MINHA DENTISTA DELICIOSA


BY: kellyfe
MINHA DENTISTA DELICIOSA


Ola meus Amores hoje vou contar pra vocês como consegui transar com a minha dentista. Bom Eu sempre tive tara por mulheres héteros, isso me fascinava testá-las, provocá-las, até elas implorarem pelo prazer. Por isso, não pensei duas vezes quando precisei consultar com minha dentista favorita, Dra Camila, apesar de fazer algum tempo sem vê-la. Vou confessar uma coisa pra Vocês, eu sempre tive um tesão danado pelo seu jeitinho tímido e recatado. Ela era uma linda morena, com os cabelos quase na cintura, 1,68 de alt, 58kg, bumbum redondinho, seios médios e umas pernas de cair o queixo, resumindo uma delicia de dentista. Bom eu vocês já me conhecem neh. Tenho 1.70 alt. 70 kls. 30 anos cabelos e olhos castanhos, seios e bumbum grandes e coxas saradas. Camila é um pouco mais velha que eu, com 36 e é casada com um homem, mais velho que ela.
Bem, e foi aí que eu tive a ideia de realizar esse meu desejo de muito tempo. E como eu teria varias consultas com ela, eu não poderia perder a chance de colocar meu plano em ação e já nosso reencontro queria ter a Camila só pra mim, de qualquer maneira. Então logo na primeira consulta eu fui com um vestido branco de alça, bem curto e sem sutiã ele era um pouco acima do joelho. Coloquei uma calcinha fio dental minuscula e um perfume suave do jeito que gosto. A maioria das mulheres héteros não olham para outra mulher com tesão logo de cara. O tesão delas por outra, tem que ser bem planejado e construído com muita malicia só que sem exageros.

Por isso essa minha roupa estava na medida certa praquela ocasião. Eu seria a última a ser atendida. E como já estava quase noite ela já estava sozinha no consultório, do jeito que eu queria. A primeira coisa a fazer era descontrair o ambiente, afinal já fazia mais de 2 anos que eu não a procurava como dentista pois eu tinha ficado esse tempo fora da cidade. Eu a cumprimentei com o beijo longo no rosto pra ela sentir minha respiração e meu cheiro, e pra que ela não esquecesse mais quando eu fosse embora. Quando nos afastamos eu disse que ela estava linda demais. Sempre cai bem elogios para uma mulher à qualquer momento. Mas a minha dentista era super tímida, tipo as que ficam vermelhas de vergonha quando são elogiadas. Então ela disse baixinho com um sorriso de tímido, pra que eu deixasse de ser boba, E dei um sorriso um tanto quanto malicioso e deitei na cadeira e dei um jeito pra que meu vestido subisse um pouco mostrando minhas coxas, pra que visse o quanto eu tava gostosa pra ela. Claro que ela olhou varias vezes mais ficou bem séria. E eu adorei aquilo, pois era isso mesmo que eu queria que acontecesse, pois eu iria ensiná-la como que uma mulher hétero ficava com tesão por outra mulher. Por causa do procedimento daquele dia não dava pra gente conversar muito, eu com o olhar fixo nela via minha dentista linda toda séria e preocupada, que sempre perguntava se eu tava sentindo dor

e eu aproveitava e dizia que sim e mexia na cadeira encostando meu braço nos seus seios duros e deliciosos, mais sempre ela afastava receosa com meu toque, até que ela desistiu de resistir, porque senão teria como terminar o tratamento sem deixar que seus peitos encostarem no meu braço. Então foi aí que vi seus seios pontudos, marcando sua blusa fina por baixo do jaleco. Então dei um grito dizendo que tava doendo, e ela me olhou preocupada e passou seus dedos suaves e delicados por entre meus lábios e perguntando se estava eu estava bem. E eu apontando para a minha boca, mostrei um ferimento que não existia rsrs. Então ela me pediu desculpa, me chamando de Kelly. Ai eu retruquei e disse pra ela me chamar de Kel, pois e assim que todos me chamam. E fiz um tipo manhosa pra deixá-la mais à tranquila. Então ela chamando pelo apelido me pediu novamente desculpas, dizendo que não queria ter me machucado. E acariciando meus lábios debruçou sobre mim pra ver o machucado. Nossos rostos ficaram muito próximos, então aproveitei e passei minha língua nos meus lábios e no seu dedo e disse baixinho, que daquele jeito eu iria querer um beijo pra sarar. Então ela me olhou espantada e séria. E fez como que não tivesse ouvido e continuou desse jeito até o fim da consulta. Até que ela falou que tinha acabado por aquele dia, e que no dia seguinte ela terminaria. E se levantou da cadeira ainda séria. E eu estava amando tudo aquilo. Pois não havia uma coisa mais gostosa do que seduzir uma mulher cheia de charme e difícil.


