Adorei a promoção da vivo - saindo novamente com a vendedora


BY: PolicialSafado

Ola, venho contar outra experiência sexual vivida por mim, novamente com a Aline, vendedora da vivo, Loira, 1,65 aproximado de altura, corpo lindo, pernas grossas e com belas curvas, casada com Igor, um cidadão simples e que não sabe cuidar de uma bela mulher como a que tem, isso pelo que ela mesmo disse.
Vcs devem ler o outro relato "Adorei a promoção da vivo", para saber do que estou falando, apos a aventura do outro conto, continuei a conversar com a Aline via Whats, e minha esposa também, fiquei sabendo que elas haviam ido ao shopping aqui na minha cidade e feito compras em uma loja de lingerie, comprado algumas especiais para mim, as da minha esposa eu já havia visto e aprovado, mas a da Aline ainda não, mas ela havia me dito que queria me mostrar e fazer algo especial.
Ela e minha esposa haviam combinado de neste domingo 10/08 iriam fazer um desfile especial para mim e depois haveria uma festinha particular, daquele jeito, bom no domingo, por volta das 15h, minha esposa recebe uma ligação da minha sogra, Inês, esta relatando que meu cunhado havia aprontado novamente e pedindo ajuda para minha esposa, eu disse para ela ligar para a Aline e combinar outro dia, mas ela disse que não, que era para eu pega-la no terminal como combinado e fazer as vezes de anfitrião, que ela iria na casa de sua mãe e tentaria voltar o mais rápido possível.
No horário marcado, fui eu até o terminal e logo avistei aquela deusa, loira, estava em uma vestido curto vermelho e uma sacola nas mãos, ao me ver já deu aquele sorriso e veio em minha direção, me abraçando e beijando deliciosamente, adentrou ao carro e já pude ver que estava com uma calcinha toda de renda vermelha, bem pequena, pois ao se sentar sua saia subiu e me deu esta bela visão.
Ela vendo o modo que a olhava disse que era apenas uma mostra, que ela iria fazer um verdadeiro desfile para mim, me dirigi para minha casa e já fui lhe explicando que minha esposa iria demorar, ela com um sorriso no rosto me disse que seria bom, pois poderia me sentir por completo só para ela, que ela adorava ter minha esposa junto, mas que queria poder estar sozinha comigo, que com minha esposa ainda não tinha conseguido se soltar por completo e que nesta noite, se minha esposa demorasse, iria soltar a fera comigo.
Chegando em casa, vejo o carro da minha esposa na garagem e já digo que ela deveria ter resolvido os problemas e iria participar da festa, mas ao adentrar a minha casa, minha esposa estava acabando de arrumar algumas roupas em uma bolsa e apos cumprimentar a Aline com um beijo, disse que o irmão tinha aprontado uma coisa muito grave e que ela iria ter de ficar na casa da mãe para ajudar a ela e seu pai a resolver os pepinos e apoiar a cunhada, mulher do irmão.
Antes de sair, ela passou próximo a Aline e lhe disse que era para aproveitar a noite toda, e que ficasse tranqüila para dormir comigo, pois só no outro dia iria voltar para casa; a Aline muito da safada, lhe respondeu que iria tomar conta de mim, dando aquele sorriso safado com uma cara de puta que vou te dizer, me deixou de pau duro na hora, minha esposa viu aquilo e antes de sair veio e me deu uma chupada deliciosa e depois um beijo ardente e foi embora.
Olhei para a Aline e lhe ofereci uma bebida, ela pediu um vinho, e perguntou onde poderia se trocar, lhe mostrei o meu quarto e fui para a cozinha pegar o vinho na geladeira, coloquei gelo em um balde e dois copos e fui para a sala, a Aline voltou para a sala de salto alto e um ropão, pediu para eu a servir e apos tomar um pouco do vinho, disse que era para eu me preparar para o desfile, ao tirar o ropão, vi aquele conjunto vermelho que ela estava, a calcinha como disse minúscula, mal tampando sua deliciosa buceta, fio dental, o sutiã também pequeno e de renda, que deixavam os deliciosos seios daquela loira quase nus. eu peguei o controle do rádio e como já havia preparado uma trilha sonora romântica, liguei em um volume agradável, ela começou a desfilar e rebolar no ritmo das musicas, fazia movimentos sensuais que estavam me deixando cada vez mais excitado, ela fez um stripe lentamente, dançando um pouco nua a minha frente.
