Foda em familia 2


BY: PolicialSafado
Ola pessoal, venho mais uma vez, relatar mais uma aventura sexual vivenciada por mim, mais uma vez, nesta semana, meu sogro teve de viajar, desta vez levando seu filho adotivo, irmão de minha esposa Ellen, ele é casado com Elis, 25 anos, loira, baixinha, bunda grande, pernas grossas, seios pequenos e eles tem uma filha, Evelin, 17 anos, loira, o corpo ainda em desenvolvimento, mas tem uma bunda deliciosa, pele branquinha, um rosto lindo.
Como minha sogra Inês, iria ficar mais uma vez sozinha, ela e a Anna, minha cunhada, a Elis e a Evelin fora ficar com ela, eu fiquei frustrado pois achei que seria mais uma vez que iria foder a beata da minha sogra, mas ao chegar em sua casa para a janta e avistar a Elis e a filha, fiquei quieto e um pouco chateado.
Acabamos de comer e ficamos conversando, minha sogra sempre manifestando as suas opiniões xucras sobre assuntos que não tem conhecimento, a Elis se mostrava mais aberta ao entendimento destes assuntos, mas sempre ficou do lado da minha sogra e a Evelin, permanecia na sala assistindo TV, ela estava com um shorts curto e uma camisa larga, minha sogra como sempre, estava com bermuda até os joelhos e camisa, a Elis, estava de calça leguin preta, que deixava sua bunda mais chamativa ainda e uma camiseta cavada que deixava o sutiã rosa a mostra, a Anna estava com um short curto preto, bem colado ao corpo, dava para ver que estava sem calcinha, estava com um bustiê preto tomara que caia sem sutiã, minha esposa estava de vestido longo sem nada por baixo como eu havia pedido antes de sair de casa e eu estava de camisa e bermuda folgada sem cueca.
Estava sentado eu na cabeceira da mesa, tendo ao meu lado direito minha esposa e do esquerdo, minha cunhada Anna, do lado da minha esposa estava a Elis e na outra cabeceira a minha sogra Inês, do lado da Anna estava a cadeira vazia antes ocupada pela Evelin, que estava deitada no sofá da sala, durante a conversa, percebi uma troca de olhares entre minha esposa e sua irmã e logo percebi uma movimentação de pernas pro baixo da mesa, uma acariciando a outra, logo senti um pé passando em minha perna, era minha esposa me excitando, fiz sinal para parar, pois a Elis poderia perceber e continuei a conversa.
A Anna e a Ellen, não paravam de se acariciar por baixo da mesa, até minha sogra havia percebido isso, percebi que o clima entre as duas estava esquentando e mandei uma mensagem via Whatsapp para minha esposa, para elas disfarçarem ou irem para outro lugar apagar o fogo delas e foi o que fizeram, a Ellen chamou a Anna dizendo precisar de ajuda em um trabalho da internet e se dirigiram para o quarto da Anna, a Anna me chamou para ir junto, mas como estava de pau duro e sem cueca, fiquei sem reação, pois se levanta-se a Elis iria perceber o volume do meu pau duro, então disse que iria ficar ali conversando.
Continuamos a conversar, agora somente eu a Elis e minha sogra, as vezes escutávamos umas risadas vinda do quarto da Anna, mas não dávamos atenção, até que em determinado momento ouvimos um gemido alto de minha esposa, minha sogra me olhou assustada e fez sinal para eu ir ver, mas fiz sinal de que não poderia ir e ela se levantou e foi em direção ao quarto, pegou as duas se chupando, aproveitou para enfiar do dedo no cú da Ellen e dar um tapa naquela deliciosa bunda e fechando a porta retornou a cozinha dizendo que a Ellen havia batido o dedo na quina da cômoda e me olhou dando uma risada e logo que percebeu o volume em meu short, mudou de lugar se sentando ao meu lado.
Ela começou a passar o pé em minhas pernas e por sobre meu pau duro e começou a puxar assuntos mais quentes, logo a Elis estava falando sobre fantasias sexuais, porém de vestir fantasias, minha sogra demonstrou uma habilidade com os pés, pois sem fazer muito esforço e nem demonstrar acima da mesa, já tinha tirado meu pau fora do short e passava seu pé sobre ele, nisso a Evelin vem até a cozinha e flagra aquela cena, ela ficou um tempo observando apoiada no batente da porta, nisso a Elis olha para ela e pergunta o que foi, ela olha para a mãe e diz nada e vem se sentar na cadeira ao meu lado.
