QUANDO MOSTREI PRA MINHA FUNCIONÁRIA COMO SE RESPEITA UMA PATROA


BY: kellyfe
QUANDO MOSTREI PRA MINHA FUNCIONÁRIA COMO SE RESPEITA UMA PATROA


Olá, meu nome é Kelly, tenho 29 anos, sou 100% lésbica, e o que vou contar aconteceu comigo há algum tempo, e não consigo esquecer esse fato que foi muito inesperado pra mim, e pras outras mulheres envolvidas, e espero que meu relato deixe vocês exitados o quanto me deixou. Paula a guria protagonista dessa história é uma putinha gostosa mais hiper metida que trabalhava comigo em uma loja de roupas intimas e sex shop, que sou sócia gerente. Ela tem 21 anos, morena quase mulata e um corpo de dar inveja a qualquer um, e fazer os trouxas dos homens ficarem bobos. Ela sabe que é gostosa, e abusa das roupas coladas, só pra chamar atenção. Ela me enlouquecia com suas provocações insinuantes pois ela sabia da minha opção sexual, e depois que ela soube isso, começou utilizar o seu poder de dominação comigo e, também, pelo fato de ela ser prima da minha sócia, mais esse detalhe não vem ao caso. Numa segunda feira próximo do natal, eu e minha sócia marcamos uma reunião com todas atendentes da loja, para decidirmos como iria ser o esquema durante as festas, etc... E como a loja só abria as 9 horas, a reunião foi marcada para as 7:30. E la estavamos na hora marcada. Eu, minha sócia e as outras trés atendentes, inclusive a Paula.(Só esclarecendo que, a Paula nunca foi querida por todas, por seu jeito arrogante, e nem fazia questão de ser). E ela ficou na reunião mais parecia que nem tava la, e como sempre fazia ficou mexendo no celular,

enquanto a otária aqui ficava expondo as atribuições pra todas. Ela nem tava ai e só se preocupava com seu celular. Depois algum tempo falando e todos menos ela, entenderam nossas metas, eu encerrei a reunião ainda faltando 20 minutos pra abrirmos a loja, então eu tomei aguá e café e saí pra fumar. Quando voltei, pra minha surpresa, as meninas estavam em circulo em volta da Paula, rindo e falando em baixo. Então eu pensei. Será que ela tinha ficado amiga de todas , de repente. E quando me aproximei, elas se disfarçaram e saíram, ficando só a Paula no mesmo lugar, sentada, e se mexendo como se tivesse tendo espasmos. Na hora percebi do que se tratava, pois notei que os bicos dos seus seios estavam bem duros por trás da sua blusa minúscula. E seus seios grandes, redondos e duros, que eu achava que eram puro silicones, já estavam querendo saltar da sua blusa. Mandei ela parar com aquilo, mas ela já estava gozando e nem conseguia prestar atenção no que eu falava e nem parar de se mexer. Aquilo me deu uma agonia incontrolável, que eu a agarrei pela blusa, igual se pega uma pessoa pra bater, puxei-a ao meu encontro. Perguntei se ela tava me afrontando, e ela fez que não com a cabeça. Então respondi que ela era uma ninguém ali para me afrontar, e todas riram baixinho. Agarrei ainda mais a blusa dele, e as outras gurias começaram a cochichar. Quando olhei pra elas, percebi que toda atenção estava nos seios da Paula. Olhei pra baixo e vi que meu movimento tinha erguido sua blusa e deixado aqueles lindos seios a mostra.

Mais na verdade o eu senti mesmo foi vontade de cair com a boca neles, mas eu não podia fazer isso pra não perder o meu respeito perante as outras, então peguei num bico do seu seio e torci de uma maneira que ela gemeu bem alto e tentava escapar de mim, mais ela estava tão fraca por causa do gozo múltiplo que teve que mal conseguiu ter forças pra se escapar. Então falei um monte pra ela, só pra me impor, pois o que eu queria mesmo fazer aquela gostosa sentir a força da minha mão e sentir dor. Eu girava seus bicos pra valer, e ao mesmo tempo pressionava seus seios, e pude comprovar que aquelas maravilhas eram de verdade. Depois de um tempo eu finalmente parei e me afastei pra observa-la com seus grandes e belos seios todo vermelho, ela ainda se mexia sem parar. O que seria o certo era ela ter abaixado sua blusa bem rápido ao invés de apalpar seus seios então eu não tive duvidas que ela realmente me afrontava. Então puxei sua blusa pra cima, cobrindo seu rosto e prendendo em sua cabeça. Enquanto ela tentava se soltar, pedi pra as gurias que me ajudassem a levá-la até no deposito da loja. Elas ficaram um pouco assustadas no começo, mais claro que depois até gostaram. A Paula se debatia e tremia. Quando chegamos no depósito onde tinha um grande sofá pra descanção, pedi pra que a deitasse nele, e que colocassem um aviso na porta da loja de que só iriamos abrir após as 12 horas por motivo de balanço (minha sócia já tinha ido embora, então estavamos mais tranquilas)