Logo me disse que iria voltar e apos tomar mais um gole do vinho, seguiu para meu quarto novamente, ao voltar estava com uma conjunto de calcinha e sutiã pretos minúsculos, também estava de meia calça tipo arrastão pretas até as coxas e agora salto alto preto, nossa que delicia, ver aquela mulher daquele jeito, ela estava cada vez mais solta, desfilando, se acariciando e se masturbando na minha frente, vou te dizer que ela trocou de roupa umas 7 vezes ainda, na ultima vez, ela voltou com uma lingerie preta, porém o detalhe foi que quando ela se virou para me mostrar sua bunda, percebi um objeto introduzido em seu delicioso cú, ela havia colocado um plug anal e rebolava deliciosamente com aquele objeto na bunda.
Nossa como era a ultima peça, me aproximei logo apos ela tirar a calcinha e retirei aquele plug com minha boca, e logo em seguida dei uma deliciosa lambida naquela gruta deliciosa, ela gemia e se contorcia de prazer, foi quando ela se virou e disse que tinha uma fantasia e queria realizar comigo, eu logicamente lhe perguntei qual seria esta fantasia e ela logo foi dizendo que com seu marido sempre foi um sexo mais comum, sem muitas variações e que ela tinha uma vontade louca de ser dominada e ser humilhada por um verdadeiro macho, que mandasse realmente nela e que a tratasse como um objeto sexual apenas.
Eu lhe disse que isso seria um pouco fora do que eu gosto, pois nunca trato minhas parceiras como objeto, mas sim como companheira, mas disse que iria fazer o possível para lhe ajudar, pois queria muito lhe dar prazer, logo assumi uma postura de dom, mandando ela colocar a ultima lingerie que tinha vindo e a coloquei de quatro ao lado de onde estava sentado e mandei ela permanecer ali que iria em meu quarto buscar algo.
Me direcionei a meu quarto e busquei no guarda roupa uns brinquedos que minha esposa usa com sua irmã e com outras convidadas, que era um chicote, uma coleira, alguns plugs e um pinto postiço que dava para grudar em um lugar para a mulher sentar nele, umas algemas e cordas, mordaça, venda e algumas velas e penas, voltei para a sala e a Aline estava obediente no mesmo lugar que havia deixado, ela observava a minha preparação na sala e a primeira coisa que fiz, foi lhe colocar a coleira, olhei para ela e disse;
- Esta é a minha putinha, vc vai ser obediente, ou vai querer ser castigada?
- Vou ser bem obediente meu senhor - ela respondeu.
_ Vamos ver, putinha - peguei um plug anal e comecei a introduzir naquele delicioso rabo, ela rebolava e gemia, eu lhe dei um tapa na bunda e disse - não quero escutar um barulho putinha, nem mesmo um gemido.
Ela me olhou fundo nos olhos e disse "sim senhor", lhe dei mais um tapa na bunda e deixei aquele plug anal no seu delicioso rabo, mandei ela deitar no chão, apos ela se deitar, amarrei suas mãos e seus pés um em cada ponta da sala, deixando-a de braço e pernas abertas e imobilizados, olhei para ela e disse:
- Agora seu corpo é todo meu, para eu fazer o que eu querer e eu não quero escutar um gemido seu, pois se escutar vc vai ser punida - olhei para sua cara de safada e recebi a resposta.
- Sim, meu senhor, meu corpo é seu, pode fazer o que quiser.