A Inês ficou olhando para a Evelin que ficou olhando com uma cara de safada e passando a língua nos lábios, a Inês fez sinal para que ela não desse nenhum sinal, mas estava nitidamente olhando e encarando o meu pau, a Elis percebeu que havia algo errado com sua filha, pois estava me encarando muito e logo viu o meu pau para fora do short, ela ia falar algo, mas a Inês a interrompeu, dizendo:
- Não precisa falar nada Elis, eu sei que ele tem um pau maravilhoso, você precisa provar.
- Nossa Inês - disse a Elis - logo você que é uma mulher mais conservadora, fazendo isso aqui, logo com o marido da sua filha, isso é um absurdo.
- Para com isso, mãe - disse a Evelin - olha que delicia de pau, você não é nenhuma santa, ou você acha que nunca vi suas transas em casa, mesmo antes de você se casar novamente, eu sei bem que você é uma verdadeira puta.
- Nossa filha - disse a Elis - como assim, você viu minhas transas?
- Para de conversa, vai sua puta - disse a Evelin - sei que você gosta de um pau grosso e de ser fodida com força, ou você vai negar isso.
A Elis ficou sem graça e mesmo esboçando uma certa revolta, não parava de encarar meu pau duro que ainda era massageado pelo pé da Inês.
- Realmente eu adoro, mas nunca iria fazer isso com o marido da minha filha, ainda mais com ela podendo pegar esta safadeza.
- Olha só Elis - disse a Inês - você fala em safadeza e de ser conservadora, mas faz favor e vem aqui um pouco.
A Inês pegou a Elis pelo braço e encaminhou até o quarto a Anna, e abrindo a porta mostrou a cena das duas se chupando e se masturbando mutuamente.
- Olha só o que elas estão fazendo - disse a Inês - nos havíamos combinado que assim que o Olavo fosse viajar eles iriam vir aqui para nos transarmos, mas como hj o Henrique foi junto e você ficaram aqui, nos frustraram, mas como elas eu não resisti ao fogo.
- Como assim, mãe, não resisti ao fogo - disse a Ellen- o que aconteceu?
- A filha, aquela hora que você gemeu na boca da sua irmã que eu vim aqui, você me deixaram com fogo.
- É eu percebi, depois do tapa na minha bunda e do dedo no meu cú, kkkkkkkkk
- Isso mesmo filha, e ao voltar para a cozinha, ver aquela delicia dura, fazendo volume no short do Antonio, eu não resisti e começou a alisar o pau dele com meu pé e a Evelin viu e logo apos a Elis e, por falar em Elis, ta vendo só como minha família é liberal, se você realmente quer fazer parte, terá de manter o sigilo do que acontece aqui.
Enquanto elas conversavam no quarto a Evelin que ainda estava ao meu lado, começou a me masturbar, ficando admirada com o tamanho e grossura do meu pau, logo ela estava de joelhos entre minhas pernas e começou a beijar a cabeça do meu pau, beijar e lamber, deliciosamente, logo estava com a cabeça toda na boca e chupando e masturbando, pois o pau não cabia na boca dela, nossa que delicia, ver aquele lindo rosto da Evelin, aquela boquinha deliciosa com meu pau e seus lindos olhos me encarando com desejo.
Depois de um tempo, as outras mulheres retornam a cozinha e a Elis exclama:
- Evilin o que é isso, depois vc me chama de puta, mas já esta com o pau na boca, sua biscate.
- Vocês ficam ai perdendo tempo discutindo, eu prefiro já aproveitar esta delicia.
- Olha só que menina mais sábia - disse a Inês - realmente é uma delicia o pau do Antonio, vai Elis, para de frescura e cai logo de boca, mostra que as mulheres da nossa família são todas putas do Antonio.
- Isso mesmo Elis - disse a Anna - a Evelin já esta mostrando saber lidar bem com um pau, queremos ver você, queremos ver você ser arrombada pelo pinto grande e grosso do Antonio.
Nisso a Elis, se aproximou e se ajoelhou ao lado da filha, que havia voltado a chupar meu pau, ela começou a chupar minhas bolas com volúpia e logo já tinha tirado o meu pau da boca da filha e colocado na sua, como uma esfomeada, ela foi engolindo até onde coube em sua boca, ficava no revezamento com a Evelin, nisso observei que a Anna e a Ellen, que já estavam nuas, estavam tirando as roupas da Inês e percebi que ela ainda conservava a buceta depilada como as meninas haviam deixado da ultima vez e logo apos, a Ellen começou a beijá-ja enquanto a Anna chupava a sua buceta.
