.

Subi até ela dei um beijo delicioso na sua boca deixando ela se recuperar. Então após alguns segundo foi a vez dela me explorar toda. Desceu com sua boca até meus seios começando a lamber e chupar meus mamilos, enquanto sua mão macia passeava pelo meu corpo e logo chegou na minha bucetinha faminta por carinho, ela começou a chupá-la e introduziu dois dedos nela, fazendo que eu gemesse com sua boca ágil devastando minha caverna com frenesi, fazia movimentos leves e circulatórios que me entrar em êxtase e cravar minhas unhas afiadas nas suas costas de um jeito que a fazia enlouquecer, fazendo ela acelerar seus movimentos e me colocando contra a parede, socava seus dedos no meu cuzinho, me fazendo gemer e explodir num gozo alucinante. Então saímos da cama e fomos tomar outro banho juntas, nos ensaboamos e nos beijamos cada parte dos nossos corpos, terminamos o banho e enquanto nos secávamos ela perguntou se eu tinha gostado do que fizemos, se fora como eu tinha imaginado. Então eu falei que foi a melhor transa que tive até aquele dia e que ela tinha me levado para as nuvens literalmente, ela sorriu e voltamos pra cama e dormimos agarradinhas até as 10 da manhã. Olhei pra ela e vi que já estava acordada mais seus olhos estavam fechados como que estivesse pensando em alguma coisa pra me falar, então lhe dei um beijo e perguntei em que ela estava pensando de tão importante. Então ela virou pra mim me fazendo um carinho disse que depois daquela noite ela ficou com uma duvida enorme que estava martelando sua cabeça, pois ela era noiva, e que aquela foi a primeira vez que ela o traíra, continuou dizendo que a pesar de gostar do seu noivo ela ficou enfeitiçada por mim e por isso ela estava na dúvida. Então mesmo eu ter ficado um pouco triste com o que acabava de ouvir, dei-lhe outro beijo e falei pra que deixássemos nossos sentimentos e destinos decidir por nós e puxando ela pelas mãos a levei até a cozinha pra tomarmos o café da manhã. Durante o café eu perguntei onde estava o seu noivo e ela respondeu que ele havia viajado até sua cidade pra visitar sua mãe que não estava bem de saúde. Eu disse que então naquele final de semana estaríamos livres pra nos divertirmos a bessa, e dei uma gargalhada que ela acompanhou concordando. Ai eu a convidei pra darmos um passeio na cidade vizinha, pois lá a noite era muito animada, ela aceitou meu convite e disse que primeiro teria ir até sua casa dar uma satisfação para seu irmão e trocar de roupa. Então eu a levei até sua casa e voltei pra organizar a minha e também preparar a minha roupa. Quando foi umas 15 horas eu liguei pra ela, que me falou que já estava pronta. Eu disse que ela me esperasse que eu logo estaria em sua casa e que era pra ela levar mais roupas pois nós iriamos dormir por la. Meia hora depois eu já me buzinando na porta da sua casa, ela então apareceu vestindo uma minissaia jans bem justa, uma blusa decotada e uma jaquetinha preta que a deixava linda e muito sexy. Ela entrou no carro e me deu um beijo carinhoso no rosto e seguimos para o nosso destino e chegando lá passamos em frente de uma night clube que havia um anúncio dizendo que naquele final de semana seria a noite da minissaia e que mulheres que estivesse usando minissaia não pagaria a entrada. Eu olhei sorrindo e falei que ela já estaria pronta pra balada, mas eu teria que comprar uma minissaia, pois eu não havia levado. Mas primeiro fomos procurar um hotel pra dormirmos e parei numa lanchonete pra me informar, então pedi uma bebida e perguntei ao garçom e ela me indicou uma pousada que havia ha uns 2 km fora da cidade que iriamos gostar. Paguei as bebidas agradecendo o pela informação e segui para a tal pousada, chegando lá percebemos que o tal garçom estava com a razão, pois realmente era muito aconchegante, nos instalamos e saímos pra comprar a minha minissaia, pois eu não perderia aquela balada por nada. Encontramos a uma loja de roupas e compramos a tal, ela era bem transada e curtíssima, aproveitei e comprei também uma blusinha decotadíssima que valorizava e deixa meus seios bem a mostra. Thais tinha seios grandes e durinhos como os meus, saímos da loja e fomos dar uma volta na cidade e encontramos uma lanchonete bem badalada. Paramos lá e sentamos, pedindo uma cerveja e começamos conversar animadas até dar o horário da balada. Fui até o banheiro e coloquei a minissaia, a blusinha, retoquei minha maquiagem, arrumando meus cabelos e voltei pra mesa dando risada e fui acompanhada por Thais. Eu disse que naquele momento sim estávamos bem produzidas para a night. Quando foi umas 21 horas ouvimos o pessoal dizer que já estavam indo para a boate e nós também fomos. Chegamos lá e vimos que o lugar era bem transado com muitos gatos e gatas de minissaias por todo lugar. Entramos e sentamos numa mesa próximo à pista de dança que nos faziam ser muito observadas por homens e principalmente por mulheres e imaginávamos que talvez era por ciúmes ou coisa parecida. Pedimos um drinque e fomos dançar. Logo que chegamos à pista fomos cercadas por três garotos entusiasmados e pra não ficar chato, começamos a dançar juntos e ficando na pista por um bom tempo. Eu e Thais apenas sorriamos vendo aqueles garotos exibirem pra nós. Dali a pouco chegaram quatro garotas e juntaram a nós e logo pegaram