Fetas em familia 4 - Eu o pivo da separação


BY: PolicialSafado
Ola, venho neste relato contar como fui o pivô da separação da Vitoria, a filha da prima da minha deliciosa esposa Vitoria, 17 anos, ruiva, branquinha, bunda redondinha, seios médios para sua idade, do relato "Realizei a fantasia do marido e da esposa 3".
Bom eu e minha esposa Ellen, fomos a uma festa na casa da prima Ivone, morena, não era bonita, tinha seus 47 anos, tinha pernas bonitas e seios fartos, era uma confraternização de uma promoção que ela havia recebido no emprego, nesta festa estávamos eu e minha esposa, a Vitoria e seu namorado Alef, a outra filha da Ivone, Michele, 22 anos, morena, falsa magra com seios fartos e bunda redondinha e belas pernas, e mais alguns amigos da Ivone.
Bom eu estava de calça jeans preta e camisa social, estava aberta mostrando os pelos do meu peito, minha esposa estava de calça legin preta, e uma camiseta baby look branca, deixando suas curvas, bem delineadas, a Ivone estava com um vestido longo preto, tipo tomara que caia e me segredou que não estava usando nado por baixo dele, a Michele estava de shorts branco, bem curto e uma mini blusa que deixava a sua deliciosa barriga a mostra e a Vitoria estava de mini saia, um pouco abaixo das coxas e camisa branca.
Durante a festa, como sempre estava sempre conversando sobre vários assuntos e em determinado momento a Ivone me disse que a Vitoria queria ficar se exibindo para mim e percebi que ela estava sentada de frente a onde eu estava, junto de seu namorado Alef, ela estava me olhando e de tempos em tempos cruzava e descruzava as pernas e de onde estava dava para ver que a delicia estava sem calcinha.
Ela beijava o namorado e me olhava ao mesmo tempo e até abria as pernas para eu poder ver mais nestes momentos, ela alisava o pau do namorado e me olhava e percebi que ele começou a alisar as pernas dela, e discretamente subiu a mão até a bucetinha dela, sem ele perceber eu assistia a tudo de camarote.
Minha esposa havia percebido as brincadeiras da sua prima comigo e até atentou a Vitoria, passando a mão sobre o meu pau e se esfregando em mim, em determinado momento precisei ir ao banheiro e ao sair dou de frente com a Vitoria me aguardando, o quarto dela é do lado do banheiro e ela me empurrou para dentro e fechou a porta.
- Nossa que tesão vc me da Antonio - disse a Vitoria - acredita que estou me esfregando no Alef e ele nem de pau duro ficou, kkkkkkkk, apesar de não ter um pau delicioso como vc.
- Hummmm, como não ficar de pau duro com uma delicia como vc ao lado, ainda mais se esfregando do jeito que vc esta nele.
- Olha só como eu estou - disse a Vitoria levantando a saia - estou toda melada e nem uma siririca ele sabe fazer direito.
Me aproximei e deu aquela lambida na bucetinha deliciosa da Vitoria, ela se deitou na cama e eu tratei de chupar aquela delicia, mas logo fomos interrompidos pela Michele batendo na porta, ela se recompôs e abriu a porta, quando a Michele entrou foi logo perguntando:
- O que os dois safados estão fazendo aqui de portas fechadas? e o Antonio com esta barraca armada, vcs não são nada discretos, kkkkkkk
- Olha só Mi - disse eu - eu estou fazendo um favor para sua irmã, pois aquele namorado dela não esta dando conta de tanto fogo e eu vim aqui apagar uma pouco.
- Apagar - disse a Vitoria - vc me deixou com mais fogo ainda, olha só Mi, que pau delicioso ele tem.
Apos dizer isso a Vitoria abriu meu zíper e tirou meu pau para fora, mostrando ele para a Michele que logo estava ajoelhada aos meus pé iniciando uma bela chupeta, nossa que delicia de chupada a Michele me deu, mas precisamos voltar a festa e combinamos de apos todos irem embora iríamos continuar.