Eu peguei a Evelin pelos cabelos e a trouxe para um delicioso beijo, enquanto sua mãe tentava engolir cada vez mais meu pau, nossa a Evelin beija deliciosamente, sua língua é ágil e deliciosa e enquanto nos beijávamos, minhas mão percorriam aquele corpo lindo, principalmente em sua deliciosa bunda, logo a Ellen, estava a meu lado me ajudando a despir a Evelin e já trocando beijos com a mesma, olhei de lado e a Inês estava com as pernas completamente escancaradas e a Anna com o rosto enfiado em sua buceta, chupando aquela delicia.
Fiz a Elis parar de me chupar e apos tirar suas roupas a conduzi até a Inês, que ainda permanecia de pernas abertas, segurando a Elis pelos cabelos, a Inês fez ela se ajoelhar e chupar a sua buceta.
- Vem aqui, sua puta - disse a Inês - aqui na minha família você vai ter de me satisfazer também, você e a sua filha, as duas vão ser minhas também, quando eu quiser, pois adoro ser chupada por putas como vocês.
Fui para o lado da Evelin que estava sendo chupada pela Ellen, e a pegando pelos cabelos a levei até a Inês, fazendo com que ela se ajoelha-se ao lado da mãe que estava chupando a buceta da Inês.
- Olha só Inês - disse eu - olha o presente que eu te trouxe, esta safada, quero ver este lindo rosto enfiado em sua buceta.
- Nossa é verdade - disse a Inês, dando um tapa no rosto da Evelin - este lindo rosto deve ficar lindo chupando minha buceta, vem putinha e chupa minha buceta junto de sua mãe, mostra que você é uma filha da puta.
Nisso eu permaneci ao lado da Inês, observando as duas chupar sua buceta, nisso a Ellen e a Anna, se aproximam e começam a me chupar, estava com tanto tesão que logo estava para gozar e como sei que a Inês adora receber a porra na boca, me virei para ela e acabei enchendo sua boca com meu leite, que fora engolido com vontade por minha sogra, que não deixou meu pau amolecer e continuou chupando.
Aproveitei que a Ellen estava a meu lado e fazendo a mesma se debruçar sobre a mesa da cozinha, comecei a penetrar naquela deliciosa buceta, ela gemia e rebolava, do jeito que ela sabe que me deixa louco, a Inês que estava ao lado, sendo chupada pela Elis e pela Evelin, começou a dar tapas na bunda da Ellen, que a olhava e pedia para ela bater mais forte e a Inês fazia, deixando marcas das palmadas na bunda da Ellen.
A Ellen gozou muito deste jeito, logo estava mudando, desta vez, coloquei a Anna deitada sobre a mesa e a Ellen indo em direção a Inês e lhe beijando, comecei a foder a buceta da Anna, estava deliciosa, bem molhada de tanto gozar com a Ellen no quarto, ela gemia como uma puta e pedia para enfiar todo o meu pau e arregaçar mais ainda sua buceta.
Nossa isso me deixa louco, eu dava uns tapas no rosto dela e ela delirava de prazer, pedindo mais e eu dava mais tapas e fodia cada vez mais forte, ela estava com tanto tesão que gozou tanto que parecia um chafariz, peguei a Elis pelos cabelos e a levei até a buceta da Anna que ainda escorria o delicioso gozo, fiz com que ela lambesse e deixa-se a buceta da Anna limpinha e já me aproveitando que ela estava inclinada chupando a buceta da Anna, já comecei a passar meu pau em sua buceta, ela pedia para ir devagar pois ainda não tinha sido fodida por um pau tão grande e grosso, que a do ex-marido era grosso, mas nem chegava aos pés do meu.
Com jeito fui colocando o pau naquela buceta deliciosa, fui forçando até que a cabeça entro, a Elis gemia e a Anna a cada gemido, forçava a cabeça dela contra a sua buceta, forcei mais um pouco e o pau entrou mais, quando percebi, a Evelin estava atraso de mim, observando a buceta da mãe engolir meu pau e ela, empurrado meu corpo para junto do corpo da mãe, fez meu pau entrar todo de uma vez na buceta da Elis,q ue gemeu alto.