então pedi que tirassem sua saia. E eu vi que sua calcinha estava toda molhada, então peguei meu celular e tirei uma foto. Sentei ao seu lado, tirei a blusa do seu rosto, e mostrei pra sua foto no celular e falei com uma voz bem maquiavelica, que se ela não me obedecesse, eu publicaria aquela imagem em todas as redes sociais que ela participava. Ela ficou apavorada, e disse que faria tudo que eu quisesse. E eu apenas sorria. E mandei que ela se levantasse. Ela atendeu minha ordem, ai mandei que puxasse a calcinha pra cima, até deixá-la socada na sua buceta, então apareceu aquela maravilha toda raspada, mais tinha um fiozinho de pelo em volta dos lábios estilo bigodinho, que eu amei. Mais naquele momento só queria mostrar pra ela quem realmente eu era e quem mandava naquela loja não era ela, e dei a ela o seu próprio veneno. Pedi pra umas das gurias que fosse na loja e trouxesse uma fantasia de mulher gato, um chicote, uma coleira, uma guia, e alguns vibradores. Ela me olhava atônita mais não disse nada pois não conseguiria mesmo pela tremedeira que estava. Então tirei minha roupa e vesti só a parte de cima da fantasia com a mascara, ficando só de calcinha. Peguei um consolo com cinta e coloquei em mim, mandei ela descer do sofá e ficasse D4 no chão , no que ela obedeceu prontamente. Coloquei a coleira nela e prendi com a guia e mandei ela caminhar feito uma cadela safada, e todas disfarçadamente riram e Paula nem forças pra chorar tinha, então só restava a ela me obedecer.

Eu mandei ela parar e tirei sua calcinha que estava socada no seu rabinho e na buceta. E me mostrou toda aquela buceta maravilhosa, eu percebi que as meninas tavam adorando ver a guria se foder na minha mão, pedi pra elas lubrificarem ela da melhor maneira possível que era com suas linguás, e assim fizeram. Depois de um tempo deixando minhas gueixas se divertirem naquela xaninha, eu abri bem suas pernas e bundas e encostei de leve o vibrador no seu cuzinho que a fez se retrair. Então eu afastei e cheguei com o vibra perto da sua boca e mandei que ela o chupasse e deixar bem lubrificado com sua saliva, e ela obedeceu prontamente e engolia ele todo, mais percebi que ela nem saliva tinha mais. Então pedi pra uma das meninas trazer um copo de água e desse pra ela, mais que deixasse um pouco distante dela, e assim foi feito. Eu ordenei que a putinha fosse, de quatro, beber. E ela seguiu minha ordem e foi bem devagar e tremendo. E virou de costas pra mim e pras meninas, deixando sua buceta totalmente a mostra pra nós. Aproveitei pra tirar mais uma foto enquanto ela tentava beber a água sem conseguir por causa da tremedeira que estava. Ai pedi pra uma delas a ajudar a beber e depois que ela bebeu e a puxei pela guia, de novo para o centro da sala, então mandei ela chupar aquele consolo ate lubrifica-lo, e ela assim fez ai eu voltei pra traz dela e coloquei só a cabeça do consolo na sua bucta e ela soltou um gemido acompanhado de um suspiro por eu não ter enfiado no seu cuzinho,

mais ela estava enganada pois eu só coloquei na sua bucta pra que ficasse bem lubrificado e dei varias bombadas ate que entrou tudo na sua buceta, que a fez gemer de prazer e dor. Depois de alguns minutos fodendo aquela maravilha, e percebendo que Paula ira gozar, tirei o consolo e coloquei no seu cuzinho apertado, que fez ela dar um grito bem alto que por sorte estavamos nos fundos e não dava pra ninguém ouvir. Eu enfiei aquele kct todo dentro dela, e ela não conseguindo sustentar seu corpo com seus braços se soltou encostando seu rosto no chão sem parar de gemer, ai sua bundinha arrebitou toda pra mim facilitando ainda mais a penetração, e eu aproveitei o máximo aquela oportunidade e fodi gostoso aquela cadelinha vadia. Ai tirei do teu cu e voltei pra bucta e continuei comendo aquela safada. Então perguntei se alguma das meninas queria dosar também e uma disse que sim, então falei que tirasse a roupa e colocasse sua buceta na boca da Paula pra ela chupar e assim foi feito e paula fez a guria gozar na sua boca e ela gozou também comigo, depois que eu vi que ela não tinha mais forças pra gozar, tirei o consolo da sua buceta e fui colocar na tua boca pra ela chupar ate ficar limpo, só que quando fui colocar na boca da Paula a outra guria o agarrou e começou lamber aquele pau lambusado com o gozo dela, então eu perguntei se ela queria também e ela respondeu que adoraria mais teria que ser eu foder ela como fodia a Paula, mais essa história será para outro conto ok.

E voltando pra Paula eu disse a ela que se alguém soubesse do que havia acontecido naquele dia na loja eu publicaria as fotos que foram tiradas por mim e minhas funcionárias nas paginas sociais, ela concordou com a cabeça, então eu a libertei e disse que ela poderia ir embora e tirar o resto daquele dia de folga, então ela se levantou, vestiu sua roupa e foi embora. E no outro dia ela foi na loja e pediu demissão dizendo pra minha sócia que havia arrumado outro serviço e nunca mais a vimos e foi assim meus Amores eu perdi uma funcionaria mais fiz ela perceber que arrogância e nariz empinado não leva a gente pra lugar algum. Obs. As fotos não são verdadeiras mais refretem o máximo o que aconteceu naquele dia.

Espero que gostem.

Bye bye e Beijokas da Kelly




Foto 1 do conto: QUANDO MOSTREI PRA MINHA FUNCIONÁRIA COMO SE RESPEITA UMA PATROA

Foto 2 do conto: QUANDO MOSTREI PRA MINHA FUNCIONÁRIA COMO SE RESPEITA UMA PATROA

Foto 3 do conto: QUANDO MOSTREI PRA MINHA FUNCIONÁRIA COMO SE RESPEITA UMA PATROA

Foto 4 do conto: QUANDO MOSTREI PRA MINHA FUNCIONÁRIA COMO SE RESPEITA UMA PATROA

Foto 5 do conto: QUANDO MOSTREI PRA MINHA FUNCIONÁRIA COMO SE RESPEITA UMA PATROA



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
11309 - UM AMOR VIRTUAL
 


Próximo Conto

Dona de Fazenda Comida e o Tocador de Gados Metendo na Xereca