Ensinando ao Sobrinho a come-la II


BY: Locomotiva
Continuação de:
Ensinando o sobrinho...

Sou tenho 41anos e meu sobrinho 26, ele com intensão de me "pegar "e eu de "deixar".
Passei a noite pensando nele, uma "tora"de mulato... de lábios grosso... boca grande... másculo ... alto... pernas grossas... bunda empinada... com uma pica enorme... mas não vi só sentiiii.

Me levantei, tomei banho e vim para o café e ele já estava fazendo exercícios. Dei bom dia, ele respondeu e disse que o café estava pronto.

Me sentei à mesa e veio. Conversei que não era certo que era sua tia, uma mulher mais velha e que se a família soubesse eu seria execrada.

Ele disse todos sabem que ele sente atração por mulheres mais velhas e que já teve dois envolvimento os quais amou muito. Só não deu certo porque tinham filhos e ele queria fazer carreira acadêmica.

Eu disse:
- Então façamos o seguinte, temos uma semana pela frente, arranje uma ficante para namorar, para acalmar o fogo do sexo. E veremos como fica esse atração e que no próximo sábado voltariamos a conversar.
Ele concordou.

A moça que faz a fachina chegou. O convidei para ir a praia, ele aceitou. Tirei um biquíni novo da coleção amarelo e coloquei, me olhei no espelho estava de matar e vesti a saída de praia e fomos.

Chegando no local, tirei a saída e ele me olhava, amei seu desejo. Pedi para passar óleo de bronzear, ele passou e me estendia na toalha.
Ele disse:
- Vou caminhar e tomar um banho.
Eu apenas balancei a cabeça que sim.
Ele se foi.

Mais ou menos duas horas depois ele voltou, vermelho... suado... lindo...
Disse com uma voz branda:
- A praia é linda e limpa. A água morna, mas linda mesmo é você e deve ser morna ... quente... suave... apetitosa... uma delícia de "mergulhar".

Eu me desconcertei e estremeci.
Disse:
- Vamos? Ainda vou ao Salão.
Ele concordou.
Nos arrumamos, entramos no carro e vinhemos.

Tomei banho, almoçei rápido e fui ao Salão. Fiz depilação, as unhas, e escovei os cabelos. Voltei e ele estava dormindo, acho que o sol o enfadou.

Quando acordou propus comer uma pizza num bar da praia. Ele aceitou na hora. Tomei banho, creme emoliente e perfume. Vesti uma calcinha branca minúscula com fecho nos lados, coloquei um vestido branco de costas nua e sandália salmon alta.

Quando sai do quarto, ele quase caí de costas. Sorri no íntimo. Pegamos o carro e fomos. Ficamos num Bar de muitas garotas e mulherada lindas. Eu o olhava disfarçadamente e ele olhava as mais velhas, mas de forma geral.

Comemos camarão com legumes e arroz. Eu bebi refrigerante e ele uma cerveja. Ficou animado, dividimos a conta.
No carro, ele segurou meu rosto e me beijou com uma certa força, correspondi e ele apertou meus seios. Me soltei e ele me olhou.

Disse:
- Vai ficar me atiçando com esse corpão na minha frente, toda dourandinha de peitão convidativo e bundão apetitoso, vai?
Puxou minha blusa e os peitões saem, cintilante com as marcas do bronzeado... duros... oferecidos... prontos...
Continuou:
- To com a porra da pica doendo de tesão em você, com fogo de comer esse porra da sua xoxota.

Eu sentia a mesma coisa, um fogo naquele macho proibido... Deus de ébano.
E avançou nos seios, mordeu e chupou...gemi queria.
Eu disse:
- Melhor ir pra casa.
Ele:
- Vou procurar um lugar para morar senão enloqueço, tó afim de você, não é só para comer, é também para viver um romance.
Gelei.

Me aproximei dele e o beijei ele me puxou e tirou os peitões da blusa e chupou chupou... mordeu mordeu... mamou nos bicos... gemi. Puxou minha calcinha.
Falei no ouvido dele:
- Vamos pra casa fazer amor ?
Balançava a cabeça que sim.
Fomos e chegamos.

Sinda no carro puxou o vestido.
Eu brincando disse.
- Me pegue lá fora.
Saímos do carro e ele me alcançou, tirou o vestido todo. Se afastou e me viu sensual ofegante e quase entregue, fechou os olhos e disse.
- Não vou deixar você pra nenhum homem, agora é minha.

Avançou nos peitões... mamou mamou... sugou sugou... lambeu lambeu... eu berrava e urrava... ele mordia mordia os bicos... doía queria gemia... ele enlouquecido me segurava pela bundona. Me apertando na sua rola...chupava puxando...gozei

Se desvincular dele e abri a porta, me alcançou. Puxou minha calcinha e passou a mão.
Disse:
- Sabia que era peladinha, macia. Nunca tive uma mulher assim. Quero-a na minha boca e na minha pica.

Me senti orgulhosa... desejada... amada. Me enlacei nos seus braços e me beijando o conduzi para meu quarto... minha cama.
Ele se camisa, me abaixei e tirei junto calça e cueca. Ela pulou amarronzada... dura... saltando... grande... grossa... uma tora.

Ele murmurou:
- Quero "minha xoxota "na minha cara, sentir seu cheiro... gosto... e fude-la toda na língua...
Extremeço.

Ele se deitou, eu por cima e me escancarei na sua boca... na primeira respiração dele já estremeci... quente... cheira... lambe... gemo... me puxa e mete a língua... gozo... lambe... suga... grito...
Eu começo... chupando...lambendo... ele geme... aboncanho toda toda... geme... chupo... cheirosa... pelada...e.

Me puxa me colocando de quatro e enfiou, estremeci, um tesão a flor da pele... vai enfiando... vou gemendo... ele diz... gostosa... apertadinha... lubrificada... minha minha... cachorrinha... gemo...ele minha priquitinha... minha mulher de cama e mesa... grito... gozo.

Ele continua... acelera... cadenciado...mulher de 400 talheres... madura... gostosa e mete mete...tira e enfiiia e acelera e goza.
Beijo sua boca...

Continua a última parte.




Foto 1 do conto: Ensinando ao Sobrinho a come-la II



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

Outros contos publicados desse mesmo autor
 


Próximo Conto

A Gostasa da Chapada Diamantina