- Para com isso sua puta - disse a Evelin para a mãe - você agüenta bem um pau grosso na buceta, ou você acha que eu nunca achei aquele vibrador que você tinha na casa antiga, inclusive eu já brinquei com ele varias vezes e senti seu gosto uma vez que você usou e teve de sair rapidamente.
- Nossa seu piranha - disse a Elis, afastando o rosto da buceta da Anna e olhando para a Evelin - então era você que usava meu vibrador, bem que percebi ele fora do lugar algumas vezes, mas ele nem se compara ao pau do Antonio.
- Isso é verdade mãe, este pau que o Antonio tem é muito grande e grosso, mas você agüenta bem - dito isso deu um tapa na bunda da mãe - e tenho certeza que este seu cú, vai agüentar ele inteiro também.
- Nossa que delicia - disse a Elis - bate de novo na bunda da mamãe, vai filha da puta, bate gostoso, aiiiiiiiiiiii, que delicia, com certeza que vou querer sentir esta maravilha no meu cú.
A Evelin dava cada vez mais tapas fortes na bunda da Elis, que rebolava e gemia e a Anna, voltou a forçar seu rosto em sua buceta, eu olhei para a Evelin e a abraçando e apos um delicioso beijo disse:
- Tudo o que eu fizer com a sua mãe vou fazer com você minha putinha, ou você acha que não vou querer foder sua bundinha branquinha e deliciosa - dito isso deu um tremendo tapa naquela deliciosa bunda deixando a marca da minha mão - e vou fazer você ficar um tempo sem sentar de tanto que vou bater nesta sua deliciosa bunda, assim como você esta fazendo com sua mãe.
Apos isso, coloquei meu dedo em seu cuzinho e percebi que era bem apertado, mas ela rebolou e fez com que o meu dedo entrasse inteiro naquela deliciosa bunda, a Elis estava gozando tanto que ficou com a pernas bambas, me virei para a Inez que estava sendo chupada pela Ellen e fui em sua direção.
- Agora é hora de transformar a beata em puta outra vez, vem mostrar para as novas putas como uma verdadeira puta tem de tratar e se comportar diante de um macho viril.
Ela ficou de quatro e rebolando disse:
- Vem meu macho, fode minha buceta, me enche de porra, como só você sabe fazer meu macho.
Coloquei meu pau em sua buceta e enfiei de uma só vez, ela delirou, nisso a Ellen foi até seu quarto e novamente pegou a cinta que ela usava para castigar as filhas, a Elis ficou vendo aquilo e com a aproximação da Ellen ela chegou mais perto para ver o show.
A Inês rebolava com meu pau na buceta e ainda apresentava marcas na bunda, da ultima vez que havíamos transado, a Ellen começou a bater na bunda dela e ela rebolava e empinava mais a bunda e chorando e gemendo pedia mais e mais forte, a Elis olhava com espanto e admiração e percebendo isso eu dei dois tapas bem fortes em sua bunda e ela voltou o olhar para mim e logo arrebitou a bunda pedindo mais, nossa que delicia, foder a Inês que era surrada na bunda pela filha e tendo a Elis arrebitando a bunda ao lado pedindo que eu batesse forte em sua bunda.
Não estava agüentando de tanto tesão e apos a Inês gozar, tirei meu pau para fora e fazendo a Evelin se abaixar, enchi seu lindo rosto de porra, a Elis, foi até a filha, juntamente da Inez e juntas limparam o lindo rosto da Evelin, que apos estar toda limpa, a levantei e a pegando no colo, a levantei até a altura do meu peito e sua mãe, segurando meu pau, foi direcionando até sua buceta enquanto eu a abaixava, como a segurava com as pernas abertas o pau foi entrando facilmente, e arrombando bem aquela deliciosa buceta, ela começou a chorar, uma mistura de dor e tesão e sem perceber, vi que a Elis que estava ajoelhada observando de perto meu pau arrobar a buceta de sua filha, estava com um dedo no cú da filha, que gemia alto.