os garotos e saíram e a outra ficou dançando com agente e quando começou tocar uma música que não gostávamos eu disse pra Thais irmos para a nossa mesa e convidei a guria pra nos acompanhar, ela aceitou e sentamos pra curtir mais um pouco, nos apresentamos e a garota disse que se chamava Cleonice, mas que todos a chamavam de Cléo. e se mostrou muito educada e pediu uns dinks pra nós e apesar do som alto conversamos animadas. Ela disse que estava ali só mesmo pra distrair a cabeça, pois naquele dia tinha terminado um noivado de 5 anos e pra não ficar se lamentando em casa era resolvera ir pra balada e que a partir daquele dia ela não queria mais saber de homens em sua vida e completou que se encontrasse uma mulher naquela boate que topasse ela transaria com muito prazer pois ela estava num fogo que parecia explodir. Eu e Thais nos olhamos como que admiradas, então eu disse para a Cléo que por falta de uma mulher ela encontrara duas que estavam muito afim. E que se ela interessasse nós estávamos hospedadas na pousada. Ela deu um sorriso safado e disse que toparia com certeza. E quando deu 1 hora da manhã, resolvemos ir embora, chegando na pousada, eu falei com o recepcionista que a Cléo era nossa amiga, paguei a sua diária e subimos para o quarto e começamos tomar um vinho e conversar. Thais levantou e foi ao banheiro e me aproximei da Cléo, fazendo um carinho e dei um beijo molhado bem gostoso nela, disse no seu ouvido pra ela colocar sua mão na minha buceta pra ela sentir como estava muito molhada, ela obedeceu e pode ver que realmente eu estava ensopadinha. Ai eu peguei nos seus dedos molhados colocando os em sua boca pra ela provar do meu melzinho. E percebi que a Cléo estava ficando muito excitada. Depois disso, nós caímos na cama e começamos nos beijar e passar nossas mãos uma na outra. E em poucos segundos, eu a ela estávamos roçando nossas bucetas, quando Thais saiu do banheiro. Eu e a Cléo que já estávamos muito excitadas, quase explodimos de tesão quando vimos aquela deusa em nossa frente pois ela estava sem roupas e usava apenas uma calcinha fio dental minúscula. Nesse momento meu tesão foi a mil. A Thais só olhou pra gente na cama, com uma cara bem safada, deu tapinha na minha bunda pois eu estava de bunda virada pra ela montada em cima da Cléo, então eu a chamei de puta e falei que seu tapa tinha doido e marcado minha bunda macia. Ela então me agarrou e me de um beijo de língua bem melado. Eu retribuo aquele beijo maravilhoso e caímos do lado da cama deixando ela entre eu e Cléo, que quando percebeu aquilo a abraçou por trás e ficamos assim um bom tempo acariciando nossos seios. Depois de um tempo tirei minha saia e falei pra Thais e a Cléo chuparem juntas a minha buceta. Então me deitei de costas na cama com as pernas arreganhadas e as duas me chuparam deliciosamente. Eu sentia várias cuspidinhas que escorria na minha buceta até meu o reguinho, que me deixavam ainda mais meladinha. Então a putinha da Thais levantou minhas pernas e começou chupar meu cuzinho também enquanto Cléo se deliciava na minha gruta encharcada. E logo acabei gozando na boca da Cléo, e a Thais continuava chupando meu cuzinho com sua boca e sua linguinha deliciosa. Depois que gozei naquela posição, e já refeita do cansaço, me levantei e fui até minha bolsa e peguei meus dois brinquedinhos sendo um strapon (cinto com cacete de silicone) e um plug anal e disse pra elas me foderem ao mesmo tempo com eles. E elas adoraram a ideia e pegaram um cada e Cléo escolheu o Strapon e o prendeu nela. E me beijaram e lamberam muito os meu cuzinho e minha buceta pra que ficassem mais lubrificados que já estavam. E Cléo me perguntou se eu estava gostando e eu só respondia que estava adorando tudo e que queria que elas me fodessem bem forte. Então Cléo pegou a garrafa de vinho e derramou nos meus seios, barriga que escorria até minha buceta e meu cuzinho. Aquilo foi me deixando maluca, pois o contato do vinho com minha bucetinha e meu cuzinho me dava um tesão incontrolável. Depois disso as duas começaram me chupar uma de cada lado indo dos seios até embaixo. Então Cléo deitou de costas e eu sentei de frente pra ela com minha buceta em cima daquele pau de silicone e quando entrou completamente eu fui me posicionando pra que Thais pudesse me comer também com o plug anal, e ela foi forçando na entrada do meu cu. Conforme ela forçava, cuspia no meu cu e me dava tapas na bunda dizendo pra que eu abrisse bem meu cu pra ela me foder gostoso, empinei um pouco minha bunda sem parar de rebolar no cacete da Cléo. E aquele plug foi penetrando meu cu me fazendo um pouco de dor mas senti que ele logo encaixaria conforme meus movimentos. Aquela sensação de estar sendo arrombada me deixava alucinada. Assim que o plug entrou, eu e Thais demos um grito quase ao mesmo tempo de felicidade, e sem parar de rebolar dei um beijo molhado na boca da Cléo, ela então depois do beijo me deu um tapa no meu rosto e falou que estava amando me ver sendo arrombada daquele jeito. Então olhei pra trás e chamando a Thais de puta safada disse pra ela meter mais rápido, pois eu queria gozar gostoso. Ela entendeu o recado e deu umas cuspidas e socou bem rápido fazendo com isso eu aumentasse meus movimentos com a Cléo, que me dava tapas no rosto e me chamava de puta