Lhe dei um tapa no rosto, que percebi que ela adorou e lhe disse:
- Não lhe perguntei o que eu posso ou não fazer, lhe disse que seu corpo me pertence agora e vc só pode dizer, sim senhor ou não senhor, e só pode falar o que eu lhe dizer para falar ou responder, sua puta, entendeu piranha?
- Sim, senhor.
- Novamente, não quero escutar um só gemido seu.
Peguei uma pena e comecei a passar em seu corpo, que começou a se arrepiar, passava pelo pescoço, rosto, braços, até que cheguei nos seios, quando passei a pena nos seios ela mordeu os lábios para não gemer, seus mamilos estão duros, brinquei um pouco ali e depois comecei a descer, passando por sua barriga, ela se contorcia e mostrava que estava querendo gemer, mas estava se segurando.
Parei por um instante e fique lhe observando, sua buceta estava encharcada, aquela delicia estava com muito tesão, deixei a pena de lado e peguei um gelo no balde onde estava o vinho, comecei passando em seus lábios e rosto, ela esboçou que iria dizer algo e eu já a repreendi, mandando ficar quieta, passei o gelo nos mamilos dela, nisso ela começou a soltar um gemido, que foi cortado por um tapa no seio, continuei e ela para evitar os gemidos mordia os lábios e se contorcia loucamente.
Finalmente cheguei em sua buceta, que escorria seu delicioso mel, passei o gelo pelos grandes lábios e concentrei ele no grelho, ela não resistiu e começou a gemer:
- Uiiiiiiiiiiiiiiii, que delicia, meu senhor, assim é maldaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaade!
Dei um tapa em seu rosto, dizendo para ela se calar, pois não tinha mandado ela falar ou gemer e introduzi o delo em sua buceta, coloquei duas pedras de gelo naquela deliciosa gruta para derreter lá dentro e já aproveitei e dei aquela lambida, fazendo a puta gemer alto e enquanto eu chupava e lambia sua buceta, movimentava o plug em seu cú.
Ela gemia alto e forte, mas este eu não puni, pois realmente estava delicioso, ver aquela deusa, tentar se conter, mas não conseguindo de tanto tesão, mas logo parei e comecei a observá-la, ver seu corpo se acalmar, aquela visão era uma verdadeira obra de arte, tirei minha roupa e levei meu pau até sua boca e a mandei chupar, devido a estar imobilizada sua movimentação era pouca e eu comecei a foder a boca dela com força, fazendo ela engasgar de vez enquando e ao mesmo tempo enfiava dois dedos em sua buceta, que estava geladinha por dentro devido as pedras de gelo que tinham acabado de derreter lá.
Ela gemia, mas agora era um gemido contido, pois estava com meu pau em sua boca e eu continuava a foder sua boca com força, me afastei um pouco, peguei uma vela e acendi, comecei a pingar a cera derretida no corpo daquela deusa, dizendo que era uma das punições por ela não ter me obedecido, comecei a pingar em sua barriga, percebi uma mistura de dor e tesão, mais tesão que dor, fiz pingar cera em seus seios, principalmente nos mamilos, ela se contorcia e gemia alto, a desamarrei e falei para ela virar, deitando de barriga para baixo e voltei a amarrar aquela deusa.
Com a vela ainda, derramei a cera em suas nadegas, retirei o plug de seu cú e com ele ainda aberto, pinguei cera dentro daquela delicia, ela gemeu mais alto ainda e arrebitou muito a bunda, fazendo que seu cú se arreganhasse mais ainda e eu enfiei a vela em seu cú, deixando a chama para fora e a cera escorrendo na bunda, ela gemia deliciosamente, peguei o chicote e comecei a bater naquela delicia de bunda, sem apagar a vela, deixei a bunda da Aline com algumas marcas do chicote, quando vi que a chama estava bem próxima a bunda, retirei a vela e a apaguei, limpei a cera que estava em sua bunda e a desamarrei.