Meu pau entrou todo e a dor se transformou em tesão e ela só sabia gemer e pedir mais, foi quando percebi que a Elis estava com o dedo no cú da Evelin, pois a mesma pediu para a mãe enfiar mais de um dedo em seu cú, nossa que delicia, ver aquela delicia branquinha, gemer daquele jeito em meu colo, agüentando todo o meu pau na buceta e pedindo para a mãe enfiar mais dedos no cú, fiz sinal para a Anna que entendeu meu recado e foi até seu quarto, voltando a cozinha usando uma cinta que tinha um pinto postiço um pouco menor que o meu, ela se deitou no chão e a Ellen, foi cavalgar a irmã, colocando todo o postiço na buceta, vendo aquilo eu tirei meu pau da Evelin e fui em direção a minha esposa, que ao me ver aproximar, arrebitou a bunda deixando seu cú totalmente arreganhado, pedindo para ser fodido.
Coloquei meu pau naquela deliciosa bunda e forcei, fazendo que meu pau entrasse todo de uma vez no rabo delicioso da minha esposa, a Inês se aproximou e desta vez quem estava com a cinta era ela, que aproveitou a situação e deu umas boas cintadas na bunda da Ellen, que gemia e chorava e dizia:
- Vai mãe, bate mais forte na minha bunda, aproveita que o meu marido esta fodendo meu cú e bate na minha bunda pois fui uma menina muito má!
Nisso a Inês deu umas cintadas que deixaram marcas na bunda da Ellen, a Elis se aproximou de novo de lado e de quatro arrebitou a bunda, me olhou e pediu:
- Meu senhor, me puna também, pois fui uma menina má, desobediente!
Olhei para aquela bunda e deu dois tapas naquela deliciosa bunda e tratei de enfiar o dedo naquele delicioso cú da Elis, ela rebolava gostoso e a Evelin se aproximou e começou a bater na bunda da mãe, deixando as marcas de sua mão na bunda da mãe, nossa que delicia, minha deliciosa esposa tendo a buceta fodida pela irmã e o cú por mim, tendo a bunda surrada pela mãe e ao lado, ver a minha concunhada de quatro com meus dedos no cú tendo a bunda surrada pela filha, estava realmente com varias putas ao meu dispor.
A Ellen gozou e logo foi substituída pela Inês, que foi cavalgar a Anna e arreganhou o cú para eu foder e passou a cinta as mãos da Ellen, comecei a foder forte o cú da minha sogra que gemia e beijava a Anna que fodia sua buceta, a Ellen trocou de lugar com a Evelin, que veio e surrava a bunda da Inês com tapas bem dados e a Ellen, começou a surra a bunda da Elis, que começou a chorar de dor, mas a cada cintada arrebitava mais ainda a bunda para receber a próxima, ela estava com muito tesão recebendo as cintadas da Ellen, tanto que gozou e não resistiu deixando o corpo ceder de tesão, deitando ao lado, a Ellen veio para o lado da Evelin, que a olhava com uma mistura de medo e tesão.
Com a aproximação da Ellen, a Evelin, começou a arrebitar a bunda, já aguardando a cintada na bunda, mas eu não deixei, disse que aquela bunda branquinha ia ficar marcada mas não de cinta, que aquela delicia tinha de ficar marcada com a minha mão, nisso a Ellen me olhou com de um jeito de quem acaba de ter o brinquedo tirado de suas mãos, eu olhei para ela e disse se você quiser dar uns tapas pode, mas não com a cinta.
Nossa a Ellen abriu um sorriso que vou te dizer, e deu dois tapas fortes na bunda gostosa da Evelin, que gemia de tesão e dor, e já escorria lagrimas de seus olhos, nossa que tesão me deu, minha sogra gemendo forte, a Elis do lado deitada completamente estasiada e a Ellen e a Evelin do meu lado, retirei o pau do cú da minha sogra e vendo que a Elis ainda estava sem reação de tanto gozar das cintadas da Ellen, olhei para a Evelin e sem nem perguntar a fiz cavalgar a Anna, que enfiou o pinto postiço todo na bucetinha deliciosa dela, pegando um tubo de gel lubrificando, comecei a enfiar um dedo e lubrificar bem o cú da Evelin.
Ela gemia e se contorcia de tesão, a Ellen pegou o gel e passou por toda a extensão do meu pau e direcionou o meu pau na porta daquela deliciosa bunda, já vermelha dos tapas da Ellen, a Evelin olhava para traz e dizia que não ia agüentar, que nunca tinha feito daquele jeito, nisso a Elis que tinha acabado de se recuperar deu um tapa forte na bunda dela e disse para parar de frescura, que ela iria agüentar os dois pintos ao mesmo tempo e que iria adorar, e foi em direção ao rosto da Evelin.
