UM FINAL DE SEMANA NA CHACARA DA MINHA AMIGA


BY: kellyfe
UM FINAL DE SEMANA NA CHÁCARA DA MINHA AMIGA

Oi amores estou de volta com mais outro conto eletrizante pra vocês. Como já disse em outras histórias minhas, eu trabalho numa loja de roupas femininas. E tenho uma cliente super simpática, seu nome é Carla, ela tem 35 anos, morena como eu, cabelos curtos e pretos, mais ou menos da minha altura 1,70 e aproximadamente 60 kls, tem um bumbum de dar inveja a qualquer um, com uma cintura de boneca, seios enormes e é casada. Desde que comecei trabalhar na loja ela passou a ser minha principal cliente, e pelo menos uma vez por semana ela vai me vistar, seja pra comprar alguma lingerie que eu avisava que tinha chegado ou apenas pra conversar comigo, assuntos sobre novos lançamentos de lingerie que ela ficou sabendo e ou só pra fofocarmos mesmo, risos. Um belo dia nessas suas idas na loja ela me disse que seu marido paulo iria ficar fora por uns 10 dias a trabalho e me convidou pra ir conhecer sua chácara, que ficava ha uns 15 km da cidade, que seu marido havia acabado de comprar dando de presente a ela, então combinamos pra irmos no final de semana pois eu estaria de folga. Chegando o sábado combinado, acordei bem cedinho coloquei um short preto e um top branco e fui de moto até sua casa, pra irmos juntas pra tal chácara, e aquele fds parecia ser bem quente e com muito sol, chegando lá ela me recebeu, usando um vestido beje bem curto e decotado e eu percebi que ela não usava sutiã, meu deu um abraço e um beijo no rosto.

E disse pra eu me sentar pois ela iria pegar suas coisas no quarto. Ela voltou e fomos para a chácara uma em cada moto, e como naquele dia não usavamos capacetes, pois era uma estrada vicinal e nunca havia brits por ali e fomos bem devagar conversando e dando risadas de alguns acontecimentos ocorrido na cidade durante a semana, mais tudo sem importância, coisas de mulheres mesmo que não conseguem deixar de falar, chegamos da chácara ela me mostrou a casa e depois pegou uma cerveja e fomos sentar na beira da piscina pra continuarmos nossas fofocas. E foi ai que eu comecei a perceber que Carla estava diferente e com segundas intenções, pois ela não parava de elogiar meu corpo dizendo que eu era linda e me olhava com uma cara de safada danada, então ela me perguntou o que eu achava do seu corpo, eu apesar de gostar de ser elogiada por mulheres, fiquei um pouco sem jeito, pois ela nunca havia falado assim comigo, mas disse que ela tinha um corpo lindo e perfeito. "o que era a mais pura verdade", ela depois de duas cervejas começou ficar empolgada, ficou em pé , levantando o vestido e perguntou o que eu achava das suas pernas e com uma cara de tarada disse pra que eu chegasse mais perto pra eu ver. Eu que já estava com a minha buceta encharcada por causa daquele clima que estava rolando, então me levantei e coloquei a mão nos seus seios durinhos e os acariciei delicadamente, não resisti e caí de boca e chupei aqueles dois biquinhos rígidos e deliciosos com muita vontade.

E ela meteu a mão na minha bunda e tirando toda a minha roupa me beijando deliciosamente, nos beijávamos com tanta vontade que parecíamos íntimas. Ficamos totalmente nuas e nos deitamos ali mesmo no chão da piscina e fizemos um delicioso 69, eu gemia prazer sentindo sua linguá maravilhosa explorando minha buceta toda, ela me chupava tão gostoso que não demorei pra gozar em sua boca. depois que gozei, a coloquei de quatro, ficando maluca com aquela bunda enorme na minha frente, meti a linguá na sua bucetinha descendo e subindo até seu cuzinho, deixando ela louca de tesão com a minha boca feroz na sua xana que logo gozou também. ficamos ali mesmo no chão abraçadas rindo da nossa transa, ela me falou que a pesar de ser muito bem casada e tinha um tesão enorme por mulheres mais só tinha rolado uma vez e quando ela ainda era solteira, mais ela iria me confessar que desde que me conheceu ela sempre quis provar meu corpinho. Ela então ficou em silêncio, pensativa.