vadia, vagabunda e safada, aquilo estava delicioso demais. Eu me sentia completamente entregue para aquelas mulheres deliciosas. E ficamos assim por quase 10 minutos até que eu explodi num orgasmos delicioso e senti minha buceta inundar completamente, senti que também lambuzei o pau que a Cléo usava. Thais então tirou o pau do meu cu e senti meu cuzinho todo arrombado. Então Cléo me puxou me dando um beijo gostoso e eu retribuo da mesma forma. Assim que eu saí de cima dela, caí ao seu lado na cama e Thais caiu de boca naquele pau melecado e chupou todo o meu mel que estava nele. E Cléo a puxou pelos cabelos forçando a engolir aquele pau com sua boca e fazendo ela quase engasgar. Eu fiquei observando as duas, me refazendo da dor no meu cuzinho e recuperando meu fôlego. E Cléo muito cansada, tirou a cinta e deu pra eu vestir, e logo que me aprontei e deitei na cama. A Thais como louca pulou em cima de mim e falou pra que eu a fodesse como a Cléo havia-me fodido. E Já foi colocando aquele pau que ainda estava lambuzado com a saliva dela e começou fazer movimentos lentos de sobe e desce. Então levantei um pouco e comecei dar tapas na sua bunda e falei vai minha puta safada rebola e engole esse pau com sua buceta faminta. Cléo vendo aquela safadeza e começou se tocar de leve com o plug.
E eu pagava com a mesma moeda dando alguns tapas no seu rosto e a chamava de cadela vadia e ela me pedia beijos na boca e dedos no seu cu. E Cléo ouvindo aquilo, aproveitou e foi por trás da Thais e começou chupar o seu cuzinho. E quando ela sentiu a língua no seu cu, ela deu um suspiro e disse pra Cléo chupar seu cu bem gostoso e Cléo falou pra ela rebolar bem gostoso que ela iria foder aquele cusinho lindo como ela fez comigo. E deixando seu cu bem lambuzado Cléo pegou o plug e começou enfiar no seu cuzinho todo babado. Quando ela sentiu o plug entrando no seu cu ela deu um grito e chamando a Cléo de piranha safada falou pra que ela arrombasse o seu cu bem rápido e forte. E Cléo começou enfiar o plug no seu rabo, que entrou bem mais fácil do que no meu. Assim que encaixou, ela deixou o plug no seu cu e foi pra frente da Thais e começou a beijá-la e encaixou sua buceta na minha boca e começou rebolar, eu estava adorando ver aquilo tudo, e fiquei só esperando ver a Thais gozar no meu pau, e a Cléo na minha boca. A Thais gemia e pedia toda hora pra Cléo a beijar e que queria sua língua dentro da boca. E eu aproveitava para chupar a buceta da Cléo e ainda devolver os tapas que Thais havia me dado no rosto. Thais estava enlouquecida e pedia para Cléo chupar seus seios. Pouco tempo depois, ela começou a aumentar o ritmo da rebolada e gritar que estava gozando E Cléo também gritou me pedindo para enfiar minha língua toda com força dentro dela, que ela também estava gozando. Eu obedeci e meti tudo dentro dela, que logo explodiu num gozo delicioso, Thais também gozou muito no meu pau. Então Cléo saiu de cima da minha boca e eu puxei a Thais pelos cabelos e dei um beijo de língua delicioso. E ela ainda montada em mim, tirou o plug que estava no seu cu e colocou na minha boca pra eu chupar, e eu com uma cara mais safada do mundo, abocanhei aquele plug chupando tudo, e falei que agora era a vez da Cléo ser fodida por nós. Thais ainda em transe pelo orgasmo que tivera, saiu de cima de mim e falou pra Cléo ficar de quatro que ela e eu iriamos fazê-la sentir o mesmo prazer que sentimos. E Thais me ajudou tirar a cinta e colocou nela. Eu olhei para a Cléo e percebi que sua buceta estava toda melada. E não resisti ao vê-la daquele jeito deitada de costas pra cama com as pernas arreganhada, caí de boca no seu grelo. Ela então falou pra que eu a chupasse bem forte, e eu a chupei como ela pedia. Sua buceta parecia um vulcão derramando larvas deliciosas. Então eu me levantei e peguei a garrafa de vinho e servi três taças e bebemos calmamente. Então Thais terminou de beber e com calma deitou de costas na cama e chamou a Cléo que naquele momento tinha acabado de beber seu vinho, então ela montou na Thais e encaixou sua buceta naquela vara incansável e foi descendo e subindo e eu ainda estava sentada na cama saboreando minha taça de vinho com o gostinho do melzinho da Cléo ainda na minha boca. Ai quando terminei fui me aproximando delas e dei um beijo na boca da Thais e fui descendo chupando seus seios fazendo ela gemer gostoso. Até que cheguei na bucetinha da Cléo que já escorria um melzinho delicioso, eu dei umas chupadinhas e lambidas e fui subindo pelo seu corpo, chupei um pouco seus seios que apezar de duros balançavam de acordo que ela subia e desci no cacete da Thais. Então fui até seu ouvido e falei baixinho pra ela empinar bem a bundinha que eu iria foder seu cuzinho bem gostoso. Ela não falou nada, apenas deu um sorriso e soltou seu corpo em cima da Thais, empinou sua bunda e com suas mãos abriu bem o seu cusinho pra mim. Então peguei o plug anal, dei cuspidinha no seu cuzinho que até já piscava de vontade de ser fodido, fui enfiando de leve. Ai forcei mais um pouco e logo aquele cu delicioso engoliu o plug ficando bem encaixadinho. Então fui pra frente delas e comecei beijá-las e dar uns tapinhas naquelas carinhas safadas. E logo senti que a respiração da Cléo ficava ofegante mostrando que iria gozar a qualquer momento.