E quando elas são seduzidas. ficam doidas pra serem devoradas por outra mulher. Me levantei da cadeira e fiz com que a alça do meu vestido caísse sem "querer" rsrs, mostrando meu seio com o bico duro, ela então me olhou assustada. Então eu disfarçadamente disse que a alça sempre caia na hora e lugares errados, mais sem a menor intenção de recolocá-la no lugar. Ela ficou de boca aberta, sem tirar os olhos do meu seio. Então me ajeitei, e me fui me despedir, aproximando dela enquanto ela se encostava na porta, hiper chocada com aquela visão, e eu com uma cara bem safada disse que tinha adorado a consulta. E dando um beijo inocente bem no carinhoso no canto da sua boca, enquanto minha mão acariciava sua nuca. No dia seguinte, fui na consulta no mesmo horário. E a recepcionista ainda encontrava la mais fora do consultório e me olhava de um jeito estranho. Então imaginei que a dra. Camila tinha contado sobre a minha sedução pra ela. Quase tive certeza, quando entrei e vi as duas cochichando, até que Camila disse pra ela que poderia ir embora pois estava tudo bem. Então perguntei se ela estava com medo de mim, pois eu não mordia, e dei uma risada, e a cumprimentei com o beijinho, desta vez mais próximo da sua boca deliciosa. Então eu a ouvi suspirar, enquanto me dizia o que eu estava fazendo, só que não estava mais com jeito de brava de antes, e sim suave, mais ainda tímida e com medo até do carinho que eu estava fazendo no seu pescoço.

Até que ela pegou minha mão e a tirou, ai vi como ela estava tremendo,

e dizia pra que eu não fizesse aquilo. Claro que eu iria atender seu pedido, Só que do meu jeito rsrs. Então eu sentei na cadeira daquela dentista deliciosa, que eu já não aguentava mais de vontade de a tê-la só pra mim. Deitei na cadeira e minha saia curtissima subiu mais ainda, quase mostrando minha calcinha, que já estava molhada desde que eu entrei no consultório. Ela estava com um vestido larguinho aquele dia, que mostrava suas as coxas roliças, e que levantava sem querer quando ela se fazia movimentos para pegar os instrumentos, que me deixava louca de tesão, e querendo arrancar sua roupa e a colocar sentada na minha boca pra eu sugar a última gota do gozo da sua buceta deliciosa. Ai ela me disse que se eu sentisse dor era para eu falar, que ela pararia. Ela já não ligava mais em deixar seus seios deliciosos próximos de mim ou encostando no meu braço a cada movimento que fazia. Ai eu pensei que talvez ela não resistiria por muito tempo minhas investidas. E quando ela começou mexer na minha boca dei um grito de dor e apertei sua coxa de leve, mostrando que ela tava me machucando de verdade. Ela se desculpou e disse que foi porque eu me mexi na hora. E continuou dizendo que cuidaria do meu machucado. E toda delicada e muito perto de mim, limpou um pouco do sangue do meu lábio inferior. E minha mão continuava na sua coxa, mais sem apertar, e sim fazendo carinho de leve, a tocando por baixo do vestido, subi meus dedos até bem perto da buceta, e eu sentia o calor vindo daquela delicia.

Ela continuava cuidando do meu machucado como se nada estivesse acontecendo. Talvez o choque de ser tocada por uma mulher fosse tão grande a ponto de ela querer ignorar que isso estivesse acontecendo. Ai ela com a voz rouca tentando disfarçar que eu tava com a mão quase tocando sua buceta, disse que iria continuar com o tratamento. Eu disse que tudo bem, tocando bem no começo da sua virilha, já na calcinha senti ela dar um pulo da cadeira, mas se recompôs novamente, deixando o vestido bem solto, dando pra ver toda sua calcinha, quando ela abria suas pernas. Então não resisti e toquei de leve na sua buceta deliciosa por cima da calcinha, e percebi que estava toda melada. Ela soltou um gemido não conseguindo disfarçar mais o tesão que estava sentindo. E com seus olhos fechados, e com a respirando ofegante. Que me fez sentar na cadeira, de frente pra ela, e a puxando para mim e apertando meus dedos na sua buceta carnuda, por cima da calcinha toda melada de vontade de gozar comigo.

