A nossa primeira vez


BY: MAXCUCKOLD
Tenho 47 anos, sou mulato 1,70 70 kg e estou em forma. Minha esposa 45 anos, 1,53 48 kg, branquinha, cabelos castanhos, olhos verdes, pezinhos tamanho 33 que ela adora esfregar em um cacete, seios fartos assim como a bunda, além de uma xotinha deliciosamente molhada e quente. Nossas trepadas sempre foram intensas e cheia de tesão desde de nosso tempo de namoro. Com o passar do tempo procurávamos incrementa las com criatividade: metíamos no carro, no banheiro de cinema e boates, elevadores e onde mais desse vontade. Não demorou muito começamos a fantasiar transar com mais parceiros, muito embora ela não pudesse nem pensar em me dividir com outra, eu cada vez mais fantasiava vê la com outro(s), e logo notei que isto sim a excitava bastante. Quando transávamos, eu falava no seu ouvido , que adoraria dividi la com outro macho, vê la chupando outro caralho,ou mesmo saber que ela fodeu com outro, enfim, que queria ser corno. Ela delirava e gozava muito ouvindo isto, e eu claro, também. As vezes conversávamos sobre a fantasia fora da cama e ficou claro que se acontecesse seria por acaso sem planejar ou forçar. Bom e não é que foi assim mesmo! Certa noite voltávamos de uma festa de casamento já de madrugada, ela estava linda, com um vestidinho preto justinho e salto alto deixando as pernas da baixinha ainda mais lindas e torneadas. Não resisti e paramos em um lugar mais afastado e deserto à aquela hora e começamos anos pegar, num determinado momento saímos do carro, coloquei-a apoiada sobre o capô, tirei sua calcinha, levantei a saia e liberei seu seios. Ela arrebitou a bunda e passei a lamber seu cuzinho e sua boceta, que estava encharcada. Logo estava fodendo aquela delícia com estocadas fortes que a deixavam alucinada. Mais ainda porque percebemos que mesmo ao longe passava um ou outro madrugador que ficavam algum tempo nos observando e isso estava nos deixando com cada vez mais tesão e me enchendo de esperança de ver outro comendo minha putinha, quem sabe? E não é que surgiu um camarada em uma moto e parou a uns dez metros de onde estávamos e ficou a nos observar e claramente alisando o pau por cima da calça. Minha mulher empurrou a bunda contra mim e passou a rebolar com força e encarar o sujeito, por um momento fiquei surpreso com sua ousadia, mas feliz porque estava descobrindo que ela era mais putinha do que eu pensava. Então não pensei em mais nada, só em ver outro fodendo aquela bocetinha gostosa onde meu pau se encontrava, ainda mais que o rapaz, tinha boa aparência e a esta altura já tinha colocado o dele pra fora se punhetando e mesmo à distância dava pra ver uma bela ferramenta. Fiz sinal pra que se aproximasse ao mesmo tempo que percebia a xota cada vez mais melada, quase gozo só de lembrar. Aí minha puta me surpreendeu mais ainda, assim que a outra pica esteve ao alcance, agarrou com as duas mãos e começou a se deliciar com ela. Punhetava, alisava, massageava as bolas, até finalmente cair de boca durante bom tempo.Cena mais linda! Então me olhou firme e perguntou se podia dar pro outro, pois queria sentir aquele cacete diferente dentro dela. Imediatamente cedi meu lugar ao rapaz que tirou uma camisinha do bolso, encapou a pica rapidamente e se ajeitou atrás de minha esposa segurando nas ancas dela, e começou a fodê la, primeiro de forma suave e a medida que sentia o quão molhada e macia estava aquela buceta passou a estocar gradualmente mais forte, até que minha mulher de olhos fechados enquanto gozava sei lá quanto, começou a dizer pra mim que eu era um corno, que tinha outro macho comendo ela na minha frente e que ela estava gostando, que a partir de agora eu iria ser o mais corno dos cornos pois ela iria meter com quem quisesse. Nisto o rapaz começou a gemer e gozar e eu que já estava me segurando a muito coloquei o pau na e gozei também na boca de minha safada. O macho então se recompôs e se foi sem dizer palavra. Entramos no carro e nos dirigimos pra casa. Minha esposa meio calada, me deixou até meio ansioso, mas de repente me olhou com um enorme sorriso, me beijou e disse que me amava por que eu sempre sabia como deixa la feliz. Eu delirava, pois a experiência de ver minha mulher trepando com outro, superou qualquer expectativa. Espero que gostem e se inspirem com este conto. Logo retornarei contando outras de nossas aventuras.




Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

MEU AMANTE IVISIVEL 10 PARTE