Ela então começou gritar e fazer movimentos cada vez mais rápidos no cacete, dizendo que iria gozar. Ela então acelerou mais seus movimentos e explodiu num gozo frenético, gemendo e se contorcendo de prazer igual uma cadela no cio. Assim que ela parou de se contorceu, eu tirei o plug do seu cu e coloquei e sua boca pra que o lambesse e sentisse o seu gostinho. Depois de vários orgasmos, tomamos um banho delicioso juntas e fomos para a cama dormir pois já era 6 horas da manhã. Acordamos já era quase meio dia, relaxadas e saciadas. Arrumamos nossas coisas e deixamos a pousada, pois a diária venceria ao meio dia. Saímos de lá e fomos a um restaurante almoçar. E as três sempre sorrindo pelo final de semana que passamos. Ficamos combinadas que repetiríamos aquela aventura a qualquer dia mais infelizmente não pode rolar porque as duas acabaram se juntando, mudando de cidade e eu nunca mais tive noticias delas.

Visitem meu novo site que esta bombando




Foto 1 do conto: UM FINAL DE SEMANA INESQUECÍVEL

Foto 2 do conto: UM FINAL DE SEMANA INESQUECÍVEL

Foto 3 do conto: UM FINAL DE SEMANA INESQUECÍVEL

Foto 4 do conto: UM FINAL DE SEMANA INESQUECÍVEL

Foto 5 do conto: UM FINAL DE SEMANA INESQUECÍVEL

Foto 6 do conto: UM FINAL DE SEMANA INESQUECÍVEL



Comentarios
amei Comentado por:incestuoso em 21/05/2017 11:51
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
11309 - UM AMOR VIRTUAL
 


Próximo Conto

Meu amiguinho do colégio