Depois me olhou fixamente e pediu pra que eu beijasse novamente. Me levantei e a segurei pela mão, e nos abraçamos e lhe dei um beijo bem demorado. Quando paramos, eu acariciei seu rosto meigo e falei que eu nunca imaginaria que um dia nós iriamos ficar juntas e ainda por cima transar. E dei outro beijo agora mais ardente e gostoso. Ai ela me chamou pra dentro da casa e sem roupas como estavamos entramos. Meu coração estava feliz por tudo que estava acontecendo naquele dia, pois é tão bom quando as coisas acontecem sem que a gente não tenha programado nada, pelo menos da minha minha parte eu não havia pensado em nada daquilo. Entramos na casa e me sentei no sofá e ela serviu um wisk pra mim e outro pra ela e pegou uma garrafa de vinho e me puxou até seu quarto. E sem mesmo fechar a porta, nos olhamos fixamente e ela com um doce sorriso estampado no rosto, aproximou de mim, e esfregou seu nariz no meu, fechando os olhos e com sua boca aberta implorou por um beijo meu. Encostei minha boca de leve na sua, e nossas línguas se enroscaram num beijo ardente. E tudo acontecia bem devagar e sem pressa, pois tínhamos o final de semana inteiro para nós. Acariciei seu rosto, seus ombros, com suavidade e cheguel até seus seios bronzeados. Beijei seus biquinhos, passando a língua em toda sua volta, ela ficou excitadíssima. Ai ela com suas mãos começou mover pelo meu corpo, e foi em direção aos meus seios.
Deitamo-nos na cama, nos acariciando, ela começou me beijar enquanto sua mão apertava meus seios, e desceu sua boca até meus seios e começou a chupá-los como uma gata voraz. Ai coloquei meus dedos na sua buceta, brincando com seu grelo, ela se contorceu e me puxou e me beijou novamente. Então abri bem suas pernas, e comecei chupar seus grandes lábios e minha língua mostrou a ela como uma mulher poderia dar prazer à outra melhor que os homens,pois nós mulheres sabemos o que nos dá prazer e que nos excita.

E ficou enlouquecida com minha língua e meus dedos e teve um orgasmo alucinante quando meti dois dedos no seu cuzinho, seu cuzinho, e gemendo baixinho dizia pra que eu não parasse. Continuei chupar sua buceta sugando todo seu melzinho que jorrava sem parar. Ela então disse que queria fazer o mesmo comigo, e eu amei ouvir ela dizer isso com carinha de manhosa, me encostei com as costas na parede e abri minhas pernas, deixando exposta minha bucetinha lisinha e melada só pra ela. E ela me chupou como se chupa uma laranja e me proporcionando um orgasmo delicioso. Ai nos beijamos felizes e saciadas, e fomos tomar um banho, saímos do banheiro, tomamos um pouco de vinho e fomos pra cozinha comer alguma coisa pois aquela transa nos deu muita fome, era umas 16 horas ela me disse pra nós irmos numa cidadezinha que ficava há 5 km da chácara pra darmos um passeio e olhar as lojas que tinha la, e logo de incio e vi que havia um sexshop, olhei pra ela com uma cara mais safada do mundo e dei uma piscadinha e sorri, no começo ela se negou a entrar na loja dizendo que tinha vergonha, mais eu acabei a convencendo e entramos pra dar uma olhada no que tinha la. Logo de cara eu vi uma coleção de consolos e vibradores, chamei uma atendente e pedi pra nos mostrar o que ela tinha de melhor pra criar um clima sex, e ela nos mostrou os vibras e as fantasias e Carla toda envergonhada olhava tudo com detalhes, ai eu comprei um conjunto com dois vibradores, sendo um grande com mais ou menos 20 centímetros e grosso e o outro era um pouco menor e mais fino. Saímos da loja e fomos para um barzinho beber alguma coisa, ficamos um tempo ali conversando e nos divertindo com nossas loucuras e quando percebemos já era quase 20 horas, então procuramos um restaurante pra jantarmos e depois passeamos mais um pouco de moto pela cidade e voltamos pra chácara. Chegando la ela abriu outra garrafa de vinho e sentamos no tapete da sala pra ouvirmos musicas.