Ela com os olhos fechados, suspirava baixinho, como se estivesse em transe, e tremendo muito agarrava seus cabelos pela raiz, pois ali não havia mais espaço entre nós, e seu banco estava muito próximo da cadeira e seus joelhos tocavam a cadeira fazendo barulho quando ela tentava inconsciente aproximar sua buceta em um vai e vem delicioso, cada vez mais próxima da minha mão. Eu fazia movimentos circulares em cima do seu clitóris, que a essa altura já estava durinho que nem precisava tirar a calcinha pra senti-lo pulsar. Então afastei um pouco sua calcinha e senti sua buceta lisinha, sem nenhum pelo, do jeito que eu amo chupar. Então ela deu um gemido alto ao sentir o contato do meu dedo médio em cima do seu clitóris duro e todo babado. Então ela pareceu acordar, e levantou assustada, pois com certeza sua recepcionista, que ainda não tinha ido embora, devia ter escutado seu gemido. Ela me olhava quase chorando, como se estivesse implorando pra eu parar, mas no fundo eu sabia que isso não era verdade, e o que ela mais queria era que eu fizesse dela a minha mulher naquela hora. Mais ela falou que era casada e o que seu marido iria pensar se descobrisse o que nós estariamos fazendo ali. Então eu disse que só tava agradecendo por ela ter todo ao cuidadar do meu machucado da minha boca e insistir pra que ela me deixasse agradecer, e ela me olhava assustada, já do outro lado do consultório, e com suas mãos trêmulas. Então me aproximei com muito jeito pra não assustá-la mais ainda.


E toquei na sua mão que estava na porta e passei minha outra mão no seu braço, e subi até em seus cabelos, no seu pescoço, na sua nuca. Ficamos quase coladas uma na outra. A minha vontade era devorá-la com toda minha força mas sabia que precisava ter um pouco de paciência. Toquei seus lábios com a ponta dos dedos. Então ela me disse que nunca tinha feito aquilo, e que ela não queria fazer aquilo, pois eu era uma mulher, e aquela situação não poderia acontecer. Ela sussurrava aquelas palavras pra ninguém mais ouvir, e como que se justificando sua vontade, do que me convencendo a ir embora. Então dei uma mordidinha de leve na na orelha. E continuei falando baixinho em seu ouvido, que ninguém jamais iria saber o que iria acontecer ali. E que só queria fazer carinhos nela. E ela tava toda melada de vontade. Ai falei pra que ela me deixasse fazer passar sua vontade. E dei um beijo no seu rosto, ela continuava estática apoiada na parede, que sustentava seu corpo pois suas pernas tremiam muito, demostrando o tesão que estava sentindo. A abracei na sua cintura, puxando para mais perto de mim, e antes que ela resolvesse fugir, e sem esperar mais nada, deslizei meus lábios sobre os dela, enquanto continuava com minha outra mão em sua nuca, segurando seus cabelos. Passei minha língua pelo seus lábios carnudos, chupei e mordi devagar, fazendo com que se abrisse para receber minha língua. Senti suas mãos em minha nuca, então intensifiquei meu beijo.

E ela gemeu dentro da minha boca quando sentiu minha língua tocar a sua. Puxou minha boca mais para si me beijou desesperadamente. Enquanto gemia e se contorcia em meus braços, e enlouquecia com o beijo de uma mulher. Levantei seu vestido até a cintura, mostrando sua calcinha branca e transparente de tão melada que estava. Ela sussurrou que aquilo era uma loucura e pedia Por favor que eu não fizesse aquilo e gemeu igual uma gata no cio, eu tocava sua buceta por dentro da calcinha, e
suas palavras já não mais correspondiam aos movimentos do seu corpo. Ai perguntei se podia mostrar a ela como que eu queria dar um beijo nela. Enquanto passava meus dedos naquela buceta gostosa, que já havia melando minha mão por completo. Ela olhou pra mim, seu olhar já não tinha mais foco. Ai falei bem baixinho, que iria beijar sua boca mas queria que ela imaginasse esse beijo na sua buceta deliciosa. Passei a língua naqueles lábios suculentos, sua respiração ofegante dava a sensação que ela estava preste a gozar.Assim como meus dedos passeavam em sua buceta, minha língua repetia os mesmos movimentos em sua boca, fui penetrando minha língua por entre seus lábios, sentindo seu hálito quente, sua pulsação acelerada enquanto penetrei meu dedo médio dentro daquela buceta melada. E foi nesse momento que percebi que ela tinha gozado deliciosamente.