Voltei para minha mesa e a Ellen já veio me perguntar de as meninas tinha me dado trabalho nesta ida ao banheiro, respondi que não, dando risada e ela logo entendeu e riu também, chamou a Michele para perto e perguntou o que tinha achado, nisso a Michele respondeu, que era realmente tudo aquilo que ela e a mãe haviam tido e que não tinha conseguido colocar ele todo na boca como achava que conseguiria.
Olhei para elas e rindo disse que elas já tinham combinado aquilo, mas que era melhor deixar para o fim da festa, nisso percebo uma certa discussão entre a Vitoria e o Alef, mais partindo da parte da Vitoria do que do namorado, ela se sentou novamente de frente para mim e continuou a se mostrar novamente, só que agora não estava fazendo questão de o namorado não perceber.
Falei para a Ivone interceder, pois poderia haver problemas pois vi que o Alef havia tomado umas bebidas a mais e estava bem exaltado, ela chamou a Vitoria e pediu para ela maneirar, o que foi obedecido, mas devido ao excesso de bebida, o Alef começou a forçar ela abrir as pernas para ele colocar a mão em sua buceta e ela estava se recusando a isso, e ele forçava cada vez mais.
Neste momento já haviam ido boa parte dos convidados embora, ficando somente a família mesmo, a Ivone percebendo o que o Alef estava fazendo, foi e pediu para ele parar e ir embora pois estava muito bêbado e dando trabalho e não ia aceitar aquilo na casa dela, nisso ele se levanta e começa a gritar:
- Não estou fazendo nada demais, ela é minha namorada e eu posso passar a mão onde eu quiser e até agora ela estava querendo.
- Mas não quero mais - disse a Vitoria - vc é um bruto, não sabe como fazer carinho, tem de ser td forçado.
- Olha, mesmo ela sendo sua namorada, se vc forçar algo é estupro - disse eu
- Quem é vc para se meter no meu relacionamento, seu babaca - disse o Alef.
- Bom primeiramente, posso me considerar primo dela e segundo sou Policial Militar, então se vc não quiser problemas, peço a gentileza de vc pegar suas coisinhas e sumir daqui.
- E pode sumir e nunca mais voltar - disse a Vitoria - pois vc não sabe como dar prazer a uma mulher, vc tem muito que aprender com o Antonio.
Dito isso, ele me encarou e fez que iria vir para cima de mim, mas me olhando bem, pois sou muito mais alto e mais forte que ele, parou, pegou suas coisa e foi embora reclamando e dizendo que aquela família só tinha putas, que a mãe e a irmã iram todas putas.
A Vitoria estava chorando e veio se confortar nos braços da minha esposa, pois eu ainda estava no portão vendo o imbecil ir embora, sei que depois desta cena, os demais parentes que estavam haviam ido embora ficando somente eu e minha esposa e as ocupantes da casa (Ivone, Michele e Vitoria).
A Vitoria já havia parado de chorar e já veio ao meu lado, eu antes de fazer qualquer coisa, conversei com ela, dizendo para ela ser mais discreta, que ela vai conseguir outro namorado melhor, mas sempre poderia contar comigo para satisfazer as vontades sexuais dela, nisso ele diz que esta com vontade de chupar o meu pau e de pronto, começa a alisar meu pau por cima da calça, a Ellen vendo aquilo, já a chama de safada e a ajuda a tirar a minha calça e cueca, onde a Vitoria já cai de boca chupando o meu pau, nisso a Ivone e a Michele se aproximam e começam a tira suas roupas.
A Ellen apos tirar suas roupas acaba de tira minha camisa, nisso, a Michele se ajoelha ao lado da irmã e divide meu pau, que delicia de chupada, elas sincronizam o movimento e lambem e chupam deliciosamente, nisso observo a Ellen e a Ivone deitadas em um delicioso meia nove, com a bunda deliciosa da minha esposa para cima, a Ivone chupando sua buceta e enfiando dois dedos no cú dela e a Ellen gemendo e pedindo mais.
Faço a Vitoria parar de me chupar e a levanto até que sua buceta fique na altura de minha boca e começo a chupar aquela delicia, seu mel já escorria pela bucetinha e eu sugava todo ele, fiz ela gozar desta forma, a Michele aproveitou que eu havia me deitado no sofá para chupar a Vitoria se levantou e colocando meu pau na entrada de sua deliciosa buceta, começou uma bela cavalgada, inicialmente devagar, pois como a irmã da outra vez, ainda não tinha sido fodida por um pau grande e grosso como o meu, mas logo que a cabeça do meu pau passou ela se soltou, fazendo com que o pau entrasse de uma só vez, deu um gemido alto e começou a movimentar.