Ela deitou no tapete com os olhos fechado parecendo sentir música suave que estava tocando, então comecei acariciar seus seios e senti que seus mamilos enrijeciam ao sentir meus toques, esperando para serem chupados, mordidos e sugados, até o limite do prazer. E ela se estremecia com contato macio e morno das minhas mãos deslizando sobre seu corpo, seus seios e sua barriga, e parecia até que ela torcia pra que finalmente eu chegasse no seu clitóris e massageá-lo com meus dedinhos, e eu me deliciava a cada contato meu em seu corpo, e ela também com sua mão acariciava cada centímetro do meu corpo em chamas e a cada caricias eu percebia que ela ficava molhadinha, e eu um pouco perversa, ia só adiando sua sensação de prazer, e quando percebi que ela já não estava aguentando de tanto tesão peguei o vibrador grande e comecei passá-lo pelo seu corpo, o que fez ela se arrepiar dando um suspiro de prazer. Passei o em sua boca fazendo com que ela o chupasse deixando ele todo lambusado com sua saliva, fui descendo passando pelo seus seios e barriga, que fazia ela estremecer, até que cheguei onde ela e eu mais queria, na sua deliosa e úmida caverna escura e quente. ela então finalmente se deliciou em tê-lo inteiro só para si. A medida que eu esfregava ele de leve na sua buceta ela gemia me pedindo, suplicando pelo prazer de ser possuída por aquele mastro grosso e rígido. Mas ainda e não queria que ele chegasse onde ela queria, e passeei por entre as suas coxas, virilha deixando-a arrepiada e suplicante. E quando senti que ela não estava mais aguentando, eu finalmente coloquei a cabeça do vibra na sua buceta e fui enfiando bem devagar, o apertava ente suas pernas, começando rebolar fazendo com que ele se aconchegasse totalmente dentro dela. Eu então iniciei uma deliciosa massagem em seu clitóris totalmente melecado do seu melzinho. Eu então fui fazendo movimentos suaves de vai e vem e ele entrou todo em sua buceta, ai eu o retirei bem devagar só para provocá-la um pouco mais, fazendo com que ela gemesse e se contorcendo de prazer e expectativa, querendo ser possuída com mais rapidez, Ai eu propus a ela pra fazermos um 69 e ela concordou imediatamente encaixando sua bucetinha ficou na minha boca, e nossas línguas começaram a explorar cada cantinho de nossas grutas. Ai ela pegou o outro vibrador e foi enfiando na minha buceta e com sua linguá brincava com meu grelinho. Ai eu pedi a ela que tirasse o vibrador da minha buceta e metesse em meu cuzinho que já estava piscando de vontade de ser penetrado. Ela atendeu meu pedido metendo ele todo dentro de mim fazendo eu dar um grito misturado de dor e prazer.