A Elis deu um tremendo beijo na Evelin e me fez um sinal para forçar o pau na bunda dela e ao mesmo tempo, sem deixar de beijá-la, forçou o corpo dela contra o meu, a Ellen arreganhou bem aquela deliciosa bunda e meu pau entrou com dificuldade mais entrou, eu dei uma parada para ela acostumar com o meu pau no cu dela e ela estava chorando de dor, percebi que escorria até um fio de sangue do cú dela.
Comecei a movimentar devagar e ela foi relaxando e cada vez mais foi ficando mais fácil mover meu pau naquela deliciosa bunda, a Anna que também havia parado de se movimentar, começou a movimentar também, a Elis se aproximou de mim e me beijando, disse:
- Vai seu cavalo, fode o cú da minha filhinha, olha como vc arreganhou o cú dela, mas olha só com a puta esta rebolando.
- Ela puxou para a mãe - disse eu - ser puta é realmente de família, vem de mãe para filhas.
- Aiiiiiiiiii, seu bruto - disse a Evelin entre choro e gemido - esta doendo mais não quero que vc pare, aiiiiiiiiiiiiiiiiiii, que delicia sentir seu pau todo na minha bunda e este outro pinto na buceta.
- Isso mesmo putinha - disse a Ellen - mostra que mesmo com dor vc esta adorando ser fodida por dois cacetes grandes e grossos.
Nossa ela arrebitou a bunda de um jeito que não pude deixar passar e deu um tapa bem dado naquela bunda gostosa, a marca da minha mão ficou bem aparente por cima das outras marcas, ela gemeu, chorou e pediu mais, e arrebitou mais ainda a bunda, desta vez dei do outro lado deixando outra marca.
Ela não resistiu muito tempo e logo gozou novamente, tirei meu pau daquela deliciosa bunda e seu cú ficou arrobado, a Elis se aproximou e começou a lamber o cú da filha, a Inês estava de lado e ninguém havia percebido que ela estava com dois pepinos, um na buceta e outro no cú e estava gemendo muito.
Olhei para a Elis e disse que agora era sua vez e que não ia poupar o rabo delicioso dela de jeito maneira e a Ellen se aproximou e dizendo que se ela chorasse iria punir ela com varias cintadas na bunda.
A Elis foi por cima da Anna que agora chupava a buceta da Evelin, a Elis colocou o pinto postiço na buceta, se inclinou e começou a chupar o cú da Evelin e arrebitando a bunda me ofereceu seu delicioso cú.
Nossa tendo aquela deliciosa visão, não me preocupei em passar gel e já fui forçando o pau naquela bunda deliciosa, meu pau entro mais fácil, mas mesmo assim encontrou um pouco de resistência, vendo que ela estava agüentando firme, forcei e coloque todo o pau na bunda dela, senti minha bolas batendo em sua buceta e comecei a bombar sem dar tempo pra ela se acostumar, a Ellen entendendo minha intenção se aproximou do rosto da Elis e viu que as lagrimas estava correndo e no mesmo instante deu um tremenda cintada na bunda da Elis que gemeu e arrebitou mais ainda a bunda, recebendo mais uma cintada, nossa vendo aquilo eu forçava cada vez mais meu pau no cú dela, não resisti muito tempo e enchi o cú dela de porra e mesmo apos gozar ainda deu umas bombada naquele delicioso cú, ela ainda permaneceu cavalgando o pinto postiço que a Anna usava até que acabou gozando.
Eu estava acabado e ainda fiquei assistindo aquelas cinco mulheres se masturbarem, se chuparem e enfiarem objetos em suas bucetas e cú durante um longo tempo, deixei esta linda visão e fui até o banheiro tomar um banho para recuperar minhas forças, pois sabia que a noite estava apenas começando e que esta semana serei muito boa.
Ficamos a semana toda fodendo gostoso, a Elis e sua filha Evelin se tornaram minhas putas também e alem disso, se tornaram putas da minha sogra, pois um dia eu acordei e escutei um barulho no quarto de minha sogra e ao me aproximar vi a Elis chupando a buceta deliciosa da minha sogra, nesta manhã eu fodi só com as duas, mas fica este relato e outros da semana para depois.
Espero que estejam gostando, comentem e votem, quero saber a opinião de vcs.




Comentarios
Muito bom, mas extremamente mal escrito. Nota 6 que poderia ser 10, se passasse antes pelo corretor do Word. Comentado por:Rudylong em 21/03/2017 09:13
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

Virgem e Primeira mamada