Olhei de lado e vi a Ellen e a Ivone trocando de posições, agora com a Bunda da Ivone para cima e em minha direção, minha deliciosa esposa vendo que eu as observava, chupava e lambia a buceta da prima com maestria e enfiava dois dedos no cú dela e ainda dava tapas naquela deliciosa bunda.
Percebi que a Michele estava entrando em êxtase, próximo ao gozo e comecei a forçar o pau naquela deliciosa buceta, aumentando o ritmo da penetração, fazendo com que ela gozasse em meu pau, mas eu não parei de bombar e desta vez, com uma das mãos comecei a apalpar aquela deliciosa bunda, a Vitoria saiu de minha boca e foi atrás da irmã e começou a lamber seu belo cú, nisso com ambas as mãos livres comecei a alisar aquele lindo corpo da Michele, e a trouxe mais próximo, fazendo que seus seios ficassem na altura da minha boca, onde comecei a sugá-los, ela delirava de tesão e quando a Vitoria enfiou um dedo no seu cú, ela veio ao orgasmo mais uma vez.
Ela saiu de cima de mim com as pernas bambas, e a Vitoria já foi se deitando por baixo dela e iniciando a chupar a buceta da Michele, sugando o delicioso mel que lhe escorria da buceta, eu aproveitei que aquela delicia loira estava de pernas abertas e comecei a foder com força aquela linda bucetinha.
Enquanto eu fodia e observava a cena, me inclinei ficando com a boca na bunda da Michele e comecei a dar belas linguadas naquele cú delicioso, alem de fazer minha língua penetrar no cú da Michele comecei a enfiar o dedo, pois queria muito foder aquela bunda deliciosa, que vou dizer, era bem apertada e ela sabia bem controlar os músculos, pois massageava meu dedo com o cú, nossa fiquei louco e comecei a foder mais forte a Vitoria, pois já estava imaginando meu pau no cú da Michele e ela massageando ele como estava fazendo com meu dedo.
A Vitoria já tinha gozado duas vezes quando eu me levantei, porém na posição que ela estava e com ajuda da irmã, ela arrebitou a bunda e abriu bem aquele delicioso cú, não resisti e coloquei meu pau no cú da Vitoria, a Michele, se sentou na boca da Vitoria e lambendo a buceta da irmã, observava o cú dela engolir cada centímetro do meu pau, nossa que delicia, enfiei todo o pau, sentindo as bolas baterem na bunda da Vitoria, a Michele observava e lambia a buceta dela, deixando escorrer saliva ajudando a lubrificar.
-Nossa Vi - disse a Michele - como vc agüenta este pau enorme no cú deste jeito, nossa esta me dando muita vontade de sentir ele no cú também.
- E vc acha que eu vou deixar de comer esta deliciosa bunda que vc tem, Mi - disse eu - quero ver vc fazer aquela massagem que vc fez no meu dedo no meu pau.
- Olha que foi difícil fazer no seu dedo que já é maior do que os pintos que eu levei no cú, mas quero ver se consigo fazer com esta delicia, com toda certeza que eu quero tentar.
- Nossa vai ser delicioso Mi, e quero ver se vc vai ficar estrábica como vc fica de vez enquanto, ou se vou consertar isso enfiando o pau no seu cú delicioso.
- Nossa Antonio, só vc mesmo para pensar nisso, kkkkkkkk, mas não sei se vou agüentar esta sua tora no meu rabo.
-Olha só para sua irmã mais nova, como ela adora e agüenta todo o meu pau neste cú delicioso, não é a toa que o otario do namorado não estava satisfazendo ela, devia ter um pau muito fino e pequeno.
- Isso é verdade, o pau dele é muito pequeno - disse a Vitoria entre gemidos - mas agora estou sendo satisfeita por esta pica grande e grossa, que delicia.