Mandei ela se limpar, pois ainda havia cera em seus seios e barriga e apos ela terminar, fiquei de pé e com meu pau duro em sua direção, mandei ela me chupar bem, ela estava completamente domada, chupava deliciosamente, peguei um vibrador e introduzi em sua bunda ainda vermelha, ela já havia gozado muito com aquela situação e me chupava com vontade, peguei meu pau e comecei a bater com ele em seu rosto, ela se deliciava, colocava a língua para fora e eu batia com o pau nela, deu uma verdadeira surra de pica naquela puta.
Me deitei e mandei ela vir me cavalgar, ela direcionou meu pau em sua buceta, e se sentou de uma só vez, fazendo meu pau penetrar todo em sua buceta, sentir aquele frescor devido ao gelo e para falar a verdade, estava delicioso, ela rebolava e eu tava alguns tapas em sua bunda e ela rebolava mais ainda desta forma, chegando mais uma vez a gozar.
Fiz ela se levantar e peguei o pinto postiço e o coloquei grudado no chão e mandei ela se sentar nele, o que foi obedecido imediatamente, ela subia e descia naquele pinto postiço e rebolava cada vez mais, fui até o balde de gelo e peguei mais algumas pedra, me aproximei e comecei a passar em seu cú, ela gemia alto e eu enfiei as pedras de gelo naquele delicioso cú e logo em seguida, apos esperar elas derreterem um pouco, enfiei meu pau naquela deliciosa bunda, que delicia, a Aline gemia como nunca gemeu, pois era a primeira vez que estava recebendo dois paus, e que estava adorando ser castigado pelo seu senhor.
Ela gozou forte e eu bombava forte em seu delicioso cú, e dava tapas na bunda dela, isso fazia ela delirar de tesão, chegou até ao ponto de ficar completamente mole apos um gozo fenomenal, eu continuei a bombar em sua bunda e ela sem forças, só gemia de tesão, mal sabia ela que eu tinha preparado uma surpresa, pois aquele pinto postiço que estava em sua buceta era também um vibrador e neste instante eu o liguei, ela gemeu alto e forte, dizendo que era muita maldade fazer aquilo com ela, que estava delicioso, mas que ela não estava mais agüentando gozar mais, eu retirei meu pau do seu cú, mandei ela se levantar, ainda mantendo o postiço na buceta e ligado.
Ela logo entendeu o que eu queria e de pronto começou a me chupar e masturbar ao mesmo tempo, lambia meu pau todo, não resisti por muito tempo e logo enchi a boca daquela deliciosa loira de porra, ela engoliu tudo e limpou todo o meu pau, eu olhei para ela e disse que ela era uma puta um pouco desobediente e que ainda iria ser muito punida em outras ocasiões, ela só dizia sim senhor.
Fomos tomar um banho, onde ordenei a ela me lavar, deixar meu corpo limpo, ela obedeceu, limpava meu corpo com muito carinho, esfregava o corpo dela no meu, estava delicioso, logo acabamos de tomar aquele banho e fomos para a cama, descansar.
Ficamos abraçados, curtindo aquele carinho, ela dizia que tinha se realizado, que estava totalmente satisfeita, que eu a fiz se sentir mulher de verdade, coisa que o marido nunca fez, ela reclamou que ela não se preocupava em lhe dar prazer, que apenas queria foder ela e depois a esquecia de lado.
Acabamos dormindo daquele jeito, pois ela tinha dito ao marido que iria a um curso e só voltaria no dia seguinte a noite e como minha esposa também não estava ela me fez companhia.
Pela manhã, acordo mais cedo que ela, preparou um delicioso café da manhã, ligo para minha esposa para saber como ela esta e passo os detalhes da noite com a Aline, porém recebo a grata noticia de que minha esposa já estava voltando para casa, nisso já aumento o café e deixo a Aline dormir mais um pouco.
Continua...






Comentarios
He he mulher assim, completa, que faz tudo sem frescura, coisa rara no mercado. Comentado por:jonyquest em 31/08/2016 02:35
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

MEU TIO ESTAVA ME OLHANDO