Ela gemendo alto quase gritando numa explosão de orgasmo. Abocanhou meus lábios com violência, me puxando ao seu encontro, arranhando minhas costas, e puxando minha mão para penetrar mais fundo dentro da sua buceta, implorando sem ter mais controle sobre nada. Então coloquei três dedos dentro da sua buceta gulosa enquanto ela me beijava, agora mais suave, acompanhando o ritmo das minhas estocadas, acompanhava com movimentos de vai e vem nos meus dedos. E sussurrava no meu ouvido que estava gostoso demais, ela já não tinha mais nenhuma vergonha ou timidez. Gemia baixinho a cada estocada e melava meus dedos deslizando cada vez mais fundo dentro dela. Ajoelhei em seus pés e meus dedos penetraram ainda mais fundo, arrancando mais gemidos dela. Tirei totalmente sua calcinha e meti minha boca na sua buceta, fazendo-a gritar o quanto aquilo era bom. suguei seu clitóris com meus lábios e passando minha língua com movimentos rápidos. E ela dizia que assim ela não iria aguentar. Então senti mais uma nova explosão de gozo, sua buceta contraia toda melada e com meus dedos dentro, que a fez desequilibrar e soltar seu corpo até o chão sentando no meu colo, com seu rosto molhado de suor, ainda ofegante. Então ela me fez o melhor pedido da noite, E disse que queria muito mais, e entre beijos continuou sussurrando que me queria muito na sua cama naquele momento.
E como eu podia negar um pedido quase que implorando de uma mulher deliciosa. Então fomos pra sua casa que ficava a poucos minutos do consultório. E foi lá que descobri que seu marido não estava e que teríamos a noite inteira pra matar sua vontade desenfreada,

ela me beijou com intensidade, quase transformando nossos lábios em apenas um. Eu não acreditava que ela nunca tivesse fantasiado em estar com uma mulher. Pois sua vontade, sua fome pela minha boca e pelo meu corpo eram demais e denunciavam uma secreta fantasia bem comum nas mulheres casadas, que é de estar em braços femininos, sendo provada e possuída por outra mulher. Deitei-a de bruços na sua cama e enquanto acariciava suas coxas, sua virilha bem perto da buceta e eu a provocava com sussurros em seu ouvido, perguntando se ela gostava que eu fizesse naquele jeito. Ela apenas conseguia balançar a cabeça positivamente, pois já não conseguia mais emitir outros sons que não fossem suspiros ou gemidos. Então resolvi torturá-la um pouco eu queria sentir aquela buceta contraindo de tanto tesão quando eu fosse chupá-la novamente. Lambuzei suas costas com beijos molhados, enquanto ela se arrepiava, abrindo suas pernas mais ainda a medida que eu descia com a língua. Ela implorava pra que eu fizesse tudo aquilo de novo, e pegando meus dedos pra colocar em sua buceta, mais eu afastava só pra deixá-la mais exitada. Então eu perguntei se ela estava querendo dar pra mim assim de novo, eu a provocava e atiçava seus instintos. Então ela pedia Por favor pois ela queria muito, e sua voz rouca implorava por prazer. Eu já sentia nela um tesão absoluto, que já estava próximo ao orgasmo.

Mas eu ainda não tinha ouvido dizer o que ela mais queria.
Toquei meus dedos bem de leve na sua buceta carnuda, inchada e sedenta por sexo, enquanto eu mordia sua bunda gostosa e macia. Então tornei dizer pra ela me falar o que queria que os meus dedos fizesse com sua buceta. E aproveitando separei suas nádegas, passando minha língua no seu cuzinho apertado, que a deixou sem ar, senti seu corpo todo arrepiar e ela exclamar o quanto ela tava gostando daquilo, e continuou dizendo que me queria, e queria que a fodesse, com jeito e a fizesse gozar mais e mais. Agora sim, eu havia arrancado de sua boca o seu desejo mais profundo de sentir prazer, o seu lado mais íntimo, que até então durante todo esse tempo só tinha se revelado no seu mundo mais íntimo da sua cabeça. Chupei seu cuzinho enquanto penetrava dois dedos, na sua buceta, que de tão molhada, escorregava e melava toda minha mão. E com minha mão livre acariciei seu clitóris, fazendo a sentir uma sensação de prazer completo, e se entregar ao gozo ao sentir minha língua no seu cuzinho e meus dedos em sua buceta e clitóris. Ela ficou louca e gozou mais de uma vez seguida com meus estímulos, se entregando e relaxando por completo após a sensação do orgasmo. Retirei meus dedos de dentro dela e os lambi para ela ver o quanto eu gostava daquele mel delicioso que saia de suas entranhas mais profundas. Ela se virou pra mim, ainda deitada completamente relaxada e com a cara de satisfação. Então eu disse pra ela olhar o que tinha me feito, e apontei para sua buceta encharcada enquanto ela me olhava sem saber do que eu tava falando.