Eu bombava com mais força naquela deliciosa bunda e a vitoria gemia mais forte e rebolava cada vez mais, olhei para o lado e vi que a Ivone ainda estava com a bunda arrebitada sendo chupada pela Ellen e apos a Vitoria gozar, fui em direção aquela bunda deliciosa, chamei a Michele e disse para observar como a mãe dela agüenta a minha pica em seu cú.
A Ellen deu uma chupada no meu pau para lubrificar e já direcionou para o cú da Ivone e com um movimento forte e rápido, meu pau sumiu dentro daquela bunda, a Ivone rebolava e pedia para dar tapas em sua bunda e iniciando o movimento naquele delicioso cú, dava tapas na bunda dela, até a Michele que estava de lado deu uns tapas naquela deliciosa bunda, a Ivone, podia até ser meio feia de rosto, mas tinha uma bunda deliciosa que compensava td.
Ela gozava alucinadamente com meu pau no cú e com minha esposa chupando sua buceta, depois de fazê-la gozar, tirei meu pau de seu cú e dei para minha esposa chupar e apos isso me deitei no chão ao lado, nisso a Ellen, vindo por cima e deixando a buceta escancarada para a Michele chupar, direcionou meu pau em seu cú e deixou o corpo ceder, fazendo com que meu pau entrasse gostoso em sua bunda.
Ela subia e descia em meu pau e a Michele observava e lambia sua buceta, quando percebeu que a mãe havia saído da sala e ido até o quarto e quando voltou, estava com uma cinta com um pinto postiço e tirando a Michele do lugar, introduziu aquele pinto postiço na buceta da minha deliciosa esposa, que foi ao delírio, tendo o meu pau no cú e o outro postiço na buceta, ela gemia e rebolava, indo ao orgasmo varias vezes.
Quando minha esposa gozou pela terceira vez, ela se levantou e as três mulheres se aproximaram da Michele e a colocando deitada de lado, começaram a lubrificar seu cú, seu olho até brilhava de desejo, uma certa mistura de desejo e medo, eu me aproximei e a Vitoria começou a me chupar e depois direcionou meu pau para o cú da irmã, estava bem lubrificado, mas apresentou uma certa resistência que foi sendo rompida devagar, a Michele chorava, mas não pediu para tirar, pedia para enfiar cada vez mais e eu logicamente assim o fazia, quando estava com metade do pau no cú dela, comecei um movimento de vai e vem, fazendo que ela gozasse muito deste jeito, e percebendo que ela havia relaxado o corpo, forcei o pau que entro todo naquela delicia de cú que estava bem relaxado, mas com a dor ela gritou alto e pediu para ficar parado um pouco.
Quando percebi que ela estava acostumando com o meu pau todo no cú, comecei a move-lo dentro daquela bunda deliciosa, ela gemia e se contorcia de tesão, ela começou a rebolar e neste instante eu pedi para mudar de posição, me deitei e fiz ela vir por cima, na mesma pose da minha esposa, nisso minha esposa, ficou de quatro chupando a buceta dela e a Ivone ainda com a cinta, colocou o postiço no cú da minha esposa.
Estava fodendo gostoso o cú da Michele, quando ela começa a fazer a massagem em meu pau com os músculos do cú, nossa que delicia, não resisti muito tempo e anunciei que iria gozar, a Michele saiu de cima e já voltou iniciando uma deliciosa chupeta e não resistindo enchi a boca daquela delicia de porra.
Ela engoliu todinho o meu leite e se deitou ao lado da irmã, ficando as duas se beijando, minha esposa ainda era fodida pelo pinto postiço que a Ivone estava manejando, e logo todas haviam gozado mais uma vez, ficamos todos deitados coma Michele e a vitoria do lado direito e a Ellen e a Ivone do esquerdo, descansamos um pouco e depois retornamos a mais uma deliciosa foda.
Espero que estejam gostando dos meus relatos, votem e comentem para saber se estou agradando e estou vendo com minhas putas se elas me permitem tirar algumas fotos delas para poder postar aqui junto dos meus relatos, mas neste quesito não prometo nada, pois quanto a imagem, são preocupadas.
Mas espero esta agradando, até a próxima.





Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

MEU REENCONTRO COM NATY