Ficamos nos fodendo com intensidade até que explodimos num orgasmo alucinante. Ela então se virou ficando deitada sobre mim e sorrimos de felicidade. E terminamos com um longo beijo apaixonado. Peguei na sua perna, beijei seu pezinho, e coloquei o dedo na minha boca e o chupei, como se estivesse tivesse chupando um cacete e isso foi de arrepiar. Então depois de algum tempo chupando seus dedinhos voltei a me deitar sobre seu corpo e beijei seus seios, lambendo os biquinhos, enquanto minha minha buceta se enroscava com a dela e nos esfregamos, trocando nosso melzinho, fruto de nosso amor intenso. Ai levantamos e fomos tomar um banho juntas e quando saímos ainda nuas e fomos pra sala e ela pegou outra garrafa de vinho e bebemos satisfeitas. E a cada vez que bebiamos aquele vinho eu pensava no que havíamos feito e esse pensamento me deixava satisfeita e exitada. Terminamos aquela garrafa e voltamos para o quarto e falei que o nosso brinquedinho estava inerte sobre a cama repousando e aguardando pra ser novamente acionado. Então ela me perguntou o que significava aquilo que eu disse. Ai eu falei que ele precisava ser ligado, pois ele era um vibrador de silicone.
Ela então cuidadosamente o pegou e o lavando com muito carinho deixando a água escorrer em cima dele, depois o enxugou e o chupou deliciosamente e falando baixinho disse que o nome dele a partir daquele dia seria Kel em homenagem a mim.

Então dei uma gargalhada e pulei em seu pescoço e dei um longo beijo na sua boca e fomos dormir pois o domingo nos aguardava. Então deitamos e dormimos agarradinhas. Acordamos já era quase 10 horas, depois de um beijo de bom dia levantamos e fomos tomar um café e vimos que o dia estava propicio pra curtirmos uma piscina. Tomamos o nosso café e colocamos nossos biquines e fomos pra beira da piscina levando cervejas pra bebermos. Ela chegou e logo deu um mergulho, no que eu a acompanhei, ficamos nadando por alguns minutos e paramos na beira pra bebermos um pouco de cerveja e ela muito safada soltou o laço do meu sutiã jogando ele pra longe e saiu nadando indo pro outro lado da piscina e eu a acompanhei e também tirei o dela e não me contentando mergulhei e tirei bambem sua calcinha e por baixo D'Água mesmo dei uma chupada na sua buceta que a fez dar um pulo, me levantei e cai de boca em seus seios e meti meus dedos na sua bucetinha, que fez ela dar um gemido gostoso. e sentido ela já muito excitada, enfiei dois dedos nela, enquanto chupava aqueles seios deliciosos. E notei que ela logo atingiria o ápice do prazer, era delicioso ver e sentir como o seu corpo quase entrava em transe na hora do orgasmo.

Então saímos da aguá e ela entrou na casa e volto rapidamente com um sorriso safado, trazendo alguma coisa escondido atras das costas, então perguntei o que ele foi buscar e estava escondendo de mi, ela respondeu que foi pega os nossos companheirinhos Kel e Kah, ai morri de rir pois ela teria dado nossos nomes aos vibradores, risos. Ela então me deu um beijo e começamos nossa festinha que terminou na cama com nós duas exaustas e saciadas que acabamos dormindo o resto da tarde. E quando acordamos já eram quase 18 horas, nos arrumamos e fomos embora felicíssimas pelo nosso final de semana maravilhoso. Ela me disse que gostaria de ficar a semana toda comigo só que tínhamos nossos compromissos e seu marido iria voltar de viajem, eu disse que também queria poder prolongar aquele nosso encontro mas já que não era possível combinamos de nos encontrarmos em outra data, seja na chácara, Motel ou em casa mesmo e que isso seria nosso segredo.

Bom é isso Amores

Beijokas da Kelly




Foto 1 do conto: UM FINAL DE SEMANA NA CHACARA DA MINHA AMIGA

Foto 2 do conto: UM FINAL DE SEMANA NA CHACARA DA MINHA AMIGA



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
11309 - UM AMOR VIRTUAL
 


Próximo Conto

Foda com minha namorada do grupo de oração - despedida