Então eu disse que ela tinha deixado sua buceta toda molhada e escorrendo nas suas coxas, mostrei todo seu gozo no lençol. E falei que eu iria ter que secá-lo com minha língua e dei um sorriso safado, quando vi seu olhar se mudar novamente em puro tesão ao ouvir o que eu estava pra fazer. Me deitei ao seu lado na cama e por um tempo e vi uma tristeza ao imaginar que eu tinha desistido de chupá-la novamente. A olhei de um jeito bem safado e disse pra ela sentar na minha boca e esfregar sua bucetinha deliciosa na minha língua. Ela deu uma mordidinha nos seus lábios indicando o quanto ela havia gostado daquela ideia. Então disse que se ela tinha gostado quando eu a tinha fodido com meus dedos, eu queria que ela fodesse minha boca com sua buceta e naquele momento seus olhos brilharam de tesão com as minhas palavras. Senti suas pernas se abrindo uma de cada lado do meu corpo e aproximando devagar e se encaixando na minha boca. Ouvi ela suspirar com o contato com meus lábios, apoiou suas mãos na cabeceira da cama para poder se equilibrar. Eu a lambia devagar, de acordo com seu ritmo e chupava seu clitóris inchado, fazendo estremecer todo seu corpo. Coloquei a ponta da língua na entrada da sua buceta e senti ela paralisar imaginando o que eu iria fazer em seguida peguei sua bunda com minhas mãos fazendo sua buceta encaixar com minha língua lá dentro, arrancando vários gemidos de prazer. Ela estava gostando de sentir minha linguá toda dentro da sua buceta daquele jeito.

Ela pareceu encontrar o jeito de foder com minha boca e minha língua inteira dentro da sua buceta, fazendo movimentos de vai e vem, ora devagar rebolando bem gostoso, ora mais rápido, fazendo que seu corpo arrepiar todo com cada estocada que levava no seu clitóris ao encontro dos meus dentes e meus lábios. Coloquei meu dedo seu cuzinho apertado, que já estava todo molhado com o gozo que escorria da sua buceta. Ela gemia de prazer, e com minha outra mão eu acariciava seu clitóris, fazendo-a enlouquecer de tesão e desabar ao meu lado num gozo alucinado, e
ainda sob o efeito daquele orgasmo, ela me olhava como que agradecida por tê-la causado todo aquele prazer. Aproximou-se do meu ouvido, e me enlouqueceu com sua voz rouca me pedindo pra que eu a deixasse me agradecer o que eu a tinha proporcionado naquele momento mágico. E a safada tocava meu corpo de uma maneira inexplicável, fazendo com que eu implorasse para ela continuar e me fazer gozar. Ela tinha uma boca deliciosa e sabia como usá-la com maestria. Ela começou lambendo meus seios, beijando meu pescoço, e gemia de prazer quando via que eu me entregava totalmente a ela. E sussurrando me disse que me adorava demais, me fazendo apenas gemer como resposta, ela continuou dizendo no meu ouvido que nunca imaginara que ficar com mulher seria tão gostoso assim e me fez gemer ainda mais quando senti seus dois dedos dentro da minha buceta que me enlouquecia com seus movimentos dentro de mim.

E falando que queria provar meu gosto também,

e que era pra mim gozar na sua boca. Então senti seus lábios deslizando pelo meu corpo até encaixar na minha buceta lambendo e beijando como se fosse minha boca e me fez gozar deliciosamente.
Passamos a noite inteira assim. Testando,provocando e permitindo nos entregar a um prazer delicioso do sexo entre mulheres. E foi assim que eu me tornei sua amante, sua mulher. E sempre que seu marido não estava em casa, o prazer dela me pertencia e era comigo que ela gozava de um jeito safado delicioso, que nunca acontecia com o seu marido.

E foi assim mais uma das minhas aventuras deliciosas.

Espero que gostem.

Beijos da Kelly




Foto 1 do conto: MINHA DENTISTA DELICIOSA

Foto 2 do conto: MINHA DENTISTA DELICIOSA

Foto 3 do conto: MINHA DENTISTA DELICIOSA

Foto 4 do conto: MINHA DENTISTA DELICIOSA

Foto 5 do conto: MINHA DENTISTA DELICIOSA

Foto 6 do conto: MINHA DENTISTA DELICIOSA



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
11309 - UM AMOR VIRTUAL
 


Próximo Conto

No Escritório